Cinco Discos Para Conhecer: o hard rock sueco

23 de março, 2012 | por Van do Halen
Cinco Discos Para Conhecer
3

Por João Renato Alves (publicado originalmente no blog Van do Halen)

Apesar da inevitável referência norte-americana quando se pensa no estilo, a Suécia sempre foi um país que ofereceu Hard Rock de qualidade. Tanto isso é verdade que, com muita dor no coração, tive que deixar de fora alguns álbuns fantásticos. Contudo, a regra é clara, já diria aquele ex-árbitro. São cinco e nada mais. Sendo assim, os escolhidos foram:
Europe – The Final Countdown [1986]
O álbum que colocou o país definitivamente na cena. Para os leigos, o Europe ficou estigmatizado pelas duas faixas de maior sucesso. A pegajosa faixa-título não se encaixaria totalmente nos padrões de um sucesso comercial, mas sua melodia é daquelas que a gente ouve uma vez e não esquece nunca mais. A intimista “Carrie” virou uma espécie de sinônimo de balada na cena oitentista – além de referência negativa para os detratores do estilo. Outros grandes clássicos que ultrapassaram a prova do tempo são a festeira “Rock the Night” e “Cherokee”. Outra que foi lançada como single é “Love Chaser”. Felizmente, a qualidade não se resume a essas cinco: músicas como “Ninja”, “Danger on the Track”, “Heart of Stone” e “On the Loose” caíram no gosto dos fãs, que já acompanhavam o quinteto desde os trabalhos anteriores. O disco vendeu três milhões de cópias apenas nos Estados Unidos, transformando Joey Tempest e companhia em um fenômeno de popularidade. O primeiro lugar nas paradas na terra natal, Suíça e França apenas confirmou o grande momento. Porém, nem tudo eram flores. O guitarrista John Norum sairia após a turnê de divulgação, em protesto à guinada comercial. Intrigas à parte, The Final Countdown é um marco na história do Hard Rock.

1. The Final Countdown

2. Rock the Night
3. Carrie
4. Danger on the Track
5. Ninja
6. Cherokee
7. Time Has Come
8. Heart of Stone
9. On the Loose
10. Love Chaser

Formação: Joey Tempest (vocais); John Norum (guitarras); John Levén (baixo); Mic Michaeli (teclados); Ian Haugland (bateria)

Treat – Dreamhunter [1987]
Apesar de não ter alcançado o mesmo sucesso do Europe, o Treat é uma das melhores formações oriundas da Suécia. Seu Melodic Rock conta com admiradores mundo afora e a consistência de seu trabalho é marcante. Tanto que seu último álbum, Coup de Grace (2010), o primeiro de inéditas em dezoito anos, é um dos melhores de sua carreira. Quando lançaram Dreamhunter, a banda vivia um grande momento popular. Haviam sido a atração de abertura da turnê do Queen, que divulgava o álbum A Kind of Magic, além de dividirem o palco com o W.A.S.P., que surgia como uma das grandes forças da cena mundial. Com tudo conspirando a favor, lançam um belo disco, que emplacou o single “World of Promises”, que anos mais tarde seria regravada pelo In Flames. A abertura com “Sole Survivor” e a bela melodia AOR de “You’re the One I Want” também merecem destaque. A climática “Outlaw” empolga, assim como a pegajosa “One Way to Glory”, com seu belo refrão. Encerrando o track list normal, há a agitada “The Winner”, com seu estilo festeiro. Em 1992, o Treat daria um longo tempo em sua história, para retornar recentemente ainda com força. Os adoradores dos bons sons agradecem. E quem não conhece, não sabe o que está perdendo.
1. Sole Survivor 
2. You’re the One I Want 
3. Take Me on Your Wings 
4. Best of Me 
5. Dancing on the Edge 
6. Outlaw 
7. World of Promises 
8. One Way to Glory 
9. Save Yourself 
10. The Winner
11. Tush

Formação: Robert Ernlund (vocais); Anders Wikstrom (guitarras, teclados); Lillen Liljegren (guitarras); Ken Siewertson (baixo); Jamie Borger (bateria)

Talisman [1990]
Apesar do vocalista Jeff Scott Soto ser norte-americano, a concepção do Talisman partiu totalmente da cabeça do saudoso e monumental baixista sueco Marcel Jacob, tanto que as demos iniciais foram registradas com o compatriota Göran Edman (John Norum, Yngwie Malmsteen e outros mil projetos) no microfone. Entretanto, assim que JSS assumiu o posto a coisa fluiu como deveria. O álbum de estreia é uma pérola do Hard Rock mundial, com onze faixas – na versão original – dignas de todo o talento reunido para a empreitada. Apesar de não ter sido um estouro de vendas fora dos domínios escandinavos, é referência histórica. De cara, a música “I’ll Be Waiting” estourou na Suécia, chegando ao número 2 das paradas. É até hoje o grande clássico da banda, presença obrigatória nos setlists dos shows de Jeff. A baladaça “Just Between Us” também conseguiu boa execução. Outras que caíram no gosto dos adeptos e permaneceram nos futuros concertos foram “Break Your Chains”, “Standin’ On Fire”, “Dangerous” e “Day By Day”. Esse foi apenas o começo de uma bela trajetória, que colocaria o Talisman como uma das principais referências do Hard Rock na década seguinte, além do grupo com o qual Jeff Scott Soto mais tempo permaneceu em sua carreira.

1. Break Your Chains

2. Standin’ on Fire
3. I’ll Be Waiting
4. Dangerous
5. Just Between Us
6. System of Power
7. Queen
8. Lightning Strikes
9. Day By Day
10. Women, Whiskey and Song
11. Great Sandwich

Formação: Jeff Scott Soto (vocais); Marcel Jacob (baixo, bateria, guitarras); Christopher Ståhl (guitarras); Mats Olausson (teclados)

H.E.A.T. [2008]
Quando parecia que nada mais relevante aconteceria, surgiu o H.E.A.T. para dar um sopro de vida. Com um primeiro disco arrasa-quarteirão, o sexteto se impõe, angariando uma pequena, porém fiel legião de admiradores. As doze faixas da estreia justificam toda a repercussão, remetendo aos bons tempos sem deixar de possuir um toque atual em suas estruturas. Para colaborar, os músicos claramente entendem do riscado, criando melodias grudentas aliadas a uma execução primorosa. Uma referência clara é o Europe, até pela semelhança de timbre do vocalista Kenny Leckremo com Joey Tempest. Mas a cada nova escutada, o som adquire uma cara própria, uma identidade única. Difícil apontar um destaque, pois todas as canções são dignas de registro. Contudo, a abertura com “There For You”, o ritmo indefectível de “Late Night Lady” e a viciante “Keep on Dreaming” merecem ser citadas. “Follow Me” é uma balada grandiosa, com refrão inesquecível. E “Straight For Your Heart” é um rockão de primeira, pronto para empolgar a plateia nos shows. A banda segue sua caminhada, já sem Kenny nos vocais, substituído por Erik Grönwall, descoberto na versão sueca do reality show Ídolos. Sem dúvida, um dos melhores grupos da nova geração.
1. Intro
2. There For You
3. Never Let Go
4. Late Night Lady
5. Keep On Dreaming
6. Follow Me
7. Straight For Your Heart
8. Cry
9. Feel It Again
10. Straight Up
11. Bring The Stars
12. You’re Lying
13. Feel The Heat

Formação: Kenny Leckremo (vocais); Dave Dalone (guitarras); Eric Rivers (guitarras); Jimmy Jay (baixo); Jona Tee (teclados); Crash (bateria)

Crazy Lixx – New Religion [2010]
Após um trabalho de estreia que era bom, mas nada especial, o Crazy Lixx surpreendeu, trazendo em seu segundo álbum uma verdadeira coletânea de hits para matar todos os adeptos do coração. Sem medo de expor todas as influências da cena norte-americana oitentista, além de um toque decisivo de Def Leppard, o quarteto não deixa pedra sobre pedra em New Religion. O que temos aqui é uma genuína seleção de hits hard rockers, mostrando que a nova geração tem fôlego de sobra para carregar o legado das décadas passadas. Desde a abertura com “Rock and a Hard Place” a proposta fica bem clara: o negócio aqui é buscar sempre o lado festeiro do Rock (retratado especialmente em “She’s Mine”), com verdadeiros hinos ao estilo de vida. Outras que se destacam são “My Medicine”, uma filha recém-descoberta de “Let’s Get Rocked” do já citado Def Leppard. Da mesma forma, a balada “What of Our Love” remete diretamente a “What It Takes” do Aerosmith. Para despertar um sentimento saudosista nos adeptos, sem perder o sabor de novidade nem a marca registrada dos músicos.
1. Rock And A Hard Place
2. My Medicine (R.O.C.K.)
3. 21 ‘Til I Die
4. Blame It On Love
5. Road To Babylon
6. Children Of The Cross
7. The Witching Hour
8. Lock up Your Daughter
9. She’s Mine
10. What Of Our Love
11. Desert Bloom
12. Voodoo Woman

Formação: Danny Rexon (vocais); Andy Dawson (guitarras); Luke Rivano (baixo); Joey Cirera (bateria)



3 Comentarios

  1. Dos citados onheço apenas o europe, um disco que ouvi muito em minha vida, mas que hoje eu tenho uma distância grande, apesar de o Europe atual me atrair bastante. Os dois ultimos discos são muito bons, assim como o acustico. Final Countdown realmente é um classico, e não poderia faltar aqui.

    Das demais, fiquei curioso com o Crazy Lixx, e do resto, bueno onde tem Jeff Scott Soto no meio eu não me meto

  2. micaelmachado disse:

    A Suécia é um paraíso de mulheres lindas e granes grupos musicais, desde o Abba e o Roxette até o pessoal do Death Metal de Gotemburgo. Alguns dos meus grupos favoritos há um bom tempo vêm de lá, como Therion, Spiritual Beggars, Anekdoten, Anglagard e The Mushroom River Band.

    Mas, como Hard Rock não é o meu forte, não conheço muito das bandas deste estilo vindas de lá, sendo que dos citados só o Europe mesmo que passou por meus ouvidos.

    Mas, se forem da mesma qualidade das bandas dos outros estilos, podem conferir sem medo!

    Pena ser tão frio lá, senão seria rota obrigatória para visita algum dia!

  3. Anônimo de volta disse:

    O álbum de estréia do Talisman é excelente. Nunca ouvi tantos solos incríveis em um disco. Uma aula de solos de guitarra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *