Por Mairon Machado

No início desse ano, o grupo Saxon lançou seu vigésimo segundo álbum de estúdio, Thunderbolt. O disco mantém o peso e as ótimas composições que os velhinhos da NWOBHM tem lançado nessa década. A formação com Biff Byford (vocais), Paul Quinn (guitarra), Doug Scarratt (guitarra), Nibbs Carter (baixo) e Nigel Glockler (bateria), está estabilizada desde 2006, mostrando que a química entre eles é de alto nível.

Ao longo de suas onze faixas, destaque para as pesadas “Predator”, “Nosferatu (The Vampires Waltz)” e a faixa-título, a bela homenagem aos roadies em “Roadie’s Song”, bem como a Lemmy Kilminster em “They Played Rock And Roll”, com o próprio Lemmy surgindo no meio da faixa, para entoar o nome da canção (lembrando que o álbum é dedicado a ele), e um grandioso solo de e as referências das mitologias nórdicas de “Sons of Odin (e sabbháticas, já que é impossível não lembrar de “Heaven and Hell” nesta faixa) e celtas de “A Wizard’s of Tale”.

O material da versão DELUXE

Biff está impecável nos vocais, Glocker está mandando ver na bateria, Carter mostra um competente e seguro apoio para as viradas de Carter, e a dupla de guitarras afiadíssima, principalmente nos solos de “Sniper”, “The Secret of Flight”. Ainda, as constantes homenagens aos carros turbinados também estão presente, aqui na faixa “Speed Merchants”.

Os últimos lançamentos têm recebido versões especiais. Ano passado, a belíssima caixa Solid Book of Rock, com 11 CDs e 3 DVDs, recuperou os álbuns lançado pelos britânicos nos anos 90 e 2000 (a saber, Solid Ball of Rock (1991), Forever Free (1992), Dogs of War (1995), Unleash the Beast (1997), Metalhead (1999), Killing Ground (2001), Lionheart (2004), The Inner Sanctum (2007) e Into the Labyrinth (2009)) acompanhada de diversos extras. Battering Ram (2015) teve uma versão lindíssima, no formato box, com camiseta, CD, LP e mais um CD extra com uma apresentação da banda na Suécia, em 2011. Sacrifice (2013) teve uma tiragem especial acompanhada de um moleton, CD e mais um CD ao vivo com uma apresentação na Holanda.

Capa do CD Loud, Proud and Live

Da mesma forma, o sensacional novo disco também recebeu uma versão DELUXE. A nova caixa não traz nenhum adereço de vestimenta como as duas antecessoras, o que já é um agravante a menos para adquiri-la, mas contém um CD extra. Aqui, a apresentação é batizada de Loud, Proud And Live – Official Bootleg, com registros da turnê da Battering Ram pela Europa, e talvez seja a única dentro da caixa. Afinal, apenas aqui você irá conseguir ouvir in the act as faixas “Battering Ram”, “Sacrifice”, “The Devil’s Footprint”, “Chasing The Bullet” e “Queen Of Hearts”, acompanhadas das clássicas “Killing Ground”, “20,000 Ft” e “Power And The Glory”.

Pin com o nome da banda

No mais, a caixa apresenta uma (bonita) versão em vinil vermelho, com as 11 canções do lançamento original, o CD com as onze canções, mais a bônus “Nosferatu”, em uma versão “crua”, e um K7 com as mesmas canções do LP. Para finalizar, um pequeno pin com o logo da banda fecha o lançamento que é bem decepcionante em comparação aos seus antecessores. E para os fãs não tão colecionistas assim, vale mais a pena investir na Special Edition que foi lançada na Europa, já que musicalmente, apresenta tanto Thunderbolt na íntegra como o CD ao vivo vindo como extra.

O preço médio da caixa aqui no Brasil está girando entre 350 e 500 reais. No exterior, você consegue entre 150 e 300 reais, mas o problema é o frete. Porém, devido aos baixos itens de colecionador, somente se você for um fã ardoroso da banda, que coleciona tudo o que eles estão lançando, é que recomendo essa versão. Caso contrário, contente-se com a versão normal em CD, ou a versão limitada em vinil vermelho, que estará tendo em mãos uma obra de excelência musical, e também alguns bons trocados no bolso.

Track list

Thunderbolt LP, K7 e CD

1 – Olympus Rising

2 – Thunderbolt

3 – The Secret Of Flight

4 – Nosferatu (The Vampire’s Waltz)

5 – They Played Rock And Roll

6 – Predator

7 – Sons Of Odin

8 – Sniper

9 – A Wizard’s Tale

10 – Speed Merchants

11 – Roadies’ Song

Somente CD

12 – Nosferatu (Raw Version)

As canções do CD bônus

CD: Loud, Proud And Live – Official Bootleg

1 – Battering Ram

2 – Sacrifice

3 – The Devil’s Footprint

4 – Chasing The Bullet

5 – Queen Of Hearts

6 – Killing Ground

7 – 20,000 Ft

8 – Power And The Glory

4 comentários

  1. Marcello

    Mais um bom disco do Saxon, outra banda que foi atingida pela maldição dos anos 80 (como esquecer da pavorosa Northern Lady?), mas conseguiu dar a volta por cima. Byford continua um dos vocalistas mais poderosos do heavy metal, Glockler é um dos bateristas mais subestimados da história e as guitarras são contundentes e tocadas com habilidade sempre. Não conheço outra banda da geração do Saxon que tenha tantos discos de estúdio lançados. Alguma outra?

    Responder
    • Mairon

      Da geração do Saxon, acho que só o Iron pode se comparar, mas em nível mais abaixo. Outra banda que lançou álbum recentemente, sempre matadora (mas um pouquinho mais velha) é o Uriah Heep. Abraços Marcello

      Responder
      • Marcello

        Acho o Iron Maiden um pouco mais consistente, embora não lance tantos discos quanto o Saxon, e os discos da fase áurea deste, para mim, estão no mesmo nível do Iron (acho que vou levar paulada por causa disso). Quanto ao Uriah Heep, Living the Dream está muito bom!! Junto com o novo disco do Buddy Guy, um dos que mais tenho ouvido nos últimos dias. Mas eu sou meio suspeito para falar do Uriah Heep, é uma das mihas bandas favoritas de todos os tempos.Grande abraço

      • Mairon

        O Living in the Dream está excelente. Do Iron, até o 7th Son acho melhor que o Saxon. Mas depois, não tem como. Abraços

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.