Cinco Discos Para Conhecer: Tony Martin

23 de dezembro, 2011 | por Mairon
Cinco Discos Para Conhecer
3


Por Thiago Reis

Com certeza você deve conhecer Tony Martin pela sua participação no Black Sabbath, entre os anos de 1987 e 1996, tendo registrado cinco álbuns de estúdio, um álbum ao vivo e uma coletânea. Mas a carreira de Tony não se resume ao Sabbath, muito pelo contrário. 
Ao longo das próximas linhas iremos destacar os cinco melhores trabalhos do vocalista fora da banda de Tony Iommi. 
Tony Martin – Back Where I Belong [1992]
Após ter sido expulso do Black Sabbath para a reunião com Ronnie James Dio, Tony conseguiu um contrato com a Polydor, na Alemanha para a gravação de seu primeiro álbum solo. Back Where I Belong engloba elementos de hard rock, um rock mais tradicional e fugindo bastante do heavy metal. O álbum contou com convidados ilustres, como por exemplo Brian May, Neil Murray, Laurence Cottle, Geoff Nicholls, Zak Starkey, entre outros. O grande mérito de Tony aqui foi a composição de todas as músicas sozinho, assim podemos conhecer a verdadeira essência das influências do vocalista. Os grandes destaques vão para as faixas “If There’s a Heaven”, “Back Where I Belong”, “The Last Living Tree”, “Angel in the Bed” e “Jerusalem” (em uma roupagem completamente diferente da que encontramos no álbum TYR, do Black Sabbath). 
1- If It Ain’t Worth Fighting For 
2- It Ain’t Good Enough 
4- Back Where I Belong 
5- Ceasfire 
6- Why Love 
7- Sweet Elyse 
8- The Last Living Tree 
9- Now You’ve Gone 
10- India 
11- Angel in the Bed 
12- The Road to Galilee 
13- Jerusalem 
The Cage -The Cage [1999]
O primeiro álbum da parceria entre Tony Martin e Dario Mollo, entitulado The Cage é um dos melhores álbuns de hard rock melódico da década de 90. Misturando influências de bandas clássicas como Deep Purple e indo de encontro com um som mais inovador e culminando com a grande habilidade de Dario nas seis cordas e de Tony na composição das letras e harmonias faz com que The Cage seja um álbum obrigatório na coleção de qualquer admirador de hard rock. Faixas como “The Cage/If You Believe”, “Relax”, “This Kind of Love”, “Soul Seaching” e o cover do Deep Purple, “Stormbringer”. Com certeza esse disco mostra todo o potencial de Tony Martin como vocalista e letrista emu ma atmosfera completamente diferente dos anos de Black Sabbath. 
1- Cry Myself to Death 
3- The Cage/IF You Believe 
4- Relax 
5- Smoke and Mirrors 
6- Infinity 
7- Dead Man Dancing 
8- This Kind of Love 
10- Soul Searching 
Tony Martin- Vocal 
Dario Mollo- Guitarra 
Don Airey- Teclado 
Fulvio Gaslini- Baixo 
Ezio Secomandi- Bateria 
Elio Maugeri- Backing Vocals 
Tony Martin – Scream [2005]
Tony Martin grava seu segundo álbum solo após 13 anos com um som bem calcado em Black Sabbath. Essa volta às raízes se deve ao fato de ter em seu line up, outro ex-Sabbath, o tecladista Geoff Nicholls, que também auxiliou muito nas composições. Uma extensa turnê pela Europa foi agendada e Tony passou por países como Suécia, Croácia, Rússia, Hungria e Alemanha. Os grandes destaques do álbum, que inclusive foram tocados nos shows da turnê são as faixas “Raising Hell”, “Bitter Sweet”, “Scream” e “Field of Lies” (essa última não sendo executada na turnê). Outra grande surpresa do disco é o uso de antigas linhas de bateria de Cozy Powell na faixa “Raising Hell”. Uma justa homenagem a um grande amigo de Tony Martin. 
2- Bitter Sweet 
3- Faith in Madness 
4- I’m Gonna Live Forever 
5- Scream 
7- The Kids of Today (Don’t Understand The Blues) 
8- Wherever You Go 
9- Field of Lies 
Tony Martin- Vocal, Baixo, Violino e Bateria 
Joe Harford- Guitarra 
Geoff Nicholls- Teclado 
Cozy Powell- Bateria na faixa “Raising Hell” 
Empire – Raven Ride [2006]
Tony Martin juntou forces com o guitarrista alemão Rolf Munkes e colaborou no melhor álbum do projeto Empire, capitaneado por Rolf. Aqui encontramos influências de Heavy Metal tradicional, que podem ser ouvidas nas faixas “Raven Ride” e “Breathe”, Doom Metal que está presente em “Satanic Curses” e uma semi balada bem característica de Tony Martin, chamada “What Would I Do?”. O álbum recebeu boas criticas por parte dos fãs e Tony decidiu incluir nos set lists da turnê de divulgação de seu álbum solo do ano anterior algumas faixas de Raven Ride
1- The Raven Ride 
3- Carbon Based Lifeform 
4- Satanic Curses 
5- Al Sirat- The Bridge to Paradise 
6- What Would I Do? 
7- Changing World 
8- Maximum 
9- I Can’t Trust Myself 
Tony Martin- Vocal 
Rolf Munkes- Guitarra 
Neil Murray- Baixo 
André Hilgers- Bateria 
Giuntini Project – III [2006]
O projeto ao lado do guitarrista italiano Aldo Giuntini tem um direcionamento um pouco diferente do que é feito no projeto com Dario Mollo. Aqui encontramos mais peso, agressividade e velocidade. Mesmo assim, Tony Martin consegue impor seu estilo em faixas como “Que Es La Vida”, que tem uma similaridade bem forte com faixas como “Headless Cross” e Heaven and Hell”. Outra faixa que tem um toque bem característico de Tony é “The Closest Thing to Heaven”, onde encontramos um ritmo mais cadenciado. Os outros destaques são “Gold Digger”, “Disfunctional Kid”, “Trouble Just Keeps Coming” e a versão para “Anno Mundi”, do Black Sabbath, que ficou acima da média. 
1- Gold Digger 
2- Not Connected 
4- Early Warning 
5- Fools Paradise 
7- Anno Mundi (The Vision) 
8- Disfunctional Kid 
9- Mourning Star 
10- Trouble Just Keeps Coming 
11- The Closest Thing To Heaven 
12- Memories in The Sand 
13- Tarot Warrior 
Tony Martin- Vocal 
Aldo Giuntini- Guitarra 
Fulvio Gaslini- Baixo 
Ezio Secomandi- Bateria 
Dario Patti- Teclado 
Fabiano Rizzi- Bateria na faixa 12



3 Comentarios

  1. fernandobueno disse:

    Meu…o Tony Martin tá com a cara do Fish nessas fotos. Não é?

  2. Tony Martin é um grande vocalista, gosto muito da fase dele no Black Sabbath, principalmente nos álbuns Headless Cross e Cross Purposes. Não conheço quase nada da sua carreira solo, apenas já ouvia umas músicas do The Cage. Grande vocalista tanto em bandas como em carreira solo.

  3. R.P.S. disse:

    curto muito o som desse cara. tanto solo como em projetos ou no próprio sabbath ele n faz feio n. realmente tony martin tem seu lugar d honra no mundo da música e do heavy metal. ah e parabéns aew pelo desenho! vlw!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *