Um adeus para Robson Van der Ham e Marcos Rigolli

28 de janeiro, 2013 | por Mairon
Artigos Especiais
1

Por Mairon Machado
A manhã deste último domingo foi marcada por uma grande tragédia: o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, que vitimou mais de duzentas e trinta pessoas, na maioria jovens entre vinte e vinte e cinco anos, que divertiam-se ao som do grupo Gurizada Fandangueira, após curtir o grupo Pimenta e Seus Comparsas.
O Rio Grande do Sul, e por que não, o Brasil inteiro, lamenta a morte desses jovens, e o Consultoria do Rock, hoje, presta uma homenagem à todos os familiares e amigos das vítimas dessa imensa tragédia, mas especialmente, aos músicos Robson Van der Ham e Marcos Rigolli, respectivamente baixista e baterista do grupo Excellence, e que também faziam parte do Pimenta e Seus Comparsas.
Robson Van der Ham
Para quem não conhece, o quarteto de Ijuí recebeu um post do nosso colega Fernando Bueno, com elogios para o álbum Against the Odds
Van der Ham nasceu no dia 17 de janeiro de 1982, portanto, completou trinta e um anos há onze dias, e tinha como inspirações Steve Harris, Geddy Lee e John Myung. Apesar de não ser técnico como seus ídolos, fazia um groove que auxiliava bastante nas melodias de seu colega guitarrista Lucas Prauchner.
Já Marcos, nascido em 10 de agosto de 1975, era a alma do Excellence. Com uma pegada forte, conduzia o ritmo do grupo com talento, fazendo viradas marcantes e uma batida inconfundível na caixa e no bumbo, inspirada em nomes como Aquiles Priester e Neil Peart.
Marcos Rigolli
O grupo havia se apresentado antes do Gurizada Fandangueira, e estava nos camarins quando o incêndio começou. Infelizmente, a dupla do Excellence não escapou, assim como tantos outros que estiveram presentes naquela trágica noite de Santa Maria.
Duas grandes perdas para hard/heavy nacional. Força e garra para os colegas do Excellence e para seus familiares. 
Deixo aqui o vídeo de “Going Down to Nowhere“, uma das melhores canções do grupo, que contra tudo e contra todos,  conseguiram vencer dentro do mercado roqueiro nacional, mas que a fumaça do incêndio na boate Kiss acabou derrotando-os na madruga de sábado para domingo do dia 27 de janeiro de 2013.



1 Comentario

  1. micaelmachado disse:

    Fato triste, lamentável, uma tragédia que não tem explicações, e que poderia ter sido evitada facilmente, tornando-se, assim, ainda mais absurda!

    Ontem passei o dia inteiro pensando em quantas vezes estive na mesma situação das pessoas que estavam naquela boate, procurando diversão em locais sem a estrutura necessária para nos oferecer segurança para nossa integridade. Quantas vezes uma tragédia destas poderia ter ocorrido em um local onde eu estava, curtindo um show como aquele pessoal, ou simplesmente batendo papo com os amigos em uma noite divertida?

    Um local que sempre critiquei aqui em Porto Alegre é a casa Beco. As autoridades competentes, as produtoras e os donos do local podem dizer que a casa é segura, mas minha percepção diz que não. Cada vez que vou lá, além de ter dificuldades para assistir aos shows devido ao palco ser muito baixo, temo pela minha integridade devido ao tamanho do local, à sua usual lotação e à dificuldade de sair da pista para a rua em situações normais (como o final das apresentações, por exemplo), algo que seria ainda mais elevado em caso de tumulto (e isso pode ocorrer por diversos motivos, por mais que a casa e a produtora se preocupem com todas as questões de segurança).

    É por este motivo que não irei resenhar os shows que assisti nesta casa na última sexta feira (da banda suíça Eluveitie) e no domingo à noite (do grupo alemão Destruction). Estive presente, curti o show, fiz novos amigos, aproveitei muito e voltei para casa em segurança e com minha saúde preservada. Mas um dia isso pode não ocorrer, especialmente naquele local. Assim, não vou dar mídia a uma casa de espetáculos que, para mim, não passa de um muquifo! Enquanto a configuração da casa não for alterada e eu me sentir mais seguro lá dentro, não resenharei shows que ocorram neste local! É algo menor e, possivelmente, irrelevante, mas é uma atitude que posso e irei tomar, mesmo que não traga maiores consequências!

    Que Deus abençoe a todos os que terão de lidar com as lembranças daqueles que partiram nesta tragédia, que os culpados sejam punidos, e que algo assim nunca mais se repita! Força sempre!

    A todos nós que amamos a música!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *