Já disponível novo vídeo do Uganga para “Lobotomia”

O quinto álbum de estúdio do Uganga, Servus, lançado em Março de 2019, é, sem dúvidas, o mais bem-sucedido trabalho do grupo mineiro até aqui! Afinal, além de ter sido financiado por dois relevantes prêmios – o Wacken Foundation e a PMIC de Uberlândia – Servus só recebeu elogios da imprensa especializada e foi indicado entre os “Melhores Álbuns de 2019” por mais de 20 veículos, inclusive recentemente para o Prêmio Dynamite 2020 na categoria “Melhor Lançamento de Heavy Metal”. Faz parte do tracklist de Servus uma regravação da música “Lobotomia” da banda de mesmo nome, uma das mais icônicas da cena crossover de São Paulo.

De acordo com o vocalista do Uganga, Manu Joker, a ideia da regravação é uma homenagem à cena punk e às vítimas do que ficou conhecido como “holocausto brasileiro”. “Durante uma parte considerável do século XX, uma colônia em Barbacena/MG serviu como depósito para os “indesejáveis” durante o governo militar. Pessoas tímidas, analfabetas ou alcoólatras poderiam ser enviadas via trem para esse inferno na terra, vivendo em condições totalmente desumanas e à revelia do estado e da constituição. Mortes por frio, fome e choques elétricos eram diárias e cadáveres eram vendidos em esquemas lucrativos de corrupção. Isso gerou um fenômeno chamado “Holocausto Brasileiro” retratado inicialmente em matérias jornalísticas e depois no livro de mesmo nome escrito por Daniela Arbex. Em 1987, a banda de crossover Lobotomia lançou seu álbum de estreia autointitulado e a faixa de abertura, com o mesmo nome, chamava a atenção para essa história entre os punks e headbangers brasileiros. Em 2019, o Uganga homenageou às vítimas dessa tragédia e a cena punk nacional com uma versão desse clássico no nosso álbum Servus. Em 2020, tragédias como essas ainda são relativizadas no Brasil”, explicou Joker.

O Uganga recentemente registrou um vídeo para a música “Lobotomia”. Para assistir, acesse. Entre outras novidades, o Uganga gravou recentemente uma versão para “Mandatory Suicide” que vai sair no Brazil Painted Blood – The Brazilian Tribute To Slayer a ser lançado em breve pela gravadora Armadillo Records. Essa versão contará com as participações especiais do DJ Eremita e de Thais Amaral, vocalista da banda Endigna. O Uganga também está em processo de composição de algumas novas músicas que farão parte de um novo EP que a banda promete para 2021.

Além de Manu Joker, o Uganga atualmente também é formado por Christian Franco (guitarra), Lucas Carcaça (guitarra), Raphael Franco (baixo) e Marco Henriques (bateria).

Para ouvir Servus nas plataformas digitais, acesse:
Spotify
Deezer
Google Play
iTunes
Amazon
Youtube

Assista também o videoclipe da faixa título no Youtube.

A versão física em digipack de Servus está à venda pela Incêndio Shop e também pela Die Hard.

Mais Informações:
Site oficial
Facebook
Youtube
Instagram


Lyria lança versão de “The Rain” gravada durante a quarentena

Já se passaram seis meses desde o início da série de vídeo “Lockdown Sessions”, lançada pelo Lyria (RJ). Enquanto a pandemia persiste em todo o mundo, a banda de metal sinfônico brasileira continua a fazer música. Assegurando o isolamento social, a banda incentiva que cada fã continue em suas casas, mas sem deixar de curtir o bom e velho metal. Desta vez o quarteto apresenta aos fãs “The Rain”, canção presente no segundo disco, Immersion, lançado em 2018. De maneira simples e muita criatividade, o Lyria já apresentou versões ao vivo gravadas à distância das músicas Jester, Follow the Music, Light and Darkness, e um tributo em homenagem ao Linkin Park, com um mashup de Crawling e Numb. Enquanto o streaming de shows é feito do home studio do Lyria, nas Lockdown Sessions cada um está na sua própria casa, ou estúdio, e as performances são gravadas nos celulares dos integrantes. Sem previsão para acabar, a série contará com mais músicas dos dois álbuns da banda, Catharsis (2014) e Immersion (2018), além de algumas versões, tudo mantido em segredo pelos integrantes.

“As bandas têm um papel não apenas de entretenimento, mas também de inspirar. Muitos fãs se espelham em seus ídolos, por isso é importante darmos exemplos positivos e reais. Não podemos parar de produzir, então vamos continuar a produzir conteúdos juntos, porém separados. Sabemos que estamos vivendo tempos difíceis, mas as coisas vão melhorar. Temos de viver um dia de cada vez e tentar fazer sempre o nosso melhor. Continuaremos a nossa missão de trazer alegria aos nossos fãs, seja através de live chats, vídeos, etc.”, conclui Aline Happ (voz). Uma das bandas mais conhecidas no cenário brasileiro de metal, o Lyria é formado por Rod Wolf (guitarra), Thiago Zig (baixo) e Thiago Mateu (bateria), além de Aline. O grupo existe desde 2012, e de lá pra cá eles se tornaram conhecidos no Brasil e no mundo, principalmente na Europa e nos Estados Unidos, a partir do lançamento de Catharsis (2014). Atualmente, eles seguem com lançamentos online e planejam em breve retornar à turnê com o disco Immersion (2018), que já passou por diversas cidades do Brasil.

Assista “The Rain

Assista “Jester

Assista “Jester” Acústica

Assista “Follow the Music

Assista “Crawling/Numb

Assista “Light and Darkness


AVENTHUR: confira lyric vídeo do novo single “Black River”

A AVENHTUR disponibilizou no seu canal oficial do YouTube no último sábado, dia 03 de outubro, o lyric vídeo do seu mais novo single, intitulado “Black River”. A faixa também foi disponibilizada nas principais plataformas mundiais através da parceria com a CD-Baby. O material audiovisual foi elaborado pelo designer Rômulo Dias (RDD Artwork, MS Metal Agency Brasil).

Em paralelo, a AVENTHUR, terá oficialmente o seu novo EP, Falling Into Oblivion, lançado no país pela MS Metal Records no segundo semestre de 2020.

Links relacionados:

Instagram 


ProjetoPalavra lança seu debut, Fuga (Busca)

Fuga (Busca) é o primeiro trabalho completo de ProjetoPalavra: uma experimentação sonora eletrônica. Resultado de uma busca por sonoridades sintéticas e pesadas, não necessariamente dançantes. Não procura uma emulação virtual de timbres orgânicos, assumindo-se sonoramente sintético e explorando esta realidade. É um disco que não busca o diferente, mas sim uma sonoridade pessoal e biográfica. Como um diário, ou um livro de memórias. Toda a produção por ProjetoPalavra.

Sobre o projeto: ProjetoPalavra é literatura em ruídos e ritmos. Formado por Ovatsug Rapsag (Gustavo Gaspar), um computador, instrumentos aleatórios, barulhos urgentes e ruídos de angústia. Gustavo Gaspar é percussionista do Conjunto Musical La Digna Rabia e da TEM (Trabalhos Espaciais Manuais), e punk na Criança Errada.

Ouça em:
Spotify
Deezer
Tidal
iTunes
Bandcamp
Instagram


Torture Squad: retoma gravações das músicas do novo álbum de estúdio

O processo de gravações do novo álbum do Torture Squad, o nono de estúdio, se iniciou no começo de 2020, mas devido a pandemia de Corona Vírus, o mesmo foi abruptamente pausado por decreto de isolamento social e por motivos de segurança e saúde de todos os envolvidos neste registro. Mesmo com a pandemia em evidencia, a banda comunica seus fãs que retomou na data de ontem (08/10), as gravações deste aguardado disco, seguindo a regra todos os protocolos de segurança que são exigidos pelo ministério de saúde de São Paulo. Dito isto, a banda já trabalha pesado no estúdio “Bay Área” e as gravações dos vocais de Mayara “May Undead” Puertas se encontra à todo vapor. A vocalista inclusive relata como foi neste período de paralização e como se preparou para gravar as novas músicas:

“Havíamos terminado as gravações das bases instrumentais no começo de março, e então seria a vez das vozes. Tivemos tempo de trabalhar apenas duas músicas antes que o isolamento social começasse. Não sabíamos quanto tempo levaria para retomarmos as gravações, então mesmo afastada da banda sempre estive em contato com nossas músicas para poder estar preparada para o retorno assim que fosse possível. Tudo vem correndo muito bem nas gravações, e me sinto muito segura com minha voz”. Em breve mais atualizações acerca do novo álbum de estúdio do Torture Squad serão reveladas aos fãs da banda em suas redes sociais.

Ao mesmo tempo, em quase 30 anos de história vários grandes momentos marcam a carreira do Torture Squad, uma das maiores bandas do Metal Nacional, que no dia 04 de outubro celebrou um ano de aniversário de sua histórica participação no Rock In Rio 2019. Para celebrar essa data icônica na carreira da banda foi postado no canal oficial do grupo, um documentário com várias imagens, depoimentos e bastidores de como foi a participação do Torture Squad no Rock In Rio.

No documentário você irá conferir depoimentos de todos os integrantes do Torture Squad, boa parte da equipe da banda que trabalhou naquele dia e de pessoas como Andreas Kisser (Sepultura/Kisser Clan/ De La Tierra) e Marcus D’Angelo do Claustrofobia. Editado pela Caxão Produtora, a mesma que produziu o videoclipe de “Blood Sacrifice” conta com imagens do show e muitas imagens de bastidores, com destaque para o ensaio que o Torture Squad e o Claustrofobia fizeram com Chuck Billy (Testament) um dia antes do histórico show, quentambem contaria com Nervosa, Anthrax e Slayer no mesmo palco (Sunset) e Sepultura, Helloween, Iron Maiden e Scorpions no palco mundo.

Por fim, em nota aberta em suas redes sociais, o Torture Squad veio a público conceder explicações sobre os problemas técnicos que aconteceram durante a realização da live oficial do grupo, que ocorreu no sábado (26) em parceria com o Bay Area Estúdio e o Projeto Backstage Invisível. O baterista Amilcar Christófaro revelou o que de fato aconteceu, agradeceu a compreensão dos fãs e prometeu organizar outra live com o mesmo set que foi executada na última para esses mesmos fãs que acompanharam a do dia 26.

Torture Squad: May “Undead” Puertas – vocal; Rene Simionato – guitarra; Castor – baixo; Amilcar Christófaro – bateria

Mais informações:

Site Oficial

Facebook

YouTube


The Zasters e Alexandre Capilé (Sugar Kane) divulgam single “Tiny Terror vol. II”

Indie, sintetizadores e uma brincadeira pra lá de divertida com um aplicativo de videochamadas. É assim que a The Zasters divulgou o videoclipe de “Tiny Terror vol. II” nesta sexta-feira (2). A faixa conta com participação especial do vocalista e guitarrista da Sugar Kane, Alexandre Capilé. O videoclipe é uma produção da Foca Audiovisual e tem direção de André Barreto. Na oportunidade, a banda realiza uma performance enquanto amigos e fãs interagem com a música. Toda a filmagem ocorreu de forma remota devido à pandemia do COVID-19. As sessões de gravação aconteceram da mesma maneira. Assista o videoclipe de “Tiny Terror vol. II“.

Assim, a mixagem e a masterização ficaram a cargo do guitarrista da The Zasters, Rafael Luna. Vale pontuar que a faixa foi originalmente lançada em 2017, apenas sob o título de “Tiny Terror” e integrando o EP This is a Disaster. A baterista Nabila Sukrieh destaca a mudança de título na canção. “Decidimos chamar esse single de ‘Tiny Terror vol. II’ porque não é apenas uma regravação. Nós mudamos radicalmente a música. Desde os timbres ao arranjo e à interpretação da letra. Tudo tem uma nova estética, já que nos inspiramos em artistas que trazem elementos eletrônicos. Tais como Grimes, Tame Impala, Billie Eilish e Hot Chip”, frisou.

Além de Nabila e Rafael, a The Zasters ainda é formada por Juliana Altoé (voz, synth e guitarra) e André Celkevicius (baixo). O grupo está em atividade desde 2015 e ainda divulgou os singles “Come See The Band” (2019), “Going Down” (2019) e “Meltdown” (2020) anteriormente.


HÉIA: Magnum Opus será lançado também em fitas cassete, confira!

Contagem regressiva para o lançamento de um dos trabalhos mais aguardados do Black Metal nacional. Trata-se de Magnum Opus dos goianos da HÉIA, que acabou de ganhar mais um formato, se unindo às versões digital, CD e LP. Isso mesmo, agora o próximo trabalho da horda também será distribuído em fitas cassete pelo selo Diabolic Records, em uma tiragem limitada de 50 cópias. Diabolic Records. Mais informações sobre outros formatos de lançamento acesse.

O primeiro single, extraído do trabalho supracitado, já está disponível em todas as principais plataformas de streaming e download do mundo, trata-se de “The Dark Infinity”, ouça agora:

Spotify
Deezer
iTunes
Claro música
Amazon Music
Tidal
Napster

YouTube

Ainda sobre a Heia, está disponível no YouTube oficial do Programa Apocalipse a edição #104 do mesmo, onde os goianos da HÉIA foram amplamente destacados. Em entrevista, o vocalista e guitarrista Místico Cultus falou sobre a história e atual momento da banda, próximo álbum, Magnum Opus, além de divulgar faixas que mostram todas as fases da horda, incluindo o atual single “The Dark Infinity”, ouça.

Por fim, na próxima segunda-feira (12/10), a partir da meia-noite, a HÉIA estará presente na Agressor Live, apresentado por David Mephis e será transmitido pelo Instagram e YouTube da Agressor Store.

Sites relacionados:
Fcebook
Youtube
Sangue Frio Produções


 

Cigana reflete sobre tempo e nostalgia no EP Tudo Que Há de Novo

Desconstruir para se reconstruir. Essa foi a jornada da banda Cigana em seu novo EP, Tudo Que Há de Novo. As reflexões que aparecem nas composições – imersas em temas como o passar do tempo, a nostalgia e a existência humana -, se desdobram em uma nova sonoridade, onde uma criação livre totalmente à distância deu lugar a canções guiadas por sensações. Sai o peso das guitarras, entra a sutileza dos beats. O lançamento é do selo Eu Te Amo Records e já está disponível nas principais plataformas digitais de música. Ouça Tudo Que Há de Novo .

O som intenso construído no primeiro disco da Cigana, Todos os Nós, veio de jams, ensaios, criações coletivas sobre improvisos em grupo que resultaram em um som entre a música brasileira e a psicodelia. Agora, com a banda totalmente dispersa e trabalhando individualmente de suas casas, foi uma oportunidade de buscar novos elementos sonoros com a ajuda do produtor FLOWERZ. “Nós produzimos esse trabalho de uma maneira totalmente diferente do que em nosso álbum ‘Todos Os Nós’ – enxergamos as músicas como beats, não nos limitamos ao formato clássico de banda para compor os arranjos das músicas e isso acrescentou muito. Prestamos mais atenção para grooves e construção de camadas”, reflete Matheus Pinheiro. Além dele, Cigana é formada por Caique Redondano, Pedro Baptistella, Victoria Groppo e Felipe Santos.

O EP foi antecipado pelos singles “Impaciência” e “Dá pra voltar?”. Na primeira faixa, surge uma reflexão sobre a passagem do tempo e as rotinas que nos aprisionam; já na segunda, o diálogo sobre o tempo surge sob o viés da saudade, em uma espécie de continuação a “Existem coisas que não dá pra explicar” – um dos destaques do disco Todos os Nós. Com o EP, surge a inédita “Por Dentro Do Que Há”, onde as perspectivas se assemelham e a experiência humana e o divino se encontram.

Assista ao lyric video “Dá pra voltar?

Assista ao lyric video de “Impaciência

“Acredito que esse EP representa, mais do que tudo, sensações intensificadas: sejam nossas impaciências, nossas saudades dos amigos que amamos, dos rolês que crescemos dando juntos, nossas dúvidas e angústias… São letras muito verdadeiras e que só foram possíveis de existir pelos impactos da pandemia e quarentena em cada um de nós”, completa Matheus.

O EP Tudo Que Há de Novo vem para somar à discografia da Cigana, que além do álbum Todos os Nós, conta ainda com os EPs Sinestesia (2014) e A Torre (2015). Eles lançaram também o single “Natureza”, pela Laboratório Fantasma dentro do projeto Original’s Studio. Tudo Que Há de Novo está disponível para streaming através do selo Eu Te Amo Records.

Ouça Tudo Que Há de Novo

Ouça Todos Os Nós 

Ficha técnica

Produção, arranjos, instrumental adicional e engenharia de áudio por FLOWERZ

Mixagem e masterização por Guilherme Chiappetta

Gravado em Limeira/SP entre 2019/2020

Faixa-a-faixa, por Matheus Pinheiro:

“Impaciência”: É uma música sobre como nossa mente lida e entende, de forma exagerada ou não, sobre as rotinas e passagem do tempo e seus efeitos que se desdobram para nosso bem estar físico e mental.

“Dá Pra Voltar?”: Essa música é sobre saudade, é sobre estar com quem gosta, fazendo o que gosta. Nostalgia que a quarentena intensificou. A música nasceu de um riff do Caique que servia como uma continuação de “Existem Coisas Que Não Dá Pra Explicar”, música do nosso primeiro álbum e que é uma das nossas criações com maior significado emocional para a banda.

“Por Dentro Do Que Há”: A letra de “Por Dentro Do Que Há” fala sobre como as perspectivas se assemelham. Diante uma visão macro da existência, nós somos uma unidade. Uma unidade é 1, e se somos uma unidade, Deus somos nós.


Sound Bullet lança versão de quarentena do single “Hope”

Ampliando o universo do recente disco Home Ghosts, a banda carioca Sound Bullet lança uma versão de quarentena de “Hope”. O single traz uma necessária mensagem positiva e está disponível nos principais serviços de streaming de músic via Sony Music e ganha um vídeo. Se o disco, segundo de estúdio da banda, foi composto com calma e reunindo memórias de turnês e viagens, esse single que abre a série “(decasa.)”, vai trazer as interpretações que não serão vistas ao vivo devido à pandemia.

“Essa versão de surgiu nos ensaios com a ideia de tocar a música ao vivo durante os shows. Originalmente, ela conta como elementos diferentes dos nossos como, por exemplo, o ukulele barítono. Este lançamento prepara o caminho para outras versões que devem sair esse ano ainda, incluindo até uma música inédita”, explica o vocalista e guitarrista Guilherme Gonzalez.

Além dele, fazem parte da banda Fred Mattos (baixo), Rodrigo Tak-ming (guitarra), Henrique Wuensch (guitarra e synth) e Pedro Mesquita (bateria). A produção do single foi feita coletivamente e a finalização foi realizada no Home Studio de Henrique. O novo single está disponível em todas as plataformas de música digital.

Ouça “Hope (decasa.)

Veja o vídeo

Ouça Home Ghosts

Veja o vídeo de “Shabby

Veja o vídeo de “I was in Lisbon, You were in Paris

Veja o lyric video de “Dance Tak Dance

Crédito: Pedro Guarilha

Ficha Técnica:

Sound Bullet: produção

Henrique Wuensch: mix e master

Letra:

Heavy clouds seem closer than before

It’s the same old crushing force

But deep within we are stronger than we know

And If you’re struggling like me know there’s something more

There’s so much more to believe in

Don’t believe in how everything is supposed to be

I’ve seen their lies exposed

In tiny blue screens they tend to easily overflow

But hope is growing so we’re the home for a change

Acompanhe Sound Bullet:

Site oficial

Facebook

Twitter

Instagram


CRASHKILL anuncia novo vocalista e prepara mais um EP

Outubro começou com novidades para o fã da Crashkill que, em primeiro lugar, está de vocalista novo. Sim, ao passo que a banda promovia o álbum Consumed by Biomechanics (2020), Renato Ferreira, por motivos particulares, acertava a sua saída do grupo. Contudo, após participar de algumas jams, Idemar Senzuko (Ashes) assume o posto. “Depois de anos levantando a bandeira do metal, pra mim é uma honra fazer parte desta família. Darei o meu melhor para fazer um trabalho excelente“, declara Idemar. O novo vocalista da Crashkill passou por bandas como Faces of War, Fetus in Fetu e Viollen. Ou seja, já possui certa bagagem na cena cearense. “Ele veio ampliar as possibilidades, ajudar em novas direções que procuramos firmar no thrash metal”, informa o guitarrista Jean Pinheiro. Isto prova que a Crashkill não vive em zona de conforto, como reforça o outro guitarrista Valter “DoomRiff”: “A personalidade de um timbre novo para ampliar a identidade da banda já está sendo explorada nos ensaios”. Confira o lyric video de “Year of Darkness“.

Em segundo lugar, as atividades já resultaram em novas composições, em outras palavras, a Crashkill se encaminha para iniciar a pré-produção de mais um EP. Ainda sem tema específico, o trabalho contará com pelo menos cinco faixas de conceitos variados que aplicam peso, velocidade e versatilidade. “A expectativa é de gravar o EP ainda em 2020. E para apresentar o novo membro, nós pensamos em fazer uma live e vídeos até o final do ano“, adianta o baterista Buson “Drummer”. Além do Full-length Consumed by Biomechanics, a banda completada pelo baixista Fernando Gonçalves lançou em 2017 o EP Hate Zone. Nesse sentido, você pode conferir tudo pelas plataformas digitais ou adquirir fisicamente pelos canais de comunicação da Crashkill. Do mesmo modo, siga-a nas redes sociais pelos links:

Youtube

Facebook

Instagram

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.