Por Mairon Machado

Em 2017, o grupo Pop Javali, formado por Marcelo Frizzo (baixo/vocal), Jaéder Menossi (guitarra/backings) e Loks Rasmussen (bateria/backings), lançou seu terceiro full lenght, Resilient, que foi resenhado aqui, e que mostrava uma evolução positiva para o grupo. Porém, em meados do ano passado, a banda anunciou uma mudança de nome, retirando o Pop e ficando apenas Javali. Apesar do Pop ter sido retirado, parece que ele surgiu com força no primeiro EP da Javali, intitulado Life is a Song, e que chegou ao mercado dos streamings em março desse ano, e no formato físico em abril.

O álbum começa com “Runaway”, uma faixa mais leve em relação aos demais álbuns, lembrando um pouco grupos do hard dos anos 90, como Extreme. Algo similar ocorre em “Singing Along”, apesar de essa já possuir linhas mais pesadas e trabalhadas. O refrão é marcante, e a base lembra um pouco Black Sabbath fase Tony Martin. “Empty Promisses” e “Child’s Frustration” mostram o peso tradicional que levou o Pop Javali ao mundo, inclusive fazendo sucesso na Holanda, onde foi registrado Live in Amsterdam, destacando os belos solos de Jaéder.

A segunda metade do CD é bem melhor que sua primeira, principalmente com a velocidade e o baixão de “Cruel Past”, assim como ótimas passagens de guitarra, tornam essa candidata a melhor faixa de Life is a Song. O baixão também é destaque em “Dancing In The Fire”, outra faixa com grande pique para pular pela casa ou nos shows. Como bônus, temos a pesadíssima “Read My Mind”, uma faixa que parece ter sido gravada ao vivo em estúdio, com uma mixagem bastante crua, mas que assim como suas duas antecessoras, empolga na audição.

Em 26 minutos, o CD encerra-se, deixando a sensação de que o Javali mudou de nome e também de status. As canções foram gravadas em São Paulo no segundo semestre de 2018, no Studio Atmosphera, com a captação e registro a cargo do produtor Edinho Junior, enquanto a mixagem e masterização foram feitas no estúdio Fusão, a cargo de Thiago Bianchi (Noturnall). A arte da capa foi desenvolvida pelo parceiro da banda João Duart, e a distribuição é a cargo da Miranda Records e Altafonte (via digital).

Página do Youtube

Aliás, o grupo vem cada vez mais utilizando as modernas ferramentas da “era da internet” como forma de aproximar-se de seu público. Sua discografia está inteiramente disponível em todas as plataformas digitais, e o contato com o público é grandemente explorado por meio de vídeos da banda, bem como o canal oficial de youtube da Javali mostra-se eficaz tanto para divulgação como para aproximação, na medida em que disponibilizam filmagens de bastidores, entrevistas, making-offs, playlists com trabalhos individuais de cada um de seus músicos, entre outros. Para incrementar essa parte virtual, toda semana novos vídeos trazem para seus seguidores performances exclusivas e dicas práticas de execução em que a audiência poderá conferir mais de perto cada instrumento da banda.

Concluindo, se antes tínhamos uma banda que estava cada vez mais se consolidando na cena metálica mundial, hoje o Javali parece estar fincando seus pés no hard rock, cada vez mais próximo as suas influências de Dr. Sin, mas ainda necessitando comer algum feijão para finalmente alcançar o status de incontestável, e principalmente, agradar os fãs que já havia arrebatado nos tempos de Resilient e Live in Amsterdam.

Contra-capa

Track list

1. Runaway
2. Empty Promisses
3. Singing Along
4. Child’s Frustration
5. Cruel Past
6. Dancing In The Fire
7. Read My Mind (Bonus Track)

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.