Por Mairon Machado

Depois de irmos à Santa Catarina apreciar a coleção de EuroDisco e Pop em Geral de Wagner Mendes, o Na Caverna hoje vai para a terra do Sertanejo, apreciar a coleção diversificada de Cleber Leite, um apaixonado principalmente por punk rock e Ramones.


Olá Cleber, obrigado por compartilhar sua paixão pela música conosco. Por favor, apresente-se aos nossos leitores, e bem-vindo à Consultoria.
Olá galera da Consultoria e Brothers do Rock em geral. Meu nome é Cleber de Sousa Leite. Tenho 43 anos. Nasci na zona rural de Goiás e moro na “capital do sertanejo”. Isso mesmo, moro no reduto ou “meca” da música sertaneja. Mas Goiânia não se resume a isso. Aqui também tem Rock`n Roll. Aliás, temos alguns dos maiores festivais “underground” do país: o Goiânia Noise e o Festival Bananada. Sem contar o número de bandas e estúdios e colecionadores de vinis e cds. Ultimamente voltaram as feiras de vinis.

O que primeiro lhe vem à mente no que se refere a sua paixão pela música?
Minha filha me fez a mesma pergunta há alguns dias. LIBERDADE. Essa a primeira coisa que me vem à mente. Consigo me libertar de muita coisa quando ouço música. Até o trabalho fica mais prazeroso quando estou ouvindo música. Consigo estudar ouvindo Metallica ou Iron Maiden. Tudo fica mais fácil. O ambiente muda quando estou ouvindo meu som.

Como foi sua formação musical e quando você decidiu tornar-se um colecionador de discos?
Quando tinha 12 anos, tinha uma cena punk em Goiânia muito legal. Não sacava nada de música. Não conhecia bandas. Por causa da falta de grana, só ouvia música no rádio. Lembro que ouvia muito Eddy Grant ( I dont wanna dance…)kkkk.

Tínhamos um Rádio Gravador (aquele da tecla vermelha para gravação) que usava para gravar as músicas que rolavam em algumas rádios de São Paulo ou Rio de Janeiro que conseguia sintonizar. Minha primeira coleção foi de fitas gravadas em casa. Toscas. Gravações ruins. De vez em quando perdia a sintonia. O pior era quando o locutor falava no meio da música…..kkkkk….ficava puto.

Aos 13 anos comprei um baixo Tonante com apenas duas cordas. Junto com uns amigos formamos um arremedo de banda punk (os crashes). Só tocava na “mizona”. Tosco. Comecei a me envolver com Punk Rock (do it yourself), Anarquismo e jogava bola. Aos 14 meu já falecido irmão me apresentou Beatles, Scorpions e Iron Maiden. Foi revolucionário. Ganhei do meu irmão a PRIMEIRA K7 ORIGINAL : BEATLES – LET IT BE. A banda com os amigos não foi pra frente. Aos 16 comecei a trabalhar e isso me deu condições de comprar materiais. Começou aí. Tinha uma loja de lps aqui (SUBWAY ROCK) onde comecei a comprar meus LPs.

Minha coleção aumentou e formei outras bandas ao longo dos anos (só diversão). Ultimamente meu projeto de banda esta suspenso por causa do trabalho.

Qual e por que foi o primeiro disco que você comprou? Quantos anos você tinha? Você ainda o tem álbum?
Meu primeiro vinil foi RAMONES – ROCKET TO RUSSIA. Minha nossa…ouvir aquilo me fazia sentir vivo, pulsante. Canalizava minha rebeldia. Tinha 14 anos. Sabe como consegui a grana???? Fui em um ferro-velho, peguei um carrinho e fui catar-papel pela cidade. Minha mãe não sabe disso até hoje…kkkkk. Depois de andar pelas ruas o dia todo, voltei com o carrinho lotado. Peguei a grana. Fui em casa. Tomei banho. Troquei de roupa e fui ao centro da cidade na Subway Rock e comprei esse puta álbum. Tinha um toca disco da marca Frahm. Tenho o LP até hoje. O ano foi 1989.

Quais os números da sua coleção, como você a organiza e que tipo de mídias são as mais comuns em suas prateleiras?
Tenho cerca de mil lps e 2000 cds. Não consegui organizar em ordem alfabética ainda. Organizo por banda, assim quando quero ouvir AC DC sei que estão todos juntos ou próximos. Ainda pretendo catalogar todo o acervo.

Quais os álbuns mais raros que você tem?
Tenho um RAMONES – RAMONES versão Argentina de 1976. Tocado 2 vezes. Tenho também uma coletânea da ALTERNATIVE TENTACLES (selo do Jello Biafra) que é mosca branca. Dado meu ecletismo tenho um raro material de uma banda pós-punk/new wave FLOCK OF A SEAGULLS – FLOCK OF A SEAGULLS.

Há algum disco que você busca há tempos, mas ainda não achou por um preço justo?
Havia sim. Fiquei muito tempo em busca de RAMONES – ADIOS AMIGOS E HALFWAY TO SANITY. Consegui com um brother aqui dos grupos, o “Aluspagliari”. O LP do MISFITS – FAMOUS MONSTERS. Fiquei muito tempo a procura. Para minha felicidade lançaram uma reedição dele agora em setembro. Já encomendei um com um brother de São Paulo, o Rafael Alvissus. Logo chega.

Qual a maior pechincha que você já conseguiu barganhar, e qual o maior diamante que você se fez de seus rins para poder adquiri-lo?
A maior pechincha foi uma fita K7 de WE ARE THE WORLD original. Achado de minha esposa. Paguei 5,00. A Senhora que me vendeu nem sabia que essa K7 era rara. Em uma consulta no DISCOGS descobri que vale entre 125 e 200 reais. Outra pechincha foi o RAMONES – RAMONES que citei acima. O Brother que me vendeu pediu 200 reais. Levei pra casa e nem tinha noção da raridade que era. Pesquisei tambem no DISCOGS e o valor esta entre 700 e mil reais. Fiquei feliz…kkkk

O material que desembolsei uma baita grana pra ter em casa foi o BOX DO SEPULTURA – THE ROADDRUNNER ALBUNS: 1985-1996. Peguei com um brother dos grupos de facebook, o Paulo Silva, que geralmente tem ótimos preços. Mas foi um mês tenso em casa….kkkkk. me custou 500 pilas.

Você possui um gosto bastante diversificado, indo de Barão Vermelho e Ramones até David Bowie e Manowar. Qual a sua opinião sobre aqueles colecionadores que se focam em apenas um único estilo, e não aproveitam as diversas ramificações que a música oferece?
Respeito as opiniões. Mas entendo que a música não pode ter barreiras. Há coisas que não ouço hoje. Mas já ouvi antes. Há coisas não ouvia e hoje ouço. Quando comecei só queria ouvir Punk. Na onde de criticar tudo que era mainstream eu deixava de ouvir muita coisa legal. Só pra ter ideia eu não ouvia Pink Floyd, Peter Frampton ou Queen por achar “burguês demais”. Aos poucos fui me livrando desses preconceitos e comecei a variar. O que existe é música boa e música ruim. Meu TCC foi sobre o MOVIMENTO PUNK NO BRASIL. Ao longo da pesquisa descobri que o termo “punk” foi usado pela primeira vez em uma obra de Shakespeare. Precisei ler o poema. Depois descobri uma corrente de músicos precursores do punk (Iggy pop, Lou Reed, Velvet Underground, New York Dolls e outros). Isso me abriu a mente. Por isso navego no Rock em geral (soul, surf, punk, heavy, hard, death, black, new wave, hardcore, grindcore….). No final tudo remete a Elvis e Chuck Berry, Bob Dylan….

Qual o seu artista/banda favorito? Quantos discos você tem do mesmo e quais os que mais estão tocando na sua casa?
Minha banda favorita é RAMONES. Tenho todos os Lps e Cds de estúdio e os oficiais ao vivo, além de uns boots de shows ao vivo e materiais das carreiras solos dos membros da banda (Joey, CJ, Marky, Dee Dee e Rich). Ao todo são 46 cds e 33 LPs. O que mais ouço é Subterranean Jungle. Um clássico do verdadeiro rock in roll.

Na sua coleção, há alguns itens que você possui diversos formatos, ou até no mesmo formato, você possui versões diferentes do mesmo álbum. O que o leva a ter essas diferentes versões?
Tenho varias versões de cds e lps dos Ramones. O primeiro deles tenho uma versão Argentina, Brasileira, Americana, Europeia e Japonesa. O primeiro motivo é o desejo de ter tudo do artista. O segundo é o fato de algumas versões têm bonus ou material extra. Outro fator é que os repress tem um acabamento melhor e as gravações são melhores e atendem as versões de toca discos e agulhas modernos. Por último, o vício…..kkkkk

Outro formato que chama a atenção em sua coleção são os vinis pictures/coloridos, em especial, os lançamentos do Sepultura. Qual sua ligação com esse tipo de formato, e quais os que você mais aprecia?
Essa versões são lindas. Adoro. Trazem um clima feliz. Adoro ver um picture rodar no toca disco. Som e imagem combinando de forma perfeita. Tenho interesse em adquirir os pictures do King Diamod. As capas são lindas. Outra banda que arrebenta nas capas é o Judas Priest. Gosto da arte.

Como a sua família lida com relação a sua coleção e aos seus discos?
Minhas filhas adoram tirar fotos com meu acervo como fundo…kkkk não curtem muito. Uma delas gosta de Belchior e Rita Lee. Minha esposa foi ao seu primeiro show de rock comigo. Adora. É minha maior incentivadora (apesar de ficar grilada com os gastos mensais). Vou ter que fazer um testamento…..kkkkkkkk.

Tenho um canto em casa que foi pensado por ela pra colocar meus materiais: “O CANTO DO GUERREIRO”, segundo um brother Carlo Xavier que batizou o local…kkkk

Você já teve a oportunidade de trocar uma ideia com algum artista? Se sim, como foi a (s) experiência (s)?
Aqui tem uma cena bem legal. Nos eventos ou festivais o pessoal sempre se tromba. Um dos espaços para eventos é o Martim Cererê, reduto onde a galera das bandas se encontram. Tem também a Hocus Pocus. Não sou de tietar mas sempre troco ideias com o BACURAL (grupo ÍMPETO), Tatina (AS RADIOATIVAS), alem de outros brothers aqui que tocam em várias bandas da cena: Silvio Magri, Allan Paulino, Breno, Andre, Gustavo. Sempre é uma experiência legal.

Qual a maior loucura que você já fez para assistir a um show ou comprar um álbum?
Deixei de pagar a prestação do carro pra comprar uns materiais. Foi osso colocar em dia….kkkk

Qual é o disco “Rocket to Russia”, ou seja, que você faz questão de apresentar aos amigos grupo, e qual o “Adios Amigos”, ou seja, aquele que você gosta, mas sabe que a galera vai acabar fugindo de sua casa quando você coloca para ouvir?
Meu disco “Rocket to Russia” é o S.O.D. : STORMTROOPERS OF DEATH – SPEAK ENGLISH OR DIE. Esse é um dos melhores discos que já ouvi. Uma mistura de metal, punk e hardcore. Mesmos os “trues” reconhecem que é ducaralho. Falar mal dele é uma blasfêmia…kkkk.

Meu disco “Adios Amigos” é o THE STROKES – IS THIS IT. A maioria dos meus amigos não curtem esse som da cena indie. Eu o considero um excelente material. Os caras são músicos fantásticos e conseguiram reacender a chama do Rock para muita gente que a tinha visto se apagar. Lógico que para quem sempre esteve na cena rock essa chama sempre esteve acesa.

Como você faz para atualizar-se sobre música nos dias de hoje?
Bem, tem os vendedores (Gilbert Honor, Durval, André, Vagner, Thessio, Rossano, Rafael Alvissus e outros) que sempre mantêm contato, sempre acompanhado as dicas no grupo de facebook HARD & HEAVY. A galera é sempre atualizada. Apresentam coisas novas. Por isso a coleção só aumenta.

Quais as principais lojas/sites que você utiliza para ampliar sua coleção?
Não compro em sites. Sempre faço negócios nos grupos de facebook. Os grupos são bem variados. Muitos têm site pra venda. Mas no final sempre fechamos in box. Alguns faço depósito em conta e outros uso o ML.

Que bandas ou artistas da atualidade você indica para nossos leitores darem uma ouvida e conhecer?
Indico:
1. BON IVER. Excelente músico. Provavelmente muitos vão torcer o pescoço mas vale a pena.
2. O novo do JACK WHITE – BOARDING HOUSE REACH
3. HONEYMOON DISEASE – THE TRANSCENDENCE
4. BANKS & STEELZ – ANYTHING BUT WORDS
5. ROYAL BLOOD – ROYAL BLOOD

Quais os dez melhores discos da década de 60?
1. THE BEATLES – WHITE ALBUM
2. THE BEACH BOYS – PET SOUNDS
3. THE VELVET UNDERGROUND & NICO – THE VELVET UNDERGROUND & NICO
4. THE STOOGES – THE STOOGES
5. LED ZEPPELIN – LED ZEPPELIN
6. THE WHO – MY GENERATION
7. CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL – GREEN RIVER
8. OS MUTANTES – OS MUTANTES
9. THE BEATLES – SGT. PEPPER´S LONELY HEARTS CLUB BAND
10. THE DOORS – THE DOORS

Quais os dez melhores discos da década de 70?
1. THIN LIZZY – JAILBREAK
2. SEX PISTOLS – NEVERMIND THE BOLLOCKS
3. BLACK SABBATH – BLACK SABBATH
4. PINK FLOYD – THE WALL
5. MOTORHEAD – OVERKILL
6. AC DC – HIGHWAY TO HELL
7. THE CLASH – LONDON CALLING
8. RAMONES – ROCKET TO RUSSIA
9. RAMONES – RAMONES
10 – RAMONES – LEAVE HOME

Quais os dez melhores discos da década de 80?
1. GANG OF FOUR – ENTERTAINMENT!
2. ZZ TOP – ELIMINATOR
3. METALLICA – KILL´EM ALL
4. SLAYER – REIGN IN BLOOD
5. AC DC – BLACK IN BLACK
6. X – LOS ANGELES
7. BRUCE SPRINGSTEEN – BORN IN THE USA
8. IRON MAIDEN – SOMEWHERE IN TIME
9. RAMONES – SUBTERRANEAN JUNGLE
10. THE SMITHS – THE SMITHS

Quais os dez melhores discos da década de 90?
1. METALLICA – METALLICA
2. GUNS N`ROSES – USE YOUR ILLUSION I
3. RED HOT CHILI PEPPERS – BLOOD SUGAR SEX MAGIK
4. RAGE AGAINST THE MACHINE – RAGE AGAINST THE MACHINE
5. FAITH NO MORE – ANGEL DUST
6. DEPECHE MODE – VIOLATOR
7. SEPULTURA – CHAOS A.D.
8. SLAYER – SEASONS THE ABYSS
9. MEGADETH – RUST IN PEACE
10. RAMONES – MONDO BIZARRO

Quais os dez melhores discos dos anos 2000 (de 2001 até agora)?
1. QUEENS OF THE STONE AGE – SONGS FOR THE DEAF
2. CORROSION OF CONFORMITY – AMERICA´S VOLUME DEALER
3. THE STROKES – IS THIS IT
4. ARCADE FIRE – FUNERAL
5. ACCEPT – BLOOD OF THE NATIONS
6. JUDAS PRIEST – FIREPOWER
7. INTERPOL – TURN ON THE BRIGHT LIGHTS
8. SODOM – IN WAR IN PEACES
9. OVERKILL – IRONBOUND
10. JOEY RAMONE – DON´T WORRY ABOUT ME

Cite dez discos que você levaria para uma ilha deserta, e o que precisaria ter por lá para desfrutar do momento?
1. RAMONES – RAMONES
2. ARCADE FIRE – FUNERAL
3. ACCEPT – BLOOD OF THE NATIONS
4. FAITH NO MORE – ANGEL DUST
5. QUEENS OF THE STONE AGE – SONGS FOR THE DEAF
6. DEPECHE MODE – VIOLATOR
7. SLAYER – REIGN IN BLOOD
8. RAMONES – ADIOS AMIGOS
9. ZZ TOP – ELIMINATOR
10. THIN LIZZY – JAILBREAK
Para ouvir essas maravilhas bastariam, além de um toca disco básico, umas caixas de cervejas geladas, senão ao menos umas águas de côco e a presença da patroa….kkkkkk

Indique três discos que mudaram sua vida, e conte um pouco por que de cada um deles.


1. RAMONES – ROCKET TO RUSSIA. Na época que ouvi esse disco era muito revoltado com a situação econômica de nossa família. Moravamos na periferia, tudo era muito difícil. Governo Sarney de inflação nas alturas. A música serviu como válvula de escape. Muitos amigos da época acabaram por se envolver com drogas e crimes. A maioria já morreu. ESSE DISCO SALVOU MINHA VIDA.


2. BEATLES – LET IT BE. Esse disco foi minha introdução no Rock. Esse quarteto foi fantástico. Uma das melhores coisas que o Rock ´n Roll criou. Lembro que era uma fita K7. Ouvia a tarde toda. A harmonia com que o grupo criava e compunha me encantava. Sempre tive um ouvido bom pra acompanhar as linhas de baixo, batera, guitarra e voz. Adoro perceber como elas se encaixam.


3. THE CLASH – LONDON CALLING. Foi a primeira banda punk com teor político que ouvi. Os caras eram a prova de que o punk rock podia ser virtuoso musicalmente e com teor crítico. Na época muitos associavam a música punk com barulho, bagunça e que não sabiam tocar nada. O Clash mudou isso. Joey Strummer (R.I.P.) e Paul Simonon eram fantático. Aliás, o jeito de tocar baixo do Simonon me influenciou na preferência por esse instrumento.

Conte-nos alguma história engraçada/curiosa envolvendo a compra de um álbum, uma visita a uma loja, um encontro com determinado artista, enfim, algo envolvendo a música.
Vou confidenciar. Apesar de primar pela aquisição de material original em minha coleção. Quando tinha 18 anos, trabalhei em uma empresa que produzia milhares de K7 piratas que eram comercializadas em todo o Brasil. Na época nem sabia o quão isso era nocivo aos músicos. Eram reproduzidas cópias de músicas internacionais (cor rosa), nacionais e evangélicas (cor branca) e sertanejas (cor azul). Sertanejo era o maior “filão”. Inclusive era comum artistas do estilo irem ao local para comprarem suas fitas piratas e revenderem durante seus shows no interior do Estado. A empresa, que não existe mais, demitiu todo mundo. Hoje abomino essa prática. Por isso tento manter minha coleção com produtos originais.

Qual será o futuro da sua coleção?
Minha esposa deu um sugestão de catalogar e fazer um Testamento. Provavelmente é o que farei. Minhas filhas não são muito fãs. Minha esposa curte os sons menos pesados. Como sou professor de história, tenho uma ideia de criar um memorial ou museu para pesquisas sobre música….kkkk

Alguma coisa mais que gostaria de passar para nossos leitores?
Galera, curtam suas músicas, bandas dos variados estilos. Vão a shows que são o maior incentivo dos músicos. Fortaleçam o underground. Respeitem os estilos. LONG LIVE TO ROCK´N ROLL.
Valeu obrigado a todos e, em especial, a galera da consultoria (ao brother Mairon pela paciência).

15 comentários

  1. António Marcos

    Parabéns pela matéria e ao Cleber Leite pelo ecletismo e pelo bom gosto. Citar The Smiths, Gang of Four, Interpol e Arcade Fire foi demais, por serem bandas com um trabalho consistente e que merecem maior reconhecimento. Foi uma na caverna excelente, sobretudo pelo entrevistado ter uma coleção de grande respeito.

    Responder
    • Cleber Leite

      Valeu Antônio Marcos. Obrigado. Essas bandas que citou têm uns plays fantásticos de excelente consistência. Como toda banda têm altos e baixos. Mas ainda assim merecem citação. Sou fã . Abraço.

      Responder
  2. Igor Maxwel

    Gostei das citações do Cleber aos discos Jailbreaker, The Wall, Back in Black, Eliminator, Kill ‘em All, Born in the U.S.A., Somewhere in Time, Blood of the Nations e Firepower. Ou seja, nove discos de suas listas que estão entre os meus muitos favoritos de todos os tempos.

    Responder
  3. Vidal Neto

    Muito massa a reportagem …bela coleção, temos algumas coisas em comum sou prof de história, a música tb salvou minha vida (Iron maidem), sou amigo do bacural e tn comoro com algums de seus contatos kkkk…morava em Brasília até ontem hj estou em Humaitá AM, a coleção vindo na transportadora kkk não largo por nada…kkkkk.

    Responder
  4. Anônimo

    Que coleção incrível brother!!! Fiquei perplexo com o cuidado que o cara tem pelos vinis dele. Me chamou atenção o Scream Bloody Gore, clássico do Death!

    Responder
  5. André Kaminski

    Parabéns, belíssima coleção. Um dia quem sabe chegarei a este nível. Esses vinis são lindos!

    Responder
  6. Fernando Bueno

    Só conseguir ler agora. Eu ouvi punk e hardcore quando era adolescente, mas acabei desistindo e hoje tenho um pouco de preguiça e má vontade. Talvez por ter ficado focado em rock progressivo por tanto tempo tenha me afugentado disso. Sabe como é a eterna ideia de que o punk matou o progressivo talvez tenha gerado um ressentimento em mim… Porém já aprendi como nosso querido amigo Marco Gaspari que isso é bobagem. A exceção é o Ramones, que gosto de muita coisa e quero ampliar minha coleção deles.Entretanto mantenho alguns dos clássicos do estilo (Clash, Sex Pistols…) apenas por sua importância.
    Sobre a curiosidade que vc contou eu já tinha ouvido a história de que artistas de sertanejo fazem cópias piratas de seu próprio material para vender em shows. Vendem quase que no mesmo preço do CD nas lojas e ficam com todo o lucro….
    Parabéns pela coleção.

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.