Por Micael Machado

O Guns N’ Roses está de volta (err… mais ou menos…). Pela primeira vez desde 2008 (quando saiu o controverso Chinese Democracy), o grupo lança novas músicas (err… mais ou menos, outra vez…) de estúdio, na forma do EP Hard Skool, lançado em fevereiro de 2022. São as primeiras gravações oficiais de estúdio a trazerem Axl Rose (vocais), Slash (guitarras) e Duff McKagan (baixo e backing vocals) juntos desde a versão para “Sympathy For The Devil”, dos Rolling Stones, gravada em 1994 para a trilha sonora do filme Entrevista com o Vampiro.

Tudo começou com o surpreendente anúncio da turnê mundial “Not in This Lifetime Tour” em 2016, a qual passou com estrondoso sucesso por diversos países (Brasil incluído, por duas vezes, em 2016 e 2017), trazendo os três membros originais citados acima ao lado de Dizzy Reed (teclados, pianos, percussão e backing vocals, no grupo desde a turnê dos álbuns … Illusion, de 1991), Richard Fortus (guitarra base e backing vocals), Frank Ferrer (bateria e percussão) e Melissa Reese (teclados e sintetizadores). Aos poucos, os rumores do lançamento de um novo álbum de estúdio com esta formação foi surgindo nas redes sociais, depois boatos de novas gravações acontecendo em estúdios aqui e ali. A pandemia mundial do novo corona vírus parecia ter paralisado o andamento dos acontecimentos, mas, em agosto de 2021, uma nova música “inédita” (na realidade, uma versão “retrabalhada” de uma das demos compostas durante os mais de doze anos da saga de gravações e composições para o já citado Chinese Democracy, mas não aproveitada no track list final do disco) apareceu oficialmente na internet, atiçado os fãs do grupo, que, em setembro do mesmo ano, ganharam mais uma “inédita” (outra versão “retrabalhada” para mais uma das demos que sobraram do álbum anterior), também lançada oficialmente na internet pela banda. Agora em 2022, o EP Hard Skool, disponível nas versões em CD (lançado no Brasil pela Universal Music), K7 e compacto de 7″ (que a mesma gravadora promete em seu site disponibilizar no país “em breve”), coloca finalmente em meio físico no mercado estas “novas” composições disponíveis para os fãs e colecionadores, onde os dois primeiros formatos trazem as duas canções “inéditas” junto a duas faixas ao vivo gravadas durante a citada “Not in This Lifetime Tour” (em datas e locais não mencionados no encarte), com a bolachinha em vinil apresentando um track list um pouco diferente.

Duff McKagan, Axl Rose e Slash, com novas composições depois de anos afastados

Uma das duas faixas “inéditas” é “Absuяd”, previamente conhecida pelos fãs mais devotados como “Silkworms”, e a primeira a ser divulgada ao mundo lá em agosto. Mesmo com algumas mudanças nas letras e no arranjo (a nova versão tem bem mais partes de guitarras que a original, por exemplo, e o refrão foi totalmente modificado), a faixa ainda transpira a atmosfera e o estilo do álbum Chinese Democracy durante a maior parte de seus três minutos e meio (um curto trecho mais calmo e quase psicodélico perto do final “quebra” um pouco esta impressão, alterando sensivelmente o clima frenético do restante da faixa), com a voz de Axl soando bem mais grave do que em seus “tempos áureos”. Mais parecida com a “fase clássica” da banda é a faixa título “Hard Skool” (previamente conhecida como “Jackie Chan”), hard rock “pegado” com uma excelente introdução do baixo de Duff aliada a um riff de guitarra (retrabalhado por Slash) muito empolgante (apesar de uma parte mais “viajante” ali pelo meio destoar um pouco da atmosfera construída nos pouco mais de três minutos e quarenta segundos de sua duração) e a voz de Axl mais próxima do que fomos acostumados ao longo do tempo, transformando esta faixa, na minha opinião, em uma das melhores já lançadas pelo Guns “pós debandada geral”, incluam-se aí todo o Chinese Democracy e a decepcionante “Oh My God” (excessivamente eletrônica para o meu gosto), da trilha sonora do filme End of Days”(“Fim dos Dias”, no Brasil).

