Dream Theater: uma análise da letra de “In the Presence of the Enemies”

19 de fevereiro, 2011 | por micaelmachado
Artigos Especiais
11

Por Micael Machado

Sempre tive uma grande dificuldade de entender algumas letras de músicas que gosto. Letras cheias de metáforas, simbolismos, analogias e afins sempre me causaram certa confusão na hora de interpretá-las, ainda que para outros elas sejam claras. Se não forem textos diretos, de preferência em forma de narrativa, é quase certo que eu não irei captar a mensagem que o artista tentou passar.

Uma letra que me atraiu desde a primeira vez que a li foi a da música “In the Presence of the Enemies”, suíte que simultaneamente abre e fecha o disco Systematic Chaos, do Dream Theater, lançado em 2007 (a suíte está dividida em duas partes, uma no início e outra no final do álbum). Em uma olhada menos cuidadosa, a letra de “ITPOTE”, como a suíte também é conhecida, relata uma luta no estilo “bem contra o mal”, aberta a várias interpretações por parte de quem a escuta. Pois já há algum tempo encontrei em um site de debates sobre o Dream Theater um texto que afirmava que a letra de “ITPOTE” seria baseada num manhwa (espécie de mangá) coreano chamado “Priest”, com vários detalhes entre a relação dos textos utilizados naqueles quadrinhos e a letra da suíte da banda norte-americana. O artigo também conta um pouco do enredo da história de “Priest”, e onde a letra de “ITPOTE” se encaixa no contexto do manhwa.

Após ler o texto no site citado, minha interpretação da música mudou, e pude perceber como os vários climas da suíte refletem bem a letra e os acontecimentos da história. Como talvez muitos não conheçam o site que citei, resolvi escrever este artigo baseado na minha interpretação da letra. Vale dizer que não li o manhwa citado, e minhas interpretações podem não estar completamente de acordo com a história. Mas acredito que se encaixem na letra da suíte, tendo por base o enredo de “Priest”. Tenho de dizer também que nunca li nenhuma afirmativa vinda por parte da banda ou da equipe confirmando que a letra de “ITPOTE” seja baseada no manhwa. Portanto, este artigo pode ser uma grande viagem sem sentido. Mas espero que seja uma viagem agradável…

 
Quando a letra começa, baseado no que ocorre no manhwa, o personagem Ivan Isaacs (o herói) é morto por crucificação após ver sua amada Gena morrer em seus braços. Ivan foi condenado por ter libertado de sua prisão um demônio chamado Temozarela, um entre 12 anjos caídos que lutaram contra Deus na tentativa de dominar a terra, e o mais poderoso deles. Então, voltando à música, após a introdução instrumental “Prelude”, chegamos a “Ressurection”, onde Ivan, morto, espera encontrar a redenção junto a Deus (ele vê uma luz branca e caminha em direção a ela). Em seu caminho surge um outro demônio, Belial, inimigo tanto de Deus quanto de Temozarela, que o tenta prometendo mundos e fundos (livrá-lo do tormento, da culpa, da vergonha, dando-lhe poder e glória), e questionando a fé de Ivan em Deus. A música é calma enquanto Ivan dirige-se à luz, mas se torna mais rápida e pesada quando Belial aparece. Ivan recusa a oferta, e segue sua jornada para a luz. A música volta a se acalmar para refletir este caminho. Mas então, devido a seus erros e pecados, Ivan é recusado no Paraíso, estando “além da redenção” e sendo um “pecador que não merece redenção”, segundo a letra, sendo para sempre afastado daquela a quem amou, Gena.


Agora é Ivan quem se questiona sobre sua fé em Deus e no símbolo de sua fé, e Belial então novamente lhe tenta, prometendo que pode lhe levar de volta à vida, a buscar vingança pela morte de Gena e a viver eternamente, desde que Ivan lhe adore como um Deus. A música novamente se torna mais rápida e pesada, e Ivan então aceita a proposta, sendo que os servos do anjo caído (que neste ponto pensamos ser Belial, mas depois veremos que não é) começam a pavimentar o caminho que vai levar seu líder ao trono. A primeira parte da suíte termina dizendo que um homem se erguerá no caminho dos servos, para trazer a redenção à humanidade.

 
 

Então começa a segunda parte da suíte, com o trecho chamado “Heretic”. Esta parte é densa e obscura, com um sentimento malévolo introduzido pelo baixo de Myung e pelos teclados de Rudess. Ela narra a chegada do herege (Ivan) ao grupo de servos do anjo caído, sendo aguardado como aquele que vai liderá-los à vitória sobre Deus. Ivan é recebido pelo líder dos Servos (não pelo anjo caído), que o trata com honras, dizendo que agora eles podem começar os rituais que os prepararão para a batalha. Ivan jura fidelidade ao “Senhor Negro”, e se prepara para lutar ao seu lado (“My soul is yours, Dark Master, I will fight for you”). Segue-se um ritual onde Ivan percebe estar no meio do mal e perto do anjo caído, embora não possa ver sua face, apesar de sentir sua presença. Ivan questiona seu pai (Deus), e o líder dos Servos convoca os anjos a “caírem” para lutar ao lado do Herege, e sob a proteção do “coração demoníaco” que baterá por eles. À mesmo, a música vai aumentando de intensidade, até chegarmos à parte onde os servos começam a bradar “hey, hey”, indo para a guerra, onde a música está em sua parte mais acelerada e pesada até então.


Chegamos a “The Slaughter of the Damned”, onde a letra faz uma espécie de flashback, e temos Belial orientando Ivan sobre o que fazer em sua jornada. Só então se percebe que o anjo caído que Ivan sentiu estar presente no ritual e que é o “Senhor Negro” não é Belial, e sim seu inimigo Temozarela. Ivan juntou-se ao grupo como um herege rejeitado por Deus, mas orientado por Belial não para lutar ao lado deles, mas sim para destruí-los. Isso fica claro já no começo, onde Belial diz a Ivan para “não se preocupar em encontrá-los, pois eles virão até ele, e então ele deverá lutar e destruí-los até não restar mais nenhum”. O próximo verso traz Belial o mandando lutar e derrubar o sangue dos rebeldes, pois eles são os filhos do inferno. Ivan se reconhece como um pecador, tendo vendido parte de sua alma em um momento de fraqueza, e, portanto, sendo obrigado a obedecer à Belial. Ele se torna então o juiz, julgando aqueles que, a seu ver, não merecem viver, punindo-os com a morte.

No meio da luta, Ivan reza o salmo 23, pois, apesar de estar a serviço de Belial, ainda mantém parte de sua fé. A música é intensa, refletindo os sentimentos e tormentos da alma de Ivan. A letra então repete a citação de que os servos do anjo caído começam a pavimentar o caminho que vai levar seu líder ao trono, mas que um homem se ergue em seu caminho, e agora sabemos que este homem é Ivan, que anuncia “é a hora do acerto de contas”, e a batalha entre o Herege e os Servos de Temozarela então começa. Esta batalha acontece durante o trecho instrumental “The Reckoning”, onde a música fica mais e mais acelerada e pesada, refletindo a intensidade da luta. Após, a calmaria do começo da música volta a se instalar, um pouco mais sublime, pois Ivan saiu vencedor e derrotou os servos de Temozarela (não fica claro, nem aqui nem no manhwa, se o anjo caído também foi morto por Ivan).

Chegamos então ao trecho final, “Salvation”, onde Ivan afirma que sua alma está enfraquecida, mas que “Ele” (Deus) sabe e espera, cuidando e protegendo a ele. Quando Ivan chega aos portões do Inferno, ele recupera sua fé, e, ao reconhecer a presença de Deus, recupera sua alma, e anuncia a Belial que “minha alma agora é inteiramente minha, e eu não mais lutarei por você, Senhor Negro”.

Não se fica sabendo a reação de Belial nem o destino de Temozarela, mas, segundo o site citado no início do texto, o manhwa “Priest” se estende por mais 15 volumes, sendo que toda a história de “ITPOTE” se passa apenas no primeiro. Portanto, poderiam haver outras quinze partes da suíte, explorando o resto da trama dos quadrinhos. Será que chegaremos a tanto? Como disse, esta é a minha interpretação da letra desta maravilhosa música, e pode não ser a correta em relação à intenção de John Petrucci, o autor da mesma. Mas é uma interpretação válida levando-se em conta a trama de “Priest” e os fatos narrados ao longo dos quase 26 minutos desta que é uma das melhores suítes do progressivo mundial: “In the Presence of the Enemies”.



