Mark Lambert faz TRIBUTO a JIMI HENDRIX no dia 9 de julho no Blue Note SP!

O cantor e guitarrista norte-americano Mark Lambert faz tributo ao icônico Jimi Hendrix. Reconhecido como um dos mais criativos e influentes músicos do século 20, Jimi Hendrix foi pioneiro na exploração das possibilidades da guitarra elétrica. Seu estilo inovador ficou conhecido rapidamente, atraindo fãs como Eric Clapton, Jeff Beck, Beatles, The Who e Freddie Mercury. O convidado especial será o grande guitarista paulista, Faíska Borges. No roteiro sucessos como, “Purple Haze”, “Foxy Lady”, “Hey Joe” e “Little Wing”. Com Daniel Grajew no piano, Nilton Leonarde no baixo e Max Sallum na bateria.

DETALHES
Data:
9 de julho
Hora:
22:30
LOCAL
Blue Note São Paulo
Avenida Paulista 2073 – 2º Andar – Consolação
São Paulo, SP 01311-300 Brasil

Ingressos online


ZZ Top lança single “Heard It On The X”, presente em novo álbum ao vivo

A lendária ZZ Top se prepara para lançar seu novo álbum ao vivo. RAW é o registro reúne a trilha sonora do documentário That Little Ol’ Band From Texas (2019) e será o primeiro lançamento da banda desde o falecimento de Dusty Hill. O novo single do projeto é “Heard It On The X”, um dos destaques do álbum Fandango! (1975). Este é um lançamento da Shelter Records/BMG. Ouça “Heard It On The X”. A faixa conta uma história que faz parte da formação musical do trio. Na época em que eram jovens, os aparelhos de rádio do Texas pegavam as frequências de rádios mexicanas – todas com X no começo do nome. Essas rádios, que tinham frequências longas, fizeram com que os três músicos passassem o tempo ouvindo e curtindo a mesma música mesmo crescendo longe um dos outros. “Heard It On The X” é uma das faixas obrigatórias dos sets da banda desde os anos 70.

Com clima de jam session que marca o blues rock dos artistas, o disco foi gravado ao vivo no Gruene Hall, uma das casas mais icônicas e tradicionais do Texas, sua terra natal. A performance intimista e intensa da formação clássica de Billy Gibbons, Frank Beard e o saudoso Hill mostra a química de muitos anos fazendo música juntos. Com previsão de lançamento para o dia 22/07, RAW é antecedido por “Heard It On The X”, que está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “Brown Sugar

Ouça “La Grange

Ouça “Tube Snake Boogie


Behemoth lança novo single ‘Off To War!’

A banda polonesa BEHEMOTH revelou uma nova faixa retirada do novo e 12º álbum de estúdio da banda Opvs Contra Natvram, que deverá ser lançado pela Nuclear Blast no dia 16 de Setembro de 2022. No Brasil e na América Latina o álbum será lançado pela parceria Shinigami Records / Nuclear Blast Records. ‘Off To War!’ é uma convocação para uma missão, que também acompanha um vídeo provocativo do tipo que apenas BEHEMOTH sabe fazer. O videoclipe foi dirigido por Påhl Sundström e Erik Sundström. BEHEMOTH é uma banda de não conformistas de ponta a ponta, sempre nadando contra a correnteza. A nova coleção de faixas reflete esta atitude da banda: Opvs Contra Natvram que é uma grande incorporação da rebelião, individualidade e uma expressão sem limites, moldados por uma visão Mundial literária. Também reflete a evolução musical da banda deixando claro que sem sombra de dúvida Opvs Contra Natvram é o mais forte e sofisticado projeto do BEHEMOTH até hoje.

O líder e visionário da banda BEHEMOTH, Adam ‘Nergal’ Darski comentou: “Tempos de militância trazem música de militância… estamos aumentando o ritmo com o novo single ‘Off To War!’ – uma de minhas faixas favoritas do novo álbum. A música que uma parte punk matadora e uma das leads mais incríveis do BEHEMOTH de todos os tempos – sem contar com um pequeno detalhe de metal extremo no final. Um tornado sônico musical em tempos de confronto. Legiões, aproveitem!”. Faça a sua reserva do álbum ou pré-salve aqui. ASSISTA O VIDEOCLIPE PARA ‘OFF TO WAR!’ AQUI.

BEHEMOTH não são os criadores da cena extrema de heavy metal da Polônia, mas são mestres em seu próprio estilo mostrando com este novo petardo o que uma banda pode alcançar quando muito trabalho é investido. Com Opvs Contra Natvram eles criaram dez novos capítulos criados em tempos estranhos no Mundo. O objetivo é criar algo novo e que não soe como algo que já tenha sido feito – foram além e muito ambiciosos. Como nos álbuns anteriores da banda Opvs… foi produzido por BEHEMOTH, mas mixado e produzido pela lenda de estúdio Joe Barresi (Nine Inch Nails, Tool, QOTSA, Alice In Chains). Opvs Contra Natvram traz uma arte de capa gêmea disponível em preto e branco que serão lançadas em diversas quantidades de formatos físicos que foram criadas pelo designer Bartek Rogalewicz (Lodge.Black) e certamente irá empolgar os colecionadores de edições limitadas.

CD Acrílico (Capa Preta)
Digibook (Capa Preta) [limitado em 8500 peças]
Digibook (Capa Branca) [limitado em 8500 peças]
Earbook Vinil Preto/Dourado Manchado (Capa Branca) [limitado em 500 peças]
Earbook Vinil Dourado/Preto Corona (Capa Branca) [limitado em 500 peças]
Vinil Preto (Capa Preta)
Vinil Pircture (Capa Preta) [limitado em 3500 peças]
Vinil Branco/Dourado Split (Capa Branca) [limitado em 650 peças]
Vinilbox Edição Correios (Capa Branca) [limitado em 1000 peças]
Earbook (Capa Preta) [Exclusivo banda, limitado em1167 peças]
Vinil Dourado (Capa Preta [Exclusivo US Indie, limitado em 350 peças]
Vinil Transparente/Prateado/Dourado Manchado (Capa Branca) [Exclusivo banda, limitado em 666 peças]
Vinil Branco/Preto/Dourado Splatter (Capa Branca) [Exclusivo banda, limitado em 1167 peças]
Vinil Vermelho Transparente (Capa Preta) [Exclusivo EMP, limitado em 300 peças]
Vinil Branco (Capa Branca) [Exclusivo Nordics, limitado em 300 peças]
Vinil Transparente/Preto Splatter (Capa Preta) [Exclusivo Kings Road Management, limitado em 500 peças]
Vinil Dourado/Preto Mesclado (Capa Preta) [Exclusivo UK Eyesore, limitado em 300 peças]
Vinil Branco/Dourado Mesclado (Capa Branca) [Exclusivo UK Recordstore, limitado em 300 peças]
Vinil Transparente/Preto Mesclado (Capa Preta) [Exclusivo HMV, limitado em 450 peças]

Tracklist Opvs Contra Natvram
Post-God Nirvana
Malaria Vvlgata
The Deathless Sun
Ov My Herculean Exile
Neo-Spartacvs
Disinheritance
Off To War!
Once Upon A Pale Horse
Thy Becoming Eternal
Versvs Christvs

SOBRE BEHEMOTH:
Em toda a história do heavy metal não houve uma banda com um espírito e compromisso tão inabalável e obstinado por desafiar a expectativa do público que o BEHEMOTH. Ao longo de sua carreira de 31 anos, estes infernais músicos poloneses – liderados por Adam “Nergal” Darski, são mais que apenas arquitetos de uma das bandas mais lendárias em seu próprio país. Ao longo de três décadas e 11 álbuns, a visão singular de Nergal forjou BEHEMOTH para ser algo muito maior que uma simples banda de blackened death metal da Polônia. A banda superou todos os limites possíveis do gênero e cresceu para se tornar nada mais nada menos que a personificação de rebelião, individualidade – livre para expressar toda a sua visão de um Mundo censurado pelos bons costumes e tradição ditados pela igreja. Seu protesto o levou a ser julgado por blasfêmia em 2010 que só serviu para fortalecer ainda mais este espírito de rebelião pelo qual é conhecido e respeitado expondo a profunda hipocrisia que sua música tenta desafiar.

Formação BEHEMOTH: Adam ‘Nergal’ Darski – vocais/guitarra; Zbigniew ‘Inferno’ Promiński – bateria/percussão; Tomasz ‘Orion’ Wróblewski – baixo/backing vocals
† † †
Patryk ‘Seth’ Sztyber – guitarra/backing vocals

Behemoth online:
Site oficial
Facebook
Instagram
Twitter


Machine Head lança novo single “UNHALLØWED”

Os titãs do metal da Bay Area, Machine Head, lançam o novo e segundo single “UNHALLØWED” que acompanha um novo videoclipe retirado das gravações para a série Electric Happy Hour. A nova faixa foi retirada do décimo álbum da banda ØF KINGDØM AND CRØWN que será lançado no Brasil e na América do Sul pela parceria Shinigami Records / Nuclear Blast Records no dia 26 de Agosto de 2022.

Robb Flynn, fundador do MACHINE HEAD comentou a faixa: “Mergulhado em profunda depressão em sua vida, Eros está num ponto de ruptura. Colhendo corações partidos, perdas e perto de estar num isolamento psicótico, “Unhallowed” é o início de uma poderosa mudança em nossa história. Uma narrativa introspectiva inicia a música liricamente que é um esforço colaborativo entre mim, o guitarrista Wacław “Vogg” Kiełtyka e o baixista/vocalista Jared MacEachern resumindo uma força coletiva deste time de escritores”. “Ancorado por um groove monstruoso, os vocais melódicos espelham o estado da mente de Eros enquanto ele escala sua tristeza pelo luto da perda da mãe para uma overdose por drogas e inicia um lento declínio diretamente para a loucura. Entretanto, o ponto alto da faixa contém uma injeção de luz, mas será ela o suficiente?”

ØF KINGDØM AND CRØWN é um álbum conceitual com 13 faixas montado num deserto futurístico destruído onde o céu é todo vermelho. A coluna cervical da história é baseada em dois personagens principais: Personagem #1 Ares: (pronunciado Áries), nosso protagonista, perde o amor de sua vida (Amethyst) e parte numa violenta e sangrenta viagem por vingança contra uma vil seita responsável pelo assassinato. Personagem #2 Eros: (pronunciado Arrows) o criminoso que perde sua mãe para uma overdose e se torna radical após o acontecimento. Eros vai em direção ao fundo do poço criando sua própria trilha sangrenta. As letras trazem mais detalhes de como suas vidas se entrelaçarão.

ØF KINGDØM AND CRØWN – MACHINE HEAD
Tracklist:

1. SLAUGHTER THE MARTYR
2. CHØKE ØN THE ASHES ØF YØUR HATE
3. BECØME THE FIRESTØRM
4. ØVERDØSE
5. MY HANDS ARE EMPTY
6. UNHALLØWED
7. ASSIMILATE
8. KILL THY ENEMIES
9. NØ GØDS, NØ MASTERS
10. BLØØDSHØT
11. RØTTEN
12. TERMINUS
13. ARRØWS IN WØRDS FRØM THE SKY

PRÉ-VENDA DO NOVO ÁLBUM DO MACHINE HEAD ØF KINGDØM AND CRØWN AQUI.

Formação: Robb Flynn – Guitarra, Vocais; Jared MacEachern – Baixo; Matt Alston – Bateria; Vogg – Guitarra

Mais informações:
Site oficial
Twitter
Instagram
Facebook
Youtube


Show da turnê especial Rebirth 20th Anniversary aconteceu na Opera de Arame

Para celebrar as duas décadas do disco Rebirth, um grande marco na carreira da banda, o Angra passou por Curitiba no último dia 26 de junho (domingo), na Opera de Arame, um dos melhores e mais bonitos espaços para shows na cidade. O álbum Rebirth foi lançado em 2001 e marcou um recomeço na história do Angra, que apresentava uma nova formação aos fãs na entrada do novo milênio. O trabalho conceitual era um reflexo das mudanças recentes e trazia uma aura motivadora e otimista. O resultado foi um imenso sucesso juntos aos fãs e uma turnê que ultrapassou a marca de uma centena de shows. Duas décadas depois, a banda pega a estrada para celebrar aquele momento, com a nostálgica turnê Rebirth 20th Anniversary.

