Por Mairon Machado

Hoje, o Na Caverna da Consultoria apresenta a coleção de Rodolfo Istvanffy, um aficcionado por Iron Maiden. Confira.


Olá Rodolfo, como vai meu caro? Obrigado por compartilhar sua paixão pela música conosco. Bem –vindo à Consultoria do Rock. Por favor, apresente-se aos leitores.

Olá, Mairon e amigos leitores. Em primeiro lugar, quero agradecer à você e toda a equipe da Consultoria do Rock por esse incrível convite. Fico muito agradecido. Meu nome é Rodolfo Istvanffy, sou descendente de húngaro por parte de pai, minha mãe é brasileira. Moro no litoral de São Paulo, sou músico, contador e aficionado por esse tal de rock ‘n roll desde criança.

Quais suas primeiras lembranças do começo de sua paixão pela música?

Em minha casa sempre teve muita música. Por parte de pai, música clássica e por parte de mãe, muita MPB. Ambos tinham vários discos e fitas k7. Ítens que, definitivamente, não podia nem passar perto, mas para contornar isso ganhava meus discos infantis. Lembro que um dos meus primeiros contatos foi uma fita k7 que ganhei de meu pai chamada Pedro e o Lobo. Uma história narrada por Roberto Carlos, onde todos os animais e sons eram feitos com instrumentos musicais muito usados na música clássica. Todos em minha casa, inclusive eu, tinha seus discos.

Como é constituída sua coleção? Quais as mídias predominantes em suas prateleiras e os números por favor?

A grande maioria é composta por CD´s. Nos anos 90, tinha muitos vinis, mas com a chegada do CD, assim como muitos, passei a trocar os vinis por CD´s. Coisa que hoje me arrependo muito. Em se tratando de números, hoje tenho cerca de mil CD’s, cento e trinta e nove DVD’s / Blu-rays, setenta e quatro vinis e quatro fitas K7.

Há alguma rotina ou “mania” que você costuma fazer relacionado com a sua coleção?

Bem… Não sei se seria uma mania, mas constantemente estou inspecionando e limpado minha coleção. Como moro em uma cidade litorânea, a umidade e o bolor são um problema sério, por esse fato sempre tenho de estar de olho.

Qual o significado da música no seu dia a dia?

Relaxamento é a palavra, sabe… Mesmo depois de um dia bem atarefado, você pode pegar aquele álbum que gosta e colocar ele para tocar, e todos os seus pensamentos vão se esvaziando e recarregando novamente, todos agora revigorados. Isso é o poder da música.

Qual o primeiro disco que comprou e por que? Você ainda o tem?

Meu primeiro disco foi o Metallica Black Album. A banda estava em todos os lugares. Na televisão, no rádio, só se falava de Metallica e Guns n’ Roses. Quando ouvi “Enter Sandman” na rádio rock, ali foi o ponto decisivo. Se bem verdade é que quem me deu o álbum foi minha mãe e esse ainda o tenho até hoje.

Qual o seu artista favorito?

Muitos agora podem imaginar que seja o Metallica, mas não. Minha banda preferida é o Iron Maiden e isso aconteceu quando um amigo me emprestou o álbum Somewhere in Time. Ali minha cabeça explodiu, aquela capa fantástica, as músicas incríveis, todo aquele aspecto futurista… Ainda mais para mim, que sou muito fã de ficção científica, foram decisivos.

Qual sua fase preferida da banda?

Aqui temos um ponto onde muita gente não concordará comigo, mas acho que a fase preferida é a atual, pois passados tantos anos ainda temos a banda produzindo e criando novos álbuns, novas músicas. Então para mim, é hoje a resposta.

O que há no som do Iron Maiden que o diferencia das demais bandas?

Sabe… É um conjunto de coisas que compõe a obra. Não vejo só como simplesmente música, mas uma obra artística que engloba a capa do disco, fotos encartes, as letras… Foi esse conjunto que me conquistou. Toda a temática da banda e, com certeza, o Eddie ajudou. rs

Por que você considera que o Iron é uma das bandas com os fãs mais fiéis?

A cumplicidade e o respeito com os fãs fazem toda a diferença. O Maiden é uma banda que se preocupa em entregar o que o público espera, se mantendo fiel.

Qual sua opinião sobre lançamentos diversos de um mesmo álbum, algo que o Iron Maiden utiliza bastante ao longo de sua carreira?

Vejo isso com bons olhos, pois possibilita que um novo fã possa ter sua mídia física original, que caiba dentro do seu bolso naquele momento, seja em CD ou vinil.

E sobre relançamentos, outro tipo de produto que o Iron também utiliza frequentemente, quais os formatos que você aprecia e quais os que você considera descartáveis?

Gosto muito do CD, pois é muito prático e não necessita de um grande equipamento para ouvir, mas não podemos esquecer que em vinil ele é muito mais orgânico e envolvente. Já o K7, para mim que moro próximo a praia, não é uma boa opção. Estraga muito fácil devido à umidade e ao sal no ar.

Qual o disco mais raro que você tem? E qual o “arroz de festa?

Mais raro acredito que não tenha nada assim, mas a fita k7 de Pedro e o Lobo não se acha tão fácil e tem um valor sentimental muito grande, para mim. Já arroz de festa, é o Somewhere In Time. Está em todas.

O que você faz questão de apresentar para quem vai visita-lo em termos musicais? E qual aquela obra que você gosta de apreciar sozinho?

Somewhere In Time, sempre que pinta a oportunidade, já mostro logo esse álbum. Quem não vai curtir um Eddie cibernético? E quanto à  ouvir, não tenho nenhuma obra que goste de ouvir sozinho.

Qual a maior quantidade de itens que você comprou de uma vez só.

Sem dúvida, foram os digipacks do Iron. Peguei os 18, de uma vez só.

Você chegou a pegar a mudança de LP para CD? Se sim, o que você pode contar aos leitores mais jovens sobre esse período?

Esse é o período que mais me arrependo, pois chegava a trocar dois vinis por um cd. E nessa situação troquei meus vinis do Iron, originais de época, por CDs e hoje estou na luta para refazer a coleção em vinil. E sabe… Existe um ditado que diz: “quem vende o que tem, pedir vem”.

Você já se desfez de algum disco e se arrependeu depois? Qual?

Nossa.. e como me arrependo!!! Me desfiz de todos do Iron até o Fear of the Dark, na época.

Você costuma ir a muitos shows? Quais os mais marcantes positiva e negativamente?

Depois de muito tempo tentando, meu primeiro show foi em 2016, do Iron na turnê do The Book of Souls. Foi um momento único ver a banda que escuto desde adolescente, ali na minha frente. Foi incrível!!! Negativamente, não ter conseguido ir aos shows anteriores.

E quais os artistas que você teve contato que você mais curtiu de trocar uma ideia?

Consegui falar bem rapidamente com os músicos do Sepultura e todos foram muito atenciosos, mas um cara que foi muito legal de conhecer foi o ilustrador da Marvel, Tim Bradstreet. Ele fez muitos trabalhos para a Marvel Comics com o personagem Justiceiro e foi o responsável por fazer a capa do álbum A Matter Life on Death. No ano de 2019, estava na CCXP quando o vi no painel. Nossa… Foi muito atencioso.

Como você faz para se atualizar sobre música?

Acompanho o site Consultoria do Rock, entre outras sites especializados, os canais dos amigos no Youtube e as revistas especializadas.

Qual sua opinião sobre o atual mercado fonográfico e sobre o consumo de música nos dias atuais?

Um ponto certo é de que, a cada dia menos pessoas de fora do nicho, compram álbuns físicos, fazendo com que as gravadoras e artistas encolham cada vez mais e os preços aumentem de forma que venha a ser cada vez mais caro para o colecionador ter seu grandioso álbum em suas mãos.

Quais os dez melhores discos da década de 60?

The Jimi Hendrix Experience Electric Ladyland

The Beatles Revolver

The Beatles Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band

The Stooges The Stooges

The Beatles Abbey Road

King Crimson In the Court of the Crimson King

Led Zeppelin Led Zeppelin

Led Zeppelin Led Zeppelin II

The Doors The Doors

The Who Tommy

Quais os dez melhores discos da década de 70?

Black Sabbath Black Sabbath

Led Zeppelin Led Zeppelin IV

Pink Floyd The Dark Side of the Moon

Nektar A Tab in the Ocean

Deep Purple Machine Head

Kiss Destroyer

Jethro Tull Thick As a Brick

Montrose Montrose

Deep Purple Burn

Rush Fly by Night

Quais os dez melhores discos da década de 80?

Aqui o bicho pega !

Iron Maiden Iron Maiden

Iron Maiden Killers

Iron Maiden The Number of the Beast

Iron Maiden Piece of Mind

Iron Maiden Powerslave

Iron Maiden Somewhere in Time

Iron Maiden Seventh Son of a Seventh Son

AC/DC Back in Black

Black Sabbath Heaven and Hell

Kiss Creatures of the Night

Quais os dez melhores discos da década de 90?

Metallica Metallica (Black Album)

Guns N’ Roses Use Your Illusion II

Ozzy Osbourne Ozzmosis

Pantera Vulgar Display of Power

Bruce Dickinson Accident of Birth

Megadeth Youthanasia

Sepultura Chaos A.D.

Kiss Revenge

Judas Priest Painkiller

Angra Angels Cry

Quais os dez melhores discos da década de 2000?

Iron Maiden Brave New World

Metallica Death Magnetic

In Flames Clayman

Dio Killing the Dragon

Judas Priest Angel of Retribution

Angra Rebirth

Helloween The Dark Ride

Black Country Communion Black Country

Ac/Dc Stiff Upper Lip tour edition

Kamelot The Black Halo

Quais os dez Melhores discos da década passada?

Iron Maiden The Final Frontier

Black Country Communion BCC

Judas Priest Firepower

Black Sabbath 13

Sepultura Machine Messiah

AC/DC Rock or Bust

Paul McCartney Egypt Station

Metallica Hardwired to Self-Destruct

Ghost Opus Eponymous

Rush Clockwork Angels

Quais os dez discos que você levaria para uma ilha deserta?

Iron Maiden Killers

Iron Maiden The Number of the Beast

Iron Maiden Piece of Mind

Iron Maiden Powerslave

Iron Maiden Somewhere in Time

Iron Maiden Seventh of a Seventh Son

Iron Maiden Senjutsu

AC/DC Back in Black

Black Sabbath Heaven and Hell

Kiss Creatures of the Night

Quais suas últimas aquisições?

Iron Maiden Maiden England Picture disc, Pulse Blu-ray, Ghostb, Greta van Fleet The Battle at Garden’s Gate, Guns ‘n roses Hard Skool, Beast in Black Dark Connection e Nightwish Human Nature.

Indique três lojas/sites para os colecionadores continuarem a aumentar suas coleções, e o porquê das mesmas.

Compro muito com a Mari Franco, Romano Discos, com a André Muamba Records. Todos eles têm páginas no Facebook, fica fácil de achar. E, por fim, Amazon.

Que bandas atuais você indica para nossos leitores conhecerem?

Ghost e Lucifer são as bandas que mais tem me chamado a atenção nos últimos anos.

Indique três discos que mudaram sua vida, e conte o porquê?

Metallica Metallica foi o início de tudo, me mostrou esse mundo do rock ‘n roll, Somewhere in Time que me despertou essa paixão pelo Maiden e Pedro e o Lobo, por conta de meu pai, fez toda a diferença.

A sua coleção tem fim? Chegará um dia onde você vai olhar e dizer “tenho todos os álbuns que preciso” ou isso não existe para nenhum colecionador?

Não, isso nunca tem fim. Se for colecionador de Maiden, então…

Como você tem um longo trabalho com relação a música, por favor, conte para nós algo curioso que você passou ou vivenciou.

Trabalhei por 8 anos em rádio e lembro que, na primeira, era uma rádio comunitária. Tinha conversado com o dono e dito que gostava muito de música e gostaria de trabalhar lá com eles. Era uma rádio comunitária, acho que em 1996, bem na hora do almoço, o locutor faltou e o dono me disse: “olha, fica aí e vai tocando música. Não precisa falar nada. Coloque alguma coisa que você conheça para tocar”. Eu disse: “Beleza”! Quando olhei, tinha um monte de CD´s de músicas variadas. Daí, pensei: “Quer saber? Vou colocar um Iron Maiden”… E assim, o fiz. Coloquei “Wasted Years”, era um pouco mais de meio dia. Antes da música acabar, o telefone tocou, era o dono da rádio bravo mandando tirar: “Isso não é música para almoço”. Só falei: “mas o senhor falou para tocar algo que eu conhecia”. kkkk

Muito obrigar por participar de nossa Caverna. Fique à vontade, este espaço é seu.

Fica aqui meus parabéns pelo incrível trabalho de toda a Consultoria do Rock, uma equipe do mais alto nível. Desde que recebi o convite, me senti honrado. Desde que conheci vocês, venho acompanhando as matérias. Um grande e forte abraço à você e toda a consultoria. Up The Irons!!!

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.