Por Igor Miranda (Publicado originalmente no site vandohalen.com)

Hoje temos a oportunidade que para dar voz a grito de independência das nossas queridas bandas nacionais. Nessa postagem, trazemos cinco bandas para começar a conhecer o underground nacional, que está repleto de coisas boas em diversas vertentes do Rock/Metal. Não são as melhores, nem as mais famosas, apenas algumas sugestões. O resto fica por conta de vocês. Desbravem os blogs e o Google sem preguiça e conheçam o underground nacional!


road-of-sin-cd-cover_1Sick Sick Sinners – Road Of Sin [2008]

Apesar de independente, o Sick Sick Sinners é muito conhecido, inclusive fora do Brasil. A banda, oriunda de Curitiba e formada por Vlad (vocal/guitarra), Cox (vocal/baixo) e Duma (bateria), já tocou em países como Argentina, Uruguai, Estados Unidos e excursionou também pelo continente europeu. Tudo começou com este registro. Road Of Sin, de 2008, despontou o Sick Sick Sinners ao mundo, principalmente graças ao clipe de “Beer And Flesh Meat”. A aposta sonora se baseia em um rockabilly divertido e, ao mesmo tempo, tenebroso, com letras repletas de terror e progressões musicais levemente obscuras. Vale a pena conhecer.

Vlad (vocal, guitarra), Cox (vocal, baixo), Duma (bateria)

1. Evil Cabin
2. Nitro Girl
3. Beer And Flesh Meat
4. Bloody Hands
5. Miss Joana
6. White Sand Hills
7. Road Of Sin
8. Zombie’s Union
9. Cold Blood Killer
10. Voodoo Queen
11. Army Of Light
12. Curitiba Rotterdam Psycho
13. We Are The Sick Sick Sinners & Girls


black-drawing-chalks-life-is-a-big-holiday-for-usBlack Drawing Chalks – Life Is A Big Holiday For Us [2009]

O Black Drawing Chalks veio de Goiânia para conquistar o underground brasileiro. Justamente de uma das cidades com uma das cenas mais fortes no gênero. O primeiro lançamento da banda se deu em 2007, com o full-length Big Deal. A repercussão foi tímida, mas foi o suficiente para colocar o nome do grupo no cenário. O grande trabalho do Black Drawing Chalks é Life Is A Big Holiday For Us, também lançado de forma independente, mas com mais recursos, repercussão e inspiração. O quarteto comedor de pequi se classifica como “rock n’ roll cru e dançante”, mas, em suma, apresenta um Stoner Rock/Metal viajado e chapado. Letras sobre cachaça e mulher, instrumental pesado e boas performances particulares consagram o BDC neste grande trabalho.

Victor Rocha (vocal, guitarra), Renato Cunha (guitarra), Denis de Castro (baixo), Douglas de Castro (bateria)

1. My Favorite Way
2. Free From Desire
3. My Radio
4. The Legend
5. Girl I’ve Come To Lay You Down
6. Finding Another Road
7. I’m A Beast, I’m A Gun
8. Don’t Take My Beer
9. Precious Stone
10. Magic Travel
11. Leaving home


folder (1)The Baggios – The Baggios [2011]
(Por Gabriel Ferreira)

O duo The Baggios, oriundo de São Cristóvão (Sergipe), é composto por Júlio Andrade e Gabriel Carvalho. O som da banda é algo entre o rock setentista e o blues, com uma pitada garageira que deixa tudo muito melhor. E não se engane: são apenas dois membros, mas a competência é grande e em momento algum eles deixam a desejar. Ao longo de 45 minutos do debut autointitulado, conferimos um desfile de bons riffs, bateria eficiente e letras baseadas nas pessoas de São Cristóvão, com direito a até citação do indivíduo que os inspirou em “Seu Cristóvão”, faixa que lembra em muito o trabalho do eterno Raul Seixas. Um atestado de que o Rock está muito bem.

Júlio Andrade (vocal, guitarra), Gabriel Carvalho (bateria)

Músicos adicionais:
Léo Airplane (órgão em 3, 5, 13 e 14)
André Lima (trompete em 6, 7 e 12)
Mário Augusto (sax em 7 e 12)
Hélio Flenders (vocal em 9)
Mateus Santana (gaita em 9)

1. O Azar Me Consome
2. Em Outras
3. Aqui Vou Eu
4. Pare e Repare
5. Não Estou Aqui
6. Oh Cigana
7. Quanto Mais Eu Rezo
8. Seu Cristóvão
9. Morro de Saudade
10. Get Out Now
11. Meu Eu
12. Candango’s Bar
13. Josie Magnólia
14. You Never Walk Alone


300x300SkyHell – In The Name Of Rock [2011]

A banda mineira SkyHell foi formada em meados de 2004 pelos integrantes Michel Platini (voz), Oz (guitarra) e Rafas (baixo); completando a formação, Vinícius Moura (guitarra) e Miguel Bonfá (bateria). Depois de muita estrada e maturidade, o quinteto lançou seu primeiro álbum, In The Name Of Rock, que reúne composições dos sete anos de banda. Talvez o que mais impressione no trabalho da SkyHell é a versatilidade. A banda não cai na mesmice pois há músicas que representam o Hard Rock (“Rock Machine”, “Pretty Baby”), o Heavy Metal (“Real Faces”, “The Fire Sky”), o alternativo (“Opinion”), o Power Metal (“Winter’s Bird”, “Ask Me Why”) e por aí vai. Peca pela produção ruim, mas desconta em qualidade.

Michel Platini (vocal, teclados em 5), Oz (guitarra solo, violão), Vinícius Moura (guitarra base), Rafas (baixo), Miguel Bonfá (bateria)

Músico adicional:

Rodrigo Nepomuceno (guitarra solo em 7)

1. Real Faces
2. Open The Game
3. The Fire Sky
4. Rock Machine
5. Ask Me Why
6. Pretty Baby
7. Brains Explode
8. Opinion
9. Freedom
10. Winter’s Bird


Bad For HealthGlitter Magic – Bad For Health [2012]

Ao ver o nome Glitter Magic, talvez você tenha pensado em um bando de farofeiros tocando riffs batidos no maior estilo Poison. Mas é aí que mora o perigo. Apesar da influência Hard Rock existir, o grupo, que surgiu em Juiz de Fora (MG) no ano de 2005, surpreende em Bad For Health pelos aspectos a serem listados durante esse texto. O processo de preparação de Bad For Health começou no início de 2010, tendo seu lançamento aproximadamente dois anos depois, em abril de 2012. Mas o riff de abertura da faixa-título mostra que a demora valeu a pena. O Glitter Magic não deixa a peteca cair em nenhum momento. Os ganchos melódicos e grudentos do Hair Metal oitentista se aliam perfeitamente à visceralidade do Heavy Metal e ao peso do Thrash Metal em diversos momentos do play, além de algumas nuances lembrarem a atual fase do Metal – sustentada por estilos como o New Metal, o Groove Metal e o Metalcore – com entradas cadenciadas e ideais para o headbanging. Vale a pena conhecer essa mistureba pesada.

Rhee Charles (vocal), Mauri Moore (guitarra), Luqui Di Falco (guitarra, violão), Glux (baixo), Andy Ravel (bateria)

Músicos adicionais:
Diogo Dadalti (violoncelo, violino e viola em 3)
Leandro Trombini (guitarra em 3 e 5)
Athos Batista (teclados em 5 e 8)

1. Bad for Health
2. The Dreamer’s Disease
3. Don’t
4. Snake Blood
5. Heal Me
6. Breathless
7. Amnesia
8. Living on Addiction
9. Love Proof
10. Daring the Dawn

Independencia ou Morte, de Pedro Americo

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.