Matérias mais acessadas da história do Consultoria do Rock: Janeiro de 2011

12 de Janeiro, 2013 | por micaelmachado
Diversos
0

Durante os meses de janeiro e fevereiro, o blog estará de férias, por isto estaremos publicando novamente as matérias mais acessadas a cada mês nestes dois anos de Consultoria do Rock, sempre às terças, quintas e sábados. Chegamos ao mês de janeiro de 2011.


Em janeiro de 2011, a equipe que coordena o Consultoria do Rock se formou efetivamente, e a frequência de postagens se tornou mais regular, com o blog começando a tomar a forma que tem até hoje. Com isso, foram publicadas quarenta e duas matérias naquele mês, sendo a mais acessada até o final de 2012 esta, por Ricardo Lira:
The Soundhouse Tapes: uma parte importante da mal contada história do Iron Maiden
Por Ricardo Lira
The Soundhouse Tapes, a primeira demo comercializada do Iron Maiden, começou a ser gravada ao final de 1978 quando Paul Di’Anno ainda era um novato na donzela. A história oficial (referida na biografia oficial “Run to the Hills”, escrita por Mick Wall) conta que Paul entrara em novembro de 1978 e o Maiden, então com 4 integrantes – Di’Anno, Harris, Murray e o baterista Doug Sampson – logo ensaiava e entrava no Spaceward Studios para a gravação da demo. Não havia muito dinheiro na época, e a banda, após duas sessões, se recolhera para que dentro de algumas semanas de trabalho e shows, voltasse com dinheiro para a produção final das faixas. Como se sabe, a master foi apagada e a demo só saiu porque alguém (acredito que Harris) guardou uma cópia do material original em fita! 
Fitas-cassete contendo o material gravado nas sessões de The Soundhouse Tapes
Ouvindo atentamente as gravações percebi uma segunda guitarra nada usual ao tradicional som da banda, mas, como os fãs podem notar, não há um segundo guitarrista creditado além de Dave Murray. Então quem seria o guitarrista não creditado?

Tudo começou com uma pequena interrogação e terminou com uma revelação de fato, uma notícia que é parte da história do Iron Maiden. Poucos ouvintes realmente atentos podem perceber nas gravações a guitarra ou entender a importância dessa notícia, mas essa revelação sempre esteve disponível aos ouvidos de todos e está devidamente “não registrada” na história da banda.

Devo dizer que algumas passagens de integrantes na história do Maiden são frustrantes de tão pouca informação divulgada oficialmente. No DVD Early Days todos eles parecem flashes tão insignificantes como Paul Todd e sua uma semana de ensaio; Thunderstick, um baterista que durou apenas um show, entre outros. 

A história oficial não é necessariamente a verdade (e posso comentar melhor sobre isso no futuro), tanto é que o próprio Thunderstick quase conseguiu o posto no Maiden de volta ao invés de Clive Burr! 

Voltando ao guitarrista misterioso, a história conta que logo no início de 1979 a banda teria um segundo guitarrista para complementar Murray, um escocês de nome Paul Cairns (de apelido “Mad Mac”).

Iron Maiden com Paul Cairns ao centro
Paul Cairns durou de cinco a seis meses na banda. Será que ele foi apenas um guitarrista que, desentusiasmado no palco, precisou ser demitido? Não haveria alguma coisa aí que a história do Maiden cismou em não contar (ou ocultar)?
Há algumas semanas, ouvindo a coletânea Best of the Beast, coloquei para tocar a faixa “Strange World”, quando alguma coisa “clicou” em mim aos 3 minutos e meio de música. Tive que voltar e ouvir de novo. E de novo… 

Percebi que o jeito que o segundo solo foi tocado nada tinha a ver com qualquer coisa que Murray já tivesse feito. Não eram os dedos nervosos dele contrapondo notas, mas um desconhecido pegando uma guitarra e ajeitando notas calmas para a faixa. Era estranho e resolvi mandar um e-mail para um conhecido na Inglaterra, perguntando sobre um possível quinto membro tocando guitarra na demo. Esse conhecido mantém contato com Keith Wilfort (ex-presidente do fã-clube oficial), e quando Keith respondeu, a confusão em sua resposta me assustou. Disse que lembrava dos 4 integrantes gravando a demo, mas não tinha certeza de um quinto. Sugeriu que, pelo tipo de som, de repente Harris tivesse arriscado uma guitarra na faixa. 

Quem precisa de Harris solando quando exatamente se tem Murray? 
Pouco depois, esse mesmo colega me respondeu que no fórum do site do Spaceward Studios, Hugh Cairns, irmão de Paul Cairns, havia postado uma memória dos tempos em que o irmão dele gravara com o Maiden! Melhor coincidência impossível! Segue a transcrição da mensagem original: 
Hi there, not sure if you can help, but here goes! 
My brother was one of the lead guitarists with Iron Maiden at the time they recorded their original demo tape at Spaceward. He left the band around 6 months later but kept hold of the demo tape for posterity. Stupidly I lent it to a friend who then “lost it” Ah well. 
Anyway, I wondered if you had any photos from that session – probably around 78/79. 
With kind regards 
Hugh Cairns 
Fonte: http://www.spacewardstudios.ukf.net/guestbook.htm 

Pergunto se haveria algum engano no fato do próprio irmão procurar um site como o do Spaceward Studios para postar sobre uma época que ele parece lembrar bem! E ele perguntou por fotos. Curiosamente o Maiden até hoje só mostrou uma ou duas fotos dessa sessão; apenas Harris aparece (como aquela dele sentado com seu baixo em um sofá).  
A mais conhecida foto das sessões de The Soundhouse Tapes, com Harris ao sofá
Conseguimos contatar Paul Cairns e perguntar diretamente a ele sobre essa história. O que ele revelou deixou meu queixo já caído, agora tocando o chão. Ele não só tocou aquele segundo suspeito solo de “Strange World” que estranhei, como partes de guitarra em cada faixa da demo! E nunca entendeu porque seu nome não foi creditado (ops, já não ouvimos essa história antes?) na demo. 
Cairns diz possuir uma foto meio castigada de seu arquivo pessoal com a banda inteira em frente à casa do estúdio, agasalhados com cachecóis sobre uma camada de neve, com Paul Di’Anno de cabelo grande e Cairns segurando a coleira de seu husky. Foto a qual já tive acesso; porém, não a publicaremos aqui até que o próprio Cairns nos autorize. No entanto, seguem outras fotos da época.
Doug Sampson gravando a bateria para a demo
Steve Harris
Não é bom ter a sensação de que algo sempre esteve errado com essa demo e justamente o fato de que Dave Murray não gravou todas as guitarras? Para mim foi incrível tudo ter se confirmado tão pronta e rapidamente, ainda mais em se tratando de uma demo histórica.
E aí, Steve Harris, andou ocultando alguma coisa?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *