Por Thiago Reis

Após um longo período sem nenhum lançamento, a banda Prophetic Age retomou sua atividade em 2021 com Rheiss (guitarra), Gregor (baixo), Sferatu (vocais), M. Nerbirvs (bateria) e Brahms Kermanns (teclados). A banda acabou de lançar em novembro de 2022 um EP intitulado Desolated Landscape, de forma exclusiva no streaming. O EP foi gravado, mixado e masterizado no estúdio Dual Noise, com produção a cargo de Rogério Wecko. A excelente capa ficou sob responsabilidade de Greg Abysmal. Começamos com a intro chamada “The Prophetic Reborn” que com seus 35 segundos já nos prepara para um apocalipse sonoro, com a seguinte letra: “Across time and space, the prophet reborn and emerges, to desecrate the material existance”.

Seguimos com “Divinity is Dismissed” e toda sua potência. Percebe-se logo de cara uma forte influência de Dimmu Borgir da fase Puritanical Euphoric Misanthropia (2001) e Death Cult Armaggedon (2003), ou seja, todos os elementos para se criar um black metal sinfônico estão presentes, como bateria bem rápida, riffs marcantes, vocais rasgados e excelentes partes orquestradas. A letra também contribui bastante com todo o caos sonoro, com trechos como “humanity failed, creating its myths”. Podemos perceber também todo o cuidado com a produção, todos os elementos são facilmente perceptíveis, evidenciando diversas camadas bem interessantes no som.

“Desolated Landscape” continua a proposta já evidenciada na faixa anterior, inclusive com passagens de teclado que lembram os álbuns Enthroned Darkness Thriumphant (1997) Spiritual Black Dimensions (1999), também do Dimmu Borgir. Podemos conferir a grande influência que a banda norueguesa tem no som do Prophetic Age, porém deve-se destacar a personalidade sonora do grupo. Destaca-se também o excelente solo de guitarra que começa por volta dos três minutos de música e a volta aos vocais, com um teclado bem presente e característico. “Macrocosmic Conspiracy” começa de uma forma um pouco diferente, com dedilhados na guitarra e a bateria entrando aos poucos, juntamente com um vocal que é inicialmente “falado”, conferindo uma dinâmica interessante ao som. Os riffs aparecem em seguida, mas não tão rápidos como nas faixas anteriores. O bom trabalho de bateria também deve ser citado, com uma alternância de muito bom gosto nos bumbos. O encerramento da música com um belo teclado e a volta das vozes “faladas” encerra com chave de ouro a música.

Finalmente, o EP se encerra com a faixa “The Night Feeds My Army”, uma releitura orquestrada da faixa “The Blood Feeds My Army”, lançada em 2003 no álbum Forged in the Blackest of Metals. Podemos literalmente encontrar beleza nos lugares mais inesperados possíveis e a introdução nos mostra isso. Encontramos um bom gosto digno de nota nas partes orquestradas, criando um clima adequado para o encerramento do trabalho.

Para os fãs de black metal sinfônico, o presente trabalho do Prophetic Age é uma excelente descoberta. Vale ressaltar que o EP Desolated Landscape e os outros dois trabalhos da banda, o álbum autointitulado (2001) e o já citado Forged in the Blackest of Metals (2003), que também valem a audição.

Track list

  1. The Prophetic Reborn (intro)
  2. Divinity is Dismissed
  3. Desolated Landscape
  4. Macrocosmic Conspiracy
  5. The Night Feeds my Army

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.