Antibanda – Antibanda [2014]

21 de Abril, 2016 | por micaelmachado
Resenha de Álbum
6

Por Micael Machado

Às vezes, sair de casa para ir a um show pode lhe causar surpresas positivas. No final do ano passado, fui conferir o “Festival Som de Peso”, evento ocorrido em duas noites na cidade de Porto Alegre (onde resido), a primeira dedicada ao punk rock, e a segunda ao heavy metal. No início da primeira data, após uma bela apresentação dos gaúchos da Punkzilla, eis que sobem ao palco uma menina com jeito de pin up dos anos 50, e um sujeito de bermuda e boné, com uma tremenda cara de maluco! A menina foi para a bateria, o “maluco” pegou uma guitarra, e os dois mandaram ver em um excelente set de street punk que, embora menos virtuoso, me lembrou muito o Toy Dolls, uma de minhas bandas favoritas em todos os tempos. E, ainda por cima, cantado em espanhol, visto o casal que se apresentava ser uruguaio! Com o queixo no chão, depois da apresentação tive a chance de bater um rápido papo com o simpaticíssimo sujeito que há pouco agitava a todos lá no palco, e receber das mãos dele uma cópia do primeiro disco de sua banda, ou melhor, de sua Antibanda!

Camily (bateria e vocais) e Kbza (vocais e guitarra, na época conhecido como “Kbza de Ultimo”) faziam parte do trio cisplatino Green Gay, que chegou a lançar um disco em 2011, chamado Roba Corazones. Com a saída do baixista Kbza Punk em 2013, o duo restante se rebatizou como Antibanda, comprou uma van, e saiu a viajar e se apresentar pela América Latina, tocando em qualquer lugar onde lhe oferecerem “uma bateria e um amplificador”, segundo Kbza declarou em uma entrevista de 2014, além, claro, de comida e um lugar para dormir! Com a ajuda de amigos conhecidos na estrada, gravaram alguns clipes para suas composições, e seu primeiro registro, autointitulado, o qual foi disponibilizado para audição no youtube e para download no mediafire. Quem se arriscar a conferir não irá se arrepender, posso afirmar com toda a certeza.

Camily e Kbza, a Antibanda!

A opção pelo street punk (também conhecido como “OI!”) se mostra bastante acertada, pois todas as músicas passam aquela alegria e animação do estilo, além de contar com os inevitáveis e característicos backing vocals do gênero. Composições como “Punks y Skins”, “Piñata, Fútbol y Cerveza”, “Borracho y Orgulloso” ou “Espen de Nait” tem tudo para agradar aos fãs do punk rock “safra 77” de bandas inglesas como Sham 69, Cockney Rejects, Cock Sparrer ou os citados Toy Dolls, além destes títulos (e outros como “La Enfermedad”, “La Adicción” ou “Yo Te Canto Con El Corazón”) já serem suficientes para se perceber que a temática das letras não tem nada da política de extrema direita, algo que acontece com frequência em muitas bandas ligadas ao OI!, sendo, segundo o que disse Kbza na mesma entrevista citada acima, “retratos” de moradores e situações que ocorrem no bairro onde a dupla mora, meras “histórias do cotidiano” da vida dos dois músicos. Até há, sim, um pouco de protesto contra o governo e as instituições aqui e ali (afinal, trata-se de um disco punk), mas a temática básica da dupla, em geral, passa bem longe da política. 

Como quase todo bom grupo punk que se preze, é claro que há lugar no som da Antibanda para um pouco de ska (presente aqui na faixa “El Holgazán”, que ainda tem uma breve citação aos Sex Pistols no final) e algo de romantismo, que aparece no disco na forma de sua maior faixa, “Todo Es Tan Gris”, a única a ultrapassar os três minutos (e cuja letra trata da dor de um sujeito preso há quinze anos, distante de sua amada). Cabe citar também que todas as faixas do álbum contam com o som de um baixo (que chega a se destacar em alguns momentos), mas o encarte não especifica quem o gravou, embora eu acredite que tenha sido Kbza Punk, pois li em alguns lugares que este disco deveria ser o segundo do Green Gay, e o antigo membro do trio apareça nos primeiros clipes liberados no youtube, para a já citada Punks y Skins, “El Patovica” e as faixas “Huracán Pedrito” e “El Turbina” (cujo vídeo foi gravado em Porto Alegre!), as quais, junto com “Hacha y Tiza”, “Las Ladillas”, “El Punky” e Yo Te Canto Con El Corazón” (que mencionei acima) aparecem como bônus no disco. Já ao se apresentar ao vivo, como coloquei acima, Camily e Kbza se viram sem o grave das quatro cordas, e, apesar de ser um admirador da sonoridade do instrumento, sou forçado a reconhecer que o baixo acaba não fazendo falta na sonoridade e na empolgação causada pela música da dupla quando em ação on stage!

Camily e Kbza em cena do clipe de “Gargantas”, gravado no estádio municipal de Santo André

A Antibanda já disponibilizou no youtube (e também para download) uma prévia de seu novo álbum, o qual estava previsto para ser lançado em março de 2016 (e já conta com um clipe promocional, para a faixa “Gilipolla Records“). Mas, como seus lançamentos são independentes (e feitos “na raça” por eles mesmos, tanto que a cópia do disco que Kbza me passou era um CD-R com a gravação, embalado em um saquinho plástico e com apenas a capa e um encarte de folha simples, sem conter uma contracapa, acredito que por questões de custo), e a única forma de encontrá-los é nos shows do duo (junto a vários artigos de merchandise elaborados e fabricados pela própria Camily), terei de esperar um novo concerto destes uruguaios em Porto Alegre para conferir este novo lançamento. Que não demore muito!

Track List:

01- Punks y Skins 

02- Piñata, Fútbol y Cerveza 

03- El Holgazán 

04- El Patovica 

05- Borracho y Orgulloso 

06- Gargantas 

07- La Enfermedad 

08- Todo Es Tan Gris 

09- Laeneolao 

10- Washington 

11- Espen de Nait 

12- La Adicción 

13- Cuerdas Rotas 

14- Hacha y Tiza 

15- Hueracan Pedrito 

16- El Turbina 

17- Las Ladillas 

18- Yo Te Canto Con El Corazón 

19- El Punky



6 Comentarios

  1. Ulisses Macedo disse:

    Punk em espanhol é mais engraçado do que eu esperava. Bem legal o duo!

    • Micael disse:

      Pode ser engraçado de ouvir, mas, na velocidade que o Kbza canta, acho bem complicado para entender as letras… Não atrapalha o “pogo”, mas dificulta o entendimento total da “mensagem” do duo…

  2. Diogo Maia de Carvalho disse:

    Meu deus, achei o som perfeito para acompanhar aquele churrasco pré-futebol.

    • Micael disse:

      Pô, Diogo, não seria a minha escolha inicial para esta atividade, mas, se você curtiu a banda, está valendo!

  3. Pedro Henrique disse:

    Essa dupla colou aqui em Penedo – Alagoas – Somzão dá hora dos dois sem falar na simpatia! Porra virei Fã imediato! parabéns Kbza e Camily pela atitude e pelo Som!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *