Deicide e Kataklysm tocam juntos em São Paulo no dia 14 de maio de 2023

Dois nomes colossais do death metal mundial, Deicide e Kataklysm, se apresentam dia 14 de maio de 2023 no Fabrique Club, em São Paulo. O encontro de titãs da música pesada na capital paulista, com produção da Powerline, faz parte da da Decimate Latin America Tour 2023, que também passa por outros 10 países do continente. Os ingressos já estão à venda on-line no Clube do Ingresso, adquira aqui.

Uma das mais sólidas instituições do death metal clássico e brutal da Flórida (EUA), o Deicide é da primeira safra do gênero, formado no final da década de 1980 pelo baixista e vocalista Glen Benton. O Deicide, que além de Benton tem em sua formação atual o baterista Steve Asheim e os guitarristas Kevin Quirion e Taylor Nordberg, fará um show de Best Of, com músicas do mais recente lançamento, Overtures of Blasphemy, de 2018 via Century Media, o 12º da carreira. Overtures of Blasphemy carrega a sonoridade clássica da banda, com peso, blast beats, vocalizações guturais extremas e, claro, o inigualável sarcasmo presente nas letras do outrora polêmico Benton – vivíssimo para manter o legado do death metal sempre altivo.

Também com décadas de intensas atividades na música pesada, o Kataklysm é do Canadá e traz à Decimate Latin America Tour 2023 o show do elogiado 14º álbum de estúdio, Unconquered (2020), lançado pela Nuclear Blast. Ao longo dos anos, o Kataklysm soube dosar o peso extremo e rápido com melodias, o que torna a sonoridade da banda canadense ainda mais única e técnica. A formação atual tem dois membros originais, Maurizio Iacono (vocalista, mas que foi baixista nos primeiros sete anos) e Jean-François Dagenais (guitarrista), junto ao baixista Stephane Barbe e do baterista James Payne.

A Decimate Latin America Tour 2023 é uma realização da IDL Entertainment.

Serviço

Deicide e Kataklysm em São Paulo
Data: 14 de maio de 2023
Horário: 16 horas (abertura da casa)
Local: Fabrique Club
Endereço: rua Barra Funda, 1071 – Barra Funda, São Paulo/SP
Classificação etária: 18 anos
Ingresso: R$ 160 (1º Lote – Pista – Meia-entrada / Promocional: Doe 1kg de alimento não perecível); R$ 320 (1° Lote – Pista – Inteira)
Vendas on-line


Banda de metal israelense Illegal Mind lança novo single “Turning Back”

Illegal Mind é uma banda de metal alternativo de Tel Aviv, Israel, fundada em 2018. A banda lançou seu primeiro EP Forbidden Content em 2020 e atualmente está finalizando seu novo EP. Saiu o primeiro single do novo EP, “Turning Back” que se disponível em todas as plataformas de streaming e também disponível para download no BandCamp. “Achamos que “Turning Back” é mais pesado que os lançamentos anteriores, inspirado musicalmente por Refused, Limp Bizkit e Linkin Park(?). A música foi inspirada na ex-namorada de Maxx, quando ele percebeu que ela basicamente voltava aos pensamentos e ações anteriores, que costumava fazer. Sempre voltamos ao que era antes, não importa quantas vezes tentemos mudar, mesmo que não seja bom para nós. Mas geralmente não precisamos, para ninguém, especialmente se isso nos faz sentir péssimos. Estamos voltando ao que costumávamos fazer, também é a decisão de gravar o álbum como costumávamos fazer, faça você mesmo, no conforto do nosso próprio estúdio!” – diz a banda.

A banda começou a ensaiar em um dos estúdios de Tel Aviv em fevereiro de 2018. Depois de várias jams com vários músicos, nasceu uma banda de 4 pessoas. A ideia do nome nasceu acidentalmente após a leitura de alguns textos do vocalista Max Datskovsky por outros integrantes da banda. Os textos falam sobre um futuro distópico e um fim mitológico do mundo como o conhecemos. Inspirado em livros, jogos de computador e filmes do século passado. A banda canta sobre para onde a humanidade está indo e como evitá-la. “Turning Back”.


Ouça agora “Hall Of the Slain”, novo single do Oathbringer

Depois de lançar o feroz e elogiado debut album Tales of Glory, a banda de heavy metal da Sérvia Oathbringer lança seu mais novo single “Hall Of the Slain”. Junto com o novo single, a banda também anuncia que esta faixa estará presente no segundo álbum da banda, que já está em fase de gravações e deve ser lançado mundialmente em 2023 pelo selo americano e europeu RTR Records. “Hall Of The Slain” foi gravado no home studio de Dom Omladine na Sérvia, e toda a mix, master e produção são assinadas por Ivan Ilic Cili, enquanto o design da capa é de autoria do designer brasileiro Julio Ché Valente. Poucas unidades do cd físico de Tales of Glory ainda estão disponíveis, para comprar, acesse o Bandcamp. Ouça “Hall Of The Slain” aqui.

SOBRE O OATHBRINGER
Oathbringer foi formado no final de 2019 como um projeto do guitarrista Lazar Zakić, sob o nome Riddle of Steel. Pouco depois, o baixista e vocalista Miloš “Priestkiller” Stošić juntou-se ao projeto, e as primeiras demos foram feitas nesse período. O line-up ficou completo no início de 2020 com a chegada do guitarrista Petar “Axxer” Djordjevic e do baterista Bora “Helldiver” Petrovic. No final de 2020, a banda assinou contrato com a RTR Records e mudou seu nome para OATHBRINGER. Oathbringer gravou seu álbum de estreia intitulado de Tales Of Glory no estúdio Coolijana em Kragujevac no período entre Maio/julho de 2021, e lançou ele em Junho de 2022.

OATHBRINGER é: Miloš “Priestkiller” Stošić – Baixo/Vocal; Lazar “Berserker” Zakić – Guitarra; Petar “Axxer” Đorđević – Guitarra; Bora “Helldiver” Petrović – Bateria


Hate Spectrum inicia primeira parte da turnê do álbum Egotrip

O Hate Spectrum, banda do vocalista Eder Santana, lançou em dezembro o primeiro álbum de estúdio, Egotrip, com treze faixas. O trabalho está disponível nas plataformas digitais e vem obtendo excelente retorno da crítica e público. Para divulgar Egotrip, a banda anunciou as datas da primeira parte da turnê, que acontece nos dois primeiros meses de 2023. Confira a agenda completa até o momento:

07/01/2023 (Sábado) – Casa Rock – Campinas/SP

08/01/2023 (Domingo) – TBA

15/01/2023 (Domingo) – Grindhouse – Rio de Janeiro/RJ

21/01/2023 (Sábado) – Gazometro – Sorocaba/SP

22/01/2023 (Domingo) – Casa Rock – Campinas/SP

29/01/2023 (Domingo) – Studio B – Rio de Janeiro/RJ

04/02/2023 (Sábado) – TBA

05/02/2023 (Domingo) – Heavy Beer – Rio de Janeiro/RJ

Epítome da agressividade musical, Egotrip reúne singles lançados durante 2022 e outras músicas inéditas. A brutal e veloz “World Demise”, por exemplo, aborda a iminente destruição do mundo pelas mãos do homem. Por sua vez, “Lying to Your Face”, fala sobre governo autoritário, armamentista e desaparecidos políticos, vítimas da ditadura. Temas densos surgem em profusão durante a audição, e a música que a acompanha é igualmente impactante. Vale lembrar que “Irrational Fear” conta com a participação de Marcelo Vasco (The Troops of Doom) nas guitarras.

Para a turnê, a banda contará com músicos gabaritados que levarão a experiência da música do Hate Spectrum a um novo patamar. Nas guitarras, Wendell Lavor e William Lessa; no baixo, Márcio Iahn; na bateria, Rômulo Grilo e nos vocais, Eder Santana e Victor Marroquim. Colega de Eder em outras empreitadas musicais, Lavor sempre priorizou a criação de música autoral, com grupos como Spiritual Void, Diablerie , Interium e Escória. Também programador e designer, tem como principais influências Mike Wead (Mercyful Fate/King Diamond), Gary Holt (Exodus, Slayer), Dimebag Darrell (Pantera), Tony Iommi (Black Sabbath) e Jeff Loomis (Nevermore/Arch Enemy). Na outra guitarra, Lessa atua há mais de 15 anos na cena, toca com o Arsenal Renegade e com o Epica Tribute, ambas cariocas. Apaixonado por música, tem como principais influências David Gilmour (Pink Floyd), Jim Root (Slipknot) e Adrian Smith (Iron Maiden). Nas quatro cordas, o versátil músico Márcio Iahn acumula mais de duas décadas de experiência, tocando em bandas de metal, thrash, hardcore e stoner. Adepto da música rápida e pesada, também atua como vocalista na banda Crowhead.

O baterista Rômulo Grilo toca no Dark Tower, um dos grandes nomes do black metal na atualidade. Atua nos grupos tributo Steinstern (Rammstein) e Rush Cover Rio e impressiona pelo seu estilo impiedoso de tocar, experiência adquirida em mais de 15 anos de carreira. Por fim, fazendo companhia a Eder Santana nos vocais está Victor Marroquim, adepto do death metal old school e técnico e do djent, tem história longeva na música, cantando com Demonolatry e Blaspherion. Atualmente, tem a mesma função no Skullcrow. Comprovando a excelente receptividade ao trabalho, Egotrip está concorrendo na enquete que escolhe os melhores do ano pela renomada revista Roadie Crew. Os fãs podem votar diretamente no site www.roadiecrew.com.br. O mundo e sua realidade nos agridem diariamente, e o Hate Spectrum utiliza disto como combustível para rebater e criticar as atrocidades e problemas sociais. Com Egotrip, a banda liderada por Eder Santana leva a música pesada a níveis cada vez mais extremos.

Ouça o álbum Egotrip

Conheça mais o Hate Spectrum e acompanhe a agenda da banda


DISRUPTION PATH: banda de Death Metal anuncia novo integrante

Formada por Helton Henrique (vocal), Fernando Alan (guitarra), Adler Marcatti (baixo) e Daniel Fuzaro (bateria), a banda Disruption Path finaliza 2022 adicionando um novo integrante à formação. Trata-se de Kleber Maximo, guitarrista que chega para dar ainda mais sustentação à base Death Metal do agora quinteto. Maximo tem um histórico no underground nacional, onde integrou a tradicional banda de Doom Metal de Araraquara/SP, Adágio, Brutal Death e o grupo de Death Metal Maithungh, ao lado do vocalista Helton, no qual registrou o único álbum da banda, Lust in the Kingdom of God, lançado em 2009.

Com a nova formação, a Disruption Path se prepara para entrar em estúdio ainda no primeiro semestre de 2023 e finalizar as novas composições, que farão parte do álbum de estreia. A Disruption Path foi formada em 2015, lançou o EP Warped Sanity em 2019 (ouça aqui) e o single “Hellish Illusion” em 2020.

Siga a Disruption Path nas redes sociais:

Facebook

Instagram


Marstodontes lança Single “Fucked Up”

A música foi composta rápida e passa uma mensagem simples que veio da descrença do sistema político atual:” Que tá todo mundo ferrado, e vai continuar ferrado, porque todo mundo é ferrado” diz a banda. O single como os outros da banda é inglês porque tem uma maior probabilidade de alcance e foi gravado 100% “do it yourself” Com um conhecimento muito pequeno, a banda foi fazendo por conta própria e fez uma gravação que não deve nada a estúdios de renome. Ouça. Veja.

Sobre a banda:
A banda foi fundada em jan/2009 apesar dos integrantes originais já se encontrarem desde 2008 para tocar suas músicas preferidas. De lá pra cá muita gente entrou e saiu da banda, e hoje a atual formação é Franz no vocal e guitarra, Samuel no baixo e Jules na bateria. Quando se fala das influências, não se pode dizer que um único estilo define a sonoridade segundo a própria banda: “Há uma indigestão grande de punk, psychobilly, grunge, rock’n’roll, algumas coisas de metal, alguns outros generos, etc, etc, etc… de vez em quando eu dou uma gorfada e nasce uma música que lembra Hepcat com doses de Murderdolls. ( Franz)”.

Mas, cada membro da banda tem uma certa liberdade de pôr sua pegada e influencia e isto faz com que a banda tenha personalidade própria meio rock’n’roll, as vezes até meio Stoner. A decisão do nome é sempre um dilema para as bandas. Tiveram várias ideias, boas e sérias. Mas, também nomes ridículos, para incentivar a criatividade . Dentre eles, tinha um cacofônico (Mastodontes de Marte) e todos gostaram. Por sorte a conta do gmail não tinha disponível Mastodontesdemarte@…. aí ficou só o Marstodontes e foi!

Formação: Jules (bateria ), Franz(vocal/guita) e Samuel (baixo)

Contatos e Redes Sociais

Instagram

Facebook

Youtube


Banda americana/alemã de metal extremo Beyond the Veil lança novo EP The Hunter’s Fate

The Hunter’s Fate é uma combinação de muitos elementos de metal extremo, incluindo death metal, deathcore e black metal. O EP tem forte ênfase em elementos e temas presentes no terror, situando-se firmemente no gênero horrorcore. Baseado no tema de terror, The Hunter’s Fate tem como tema o videogame Bloodbore, inspirado em Loveraft, e se aprofunda na tradição do sonho do caçador. Padre Gascoigne explora a tragédia que é a vida de um caçador. Covenant of the Vilebloods analisa mais profundamente a história da Rainha Analise do Castelo Cainhurst, que é governante dos Vilebloods. Maria’s Nightmare expande o pesadelo que é a(s) lanterna(s) de inverno. Ouça The Hunter’s Fate

Sobre a banda:

Beyond the Veil é uma banda de metal extremo americana e alemã de Los Angeles, CA. A banda foi formada no início de 2022 a partir de uma coleção de metaleiros que queriam criar sua própria marca de música pesada. A banda começou como uma banda de deathcore, mas à medida que evoluíram, eles incorporaram mais elementos de black metal, death metal e adicionaram um foco no horror para se tornar a banda de horrorcore que são hoje. Sua marca única de entretenimento funde guitarras pesadas, vocais ferozes e bateria enérgica com alta intensidade e horror que tenta criar uma paisagem sonora sonora brutal que é igualmente digna de mosh pit e indutora de pesadelo.


Magma Velvo une brasilidade, guitarra punk e rock alternativo no videoclipe de “Samba Sangrando”

“Samba Sangrando” é a faixa que inaugura o espírito de Magma Velvo. Nos tempos atuais, só se samba se sangrar um pouco, se doer um pouco, se sofrer um cado. No Brasil, o meio ambiente e o trabalhador vêm em último lugar. Tínhamos um Rio que era Doce; tínhamos uma localidade chamada Brumadinho. No Brasil, “tem muito malandro pra pouco otário”. Samba Sangrando pretende mostrar – a quem está disposto a enxergar – um cenário de devastação, um futuro desagradável que já é presente, já está presente. A música e vídeo têm a intenção de retratar as ambiguidades do Rio de Janeiro, do Brasil e do Mundo, por meio de cenários de abandono e aridez. A música é pra cima; a letra é pra baixo. No Brasil, é necessário um equilíbrio constante entre sentimentos antagônicos, e só no Rio de Janeiro – cidade colorida, cidade síntese, expressão máxima das contradições dessa terra – pode alguém estar triste e feliz ao mesmo tempo.

O Clipe foi o vencedor na categoria “Melhor Fotografia” no décimo primeiro FEST CLIP – Festival Nacional de Cinema de Videoclipe. O concurso é organizado pela Associação Paulista Amigos da Arte, que representa a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. “Samba Sangrando“.

Sobre Magma Velvo:

Nós somos o Magma Velvo! Nós quem? Todo o mundo e nenhum mundo. Eu e tu. O pai e o filho. O santo e o profano. É o preenchimento e o vazio. A unidade e o devir. O “in” e o “iângue”. O sublime e a baixaria. É a castidade e a sacanagem. O Magma Velvo é tudo e não é nada. O Magma foi, é, e será. Esteve presente nas primitivas manifestações do “Om”. O Velvo foi o monólito inspirador dos primeiros batuques feitos com ossos; esteve presente no antigo Iraque, na concepção do Hino Hurrita; está nas cantigas das crianças e nas lamentações dos adultos; Magma Velvo é a Marselhesa dos Jacobinos, o banzo sonoro dos pretos catadores de algodão do Mississipi, é a tradição de Donga e Cartola, a guitarra punk, distorcida e “desafinada”. O Élan magmático hoje, no século 21 da era comum, está em Jorge Magalha e “Araquem?”, e pode ser apropriado e encarnado em qualquer coisa ou qualquer um.


King Of Salem: mídias físicas do seu primeiro disco disponíveis para venda

A KING OF SALEM confirmou a posse das mídias físicas do seu disco de estreia, Sovereign, lançado pela MS Metal Records. Os interessados poderão entrar em contato com a banda através de suas redes sociais ou adquirir o produto nas melhores lojas do nicho pelo país. O disco contém 11 faixas e a banda já disponibilizou lyric vídeos de “Before The End“, “He Found Me” e “Column Of Fire”, singles pertencentes ao referido trabalho.

Fundada em 2019 por Erick Estrada (guitarra), Samuel Estrada (batería) e Lean Van Ranna (voz) , Daniel Ornelas (guitarra), e o recém agregado, Bruno Escobar (baixo). O quinteto já lançou três singles, “He Found Me”, “Column Of Fire” e “Before The End“, todos pertencentes ao referido disco.

Link relacionado


Pedro Bergamo abre caminho de um novo ano com MPB psicodélica no single e clipe “Escute o som que vem daqui”

Cantor, compositor e multi instrumentista brasileiro radicado na Finlândia, Pedro Bergamo une a sua paixão pela MPB setentista com o rock progressivo nórdico em uma viagem psicodélica e solar no single “Escute o som que vem daqui”. A faixa, que sugere início de ciclos e renascimentos, mostra o recomeço de um trabalho artístico para Bergamo ao mesmo tempo que pode dialogar com o ouvinte que busca no ano novo uma página em branco. Ouça “Escute o som que vem daqui”. Assista ao clipe “Escute o som que vem daqui“.

Nascido em uma família de músicos, Pedro busca desde cedo unir suas influências musicais ecléticas do flamenco, folk, forró e rock com seu interesse em assuntos místicos, históricos e filosóficos. Influenciado por seu avô que era benzedor, tarólogo e contador de causos, o artista iniciou sua discografia com o single “Lago Brasil” em 2019, contando uma trágica história indígeno-Brasileira fazendo uma ponte entre o dialeto caipira de trovadores paulistas como Tião Carreiro e Pardinho, e o folk rural do nordeste setentista de Zé Ramalho, seu maior ídolo. Um ano após, em meio a uma perda pessoal forte e inspirado pela obra de Ariano Suassuna, Pedro produz “Abrahadabra!”.

Trabalhando em seu disco de estreia, ele dá a primeira amostra de sonoridade com “Escute o som que vem daqui”. Produzido pelo guitarrista Lauri Loikkanen, da banda finlandesa The Halophones e masterizado por Jaakko Virtalähde (Death Hawks, Mikko Joensuu), a faixa chega com um clipe dirigido pelo diretor sueco-finlandês Anders Ragnar. A faixa está disponível em todas as plataformas de música digital e o clipe, no canal do YouTube do artista.

Ficha Técnica:

Letra & Música: Pedro Bergamo

Vozes & Violões: Pedro Bergamo

Contrabaixo: Nuutti Autio

Bateria: Eetu Peltoluhta

Guitarra, Orgão, Piano & Mellotron: Lauri Loikkanen

Produção & Mixagem: Lauri Loikkanen

Masterizaçäo: Jaakko Virtalähde

Arte de capa: Pedro Bergamo

Video: Anders Ragnar

Letra:

Querida trapezista, sorrindo outra vez eu te encontro suspensa do chão

Com a luz em sua face o palco se expande até você cair no colchão

Meu peito dispara, pois contemplo uma verdade escondida na sagrada paixão

Entre a vida e a morte de esplendidos sonhos

Ponha a mão em meu coração e escute o som que vem daqui que só vive para escutar

O som que há em ti

Quem me dera amar-te eternamente até que a mão do pai eterno me roube essa ilusão

Voar ao teu lado nessa graciosa mentira dita por diversão

Que a luz de nosso ato venha de algum holofote e não de uma longe constelação

Com estranhas estrelas que nunca se tocam

Ponha a mão em meu coração e escute o som que vem daqui que só vive para te escutar

Abrace a luz que há em mim que só vive para te guiar

Escute o som que vem daqui que só vive para te escutar

Abrace a luz que há em mim que só vive para te guiar

Siga Pedro Bergamo:

Instagram

Facebook

Site oficial

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.