Em processo de luto, Aline Happ lança clipe em homenagem a avó

A cantora, compositora e produtora musical Aline Happ passou por uma das maiores perdas de sua vida: a morte da sua avó. Sempre citada nas entrevistas da artista como uma das maiores incentivadoras de sua carreira na música, a despedida da matriarca da família virou o tema do single “Flower of Light”, que foi uma das formas que a cantora encontrou para lidar com o luto. A canção está disponível no canal do YouTube de Aline Happ. “Eu senti que precisava eternizar minha avó e a música tem esse poder. Minha avó foi uma pessoa maravilhosa e eu gostaria que ela fosse sempre lembrada. Fiz essa música para ela, com uma mensagem de amor e esperança. Espero que ela possa ouví-la, onde ela estiver. Na música eu a chamo de flor de lírio, que é uma das minhas favoritas (acho que isso já era sabido, visto que o nome da minha banda é Lyria) e também descobri que o nome dela significa lírio e luz.”, relembra Aline Happ.

Acostumada a criar canções autobiográficas, Aline Happ agora traz para suas canções algo que não havia lidado anteriormente: o processo do luto. “Essa é a primeira vez que alguém tão próximo se vai, a dor e o vazio são inexplicáveis. Eu espero que essa canção traga um pouco de paz para todos que também perderam alguém.”, deseja Aline. A canção é uma composição de Aline Happ, que também canta, produz, grava e edita os vídeos. Os vídeos postados no canal de Aline Happ contam com o apoio de fãs no Patreon e no Padrim. Conhecidos mundialmente, o Lyria é uma banda carioca fundada em 2012 por Aline Happ. De lá pra cá, o grupo lançou dois discos com apoio de crowdfunding, Catharsis (2014) e Immersion (2018) e tocou em diversas cidades brasileiras como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, São Paulo, entre outras, além de transmitir shows online com venda de ingressos para o mundo todo.

Líder, vocalista e compositora do Lyria, Aline Happ é hoje uma das vozes mais famosas do metal brasileiro. Em seu projeto solo, a artista promove releituras Gothic/Folk/Celtic de canções do rock e do metal mundial que estão disponíveis em seu canal no YouTube. Graças ao apoio dos fãs, a cantora arrecadou mais de 200% da meta do financiamento coletivo para o seu disco solo de estreia, que será lançado neste ano.

Assista “Flower of Light

Adquira o álbum em pré-venda

Acompanhe Aline Happ

Facebook

Instagram

YouTube

Spotify


PLEBE RUDE GRAVA “P DA VIDA” COM PARTICIPAÇÃO DE AFONSO NIGRO; ASSISTA AO VIDEOCLIPE

No fim de novembro, a Plebe Rude, uma das bandas pioneiras do rock nacional dos anos 80, divulgou o videoclipe da faixa “P da Vida”, com a participação de Afonso Nigro. A música, lançada originalmente em 1987 pelo grupo pop Dominó, é uma versão do compositor Edgard Poças para “Tutta La Vita” do italiano Lucio Dalla. Poças revela que quando escreveu a letra, a ideia era fazer algo diferente, que considerasse importante de dizer na época. “Veio a ideia de falar sobre o que tava acontecendo no mundo, mas me deu aquele choque: puxa! será que aqueles meninos vão cantar isso? Porque eles cantariam coreografando e ficaria um choque visual com as palavras que eram de mais peso. Mas fui em frente e cada vez a música foi ficando mais forte, então a chamei de ‘Puto da Vida’ e naquele tempo isso era um negócio proibitivo, né? Então mudamos para “P da Vida”’. Assista “P da Vida“.

Lado A
A faixa em português chamou a atenção dos integrantes da Plebe Rude, que sempre prezaram por temáticas atuais e que reconheceram na letra, forte e impactante, a possibilidade de conciliar apelo comercial e conteúdo. “Eu já gostava da música desde a década de 80. Achava ousado o fato da banda mais pop da história da música popular brasileira ter conseguido gravar uma letra com cunho social contundente. Como ‘P da vida’ não envelheceu, muito pelo contrário, a Plebe ficou muito a vontade de fazer a versão.”, conta o vocalista Philippe Seabra. A parceria inusitada entre a banda de Brasília e o ex-Dominó se deu, de acordo com o grupo, por uma piada recorrente sobre a semelhança física entre Philippe e Afonso. “A similaridade naquela época era gritante. Um era confundido com o outro na rua por pessoas pedindo autógrafos”, conta o baixista André X, que vê a parceria como divertida e bem humorada.

Segundo Afonso Nigro, o dueto improvável deve surpreender muita gente e só foi possível, já que a música é atual, política e remete de certo modo ao momento pelo qual estamos passando. “Regravar ‘P da Vida’ foi o máximo, ainda mais com uma banda que eu sempre admirei. Um amigo em comum nos conectou e a empatia foi imediata. O Philippe é super querido e eu adorei a concepção de arranjo. Tem o Clemente também, meu ídolo de infância. Tô muito feliz com o resultado”, afirma. Com o peso das guitarras distorcidas no lugar dos teclados, e a alternância dos vocais entre Philippe e Afonso, “P da Vida” faz parte do lançamento homônimo que conta ainda com mais uma faixa, a inédita “O Gigante Adormece”, composição de Seabra que seria adicionada a versão da Plebe Rude de “P da Vida”, no entanto, devido à dificuldade em obter a autorização do espólio do autor original na Itália, virou uma segunda música.

O vocalista da Plebe Rude conta que a faixa inédita é sobre a “passividade do brasileiro, que não consegue manter o foco no meio do ruído das redes sociais e rapidamente perde qualquer noção de indignação. É a nossa resposta a canção ‘P da vida’, o brasileiro fica puto mas esquece, a indignação desaparece, tem o governo que merece e o gigante – que todos acharam que acordou nas manifestações de 2013 – logo adormeceu de novo”. E o baixista completa: “É mais uma lista de coisas que deixam a gente p da vida. É tanta notícia ruim, tanta energia negativa, que temos medo das pessoas ficarem anestesiadas. Importante não relaxar, não dormir”. Assista “O Gigante Adormece“.

Lado B
P da Vida é um EP digital de duas faixas, com lado A e lado B, assim como nos antigos vinis. Este é o primeiro lançamento da banda após o álbum Evolução, Vol.1, e foi produzido por Philippe Seabra no QG da Plebe Rude, o estúdio Daybreak em Brasília. O videoclipe da faixa título é assinado por Seabra e Adriano Pasqua. Ouça nas principais plataformas digitais.


Invoke apresenta DEO IGNOTO

É com muito orgulho que a Amazing Records Portugal apresenta o álbum dos INVOKE – DEO IGNOTO, disponível em todas as plataformas digitais. Depois de apresentar no passado dia 25 de dezembro o single FILHOS DE UM DEUS DESCONHECIDO, fica assim conhecido o restante álbum que seguramente será uma referência deste ano no panorama do Black Metal Nacional. Pedro Leal Dias, vocalista de Invoke descreve o que se pode esperar de DEO IGNOTO: “… as músicas são muito heterogéneas, carregadas de emoção e sentimento. Com riffs poderosos e harmoniosos, com rapidez, sintetizações e muitas outras surpresas lá pelo meio. É um álbum para degustar! E assim sendo, o público que nos ouvir, neste álbum , deverá estar preparado para viajar por entre um conjunto de sons e sem pretensões ou pensamentos pré construídos.”

sobre DEO IGNOTO, estar em português: “…Não foi propriamente uma experiência nova, até porque todas as ideias de texto são realizadas em Português e transpostas para Inglês, modelando rimas e ideias na sua composição. No entanto, este teve um especial sabor, porque foi composto pelo Lino Miguel, vocalista de Bruma Obscura e modelado e estruturado por mim. Tive a oportunidade de mencionar várias entidades e basear-me na alma Portuguesa.”

25 anos de INVOKE marcam o lançamento de DEO IGNOTO: “…tínhamos de marcar esta data/acontecimento com algo, que fizesse sentido para nós. Sabemos que concertos ao vivo, “nesta altura”, são voláteis, então resolvemos assinalar a data, com um conjunto de temas, que passa pela história da banda. Reúne vários sentimentos ao longo das músicas e vislumbra-se um pouco do passado, presente e futuro dos Invoke. Muito heterogéneo, mas “terra a terra”. O nome do Álbum surge das letras, é uma mescla extraordinária de mitos, lendas, deuses, paganismo e quisemos juntar tudo, sobre a pretensa do desconhecimento. Deus desconhecido, ou Deo Ignoto em Latim.”

Editora: Amazing Records [PT]

Data de Lançamento: 06.01.2022

Género: Black Metal

Tracklist:
1: Hinos de Glória
2: Irmandade de Guerra
3: Ruínas de Outrora
4: Glória da Vitória Lusitana
5: Ira

6: Pactos de Sangue

7: Matança

8: Filhos de um Deus Desconhecido

Mix e Master por Fernando Matias @ The Pentagon Audio Manufactures
Musica por Invoke
Letras por Lino Miguel e Invoke
Art Design por Mafalda Redondeiro Hortas

LINKS – INVOKE

Facebook

Instagram

Spotify

SoundCloud

Metal-archives


Supersonic lança “Nothing to Say”, novo EP conta com quatro faixas inéditas

A banda Supersonic formada por Ricardo Alexandre Alves de Souza (voz e guitarra), Leandro Barbosa (baixo) e Ricardo Sousa Fialho (bateria e backing vocal), acaba de lançar o novo EP intitulado Nothing to Say em todas as plataformas digitais via Electric Funeral Records. O EP Nothing to Say, gravado no Conspiração Records, e produzido por Lau Andrade, possui quatro faixas inéditas, com canções que vão de calmaria a distorções pesadas. Desde o início da sua formação, as músicas já eram composições próprias e cantadas em inglês. Sempre influenciados pela era Grunge e Rock Alternativo dos 90, com guitarras distorcidas, baixo marcado e bateria intensa. Tentando resgatar a essência do rock alternativo dos anos 90, e com letras que abordam a realidade, desejos e desilusões, o material traz as faixas mais atuais da banda, sendo gravadas no fim de 2019 e inicio de 2020, e mixadas entre março e junho de 2021. O disco é uma prévia dos próximos lançamentos que estão por vir no ano de 2022. Confira.


Monday Riders: banda revela data de lançamento de novo videoclipe

Ciclos se fecham e, chegou a hora da Monday Riders findar o que teve início com o lançamento do ótimo álbum Fire, Blood and Gasoline, de 2020. Para tal, a banda acaba de lançar hoje, o vídeo oficial de um dos grandes destaques do álbum, a música “Firepower”. O vídeo já se encontra disponível no YouTube, podendo ser assistido aqui através do link. Com o ciclo de Fire, Blood and Gasoline fechado, a Monday Riders agora está com suas atenções voltadas para material inédito e um novo álbum de estúdio. Sendo assim, o ano de 2022 promete muitas novidades para os fãs, então, fique ligado nas redes sociais da banda para não perder nada.

Monday Riders: Vocal: Jairo Resenrods; guitarra: Marco Fragola; Guitarra: Fredy Sansaloni; Baixo: Wagner Felix; Bateria: Paulo Meneses

Mais informações:

Facebook

YouTube

Instagram

Roadie Metal Press


Com psicodelia e rock, Try 2 Experience mostra efervescência baiana em novo disco Broadway

“Quando o rock, o blues e a música psicodélica dão vida à toda efervescência baiana, você encontra a sintonia perfeita”. Esse é o espírito do terceiro álbum da banda Try 2 Experience: Broadway. O disco utiliza a linguagem musical dos anos 1960 e 1970 para retratar a vivência do grupo em Arraial D’ Ajuda – um distrito que fica na cidade de Porto Seguro, na Bahia. Dessa forma, a Try 2 Experience inspirou-se em nomes como Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Pink Floyd, Stevie Ray Vaughan e Scott Henderson ao decorrer das sessões de gravação do disco, que foi viabilizado através de financiamento coletivo. O trabalho tem produção do pianista Deangelo Silva, que é principalmente reconhecido por já ter trabalhado com artistas como Toninho Horta, Juarez Moreira, Felipe Vilas Boas, entre outros.

O repertório reúne 11 faixas inéditas. São elas: “Another Man’s Hand”, “Maite And The Carcass”, “Blues For Stevie”, “Old Hand”, “Midnight Oil”, “Groovin Mamma”, “Can You Hear Little Darling”, “Ice and Pasta”, “Moonlight”, “It’s All About You” e “Into My Garden”. O vocalista e guitarrista da Try 2 Experience, Neygoiaba, aponta que o teor regional do álbum fica explícito, apesar das composições em inglês. “Arraial D’Ajuda é um lugar onde o rock tem pouco espaço, tendo em vista que os principais bares e palcos tem as suas agendas fechadas por estilos musicais mais populares. Assim, construímos a nossa trajetória tocando na rua, onde já vendemos milhares de CD’s em plena era do streaming. Isso é tão significativo pra gente que abordamos essa situação logo no título deste disco. Broadway, na verdade, é uma rua próxima da praça onde frequentemente tocamos na nossa cidade”, frisou o músico.

A arte da capa foi desenvolvida pelo ilustrador Ilson Rodrigues, que registrou a praça próxima à esquina da Rua Broadway, onde a Try 2 Experience tocava. O design também referencia os hippies, indígenas e cachorros que usualmente atravessam o local. Além de Neygoiaba, o grupo é composto pelo baixista Vinicius Miranda e pelo baterista Davi Miranda. A banda está em atividade desde meados de 2017, ano em que lançou o debut homônimo Try 2 Experience. Anteriormente em 2019, o trio ainda lançou o álbum San Junipero. Vale pontuar que o álbum Broadway foi mixado e masterizado por Marcelinho Guerra (Estúdio Stereo Outono). O disco também contou com a participação do baterista Marcos Ramos.

Setlist:

Another Man’s Hand

Maite And The Carcass

Blues For Stevie

Old Hand

Midnight Oil

Groovin Mamma

Can You Hear Little Darling

Ice and Pasta

Moonlight

It’s All About You

Into My Garden


Kool Metal Pré-Fest de fevereiro terá shows especiais de DFC, Eskröta e mais três bandas

O Kool Metal Fest terá mais uma prévia com jeito do evento principal em maio (no dia 29 no Carioca Club, com Belphegor Ratos de Porão, Krisiun, Crypta, entre outras). Em fevereiro, o Pre-Fest, agendado para 19/2 no Fabrique Club, em São Paulo, serão cinco shows, todos eles especiais do DFC, Eskröta, Cerberus Attack, Cemitério e Blasthrash. Os ingressos estão à venda – primeiro lote promocional por R$ 30!

DFC
De Brasília, o D.F.C., que é um dos expoentes do crossover nacional, estão neste Kool Metal Pre-Fest em  apresentação especial, em comemoração aos 25 anos do seminal disco Igreja Quadrangular do Triângulo Redondo. “Vai ser o primeiro show com público nesta pandemia. Vamos comemorar atrasados o aniversário do Igreja, que completou 25 anos de seu lançamento em 2021. Ano passado também foi também lançado na Europa, numa edição comemorativa pela pela primeira vez em vinil e K7”, comenta Túlio.

Eskröta
Unindo o thrash metal no melhor estilo anos 80 com um tiquinho de punk, o power-trio Eskröta já deixou marcas indeléveis no metal brasileiro com seu primeiro disco Cenas Brutais. Agora a banda traz seu novo ep T3rror, prometendo abalar as estruturas do underground novamente. Mosh e mensagem, como deve ser. “Vai ser um dos primeiros shows do lançamento do EP T3RROR, então, vai ter músicas novas! Mas também estamos fazendo um setlist das músicas antigas. Será, enfim, um rolê muito especial para todos”, destaca a frontwoman Ya Exodus.

Cerberus Attack
O Cerberus Attack está no Kool Metal 2022 em dose dupla – também é atração do fest de maio. No show de fevereiro, o palco do Fabrique será para o lançamento do segundo disco, ‘Abyss of lost souls’. A banda vem direto das ruas sujas da zona leste, com ódio na mente, para mostrar que thrash metal é compromisso e energia. “No nosso show oficial de lançamento iremos mostrar um setlist mesclando tudo que temos de melhor nesses mais de dez anos. Vamos apresentar uma série de musicas do nosso mais novo trabalho Abyss of Lost Souls com muitas palhetadas e muita energia como o thrash metal deve ser”, ressalta Jhon França, guitarrista e vocalista da Cerberus.

Cemitério
Possivelmente a maior revelação do death metal brasileiro nos últimos anos, munido de amplo repertório de filmes trash e riffs assassinos, o Cemitério aparece para nos levar diretamente a Florida dos anos 80. A formação é nova e terá novidades em cena. Hugo Golon, agora baixo e vocal, dá um spoiler: “Terá uma versão em português de uma das nossas maiores influências”.

Blasthrash
O Blasthrash é uma banda veterana do metal paulistano. Os mais de 20 anos de dedicação ao thrash metal, além de terem garantido uma base de seguidores leais, também renderam vários hinos do cancioneiro underground brasileiro. “Faremos um compilado das músicas dos nossos dois discos, No Traces Left Behind e Violence Just For Fun, além de algumas músicas novas que estarão no nosso próximo álbum que começará a ser gravado ainda em 2022″, aponta o baixista Diego Nogueira Sábio.

A organização é conjunta entre Loja 255, Agência Sobcontrole e Cospe Fogo Gravações.

Serviço
Kool Metal Pré-Fest de fevereiro
Dfc (set especial Igreja) | Eskröta (lançando o ep T3rror) | Cerberus Attack (lançando o CD Abyss of Lost Souls) | Cemitério | Blasthrash
Data: 19 de fevereiro (sábado)
Horário: 17h
Local: Fabrique Club
Endereço: Rua Barra Funda, 1071 – Barra Funda, São Paulo
Classificação etária: 16 anos
Ingresso: R$ 30 (1º lote, meia entrada), R$ 30 (1º lote, meia entrada promocianal: doe um quilo de alimento não perecível), R$ 60 (1º lite, inteira)
Venda on-line
Ponto de venda sem taxa: Loja 255 (Galeria do Rock)

Mais Pré-Fest
De janeiro a maio, e por que não mesmo depois do fest, o Kool Metal realiza uma série de shows paralelos com a finalidade de, todos juntos, desenferrujar e ir gradativamente sentindo como é assistir a um show em frente à banda, em carne e osso. Um Baile do Capiroto tão cabuloso que nem a expressão ‘Foda pra caralho’ consegue dar conta de traduzir o nosso sentimento ao anunciar os fests”, comenta a organização.

Outro Pré-Fest já anunciado é o de janeiro, que acontece dia 29/1 na Fenda, e terá as bandas Urutu e Lasso. Acesse para mais informações. Já em março, no dia 12, sobem no palco do Fabrique no Pre-Fest do Kool Metal as bandas Surra, Damn Youth, The Damnnation, Fossilization e Sangue de Bode.

Kool Metal Fest dia 29/5 no Carioca Club

A edição 2022 do Kool Metal Fest, confirmadíssima para acontecer no dia 29 de maio, no Carioca Club, terá sete bandas, seis nacionais e um nome internacional – Belphegor (Bélgica) – com bons motivos para compor este lineup furioso. Terá também Ratos de Porão fazendo o show de lançamento do novo disco, Krisiun com seu death metal ainda mais raivoso, Nervochaos com nova formação e mais um disco na bagagem, a estreia da Crypta em São Paulo, a promissora banda de black metal Vazio com surpresas e a Cerberus Attack com álbum novo na espreita.

Ingressos


El Negro aposta no electro rock em ‘Você Dançou’

O electro rock assume o controle na nova música do duo gaúcho El Negro, ‘Você Dançou’. É o quarto single do disco Como um raio silencioso que antecede o trovão, que sai em 2022 pelo selo Toca Discos. ‘Você Dançou’ estreiou no streaming dia 7 de janeiro. Ouça aqui. ‘Você Dançou’ é a perfeita sinergia do seu habitual desert rock com a música eletrônica. Entre riffs e beats, o duo fala de percepções e viagens sobre a pista de dança. Um videoclipe de ‘Você Dançou’ também chega ao canal de Youtube da banda.

A produção é dirigida por Luís Floriano e Leonardo Savaris, em que a El Negro explora as pistas de diversas casas noturnas de Porto Alegre que estavam paradas durante o período mais crítico da pandemia. “A pista de dança é um disfarce para os problemas do mundo real. É um lugar onde a felicidade reina e que revela perspectivas sobre nós mesmos”, comentam Leandro Schirmer (bateria) e Mumu (vocal/guitarra). “Isso parece um sonho/Vejo nossas pegadas nas areias do tempo. É bom estar ao seu lado/Como se o vento soprasse no meu caminho”, cantam no refrão do single com letra em clima dylanesco, um convite para se entregar às batidas fortes entre guitarras lisérgicas e sutis teclados setentistas.

“A gente queria fazer uma mistura que fosse um petardo sonoro, entre a música eletrônica e o rock. Algo que tivesse características do século 21, mas sem deixar de lado os riffs, afinações baixas e slides que são características da banda. Ter assistido o show dos ingleses do Kasabian, foi uma grande influência para que essa mistura acontecesse com todos esses elementos”, destacam Mumu e Leandro. Outra curiosidade é que a música tem quase sete minutos de duração, o que é uma característica das faixas eletrônicas.

El Negro nas redes
Instagram

Facebook


Músico radicado no Piauí Hugo dos Santos lança álbum homônimo

Com mais de 10 anos de atuação na cena cultural do Piauí, Hugo dos Santos é músico e compositor, com trabalhos lançados desde 2011, com os EPs das bandas Trinco e Guardia Nova. Daí em diante foram uma série de shows em diversos espaços do Piauí e do Nordeste, além de álbuns com outros projetos e solos. Em 2018, o músico em parceria com o DJ PTK (Do Quilombo Louco Beats) o projeto Tupi Machine, que lançou um álbum no mesmo ano. No ano de 2021, após um ano de pandemia sem shows, Hugo começou a lançar alguns singles solos que foram bem recebidos pelo público. O primeiro foi “Telha”, com participação da cantora parnaibana Brisa, que tem mais de 14 mil plays no spotify e recentemente “Tudo Aquilo Que Arde em Meu Peito”, que entrou na playlist editorial “Sambas da Manhã” do spotify.

Agora, o artista se prepara para lançar seu terceiro trabalho solo. O disco homônimo tem 5 faixas que foram produzidas em Teresina durante esse momento intenso e tenso pelo qual passamos de pandemia. “Canções sobre os tempos bons do passado, esperanças para o futuro e também alguns gritos presos no peito, que precisavam sair”, comenta Hugo dos Santos. Um trabalho que dialoga com a música popular brasileira e com algumas de suas raízes, mas também se conecta com o contemporâneo através de experimentos com voz, violão, sintetizadores e percussão. “São texturas sonoras que nos levam em alguns momentos para ambientes psicodélicos e camadas com muito reverb que claramente vem de influências da música Dub Jamaicano”, explica o artista.

A produção é assinada por Levi Nunes (Da banda Ultrópico Solar; Nevi Lunes) e conta com a participação de membros da Ultrópico na sua feitura. O disco foi gravado na casa do produtor Levi Nunes em Parnaíba-PI e mixado e masterizado no BlackRoom estúdio em São Luís-MA. Trata-se de um trabalho com composições que nasceram na cidade de Teresina e foram gravadas no litoral do Piauí. Do rio para o mar. Do mar para a rede. Da rede para quem ao vento soprar. OUÇA NO SEU STREAM FAVORITO NO LINK

Acompanhe Hugo Dos Santos no Instagram

Ficha Técnica: Guitarra: Lucas Linhares; Guitarra: Lívio Nascimento; Baixo: Sandoval Filho; Percussão: José Du Valle; Percussão: Hugo dos Santos; Cavaquinho: Marcell Régis; Voz e violão: Hugo dos Santos; Piano: Sandoval Filho; Piano e Sintetizador: André Oliveira; Sintetizador: Hugo dos Santos; Voz na música Telha: Sabrina (Brisa)
Produção: Levi Nunes
Mix e Master: BlackRoom Estúdio.


STONE AXE return with new album

Port Orchard’s soulful 70s rockers STONE AXE make a triumphant return on Ripple Music with their first falbum in over a decade this March 18th. Stay of Execution is a collection of unreleased tracks and hidden gems, stream its first single “Lady Switchblade” now on The Obelisk! About Stay of Execution, STONE AXE founder and multi-instrumentalist Tony Reed says: “Stay of Execution is an album of unreleased recordings and tracks we like that were hidden in the grooves of vinyl that was released in very limited numbers with little or no promotion. All songs were recorded between 2008 and 2011 and cover a wide spectrum of styles in that seventies vein that we were known for. The musical concepts of proto-metal, southern rock, psychedelic rock, and folk rock are well explored in this collection. Seven of the eight tracks on the album feature the usual studio collaboration of Reed / Brinkerhoff, while the last song includes all four members of the live band. I feel like these tracks are as strong as anything on our other long players. It’s great to see them finally get released.” Listen to new track “Lady Switchblade” at this location.

Born in 2007 in Port Orchard, Washington, at the hands of multi-instrumentalist Tony Reed (Mos Generator, Hot Spring Water, Big Scenic Nowhere), as soon as there was a Stone Axe, there was a reason for its being: 70s rock preservation. Think of Cream, Free, of Thin Lizzy, the glory days of the power trio. The earliest days of Foghat and AC/DC. Reed brings these sounds to life with a vibrancy that makes the current crop of “retro” acts look silly. It’s not about fashion. It’s about the spirit of rock and roll, the spirit of creation.

STONE AXE New album Stay Of Execution
Out March 18th on Ripple Music – Preorder

TRACKLIST:
1. Fell On Deaf Ears
2. Lady Switchblade
3. Sweet Sweet Time
4. Deep Blue
5. Metal Damage
6. For All Who Fly
7. King of Everything
8. The Last Setting Sun

STONE AXE make organically grown, passionately harvested classic rock and roll. You can hear it in Reed’s instrumentation, or in the swaggering vocals of singer Dru Brinkerhoff. There’s no irony to anything they do, no wink and nudge to say, “Yeah, look at us, but we don’t really mean it.” They do mean it. Every single time. In their short tenure together (2008-2011), STONE AXE banged out two eponymously titled full-lengths and more splits, singles and EPs than you can keep up with, through labels like their own Music Abuse Records, Roadburn Records, Ripple Music, Hydro-Phonic, and RxEvolution Recordings. Reed handled the recording himself and was always writing. The drive wasn’t to innovate but to celebrate. When you listen to Stone Axe, you hear parts that call to mind these heroes of rock and you’re happy. It’s okay to smile. That means you get it. Stone Axe weren’t out to reinvent the wheel, they were out to keep it round in a world that’s decided it would be better squared off.

STONE AXE is: Tony Reed – all instruments and backing vocals; Dru Brinkerhoff – lead vocals

STONE AXE links
FacebookBandcampSpotify

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.