Sobre a turnê comemorativa do álbum que marcou um dos renascimentos do Angra, o guitarrista e membro fundador Rafael Bittencourt comenta: “Estou muito feliz em realizar a turnê do Rebirth juntamente com o Fabio Lione, Felipe Andreoli, Marcelo Barbosa e Bruno Valverde. Será muito emblemático retornar e reviver uma época em que a banda estava renascendo. Também será um resgate de um trabalho que representou muito em minha vida, que revelou o que eu estava sentindo na época – Estou muito ansioso para o começo dessa Nova Era!”. O guitarrista Rafael Bittencourt comenta o sentimento de celebrar este álbum após duas décadas: “Os sentimentos de celebrar esse trabalho hoje em dia são vários. Era virada pros anos 2000, toda aquela expectativa de que o mundo estava se renovando, e a banda também. Com muitas incertezas, não sabíamos se os fãs iam gostar da nova formação, das novas músicas; se as gravadoras iriam apoiar. Depois os fãs nos receberam bem, os shows foram todos lotados e começamos uma nova onda. Pessoas que ainda não conheciam o Angra, passaram a curtir nessa fase, então foi uma fase muito emblemática para a banda”.

Sobre o repertório, o músico, membro fundador do Angra, explica: “Tocamos o Rebirth na sua íntegra, e depois pelo menos uma música de cada álbum. Então a gente toca uma música do Angels Cry, uma do Holy Land, do Fireworks, uma do Temple of Shadows, Aurora Consurgens, Aqua, Secret Garden e Omni. Pode-se dizer que o show tem duas etapas: vinte anos de Rebirth e trinta anos de banda”.

A apresentação de abertura ficou por conta da experiente banda gaúcha Rage in My Eyes, com mais de duas décadas de experiência no cenário. Quando utilizavam o antigo nome, Scelerata, foram a banda oficial brasileira de apoio do ícone Paul Di’Anno de 2009 a 2014, realizando mais de 50 shows com o ex-vocalista do Iron Maiden. Dividiram palco com lendas do Heavy Metal como Deep Purple, Gamma Ray, Kamelot e Edguy, entre outras. Com a troca do nome em 2018, o conjunto lançou o álbum Iron Cell, e em 2020 veio o mais recente lançamento, o EP Spiral, com cinco faixas inéditas, composto e gravado durante a pandemia. Por serem do sul, entregam um tipo de Metal nunca ouvido antes, misturando Heavy e Prog Metal com elementos da Milonga – gênero musical do Sul do Brasil, Uruguai e Argentina – e uso do acordeon. O guitarrista e principal compositor, Magnus Wichmann, é neto do legendário músico gaúcho Teixeirinha.

Também integrou a programação da noite a banda paulista Trend Kill Ghosts, formada em 2018 pelos amigos Diogo Nunes (vocal), Rogério Oliveira (guitarra), Fábio Carito (baixo) e Leandro Tristane (bateria), que apostam no power metal/metal melódico. A banda tem como referências diversas vertentes do power metal, com nomes como Gamma Ray, Helloween, Avantasia, Edguy, Savatage e Stratovarius. No começo do mês, o conjunto disponibilizou o single “Phoenix”, que serve de prévia para o segundo álbum Until the Sun Rise Again. A estreia veio com o CD Kill your Ghosts, lançado em julho de 2019. Para esta primeira vez em palcos curitibanos, a banda contará também com a participação especial da vocalista Vanessa Rafaelly, uma das maiores referências de canto na cidade, que atua em diversas bandas de música autoral e tributos, inclusive na Seyren, tributo ao Nightwish.

Histórico

O Angra surgiu no começo dos anos 1990 com uma proposta de mesclar influências da música brasileira com o peso, velocidade e melodia do Heavy Metal. O primeiro álbum, Angels Cry (1993) foi aclamado internacionalmente, incluindo o mercado japonês, consumidor ávido do Metal Melódico. O trabalho seguinte, Holy Land, se aprofundou ainda mais nas referências culturais do país, e sacramentou o grupo como um dos mais importantes do cenário mundial. Após diversas turnês pela Europa, a banda trabalhou no lançamento do terceiro disco, Fireworks, que novamente mudava as diretrizes sonoras, porém sem descaracterizar a identidade musical do quinteto. Após a turnê foi anunciada a saída de três membros do grupo, o que deixou o Angra com uma complicada tarefa: encontrar novos músicos e mostrar que ainda era uma potência mundial, missão esta que o Angra tirou de letra. Reformulada, a banda lançou Rebirth (2001), um álbum coeso e alinhado com o melhor que o Metal oferecia na época. A turnê foi um sucesso, com mais de 100 datas em diversos países, e ainda rendeu um novo lançamento: o EP Hunters and Prey. O Angra segue em atividade até hoje, sempre celebrando seu legado e lançando trabalhos de inquestionável qualidade.

Assim como haviam feito com os discos Angels Cry e Holy Land, agora é a vez da Rebirth 20th Anniversary, que revisita com honestidade um dos grandes momentos da carreira do Angra. Os shows prometem momentos de pura nostalgia ao resgatar músicas que marcaram época.

A banda em ascensão no cenário do power metal Trend Kill Ghosts foi a banda de abertura para o show da banda Angra, em Curitiba. O show aconteceu no último  dia 26 de junho, na Opera do Arame e fez parte da turnê “Rebirth 20th Anniversary”. Os ingressos já estavam esgotados. O vocalista Diogo Nunes comentou: “Gostaria de dizer que é uma alegria imensa poder participar da celebração da banda que mudou a minha vida! Há 20 anos eu estava indo para o meu primeiro show de rock e era justamente a tour do álbum Rebirth. Hoje, 20 anos depois, estarei dividindo o palco com meus ídolos justamente na celebração daquele show que mudou a minha vida. É clichê dizer isso, mas será com certeza umas apresentações mais incríveis que vamos fazer!”

Este foi o primeiro show da Trend Kill Ghosts da tour ‘Until The Tour Rise Again 2022’, e a banda está pronta para retomar os shows com a agenda cheia que inclui shows de abertura para o U.D.O, Symphony X e Tim “Ripper” Owens. O quarteto também é uma das bandas convidadas para abrir o show da banda Myrath. Mais informações e ingressos através das redes sociais do Trend Kill Ghosts. Além dos clássicos, a banda também apresentou ao vivo o álbum recém lançado Until The Sun Rise Again, que conta com grandes participações como Marina La Torraca (Phantom Elite, Exit Eden e Avantasia), Roland Grapow (ex-Helloween/Masterplan) e Elisa C.Martin (Dark Moor, Dreamaker e Fairyland). Ouça Until The Sun Rise Again. TREND KILL GHOSTS – “Poisoned Soul” – Feat. Marina La Torraca (Official Lyric Video).

A banda em ascensão no cenário do power metal Trend Kill Ghosts também irá abrir os shows na América Latina da lenda do metal Tim “Ripper” Owens, que começa hoje, dia 02 de julho, no Manifesto Bar, em São Paulo. Para essa turnê, o Trend Kill Ghosts também será a banda suporte para Ripper e contará com os convidados especiais Marcus Dotta (Warrel Dane/ Gaijin Sentai) e Johnny Moraes (Warrel Dane/ Hevillan). “Vai ser uma honra poder voltar aos palcos com meus colegas de Warrel Dane; Marcus e Fábio, para mais uma turnê incrível”, comentou Johnny Moraes. O baterista Marcus Dotta comentou: “É demais poder voltar a excursionar com meus companheiros da banda solo do Warrel Dane, Fabio Carito e Johnny Moraes. Ainda mais acompanhando o Tim Ripper Owens, que gravou um dos meus discos preferidos do Judas Priest, ‘Jugulator’. Agradeço demais aos amigos da Trend Kill Ghosts pelo convite e pelo prazer de fazer essa tour juntos!”

Trend Kill Ghosts já iniciou a ‘Until The Tour Rise Again 2022’, e estão prontos para os shows com a agenda cheia que inclui shows de abertura para o U.D.O, Symphony X e Tim “Ripper” Owens. O quarteto também é uma das bandas convidadas para abrir o show da banda Myrath. Mais informações e ingressos através das redes sociais do Trend Kill Ghosts. A banda irá apresentar os clássicos e também apresentar ao vivo o álbum recém lançado ‘Until The Sun Rise Again, que conta com grandes participações como Marina La Torraca (Phantom Elite, Exit Eden e Avantasia), Roland Grapow (ex-Helloween/Masterplan) e Elisa C.Martin (Dark Moor, Dreamaker e Fairyland).

Formado em 2018, o Trend Kill Ghosts reúne quatro amigos: Diogo Nunes (vocal), Rogério Oliveira (guitarra), Fábio Carito (baixo) e Leandro Tristane (bateria), que apostam no power metal/metal melódico. Levando uma mensagem através da música para inspirar pessoas a matarem seus fantasmas e irem atrás de seus objetivos. A banda tem como referências diversas vertentes do power metal, com nomes como Gamma Ray, Helloween, Avantasia, Edguy, Savatage e Stratovarius. O álbum de estreia, Kill your Ghosts, que foi lançado em julho de 2019 em todas as plataformas digitais, recebeu ótimas críticas da mídia especializada e traz participações especiais de Ralf Scheepers (Primal Fear, ex-Gamma Ray e Tyran’ Pace) em “Ghost’s Revolution”, Raphael Dantas (SoulSpell, Ego Abscence) e Lúcia Ricardo (ex-EvenDusk) em “Promise”.

Trend Kill Ghosts gravou cada etapa da produção do novo disco e tudo pode ser visto nas redes sociais, na série ‘Studio Report’, que mostra a gravação de cada instrumento com comentários dos integrantes. Acompanhe cada episódio AQUI. Para a promoção do disco foi lançado em junho o primeiro single, junto ao videoclipe, da faixa “Phoenix” e o lyric video do single “Poisoned Soul” com a Marina La Torraca (Phantom Elite, Exit Eden e Avantasia). Trend Kill Ghosts adorna um pouco seu estilo, incorporando sons mais melódicos e orquestrações mais bombásticas, fazendo o álbum trilhar os caminhos do power. melódico e sinfônico. Este não é um álbum conceitual, mas contém histórias bastante interessantes e pessoais, já que foi escrito durante a pandemia. Until The Sun Rise Again já está disponível em todas as plataformas digitais, e em formato físico nas maiores lojas de discos, pelo selo Heavy Metal Rock.

Gênero: Power Metal

Faixas:
01-Marching to the Light
02-Puppets of Faith
03-Rebellion
04-Phoenix
05-When the Sun Rise Again (Feat. Elisa C. Martin)
06-Land of Hope
07-Poisoned Soul (Feat. Marina La Torraca)
08-Prisoners in Our Minds (Feat. Roland Grapow)
09-Puzzle Piece
10-Dead Society
11-Mirror Mirror

Produtor: Rogério Oliveira

Gravação: Flight Studio

Master e mixagem: Rogério Oliveira (Flight Studio)

Produção dos videoclipe: Nice Pixel Entertainment

Direção: JC Nunes

Fotografia: Jéssica Marinho e Filipe Moriarty

Artwork: Daniela Owergoor

Formação: Diogo Nunes (vocal); Rogério Oliveira (guitarra); Fábio Carito (baixo); Leandro Tristane (bateria)

Para mais sobre TREND KILL GHOSTS visite os canais oficiais FACEBOOK, INSTAGRAM e YOUTUBE.



Nöthin’ But a Good Time: Livro conta a história completa e sem censura do Hard Rock dos anos 1980

Recém lançado no mercado brasileiro pela conceituada editora Estética Torta, o livro Nöthin’ But a Good Time apresenta a história definitiva e sem censuras sobre o polêmico hard rock e hair metal dos anos 1980, contada pelos músicos e especialistas da indústria que viveram de perto aquela cena. O hard rock na década de 1980 foi uma fonte hedonística e muitas vezes intensamente criativa de escapismo que encapsulou perfeitamente – e talvez até ajudou a definir – uma década espetacularmente exagerada. De fato, sucessos de tirar o fôlego como “We’re Not Gonna Take It” do Twisted Sister, “Girls, Girls, Girls” do Mötley Crüe e “Welcome to the Jungle” do Guns N’ Roses estão tão intimamente ligados à essa década quanto Pac-Man e o filme ET: O Extraterrestre.

Dos primeiros dias do movimento, passando pelos anos de glória, com hinos que sacudiam estádios e baladas no topo das paradas, até o súbito fim do movimento, com o surgimento do grunge, este livro de Tom Beaujour e Richard Bienstock captura a energia e o excesso dos anos do hair metal nas palavras de músicos, empresários, produtores, técnicos de som, executivos de gravadoras, publicitários, estilistas, figurinistas, fotógrafos, jornalistas, editores de revistas, diretores de videoclipes, donos de bares, roadies, groupies e parasitas que viviam desse universo.

