Por Mairon Machado

Retomamos hoje a coluna Na Caverna da Consultoria. Inaugurando as coleções de discos em 2018, nosso primeiro convidado é o leitor Tiago Rolim, um apaixonado por heavy metal e rock pesado, mas que também sabe apreciar obras atemporais do jazz e da MPB. Confira a coleção e um pouco da história de Tiago.


Imagens da coleção em geral

Olá Tiago, muito obrigado por compartilhar sua paixão pela música aqui na Consultoria. Por favor, conte para nossos leitores quem é Tiago. O que faz, quantos anos, conta do Pay Pal para usufruirmos e por aí vai

Conta de pay pal não sei o que é ehheheh, mas tenho 39 anos, sou empresário e sou um fã de música. Moro em São Bernardo do Campo, desde 2003, mas sou natural de João Pessoa, PB.

Depois dessa apresentação, vamos voltar no tempo. Quais as tuas primeiras lembranças relacionadas com a curtir música?

Sempre gostei, mas nem sabia que gostava. Quando era muito moleque gostava das músicas infantis da época, tipo aqueles programas especias da globo, lembra? Plunct Plact Zuuum, os especiais do Balão Mágico e coisas assim. Lá pros 8, 9 anos descobri que um tio meu tinha uma coleção gigante de vinil. Aí fudeu hehehehehe. Descobri Beatles, Stones (apesar dos Stones eu não gostar muita a época), Mutantes, Raul, Clapton, Rita lee e coisas assim. Gravava várias fitas e ficava encantado com tudo que eu ia ouvindo. E isso me bastou até os 11, 12 anos. Foi quando vi a propaganda da trilha sonora internacional de O Sexo dos Anjos e tinha “Sweet Child O’ Mine”. Ai deu a bexiga. Fiquei doido com o Guns e principalmente com o fato de ser uma banda nova. Ou seja que fugia do radar do meu tio. Pouco depois teve o RIR2 e um vizinho mudou p frente da minha casa e ele sim, era do Metal já. Aí pronto. Estamos aqui hoje.

Mais imagens da coleção

Qual foi a banda que te levou a comprar o primeiro disco? Você ainda tem ele?

Não. Infelizmente, mas foi o Metallica. O primeiro disco de Metal que escutei foi com esse vizinho, o disco era o And Justice for All. Mas com uma curiosidade: ele só tinha o disco 2. E quando vi o vinil fiquei doido com o fato de ter apenas 2 músicas em um dos lados. Lógico que comecei a audição com a “To Live is to Die”, e simplesmente enlouqueci. Posso afirmar com clareza que desde esse dia, minha vida mudou. Meus hábitos mudaram, meus amigos mudaram, tudo! E isso por causa de uma música instrumental de quase 10 minutos. Quem você conhece que virou fã do Metallica por causa dessa música em especial? hehehehehehe. Mas o primeiro disco que comprei foi o Master, pouco tempo depois. Fui comprar o … And, mas não tinha.

E foi o Metallica que o levou a virar um colecionador?

Não. Na época nem imaginava que seria um colecionador. Só queria ter um disco dos caras.  Na verdade foram 2 discos que comprei nesse dia. O Master e o Seventh Son of a Seventh Son (Iron Maiden). Indicação do meu vizinho e do dono da loja.

Quando que você viu que “opa, essa coisa de música ta me fazendo virar um colecionador”?

Quando comecei a reparar em coisas como encartes, fichas técnicas. Procurava comprar discos que tinha essas coisas. Ficava mais legal. Cheguei a trocar um disco pelo encarte do The Ultimate Sin de Ozzy. O meu disco não tinha.

Terceira sequência de imagens da coleção de Tiago

Quantos discos você tem, e quais os itens que predominam na sua coleção?

Rapaz, juro que não sei. Mas são mais de 5000 cds, fácil. A maioria é de Rock/Metal. Diria que uns 50%. Os outros 50% são de tudo um pouco. Literalmente. De Odair José a Miles Davis.

Box de Ozzy Osbourne

Caraca, Odair José?? Vinil e DVDs você coleciona também?

Sim. DVDs e Blurays. Aliás, uma pena que o formato não pegou aqui nesse esgoto de país. Vinil não. Tenho consciência da minha loucura e ia virar esses “craquero de rua” se entrasse no mundo dos vinis hehehehehe. Os poucos vinis que tenho são presentes de amigos. Eles sabem que gosto e vira e mexe ganho alguns.

Ahauhauhaua. Craqueiro de rua, ahauhauhaua. Com essa ampla ecleticidade no gosto musical, o que te faz curtir um som, e ao mesmo tempo, o que te afasta imediatamente?

Ótima pergunta. Não sei o que seja. Por exemplo odiei desde a primeira vez que ouvi Rhapsody e essas coisas mais melosas como Sonata Artica. Ao mesmo tempo que amei de verdade a primeira vez que saquei um disco inteiro da Banda Black Rio. Depende muito. Outras vezes eu sei que a parada é boa, mas demora para eu pegar. Tipo Jazz. Sempre achei coisa de velho. Até um dia que deu vontade de ouvir. De cara baixei o Bitches Brew hehehehehe. Não é a melhor.porta de entrada. Achei uma loucura sem nexo, mas sabia que iria gostar. Só precisava de tempo para depurar. Aí fui indo aos poucos. Peguei sem ouvir, o Kind of Blue, e aí sim, deu a liga. Aliás, só fui gostar de Dream Theater depois de sacar o Jazz. Doidera né?

A versão DELUXE de Bitches Brew (acima), coleção de Miles Davis (centro) e alguns boxes do jazzista (centro e abaixo)

É, o Bitches Brew eu demorei para curtir. Mas o disco que me levou ao jazz foi o Eyes of the Heart do Keith Jarrett. Agora, gostar de Jazz por causa do Dream Theater, que viagem, hahaha.

Kkkkk massa. Depois desses fui indo devagar e hoje tenho um bom acervo de Jazz.

Pode crer ehehehehe.

Sabe como ouvi ratos a primeira vez? Em uma fita que tinha um lado o Vivo e no outro tinha Falcão. O brega!!

AHUAHAUHAUHAUA

A gente ouvia de um tudo em João Pessoa no início dos anos 1990. E isso é bom. Claro que tive minha fase radical, de só ouvir Metal e desprezar a MPB por exemplo. Ou qualquer outro estilo de música. Mas isso passa com o fim da adolescência ainda bem ehehhehehehe. Foi rápido. Graças a Deus.

Áutografos de Sepultura e Paralamas (acima), Versão DELUXE de LULU (centro e abaixo)

Hehehe. Como você organiza o tempo para classificação, garimpo, audição e demais tarefas que todo colecionador necessita fazer para ter seu acervo em dia?

É relativamente fácil. Por morar perto de São Paulo, as vezes vou no centro comprar algo na galeria e no tempo livre fico arrumando minha estante. Só tenho preguiça e nem sei na verdade catalogar isso tudo no computador. E para ouvir é qualquer tempo livre que tiver.

Quais as principais indicações que você dá para nossos leitores ampliarem suas coleções, independente de lojas físicas ou online?

Hoje quase não existe loja. Esquece isso. Por exemplo, a FNAC da Paulista que tinha um acervo gigante, da última vez que fui o vendedor falou que vai diminuir ainda mais. Quase que pela metade. Recolocação no mercado é a explicação… Então nas poucas que sobraram, no Facebook, e na única loja daqui de São Bernardo, a gloriosa Merci Discos. Facebook os amigos que vendem, você sabem como é. Não sei comprar em sites gringos. Digo no quesito de compras de CDs, claro.

Mas já teve a oportunidade de ir para o exterior? Se sim, como foi a experiência?
Vixe. É como morrer e ir pro paraíso kkkkkkk. A primeira vez que viajei para fora, foi para a França. Minha mulher endoidou com minhas compras. Sério. Era de endoidar. De tudo eu achava. De tudo!!! De Fela Kuti a edições especiais do Sabbath. Tudo ali na sua cara. E quase de graça, comparado aos preços daqui.

Edições especiais do Black Sabbath (acima) e coleção geral do Black Sabbath (abaixo)

Nem me fala. É sensacional, e por um preço que mal imaginamos. Que outros lugares você foi, e o que conseguiu trazer de barganhas de lá?

