Sturle Dagsland une oboé armênio e guitarras em homenagem à região cult de Tóquio, Harajuku

Sturle Dagsland, artista de música experimental contemporânea da Noruega (promovido na América do Sul via Brain Productions Booking), acaba de lançar ‘Harajuku’, o segundo single do seu primeiro disco completo, homônimo, que sai dia 5 de fevereiro de 2021. Inspirada pela cultura japonesa, ‘Harajuku’ difere do primeiro single (‘Kusanagi’) pela atmosfera. É mais introspectiva, etérea e com sons da natureza. Ouça nas principais plataformas de streaming. O jovem norueguês, em uma recente entrevista à revista mexicana Warp, se autoproclamou uma entidade dinâmica, um personagem de desenho animado. Refere-se à aura lúdica, fantasiosa de suas composições. Ouvir Sturle Dagsland é uma experiência, uma imersão a um hipotético universo (fantástico ou de tempos remotos, e isso fica por conta da sensibilidade de cada um). É uma percepção que aflora ainda mais em ‘Harajuku’.

Sturle experimenta diversos tambores, oboé armênio (duduk) e sons limpos de guitarra no que ele classifica como “ambiente sonoro” de ‘Harajuku’. E a cultura japonesa é a força motriz da canção. Sturle conta que ‘Harajuku’ é uma de suas áreas favoritas de Tóquio, onde ficou por alguns dias ao término de uma turnê pelo país asiático. “Lá comemos algodão-doce, conhecemos cães amigáveis, ouvimos velhos marinheiros contar histórias sobre fantasmas e também gravamos músicas. As primeiras ideias deste single surgiram desta experiência”.

Mais do que uma canção sensível, ‘Harajuku’ carrega uma história inesquecível, que envolve uma senhora de 86 anos em um dos seus shows e pedido de casamento. “Na primeira vez que a tocamos ao vivo, um dos nossos fãs de longa data trouxe sua avó de 86 anos. Ela não falava uma palavra há anos, mas quando tocamos ‘Harajuku’, ela chorava e ria ao mesmo tempo. Depois da apresentação, ela foi até uma pessoa da produção para poder ir ao backstage e me oferecer a mão da sua filha em casamento. Agradeci pela oferta generosa, mas educadamente recusei”.

Sturle Dagsland nas redes

Facebook

Instagram

Youtube


KHROMA MOSTRA METAL MODERNO NO NOVO SINGLE SLAVES

‘Slaves’ é uma história sobre um contágio enigmático, um fenômeno que toma o mundo de assalto. Pouco se sabe sobre isso e, em questão de meses, a verdade vem a tona! É sobre o fim do mundo, assim como todas as outras canções do próximo disco, o terceiro da carreira. Esta é a nova música da banda finlandesa de metal moderno KHROMA, também em videoclipe. A sonoridade de ‘Slaves’, assim como a proposta do novo disco (previsto para início de 2021), é pesada, mas ao menos tempo mais limpa, como uma caótica sinfonia muito mais acessível, com o estrondo do apocalipse. Altamente recomendado para fãs de Meshuggah, Godflesh e Fear Factory. “Slaves” é o segundo single do próximo disco – a primeira música de trabalho da atual fase dos finlandeses foi “Kill the Friction”, lançada em 2019.

O vídeo foi filmado entre novembro e dezembro do ano passado, durante a vitoriosa que a banda realizou ao lado dos ucranianos do Jinjer (Macro Tour na Europa) – houve shows em quem o Khroma tocou para uma plateia com mais de 35 mil pessoas. Khroma é uma banda de Helsinque, capital da Finlândia, na ativa desde 2010. O metal é o alicerce da sonoridade, mas elementos eletrônicos são constantemente alçados, o que torna a música moderna e autêntica, com nunces cinematográficas, apocalípticas e atmosférica, a depender da proposta da canção. Batidas drum’n bass e até trip hop encontram lugar nas produções deste quarteto.

A discografia conta com dois álbuns, o debut Collapse (2014) e o sucessor, Stasis (2016). A banda ainda contabiliza diversas turnês pela Europa – a última e mais especial foi em 2019, ao lado do Jinjer, passando por mais de dez países e 40 shows. Khoma também já realizou shows com Gojira, Djerv, Adept, Eskimo Callboy, entre outras bandas. Recentemente, foi um dos destaques do AzTech Metal Mictlán Fest Show Online. Para a faixa em WAV (radio) da banda SINOPTIK, clique aqui.


VULCANO: Banda é headliner no ‘1º Festival Online Underground Extremo’, confira!

Trabalhando pesado na divulgação do atual trabalho, Eye In Hell, os paulistas do VULCANO confirmaram presença em mais um grande evento online, onde serão headliners. Trata-se do ‘1º Festival Online Underground Extremo’, que acontecerá nos dias 26 e 27 de dezembro, com transmissão pelo canal do portal Underground Extremo no YouTube. A banda se apresentará no primeiro dia, ao lado de nomes como Héia, Darkside, Póstuma, Scars e muito mais. Link do evento no Facebook para mais informações.

SERVIÇO:
Show: 1º Festival Online Underground Extremo
Local: Underground Extremo (YouTube)
Endereço
Data: 26/12/2020 e 27/12/2020
Horário: 21:00 horas

Em paralelo, n o último dia 13/11 foi ao ar a oitava edição do ‘Roadie Crew Online Festival’, que contou com a lenda do Metal extremo sul-americano VULCANO. Assista à participação do VULCANO na oitava edição do ‘Roadie Crew Online Festival’, onde apresentaram as faixas “The Tenth Writing” e “Evil Empire”:

The Tenth Writing:

Evil Empire:

Assista ao evento completo aqui:

Por fim, o VULCANO concedeu uma entrevista ao portal 80 Minutos e a primeira parte, que aborda fase inicial da carreira do grupo já está disponível, assista:

Sites relacionados:
Facebook
Site oficial
Sangue Frio Produções


Crowdfunding da Aline Happ, do Lyria, entra na reta final

O processo de crowdfunding para o lançamento do álbum solo de Aline Happ, vocalista do Lyria, é um sucesso. Com quase 26 mil reais arrecadados, o financiamento coletivo já ultrapassou em mais de 10 mil reais a meta inicial. Com ajuda de fãs brasileiros e do mundo inteiro, a artista lançará em breve o disco de estreia, com releituras folk, celta e new age do rock e do metal mundial, e ainda: uma canção inédita feita especialmente para o CD. A fim de ajudar nesta reta final do crowdfunding, a cantora lançou um vídeo em seu canal, com mais detalhes sobre o projeto, com legenda em português. Assista ao vídeo.

A quarentena obrigou os artistas de todo o mundo a se reinventar e buscar novas formas de divulgar o seu trabalho. Para Aline Happ, vocalista da banda brasileira de metal sinfônico, foi o incentivo para iniciar um projeto que adiava há bastante tempo: ter o seu próprio canal no YouTube. A iniciativa visa aproximar-se com os fãs, e mostrar um lado desconhecido da cantora de metal, que além dos covers, fala sobre receitas e tutoriais de maquiagem. “Minha missão sempre foi tentar ajudar as pessoas. E a gente faz isso por meio do Lyria, com as músicas. Mas também queria trazer outros tipos de ajuda e achei que seria melhor criar um canal para isso. A ideia é aproximar ainda mais a relação entre mim e os fãs, e a gente ter uma troca. Nessa época sem show, achei que era o momento ideal para iniciar este projeto”, conta Aline Happ.

A iniciativa de contar com a ajuda dos fãs já funcionou antes na carreira da artista. A primeira vez foi antes de lançar Catharsis, o disco de estreia do Lyria, em 2014. Com ajuda daqueles que acreditavam no sonho da banda, os músicos alcançaram 8 mil dólares, superando a meta. Quatro anos depois, foi a vez de unir forças para o álbum Immersion, que seguiu a mesma fórmula de sucesso e superou a marca anterior, chegando a 13 mil dólares, que também foi utilizado para a gravação do clipe “Hard to Believe”, que hoje supera as 200 mil visualizações no YouTube. A campanha para o lançamento do primeiro trabalho solo de Aline Happ está disponível no site oficial do Lyria. Os esforços acontecerão, simultaneamente, em português e inglês, permitindo que os fãs de todo o mundo possam ajudar na realização deste sonho. Entre as recompensas estão:

– Agradecimento online;

– Álbum digital;

– CD autografado;

– Mini poster autografado;

– Agradecimento nos créditos do CD;

– Bate-papo online com Aline e outros fãs para a premiere do álbum;

– Fotolivro autografado;

– Caixa feita à mão pela Aline Happ;

– Camiseta;

– Caneca;

– Escolha de uma música para tornar-se versão.

São várias formas de apoiar o trabalho de Aline Happ e ainda, receber recompensas exclusivas desta campanha, sendo algumas acumulativas. Os valores na versão brasileira do site são diferenciados, pensados especialmente para o público. As recompensas já incluem o valor do frete e taxas. Contribua para o financiamento coletivo do álbum de Aline Happ:

Brasil 

Outros países 


Satanjinhos: assista entrevista do vocalista “The Mônio” ao canal Comando Noise

No sábado passado, o vocalista do Satanjinhos, The Mônio, concedeu uma entrevista ao canal Comando Noise. Aos que por algum motivo não tiveram a oportunidade de assistir, a mesma agora se encontra disponível no YouTube e pode ser assistida no link. Para saber das novidades do Satanjinhos, acompanhe as redes sociais da banda.

Satanjinhos: The Mônio – Vocal; Deeh Abo – Guitarra; Koi Zaruin – Guitarra; Pep Reto – Baixo; Seth Pele – Bateria

Mais informações:

Facebook

Instagram

YouTube


AVENTHUR: terceiro single da banda será lançado neste sábado

A AVENTHUR confirmou que seu terceiro single autoral, “Close To The Sun”, será lançado nas plataformas digitais hoje, dia 28 de novembro, através da CD-Baby. Em paralelo, a banda lançou no seu canal oficial do YouTube o lyric vídeo do seu mais novo single, intitulado “Black River”, que também já pode ser conferido online.

Links relacionados:

Instagram


Omi Okun celebra ancestralidade sacra afro-brasileira no EP de estreia

O santo e o profano se encontram no som de Omi Okun, trio carioca fortemente influenciado pelos sons afro-religiosos e que une a percussividade dos terreiros com um olhar popular sobre a música brasileira moderna. Após gestar suas canções ao longo dos últimos dois anos, o projeto ganha forma com seu primeiro álbum, homônimo, já disponível nas plataformas de streaming de música. Ouça “Omi Okun”. Uma cozinha roqueira guia os três percussionistas convidados. Virgilio dos Santos (vocal e violões), Dudu Bierrenbach (baixo) e Bruno Rabello (bateria) recebem Alexandre Munrah, Andre Alade e Jahi Oliveira ao longo de seis faixas. Virgílio e Bruno são amigos de longa data, mas Omi Okun surgiu quando o vocalista e violonista mostrou algumas canções que havia composto ao baterista. A ideia de compartilhá-las com outros intérpretes acabou dando lugar a um novo projeto em outubro de 2018. No início do ano seguinte, o trio ganhou sua última parte: o baixo de Dudu, com quem Bruno havia tocado na banda Tamuya Thrash Tribe.

Na preparação final das gravações, eles conheceram os três percussionistas que vieram para completar a proposta, cuja força motriz é a pesquisa musical em torno da sonoridade sacra afro-brasileira, suas influências e vertentes na música popular tradicional e na música contemporânea de massa. São canções feitas para ouvir durante a travessia, seguindo a mudança das marés. Além dos três singles já revelados – “Onã”, “Azulzin” e “Oxê -, o trabalho inclui as inéditas “Solo sagrado”, “Omi” e “Cantoria”. Unindo diferentes gerações, Omi Okun repagina influências que vão de Tincoãs, Maruricio Tizumba, Nei Lopes, Candeia, Mestre Darcy do Jongo a O Rappa.

“As canções falam de como o nosso cotidiano está impregnado pela herança cultural-religiosa afro-indígena e como há encantamento, poética e magia em todo nosso cotidiano. Temos a consciência da importância fundamental falar desse tema em tempos tão turbulentos como nosso, em que o racismo e a intolerância religiosa atuam deliberadamente para macular, desonrar e demonizar esses saberes ancestrais. Esse é nosso início. É o ‘Big Bang’ do nosso multiverso. Com a pandemia, fomos forçados a parar e refletir sobre outros aspectos da nossa arte; nos conectarmos ainda mais com a nossa proposta. O resultado foi um amadurecimento maior de todos os aspectos de nosso discurso musical”, revela o grupo, que assina coletivamente a produção musical do álbum. Omi Okun faz de seu primeiro trabalho uma impactante declaração de resistência e uma intensa celebração dos cantos, ritos e fé que fazem do nosso um povo de muitas devoções – e uma delas é a música. “Omi Okun” já está disponível nas principais plataformas de streaming.

Crédito: Leandro Cunha

Ficha técnica

Voz/Violão/Cavaquinho/Composição: Virgilio dos Santos

Baixo: Dudu Bierrenbach

Bateria: Bruno Rabello

Percussão: Alexandre Munrha e André Alade

Direção Musical: Virgilio dos Santos

Arranjos: Virgilio dos Santos e Omi Okun

Preparação Vocal: Ledjane Motta

Produção: Omi Okun

Gravação/Mix/Master: Sidney Sohn – Locomotiva Stúdio

Produção Executiva: Omi Okun

Direção de Arte e Design: Dudu Bierrenbach.

Acompanhe Omi Okun


Lançamento da coletânea Mapa Astral Vol. 2 ::: ÁGUA

No dia 13 de novembro foi lançado o segundo dos quatro volumes da coletânea de produções caseiras Quarentena do Zodíaco. Mapa Astral Vol. 2 ::: ÁGUA apresenta 15 faixas de 20 artistas de diferentes estados do Brasil. São produções caseiras que exploram o tema e conceito d’água, passeando por diversos gêneros musicais e possibilidades estéticas. PARA ESCUTAR:

Nesta edição: Amanda Gabana & Clarice Nilles; Galápagos Rising; melancícia; Charles Frutas, Nahraujo, Gui Flor; Música da Casa Verde; Thais Marques feat Clay Airplane; ALE; Gabo; Leo Fachel; May HD; Saskia; des.an.dance; Bottini. A curadoria desta edição foi feita por integrantes do selo e também por alguns artistas que participaram da primeira coletânea. As músicas foram produzidas nas casas de cada artista, durante o atual período de isolamento social. Para além da diversidade de gêneros musicais, o disco é apresentado num formato de mapa astral, em que cada faixa apresenta um diálogo com o elemento Água. A capa é de Clara Trevisan.

MAIS INFOS:
Para baixar os sons em wav

Mini-bio e foto em alta de cada artista


IGNITED: guitarrista grava playthrough para “Roaring Gears”

A música faz parte do “Steelbound”, o disco de estreia do grupo, produzido por Thiago Bianchi (NOTURNALL, ex-SHAMAN) e lançado esse ano pela gravadora Voice Music, cujo proprietário, Silvio Golfetti, comentou o seguinte sobre o disco: “A IGNITED tem um som cativante, com muito peso e técnica em uma das melhores produções do ano! Para os amantes do melhor e do mais puro metal, altamente recomendado!”. Assista o playthrough de guitarra para “Roaring Gears“.

Links:
– Playthrough “Roaring Gears
– Vídeo clipe “Ignition
– Lyric video “Times
Site 
Facebook
Instagram
Youtube


Com canções inéditas, My Magical Glowing Lens se apresenta no canal do SESC Brasil

Os últimos nove meses não têm sido fáceis. Com o caos perseverando no Brasil e no mundo, é nas artes que conseguimos paz. Nesse intuito, unindo pop e psicodelia, a banda interativa My Magical Glowing Lens, da produtora e multi instrumentista Gabriela Terra, participa do SESC Convida no canal de YouTube do SESC Brasil. A live acontece no dia 03 de dezembro (quinta-feira), às 20h, e conta com músicas inéditas, além de novas versões para canções conhecidas do disco de estreia, Cosmos. Assista o teaser da live. Vivendo atualmente em Colatina (ES), Gabriela Terra conta que esse momento a faz lembrar do início da My Magical Glowing Lens, entre 2014 e 2015, quando gravou o EP de estreia, homônimo, sozinha em casa.

“Sinto como se eu tivesse retornado a uma fase anterior da minha vida, só que com muito mais conhecimento e possibilidades. Fazia muito tempo que não permanecia aqui. Vinha aqui só pra passar pequenas temporadas. Antes da pandemia começar, tinha escolhido fevereiro e março para tirar férias e me isolar um pouco num sítio em Itapina, um vilarejo que existe aqui no município. Em seguida veio tudo isso que está acontecendo e o meu isolamento se estendeu por um período muito maior do que eu imaginava.”, conta a artista.

Este é o segundo material audiovisual lançado pela My Magical Glowing Lens durante a pandemia. Os vídeos anunciam uma mudança estética que investe na interatividade. Capixaba, Gabriela assume ao vivo os vocais, guitarra e violão, além dos efeitos e ambientação sonora. Nesta performance inédita, ela apresenta duas canções que estarão presentes no segundo disco, que já se encontra em fase de gravação e contará com a divulgação de um single em breve. Na live, a artista também é responsável pela produção e execução da bateria, baixo, percussão e sintetizador nas tracks.

Um dos destaques da psicodelia brasileira, a My Magical Glowing Lens, experimenta a partir de sons analógicos e eletrônicos, com arranjos de sintetizadores, guitarras, baixo, bateria, percussões e beats. Conhecida na cena independente brasileira, a MMGL chegou a tocar em festivais importantes do país, como Coquetel Molotov, DoSol, Bananada, PicNik, Morrostock, Saravá, Guaiamum Treloso e SIM São Paulo. A apresentação do SESC Convida é uma realização Máquina Produções Artísicas. A preparação artística e corporal, além de direção de performance de palco, foi da Gabriela Moriondo; Já a iluminação e direção de arte foi um trabalho do Pedro Costa. A câmera e fotografia foi realizada por Rabizcos.

Serviço

My Magical Glowing Lens no SESC Convida

Data: 03/12/2020 (quinta-feira)

Horário: 20h

Local

Entrada franca

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.