Apresentando um prefácio apaixonado do vocalista do Slipknot, Corey Taylor, e elaborado a partir de mais de 200 entrevistas inéditas com membros do Van Halen, Mötley Crüe, Poison, Guns N’ Roses, Skid Row, Bon Jovi, Ratt, Twisted Sister, Winger, Warrant, Cinderela, Quiet Riot, Stryper, além de Ozzy Osbourne, Lita Ford e muitos outros, Nöthin’ But a Good Time é a crônica definitiva, sem censura e muitas vezes confusa de uma época em que o excesso e o sucesso andavam de mãos dadas, contada pelos homens e mulheres que criaram um som e um estilo que definiram toda uma era musical – aquela em que as bandas e seus fãs procuravam nada além de diversão… e encontraram. A obra Nöthin’ But a Good Time, com tradução de Marcelo Vieira, está a venda pelo site da editora Estética Torta.


Do Nu Metal ao sinfônico: ouça versão de música do Linkin Park

Parece que foi ontem, mas já faz quase 15 anos do lançamento do álbum Minutes to Midnight, do Linkin Park. Foi deste disco que saiu o single “Leave Out All The Rest”, canção que fez parte da trilha sonora do filme Crepúsculo e que ganhou versão que une influências do sinfônico, da música folk e das cantigas celtas. Cantada por Aline Happ, o cover também traz a participação do guitarrista Rod Wolf, conhecido por seu trabalho no Lyria, juntamente com Aline. Assista a versão de “Leave Out All The Rest“. A canção “Leave Out All The Rest”, de acordo com Chester Bennington (1976-2017), cantor e compositor do Linkin Park, é como se fosse uma carta de desculpas que, ainda que a pessoa siga em frente, ela deseja que lembrem somente das coisas boas que aconteceram, não das ruins. É também uma canção sobre humildade.

Além de ser vocalista, Happ também produz as músicas, o instrumental, grava e edita os vídeos. Os conteúdos publicados no canal de Aline Happ contam com o apoio de fãs no Patreon e no Padrim. Líder, vocalista e compositora do Lyria, Aline Happ é hoje uma das vozes mais famosas do Metal brasileiro. Em seu projeto solo, a artista promove releituras Gothic/Folk/Celtic de canções do Rock e do Metal mundial que estão disponíveis em seu canal no YouTube. Graças ao apoio dos fãs, a cantora arrecadou mais de 200% da meta do financiamento coletivo para o seu disco solo de estreia, que será lançado neste ano.

Além do trabalho solo, Aline é fundadora, vocalista e uma das principais compositoras do Lyria. Conhecidos mundialmente, a banda de Metal Alternativo Sinfônico foi fundada em 2012. De lá pra cá, o grupo lançou dois discos com apoio de crowdfunding, Catharsis (2014) e Immersion (2018) e tocou em diversas cidades, além de ser pioneira no Brasil na transmissão de shows online com venda de ingressos para o mundo todo. Adquira o álbum em pré-venda.

Acompanhe Aline Happ

Facebook

Instagram

YouTube

Spotify


RENAN LOURENÇO: guitarrista é elogiado em resenha do site Acesso Music

Inception, debut álbum do guitarrista, RENAN LOURENÇO, completou 1 ano de lançado no último dia 17 de maio. O álbum foi lançado pela Alternative Music Records e conta com a participação de Edu Ardanuy (Solo, Dr. Sin, Sinistra) na guitarra e Derek Sherinian (Sons of Apollo, Dream Theater, Yngwie Malmsteen, Black Country Communion) nos teclados. O disco, após poucos meses de disponibilização, conquistou espaço e colecionou diversos elogios ao redor do mundo, com reproduções expressivas em rádios e streamings e destaques em resenhas nos mais diversos sites, blogs e canais do Youtube.

Após 1 ano de seu lançamento, Inception, debut álbum do guitarrista, RENAN LOURENÇO, continua colecionando elogios em resenhas nos mais diversos cantos do país. Desta vez, o colunista, Clovis Roman, do site Acesso Music, destacou a performance do artista em seu trabalho de estreia. “A predominância é de sons mais extensos, porém tudo é tão bem organizado e desenvolvido que em momento algum a audição cansa. Um trabalho essencial para fãs de guitarristas e de hard rock como um todo. Porém, como aqui há referências de vários estilos, agradará um público ainda mais amplo. Vai sem medo“, destacou o redator.

Instagram


PADOVANI’S DEATH LANÇA VERSÃO ACUSTICA DE “START OVER”

A música é a 2ª de uma série de lançamentos acústicos que irão revisitar algumas das músicas já lançadas dele. O projeto traz além da nova versão da música em streaming, vídeos disponíveis no Youtube. A versão foi gravada no Estúdio Voy-age Casa por Drean Marques e teve toda filmagem e edição feita por Alexandre “Menestrel” Klein. A versão ficou bem intimista, tentando resgatar o clima dos acústicos MTV. O single original foi lançado inicialmente no Álbum A Placid Hurry, disponível nas plataformas digitais.

SOBRE PADOVANI’S DEATH

Padovani’s Death é o trabalho solo de Guilherme Padovani, artista que está desde o ano 2000 na ativa com bandas autorais, somando na sua bagagem mais de 94 trabalhos lançados e passagens por festivais como Rock na Estação, Grito Rock, Virada Cultural Paulista, Dezindie e Caquizada. Este trabalho por sua vez é o resultado de uma mente inquieta e, da mesma forma, o som não poderia ser diferente. Com início em 2009, com o EP Welcome to Death e somando uma jornada de cinco shows desde seu retorno com o EP Rise From the Dead em Julho de 2019.

O som é uma união de elementos orgânicos e eletrônicos, Padovani apresenta arranjos simples e certeiros que envolvem o ouvinte em sua inquietude, ora dançante, ora introspectiva, e na maioria das vezes agressiva. Vocal visceral, baixos distorcidos e muita energia são o que você vai encontrar aqui. Com um público mais maduro, composto em sua maioria por pessoas entre 24 e 40 anos, as melodias trazem em suas letras vivências e questionamentos do artista, o que o mantém próximo de seu público.

CONTATO E REDES SOCIAIS
Facebook
Instagram
Youtube


Charismatic alt-rock/progressive trio GRANDMA’S ASHES to share new video “Spring Harvest” : WATCH HERE

France’s alt-rockers GRANDMA’S ASHES unveil bucolic new video for their gripping song “Spring Harvest”. In the middle of their upcoming album’s recording sessions, the three-piece offer a charming and timeless breakaway. Get psyched by their enthralling Hole-like new footage! Hypnotic, experimental and impertinent, Grandma’s Ashes’ sounding sweeps a lot of clichés away to deliver something new and bold, between alternative, psychedelic and progressive rock. Surprising as always, the Parisian trio found another smart way to roll out their talent by crafting a new video “Spring Harvest”, a 90s rock-inspired song contrasting with sensual floral footage.

Say the band: “Spring Harvest is for us a kind of ode to loneliness and its one-night stands to fill it, for a while. We were very keen to convey the almost teenage melancholy you feel when dreaming of love, tortured, alone in bed, abandoning to the ecstasy of the senses to better lose yourself.” Video directed and edited by Julien Metternich. Shot at Shapes Studio, Paris (France). Music recorded and mixed at Bruit d’Avril Studio (Paris, France) by Fred Lefranc. Mastered by Fabian Tormin.

⚡️ Watch “Spring Harvest” here ⚡️
GRANDMA’S ASHES new single “Spring Harvest”
New album in progress for an early 2023 release via Nice Prod.

As inspired by the current heavy psychedelic scene than by 90s alt-rock, Paris-based trio GRANDMA’S ASHES stand out with powerful progressive riffage and sarcastic narrative lyrics. Their self-released debut EP ‘The Fates’ (2021) is a dazzling introduction to their bold sonic personality, showcasing complex saturated guitars and heavenly vocals. Kadavar, Hole and Mars Red Sky seem to hang in a distant esoteric planet, where black humour is the official language. Offbeat, brilliant and entertaining, the three-piece are real live performers. Their hazy sounding and impactful vocals easily create theatrical atmospheres. Freshly endorsed by Oranges Amplifiers, they are going to wreak havoc on stage for a while! Grandma’s Ashes are currently finishing the recording of their new album. More details to come soon.

LINE-UP: Eva Hagen: vocals, bass; Myriam El Moumni: guitar, backing vocals; Edith Seguier: drums, backing vocals

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.