Buenos Aires, Santiago e a última que foi Londres. Aí minha mulher engravidou e não deu mais para viajar. O país ajudou com a crise, mas aqui não é o lugar de falar de política hehehehe. A Argentina é impressionante. Aqui do lado e cheia de lojas e ofertas que nem em sonho temos aqui. Por exemplo, peguei uma edição do Bring on the Night de Sting, com DVD e CD duplo em uma embalagem que parecia uma caixa com três vinis dentro. Linda. E nem sinal dela aqui. E olhe que tô falando da Argentina! Sem falar nos adesivos falando que determinados discos não podiam ser vendidos no Brasil!

Quais os discos mais raros que você tem, e quais aqueles que você faz questão de apresentar para quem vai lhe visitar?

Acho que até o conceito de disco raro tá mudando hoje em dia. Porque quase todo disco fica raro com o tempo. Quer um exemplo; tenta comprar o, sei lá, disco preto hoje em dia. Digo nacional. Não tem! Simples assim. Ou o Dance of Death? Não tem também. Discos antigos de Tim Maia? Esquece!

Mas respondendo a sua pergunta, lembra daquelas propagandas da Rider com clássicos da MPB regravadas por artistas diferentes? Tenho esse CD. Um tributo ao Achtung Baby do U2 que saiu em uma revista gringa. A coleção quase completa de Tim Maia, o Bidu – O Silêncio no Brooklyn de Jorge Ben. E algumas edições especiais de clássicos. Mas não são raras. Tá tudo no spotify hehehehehehe. Antes não. Era só quem tinha que ouvia. Isso se perdeu.

Os CDs da fase Racional de Tim Maia (acima) e algumas preciosidades nacionais (abaixo)

Você tem os Racionais do Tim Maia, e o compacto também?

Os dois sim. O compacto não. E o 3 nem fiz questão de ir atrás. Picaretagem do filho dele ehhehehe

Como você organiza sua coleção?

Por estilo. MPB, rock nacional, som de negão (Jazz, Blues, Funk, Soul, Afrobeat, Rap etc), Rock em geral e Metal no fim. E a MPB fiz a merda de guardar em ordem alfabética. Um saco isso. Quando compro um disco de Alceu Valença, ou Antônio Carlos Jobim é um suplício hehehehe

HAUHAUHAUHA

Os outros não fiz isso. Só na MPB mesmo.

Alguns boxes de artistas nacionais

Saindo um pouco da coleção, e entrando para a reta final de nossa entrevista, você costuma frequentar shows? Se sim, quais os mais marcantes para você?

Quando morava em João Pessoa, achava que nunca iria em shows. Era como ir em Marte! Só acompanhava nas reportagens da Rock Brigade mesmo hehehehehe. Mas quando mudei para sampa, a coisa mudou. Já fui em 4 shows de Ozzy,e no caminho do quinto. Duas vezes Sabbath. Com Dio e Ozzy. E tantos outros.

Mas os melhores foram o primeiro de Ozzy em 2007. Que teve Korn e Black Label Society. E o primeiro de tudo. Deep Purple e Sepultura lá no Pacaembu! Foi emocionante estar em um estádio. Mais recentemente o do Neurosis. Uma das minhas bandas preferidas e que veio tocar em 2017 pela primeira vez aqui no Brasil!

Mas em João Pessoa também ia em shows mais em Recife! E um dos mais legais era o Abril Pro Rock. Lá vi Krisiun pela primeira vez, Ratos algumas vezes. E uma apresentação especial de Max Cavalera com a Nação Zumbi em homenagem a Chico Science recém falecido. Tem no YouTube esse show

Bom, chegamos então nas rapidinhas do Gugu. Sem titubear agora, é vai ou racha. Começamos pelo básico: Limited Edition ou Box Set?

O que a grana der!

AHuahuahauaa. Hetfield ou Mustaine

Hetfield.

DVDs da série Live in Montreux (acima), coleção de Robert Plant (meio) e Deep Purple (abaixo)

Brian Johnson ou Axl Rose?

Desculpe, mas Axl. Muito importante na minha vida esse doido foi.

Max Cavaleira ou Derrick Green

Pela história Max. Pelo momento, que já dura uns anos , Derrick. Pegou uma bucha gigante e se impôs muito bem. Tem defeitos? Claro. Mas ver um show do Sepultura hoje, 2018,e ver um.show de Max em 2018 é algo que assusta a diferença entre ambos. Max da pena.

David Gilmour ou Roger Waters

Vixi… Gilmour. Waters ficou muito chato com o tempo.

Parte das coleções de Pearl Jam (acima), Frank Zappa, The Doors e outros (abaixo)

Hauhauhaua. Os 10 melhores discos da década de 60?

Sem ordem:
1. Samba Esquema Novo (Jorge Ben )
2. In a Silent Way (Miles Davis)
3. A Love Supreme (Coltrane)
4. Hot Rats (Zappa)
5. Are You Experienced? (Hendrix )
6. Disraeli Gears (Cream)
7. Beatles tudo!
8. Stones tudo!
9. Os Mutantes (Mutantes)
10.Gilberto Gil, o disco tropicalista dele.

Os dez melhores da década de 70

1. Expresso 2222 (Gil)
2. Zombie (Fela Kuti)
3. Survival (Bob Marley )
4. Abraxas (Santana)
5. A Tribute to Jack Johnson (Miles Davis )
6. The Dark Side of the Moon (Pink Floyd)
7. Hotel California (Eagles)
8. Led Zeppelin tudo!
9 . Black Sabbath tudo!
10. Fruto Proibido (Rita Lee)

Coleções de Gilberto Gil (acima) e Zé Ramalho (abaixo)

Os dez melhores dos anos 80

E a década do metal agora hehehehe

1. Master Of Puppets (Metallica)
2. Melissa (Mercyful Fate)
3. Seventh Son of a Seventh Son (Iron Maiden)
4. Beneath The Remains (Sepultura)
5. Blizard Of Ozz (Ozzy Osbourne)
6. Heaven and Hell (Black Sabbath)
7. The Real Thing (Faith No More)
8. Kiss me, Kiss Me Kiss Me (The Cure)
9. Psycho Candy (Jesus and Mary Chain)
10. Bring On The Night (Sting )

Os dez mais dos anos 90

1. Nevermind (Nirvana)
2. Grace ( Jeff Bukley)
3. Definitly Maybe (Oasis)
4. Roots (Sepultura)
5. Astro Creep… ( White Zombie )
6. Demanufacture (Fear Factory )
7. Metallica (Metallica)
8. Use Your Illusion (os dois, Guns N’ Roses)
9. Screamadellica (Primal Scream)
10. Achtung Baby (U2)

Grace e Achtung Baby. Versões especiais de álbuns que Tiago considera os melhores da década de 90

Dez melhores dos anos 2000 – (2001 a 2010)

1. Leviathan (Mastodon)
2. The Blackening (Machine Head )
3. Songs for the Deaf (Queens of the Stone Age)
4. (Caetano Veloso )
5. The Devil You Know (Black Sabbath )
6. Brave New World (Iron Maiden)
7. Pearl Jam (Pearl Jam)
8. Recanto (Gal Costa)
9. Miss Machine (The Dilinger Scape Plan)
10. Blessed Black Wings (High On Fire)

Difícil hein? Kkkkkk. Tive que espremer o juízo agora …

Aahuehaeuhaea. Prepare-se: Os dez melhores de 2011 a 2018

Aí tu me fode kkkkkk

Posso citar os dois últimos de Robert Plant, o novo do Iron, o novo do Metallica, o último do Korn (The Serwnity of Suffering), os mais recentes do Accept. E sim!, lembrei do Vampire Weekend! Banda legal dos anos 10. Nada de novo para quem conhece Talking Heads e Paul Simon. Mas a molecada de 20 anos que nem em sonho sabe quem são esses artistas pira nos moleques hehehehehe.

DVDs e CDs Diversos

Aahauhauah. Cite dez discos que você levaria para uma ilha deserta, e o que precisaria ter por lá para desfrutar do momento?

Eletricidade, bebida, algumas “plantas” hehehehehe e esses discos :
1. Abraxas
2. Catch a Fire
3. Ten
4. Led 4
5. Sabotage
6. Racional 1.
7. Transa de Caetano
8. Realce de Gil
9. África Brasil de Ben
10. The Epic, De Kamasi Washington. O disco da década de 10 fácil! Se não conhece, procure. Daqueles discos mágicos.