Como escrito acima, as versões em K7 (ainda inédita no Brasil) e CD (disponibilizado no nosso país em uma edição “cardboard”, apenas com um envelope de papelão “segurando” o disco e um encarte muito, muito simples, sem trazer a formação da banda, uma foto sequer, ou mesmo a ficha técnica das faixas – estúdio de gravações, datas das mesmas, produtor, técnico de som, esse tipo de informação pela qual os fãs de verdade se interessam – ou mesmo a correta denominação dos autores das faixas “novas” – creditadas apenas como “escritas pelo Guns N’ Roses”, quando se sabe que os músicos envolvidos no Chinese Democracy também tiveram partes nas composições das mesmas) trazem versões ao vivo para as clássicas “Don’t Cry” (onde a voz de Axl mostra que os “bons tempos” da garganta do frontman estão enterrados em um passado distante, pois a performance do cantor, especialmente na parte final, onde o tom original é bem mais alto do que o registrado aqui, chega perto da chamada “vergonha alheia”, apesar da excelente performance geral do restante dos músicos) e “You’re Crazy”, em um arranjo mais “malemolente” e lento do que aqueles registrados no álbum de estreia (onde a velocidade prevalecia) ou na versão acústica presente em G N’ R Lies, mas, ainda assim, bastante interessante, e, desta vez, com a voz de Axl mais “agradável” de se ouvir, embora algumas “pequenas falhas” aqui e ali (destaque também para a performance de Slash ao longo da faixa). Já a versão em compacto de vinil em 7″ (ainda a ser lançada no Brasil) promete a versão de estúdio de “Hard Skool” no lado A, e uma versão inédita ao vivo para “Absuяd” no lado B, também registrada durante a “Not in This Lifetime Tour”. Ao que li, uma segunda versão de 7″ exclusiva para os assinantes do “Nightrain” (o “clube de membros” oficial da banda) trará ainda uma versão ao vivo para “Shadow Of Your Love” no lado B, no lugar de “Absuяd”, mas, como não sou membro do clube, não posso garantir esta informação.

Contracapa da versão em CD do EP Hard Skool

No geral, Hard Skool cumpre bem o papel de “aperitivo” para o álbum oficial que um bom EP deve fazer, despertando a curiosidade para o que virá a seguir caso realmente Axl, Slash, Duff e companhia realmente cheguem a lançar um novo álbum de inéditas após tantos anos separados, embora, por utilizar as bases de músicas já “antigas” (que foram “reaproveitadas” e “retrabalhadas” a partir de versões compostas sem a presença de duas das principais figuras do grupo atual), não chegue a “apontar” com maior clareza o estilo e o caminho que a banda seguirá nesse hipotético e esperado novo registro. Resta aos fãs do Guns N’ Roses, mais uma vez, aguardar, coisa que já estamos mais do que acostumados a fazer (afinal, “aguardamos” por anos por Chinese Democracy, por mais tempo ainda por uma reunião do grupo, e muitos ainda aguardam um retorno triunfal de Izzy Stradlin e, em menor número, de Steven Adler… sonhar ainda é de graça, certo?).

Track List:

1. Hard Skool

2. Absuяd

3. Don’t Cry (Live)

4. You’re Crazy (Live)

3 comentários

  1. Marcello

    Guns, para mim, foi uma promessa não cumprida… O 1º LP foi um dos discos que mais ouvi no final dos anos 80, até o ponto de ter enjoado. O Lies era divertido, os dois Use Your Illusion me decepcionaram bastante (não consegui compilar uma fita de 60 minutos com os dois discos) e do Chinese Democracy não posso falar – ouvi duas ou três vezes na época do lançamento e deixei de lado. Mas fiquei curioso para ouvir o novo EP, ainda que provavelmente vá pular Don’t Cry depois de ouvir pela primeira vez (nunca gostei dela!).

    Responder
  2. joao

    Pelo que o Discogs mostra, a edição brasileira é igual à americana e europeia, então não foi descaso da filial brasileira esse formato, mas sim uma decisão para todo o mundo.

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.