Por André Kaminski

Hoje resolvi escrever uma listinha simples de alguns discos de guitarristas famosos (alguns nem tanto) que andei ouvindo nos últimos tempos e que me inspiraram a escrever essas linhas. Fugi um pouco de alguns discos mais famosos para apresentar outros que valem a pena dar uma ouvida. Qualquer coisa, sugira mais álbuns lá nos comentários!


Barry Goudreau – Barry Goudreau [1980]

Goudreau foi o segundo guitarrista do Boston ao lado do líder Tom Scholz que gravou os dois primeiros álbuns da banda. Ele aproveitou que a banda iria demorar mais uns anos para lançar o terceiro disco (e acabou saindo da banda antes do lançamento) e juntou seus amigos do Boston para lançar este álbum solo. Detalhe que Fran Cosmo iria se juntar à banda uma década depois. É um hard rock mais simples e bastante melódico, sem muito peso e que lembra bastante a sua banda original. “Leavin’ Tonight” e “Life is What We Make it” poderiam estar facilmente em um disco do Boston tamanha a similaridade com o som da banda. “Dreams” até chegou a tocar nas rádios. Goudreau e Delp ainda lançariam mais discos juntos antes da morte do saudoso vocalista em 2007. O baterista Sib Hashian também faleceu, em 2017 de ataque cardíaco, em meio a uma apresentação em um cruzeiro marítimo.

Lineup: Barry Goudreau (guitarra, baixo, teclado e vocal), Brad Delp (vocal), Fran Cosmo (vocal) e Sib Hashian (bateria).

Tracklist

01. Hard Luck

02. Nothin’ to Lose

03. What’s a Fella to Do

04. Mean Woman Blues

05. Leavin’ Tonight

06. Dreams

07. Life Is What We Make It

08. Sailin’ Away

09. Cold Cold World


Vandenberg – Vandenberg [1982]

Podem até considerar este trabalho como uma banda, mas como Adrian Vandenberg compôs todas as músicas e escreveu todas as letras, dá de se considerar esta como a “banda solo” dele. Este holandês neste disco consegue unir a visceralidade de um Michael Schenker em seus tempos de U.F.O. e talvez seja o guitarrista que mais se aproxima da genialidade de Eddie Van Halen em termos de hard rock. Não a toa, Coverdale fez das tripas o coração para convencê-lo a se juntar ao seu Whitesnake um tempo depois. E que discaço, um dos melhores daquele ano. “Back on my Feet” é recheado de solos e riffs e licks de guitarra pegajosos e um. “Burning Heart” se tornou o maior hit de Vandenberg e da banda, com clipe e tudo mais, daquelas power ballads que bandas como o Scorpions são especialistas em fazer. O único defeito do álbum é que é curto e acaba logo mesmo e todas as músicas aqui são de alta qualidade. Infelizmente, costuma ser um tanto quanto esquecido quando se trata da época.

Lineup: Adrian Vandenberg (guitarra, teclado e backing vocals), Bert Heerink (vocal), Dick Kemper (baixo e backing vocals) e Jos Zoomer (bateria e backing vocals).

Tracklist

01. Your Love is in Vain

02. Back on my Feet

03. Wait

04. Burning Heart

05. Ready for You

06. Too Late

07. Nothing to Lose

08. Lost in a City

09. Out in the Streets


Sykes – Out of My Tree [1995]

John Sykes pega os dois caras que o acompanhavam no Blue Murder e lançam este disco exclusivo para o mercado japonês que, graças a internet, pudemos conhecê-lo. Sykes mistura o hard rock com algumas pitadas e heavy metal e até mesmo influências daquele glam-punk da linha New York Dolls e faz um disco bem variado e demonstrando facetas diferentes do cara que ficou conhecido por ser o guitarrista do maior clássico do Whitesnake. “Jesus & Mary” é a minha favorita e surpreende por ter um “quêzinho” de Nirvana em sua levada. Para quem conhecer outras coisas de Sykes “fora da curva” este é um prato cheio.

Lineup: John Sykes (vocal, guitarra), Marco Mendoza (baixo, vocal) e Tommy O’ Steen (bateria).

Tracklist

01. Soul Stealer

02. I Don’t Wanna Live My Life Like You

03. She’s All Action

04. Standing At The Crossroads

05. I Don’t Believe In Anything

06. Black Days

07. Jesus & Mary

08. Do Or Die

09. If You Ever Need Love

10. Sleep On


John Norum – Worlds Away [1996]

O sueco é o mais conhecido dos guitarristas daqui por ter sido um dos fundadores do clássico Europe. Diferente da sonoridade mais pop e farofeira dos três primeiros álbuns da banda que o levaram ao estrelato, neste solo o guitarrista prefere o lado mais pesado e cru do hard rock, e que inclusive seria parte do novo direcionamento musical que se seguiu no Europe com seus discos a partir de 2004. Neste disco, Norum junta um time de peso que contém o vocalista Kelly Keeling (Baton Rouge, King Kobra e Michael Schenker Group), o baixista mais clássico do Accept Peter Baltes e o não menos lendário Simon Wright (AC/DC e Dio). Seu quarto disco solo e com essa formação, só poderia sair coisa boa. “Manic Distortion” já começa empolgante e demonstrando muito peso, “Wasted Labor” é um pouco mais arrastada e me lembrou bastante a sonoridade de bandas de stoner rock e “Worlds Away” é uma power ballad muito bacana e que lembra as ótimas que o Europe vem lançando em seus discos mais recentes.

Lineup:  John Norum (guitarra, vocal), Kelly Keelinn (vocal, teclado), Peter Baltes (baixo) e Simon Wright (bateria)

Tracklist

01. Manic Distortion

02. Make A Move

03. C.Y.R.

04. Where The Grass Is Green

05. Centre Of Balance

06. Dogs Are Barking

07. Homeland (Peace Of Mind)

08. Wasted Labor

09. Worlds Away

10. Endica (Revisted)

11. From Outside In


JK Northrup – JK Northrup [2001]

Também conhecido como Jeff Northrup, este guitarrista americano já tocou em algumas bandas famosas do hard rock como King Cobra e XYZ, além de já ter gravado um disco com Paul Shortino. Neste seu primeiro trabalho inteiramente solo, Northrup obviamente foca as atenções em seus licks de guitarras e solos, mas de uma maneira geral, o disco soa como um ótimo disco farofa dos anos 80. O disco foi produzido pelo também rockstar Ronnie Montrose que obviamente entendia muito bem do assunto. “Survival in the Streets” é a grande faixa do disco para mim, uma pegada quase heavy metal clássico em uma bateria empolgante. Outra que destaco é a instrumental “I.M.N.U.” que, segundo um comentário do próprio Northrup no youtube, ele a gravou em 1992 para entrar no disco Warmth In The Wilderness – A Tribute To Jason Becker (vol. II), álbum que como o nome já diz, homenageia o excelente Jason Becker.

Lineup: JK Northrup (guitarra, backing vocals), Johnny Edwards (vocais), Larry Hart (baixo) e Glenn Hicks (bateria).

Tracklist

01. Fire and Water

02. Sheila

03. Fat City

04. Ready for the Rain

05. She’s Waiting

06. The Kid is Back in Town

07. Candy Apple Red

08. Outside Looking in

09. Survival in the Streets

10. I.M.N.U.

11. The West

2 comentários

  1. Marcello

    Não conheço J K Northrup, vou atrás! No mais, excelentes guitarristas e boas recomendações!! Meu favorito é o do Adrian Vandenberg, que é um dos melhores discos de guitarra da primeira metade dos anos 80, na minha opinião, e merecia mais exposição do que teve.

    Responder
    • André Kaminski

      Concordo, Vandenberg é um guitarrista bastante subestimado em minha opinião perto de outros caras que conseguiram uma fama muito maior.

      Responder

Deixar comentário para Marcello Cancelar resposta

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.