Mas isso é agora. Amanhã, muda heehhehe

Box do Rush

Conte-nos uma história curiosa envolvendo um show, uma busca por um disco, um artista, enfim, algo ligado ao seu relacionamento com a música

Rapaz. Hoje mesmo. Fui na loja que já citei acima a Merci, procurando um dvd. Mas ao chegar vi o novo do Purple em edição dupla e limitada. Na hora sumiu o dvd da mente e peguei o CD. Mas eu cheguei a comentar com o pessoal da loja que entrei pensando em um dvd, mas que tinha esquecido totalmente dele. Ainda fiquei um tempo lá conversando só pra ver se lembrava. E nada. Sai e entrei em uma lojas Americanas só por entrar, tu sabe vício, na saída da loja me veio na mente a capa.do dvd como um quadro. E de quem era o dvd? Do Purple kkkkkkk. Ou seja a mente me enganou p eu pegar o CD novo, mas me deu a dica da banda hehehehehehe

Outra boa foi a primeira vez que fui a Campos do Jordão. Vi um CD do Faith no More, o Album of the Year. Mas a minha esposa não deixou eu comprar heehhe. Passou uns 3 anos, voltamos a cidade e fui na.mesma loja e vi o.mesmo cd no mesmo.local a 5.reais. Aí não teve jeito. Ela deixou eu comprar. Era o mesmo, até a marca de sol tava forte.e a poeira em cima do plástico hehehehe

É algo muito forte isso na gente.

Agora um papo triste. É muito ruim saber que isso tá acabando. Um exemplo prático. O penúltimo disco do U2 saiu nacional em uma edição especial com uma tiragem inicial de 40000 discos. O mais recente em sua edição especial foi de 3000 apenas. Isso é o U2! As grandes. Lojas tão se acabando. Quando mudei para cá, no centro da cidade tinha 5 lojas de cds além das americanas. Hoje mal temos as Americanas… E isso é irreversível.

Alguns boxes gerais (acima), as distintas versões do disco Lotus (centro) e coleção de Jimi Hendrix (abaixo)

Uma lástima mesmo. Meu caro, obrigado por participar, e por favor, deixe um recado para nossos leitores que querem começar uma coleção, ou que estão aprendendo a colecionar e por vezes pensam em desistir

Infelizmente pra quem tá começando só vai ser sofrimento.

AAHUAHUAHUAahuehauehUHUEHuhuahU

Tudo pouco e caro.

É brabo. Mas você acha que vale a pena colecionar?

Sim. É ótimo. Mas hoje em dia, não sei se conseguiria ter o que tenho. Valeu a atenção e obrigado pela oportunidade.

8 comentários

  1. Igor Maxwel

    Só pelo fato do Sr. Rolim citar The Dark Side of the Moon na sua lista dos melhores dos anos 1970, além de Master of Puppets e Blizzard of Ozz na sua lista dos melhores de 1980 já valeu muito. Porém achei bem estranhas suas citações á Hotel California, Melissa, o Black Album e Seventh Son of a Seventh Son. Estranhíssimas!

    Responder
  2. José Carlos Araujo de Paula Souza

    Não curto tudo o que tem na coleção do Tiago, mas que coleção inacreditável!! Meus parabéns, impecável!!! E essa história do Deep Purple, eu morri de rir no Facebook! kkkkkkkkkkkkkkk Abraços!

    Responder
  3. Micael Machado

    Excelente entrevista! Bom humor, bom gosto, belas histórias e um papo interessantíssimo por parte do Tiago! E a coleção do cara, Meu Deus, que baita inveja (branca) que deu aqui! Parabéns aos envolvidos!

    Responder
  4. Ronaldo

    Ótima entrevista, o camarada deve ser uma figura! parabéns pela coleção!!!

    Responder
  5. André Kaminski

    Que coleção e que estantes maravilhosas! Sonho com uma sala assim em minha casa.

    Responder
    • Diogo Bizotto

      Pois é, essa estante chamou bastante minha atenção. Tiago, caso você apareça por aqui, conta pra gente: você mandou fazer isso tudo de uma vez ou foi comprando os nichos separados e “emendando”?

      Responder
      • Tiago Rolim

        Oi. desculpe a demora em responder. Eu mandei fazer quando da mudança p minha nova casa. O cara da loja pirou quando falei p que era. Tanto que quando vieram montar, ele pediu p fazer fotos p ele ver pronta.

      • Diogo Bizotto

        Maravilha, Tiago, obrigado pela resposta. Imagino que tenha custado uma boa grana, mas pouco em comparação com o, digamos, conteúdo. Aqui em casa, como a coleção é bem menor, me contentei com quatro nichos de mais ou menos um metro de largura.

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.