11 Comentarios

  1. Thiago disse:

    Meus parabens pelo texto, Micael! Muito profundo mesmo…e uma grande análise da letra. Lembro que no documentário que vinha na Special Edition do Systematic Chaos, Petrucci fala que suas letras foram inspiradas por histórias de mangá…acho que não é viagem sua não! Mandou bem, meus parabens!

  2. micaelmachado disse:

    Valeu, Thiago! Eu mesmo nunca vi esse DVD da Special Edition na íntegra, então não posso opinar sobre ele… mas é legal saber que uma "teoria da conspiração" como essa possa estar certa…

    Vale lembrar que em breve estreará um filme chamado "Priest" ("Padre", no Brasil), também baseado na história do mesmo manhwa…

    Outra coisa curiosa, que mostra como letras podem ter várias interpretações: quando estudei cultura norte-americana na faculdade, a gente viu a história dos primeiros habitantes dos EUA, profundamente religiosos, à espera de redenção e da possibilidade de ir para o Reino dos Céus, embora não se achassem dignos… isso é parte da cultura deles até hoje, e eu usei a primeira parte da letra como exemplo, embora tendo o convencimento de que ela é mais adequada ao manhwa que à bagagem religiosa deles… mas o tema se encaixou bem à proposta, e fui bastante elogiado tanto pela professora quanto pelos colegas… ou seja, é tudo questão de ponto de vista e contexto…

  3. micaelmachado disse:

    Ah, caso alguém não tenha percebido, as ilustrações são do manhwa original, e selecionei partes com textos que são repetidos ou que foram usados como "influência" para a letra de "In The Presence…", aparecendo nesta com pequenas alterações.

  4. Thiago disse:

    E várias ilustrações tem falas dos personagens que estão na letra de "In The Presence of Enemies", como "My soul is my own" e "I do not fight for you"…lembro que "The Ministry of Lost Souls" tb é tirada de mangás…Petrucci estava lendo muitos mangás nessa época…
    Parabens mais uma vez, Micael!

  5. Se fizessem uma suíte baseada em Neon Genesis Evangelion ou Elfen Lied, não narrativa, nem com 'moral da história', mas captando a essência da coisa, eu teria orgasmos ouvindo! xD
    Infelizmente, não conheço o manhwa nem a música em questão. =x

  6. Rafael "CP" disse:

    Cara , isso foi incrivel … Não curto a sonoridade dessa banda , mais essa releitura foi incrivel

  7. Não conheço a faixa em questão, mas acho muito legal essas discussões sobre "do que trata tal musica". se foi da forma que ocorreu, espero realmente que o DT tenha conseguido passar de forma precisa o que acontece nos quadrinhos, já que a história é bem interessante.

    Parabéns e que venham mais desse tipo de discussão, onde já estou me propondo para seguir o trabalho com um clássico nacional.

  8. Rodolfo disse:

    O Petrucci confirmou em 2007 que a letra de ITPOE foi inspirada no manhwa Priest: http://www.fiveeightforums.com/threads/for-those-interested-heres-my-interview-with-john-petrucci.28780/

    O mais legal dessa história é que a análise foi feita pelo Alexandre (que é brasileiro), na semana do lançamento do Systematic Chaos em junho/2007! Ele postou primeiro em português na comunidade do Dream Theater Brasil no Orkut, e depois no DTFAQ (http://faq.dtnorway.com/question?questionid=1098), quando a análise ganhou o mundo…

  9. Anônimo disse:

    Nossa! Parabéns! Eu nunca imaginaria isso, valeu cara… Me ajudou a entender a música… Até arrepiei!

    Valeu!

  10. Anônimo disse:

    Não existe coisa melhor que Dream Theater.

    SImplesmente magnífico.

  11. AE, ALGUÉM CONHECE UMA HISTÓRIA SEMELHANTE A ESSA?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *