Por Thiago Reis

Lançado originalmente em 2012, Emerald Forest and the Blackbird é o quinto álbum de estúdio da banda de Death/Doom metal Swallow the Sun, considerado por muitos como um de seus melhores trabalhos. A banda formada por Mikko Kotamaki (vocal), Juha Raivio (guitarra), Markus Jämsen (guitarra), Aleksi Munter (teclado), Matti Honkonen (baixo) e Kai Hahto (bateria), contou ainda com as participações especiais de Aleah Stanbridge (vocais nas faixas “Emerald Forest and the Blackbird” e “Labyrinth of London (Horror pt. IV)” e Anette Olzon (vocal na faixa “Cathedral Walls”).

Recentemente, o álbum ganhou uma versão literalmente de luxo aqui no Brasil, através da Cold Art Industry. O material conta com slipcase com logotipo e títulos em verde brilhoso, encarte fosco com 12 páginas, edição limitada a 300 cópias numeradas a mão, pôster exclusivo 24×36 cm, photo card exclusivo 10×15 cm e OBI. Diante de tanto capricho com a edição nacional e com os colecionadores, chegou o momento de falarmos das músicas que compõem o trabalho.

Começamos com “Emerald Forest and the Blackbird” e seu início enigmático, com belas melodias e vocais com vozes envolventes, dando a largada de forma interessante ao álbum. Riffs e vocais poderosos aparecem para a continuação da música, de forma magistral, aliados a melodias executadas pela guitarra que mantém o clima de seu início. Encontramos também linhas de bateria que saem do senso comum, acrescentando e muito à música, elevando ainda mais o nível do trabalho. “This Cut is the Deepest” começa de forma acústica e com vocais limpos e cheios de emoção. Baixo e bateria acrescentam groove e a guitarra executa ótimas melodias, colocando o ouvinte literalmente em outra dimensão. Podemos conferir em “This Cut is the Deepest” o potencial para um single de sucesso e música com grande potencial de ser bem recebida nos shows da banda.

“Hate, Lead the Way” volta com a agressividade, liderada pelos riffs e a bateria de Kai Hahto, além de vocais poderosos. Mesmo com muito peso, podemos conferir também um excelente trabalho instrumental no que se refere a melodias, de forma a pontuar e evidenciar que o Swallow the Sun não é uma simples banda de Death/Doom metal, sendo em alguns momentos muito difícil de aplicar rótulos aos finlandeses. “Cathedral Walls” apresenta em sua introdução belos arranjos, envolvendo o ouvinte em um mar de diferentes emoções. Mais lenta, com vocais limpos e com destaque para a interpretação vocal de Mikko Kotamaki e de Anette Olzon, “Cathedral Walls” sem dúvidas é um dos grandes destaques do álbum.

“Hearts Wide Shut” continuam no mesmo ritmo da faixa anterior, mas com um destaque maior para o belo solo de guitarra em sua introdução. Além disso, podemos conferir a volta dos vocais guturais, o aparecimento de influências prog, sem que o peso seja deixado de lado, um grande ponto positivo para a canção. “Silent Towers” acrescenta ao trabalho elementos tanto de doom quanto de death metal, acrescido de melodias bem características encontradas nas faixas anteriores. A alternância entre vocais guturais e limpos também se mostra como um dos pontos positivos em “Silent Towers”. “Labyrinth of London (Part. IV)” começa com “os dois pés na porta”, cheia de peso e atitude, com destaque para a bateria e para os riffs. Os vocais não ficam atrás e se mostram como um dos melhores trabalhos de Mikko Kotamaki à frente do Swallow the Sun.

“Of Death and Corruption” também mantém o peso da faixa anterior, realizando também uma alternância interessante entre momentos mais reflexivos e lentos com momentos de fúria e peso. “April 14th” tem uma introdução enigmática, parecendo que estamos em um filme de terror. Os riffs bem calcados em um doom metal influenciado pelo Candlemass são a trilha sonora perfeita para o que está por vir. Riffs intensos, melodias vocais marcantes e feeling fazem com que “April 14th” também seja um dos grandes destaques do disco. “Night Will Forgive Us” encerra de forma magistral o álbum, com dedilhados inspirados na guitarra, vocais limpos e cheios de feeling e alternância para vocais guturais e riffs inspirados fazem com que o saldo total do álbum seja 100% positivo.

Emerald Forest and the Blackbird é sem dúvida um dos grandes destaques da discografia do Swallow the Sun, que vem em uma crescent de grandes lançamentos ano após ano. Para os fãs do estilo é um prato cheio e para os iniciantes é uma bela porta de entrada. Com o belíssimo trabalho gráfico realizado pela Cold Art Industry para o relançamento nacional, torna-se então um trabalho ainda mais indispensável aos fãs.

 

Track list

  1. Emerald Forest And The Blackbird
  2. This Cut Is The Deepest
  3. Hate, Lead The Way!
  4. Cathedral Walls
  5. Hearts Wide Shut
  6. Silent Towers
  7. Labyrinth Of London (Horror Pt. IV)
  8. Of Death And Corruption
  9. April 14th
  10. Night Will Forgive Us

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.