DVD: Kiss – Kissology Vol 2 1978-1991 (2007)

29 de setembro, 2012 | por davipascale
Artigos Especiais
2
Por Davi Pascale

Em 14 de Agosto de 2007 chegava às lojas o segundo volume da série Kissology. Assim como o primeiro volume da série, é um item obrigatório na coleção de seus fãs, mas por abranger um período maior, na minha opinião, ficou faltando material. O DVD vai de 1978 à 1991. Período de altos e baixos. Particularmente, gosto dos álbuns dessa fase. Mesmo o Music From The Elder e o Unmasked que muita gente gosta de criticar, acho bons álbuns. O Unmasked, na minha opinião, seria muito mais forte e muito mais bem recebido se tivesse recebido outra mixagem. Não considero suas músicas ruins. Apenas acho que o som ficou muito limpo. Entretanto, nesse período, sua popularidade oscilava muito e os conflitos internos eram mais frequentes. Lembra-se que na resenha anterior eu disse que a turnê de Love Gun trouxe os primeiros problemas internos? Pois é exatamente aí que começa o segundo volume…

O DVD 1 mostra exatamente este contraste. O vídeo começa com o documentário Land Of Hype And Glory. A capa mostra o especial como de 1978, mas muitos fã-clubes do Kiss apontam que o especial foi ao ar na emissora NBC em 1977. O filme tenta desvendar os mistérios da popularidade que o Kiss desfrutava no período. Traz entrevistas com os integrantes e trechos de apresentações da turnê do Alive II. Pelas imagens apresentadas, realmente parece ser de 1977.
Em seguida, temos a famosa entrevista do Tom Snyder na época do Dynasty. A entrevista é muito legal e mostra um Ace Frehley totalmente fora de si (muitos dizem que ele estava bêbado) e bem-humorado. Porém, a entrevista não está completa.
Na sequencia, temos o filme Kiss Meets The Phantom of The Park, lançado em 1978. Esse foi um ano atípico para o grupo. Foi quando lançaram no mercado os 4 álbuns-solo. – Há quem diga que foi uma jogada para os músicos acalmarem os nervos depois dos problemas da estrada. Há quem diga que foi uma jogada comercial, já que o fato de todos os integrantes de uma banda gravarem um disco e lançarem nas lojas no mesmo dia era algo inédito até então… – Pela primeira vez não saíram em turnê para divulgar o disco. E ainda fizeram este filme  para a televisão, produzido pela Hanna Barbera. Os problemas pareciam aumentar cada vez mais. As filmagens, ocorridas em Magic Mountain (California) e Hollywood Hills, foram tensas. O roteiro foi escrito e re-escrito. Na primeira versão, Ace era descrito como um personagem amigável e monossilábico. Ace, contudo, ameaçou abandonar o projeto caso não ganhasse falas. Peter negou-se a participar da pós-produção do filme. Com isso, sua voz não aparece no longa. As falas de Peter foram feitas por Michael Bell. (Não sei como funciona cinema hoje, mas nessa época, após as filmagens os atores tinham que dublar suas falas para deixar o áudio mais nítido). Sem contar que no último dia de filmagem, o baterista se envolveu em um grave acidente de carro (por conta disso, várias faixas do LP Dynasty não foram gravadas por Peter e sim, por Anton Fig). Mesmo ganhando falas, Ace abandonou diversas vezes o set de filmagem por conta de discussão com o diretor do filme.

Aqueles que são um pouco mais velhos, irão se lembrar do filme ter sido exibido na televisão brasileira com o título de Kiss e o Fantasma das Trevas. Essa versão é um pouco diferente da versão que passava no Brasil. Trata-se da edição europeia e não da norte-americana. A diferença? Algumas poucas cenas a mais e trilha sonora diferente. Nesta versão estão incluídas algumas canções dos álbuns-solo de 1978 que não apareciam na outra edição. Sem contar que aqui temos o áudio original. Não temos aquela dublagem tosca onde colocaram o Paul Stanley falando como se estivesse rouco.

Para quem não conhece a película, a historia trata de um empresário que possui um parque de diversões e concorda em fazer um show do Kiss no parque. Seu sócio, contudo, é contra e resolve acabar com o show criando robôs iguais ao Kiss, colocando-os para tocar no lugar do original com letras inofensivas. A banda tem que utilizar seus super-poderes para sair da prisão, destruir os robôs e apresentar o show verdadeiro para seu publico. Aqui, a banda era tratada em vários momentos como super-herois. Paul Stanley atira raio-laser pelo olho. Gene Simmons é extremamente forte e cospe fogo. Ace Frehley se teletransporta e Peter Criss é incrivelmente veloz. O roteiro, realmente, é fraco. Não é difícil encontrar algum depoimento do Paul Stanley tratando o filme como um erro. Em algumas cenas foram utilizadas dublês. Fiquei feliz de incluírem o longa-metragem nesse pacote. A banda durante muito tempo impediu sua reedição. Com isso, o VHS era vendido a preços abusivos nas Amazons da vida. E, mesmo que o filme não seja uma obra-prima, seus fãs mais fiéis queriam ter para completar sua coleção e tinham que recorrer a bootlegs onde muitas vezes a imagem era ruim. Vale pelo valor histórico.
Vamos então ao segundo DVD. O disco inicia-se com o clipe de Shandi. Todos já sabem que as baterias de Unmasked foram gravadas por Anton Fig (Frehley´s Comet). O nome do mesmo aparecia no encarte do LP. E todos já sabem que a turnê foi a estreia de Eric Carr. No entanto, por uma questão de contrato, Peter teve que filmar o clipe (essa é a mesma razão para aparecer seu nome na contracapa do LP). É sua última participação com o Kiss. O clipe de Is That You (que não está presente neste DVD) já trazia Eric nas baquetas.
Logo depois é a vez da entrevista que Peter Criss deu à CNN para explicar sua saída do grupo. Peter aparece de costas todo o tempo porque sua imagem ainda não podia ser revelada. Nessa época, os músicos haviam optado por não mostrar seus rostos para criar uma áurea. Muito provavelmente seu contrato não havia vencido ou existia alguma cláusula que o impedisse de aparecer publicamente durante algumas semanas após sua saída e, com isso, não poderia aparecer em rede nacional.
Peter Criss sai, Eric Carr entra. “Countdown” traz uma entrevista com a banda para a TV australiana. Provavelmente a primeira aparição deles com Eric Carr em um programa de televisão. As imagens são feitas no backstage de um show da turnê de 1980.
Antes de mostrarem um show desta turnê na integra, demonstram mais uma aparição em um programa televisivo. Desta vez, vão ao estúdio da emissora e interpretam duas canções de Unmasked: “She´s So European” e “Talk To Me”. As performances aqui são playbacks. Dá pra notar perfeitamente o que falei sobre a mixagem das músicas no início do texto.
Finalmente chega o momento que todos esperavam. O show da turnê Unmasked. A primeira turnê com Eric Carr. Esse show é muito legal porque as músicas deste álbum nunca mais foram apresentadas em concerto (com exceção de “Shandi” que foi apresentada em formato acústico alguns anos atrás). Com isso, essa é sua única chance de ouvir as versões ao vivo de canções como “Is That You” e “Talk to Me”. O show está quase completo. Infelizmente God Of Thunder está com um corte.
E eis que chega o momento de Music From The Elder. Como os fãs mais fervorosos estão carecas de saber, este álbum não teve turnê. Portanto, as imagens apresentadas aqui são aquelas já conhecidas versões do especial de TV Friday´s. A gravação ocorreu em 15 de janeiro em 1982. Foram apresentadas: “The Oath”, “A World Without Heroes” e “I”. Desta vez, ao vivo. Muito legal, principalmente pelo visual do Paul Stanley. Com os cabelos mais curtos e aquela faixa na cabeça, igual à capa da coletânea Killers. Como eu gostaria de ver o Kiss tocando The Oath novamente…
O segundo DVD encerra com uma apresentação no programa de TV Toppop (Holanda), onde realizaram um playback de “I Love It Loud” para promover o álbum “Creatures Of The Night”. Ace Frehley ainda aparecia junto com a banda. Uma de suas últimas aparições. Na turnê (que viria ao Brasil no ano seguinte) o spaceman seria substituído por Vinnie Vincent.
Chegamos ao terceiro DVD do pacote. As imagens continuam na era Creatures. O primeiro item dessa fita é muito legal para os fãs brasileiros, pois trata-se da apresentação que os músicos fizeram no Estádio do Maracanã em 1983. Embora não esteja na integra, a qualidade de imagem é muito boa (levando em conta os padrões da época, é claro) e os fãs têm a oportunidade de ver pela primeira vez a faixa Creatures of The Night que ficou de fora do especial da Rede Globo.
Os shows no Brasil foram os últimos com as máscaras. E o que temos, logo em seguida, é um momento histórico. A primeira aparição do Kiss sem as máscaras. Depois de esconderem seus rostos por quase uma década (pelo menos Gene e Paul), os músicos decidiram dar a cara para bater. A entrevista foi realizada para a MTV em 18 de Setembro de 1983. O mistério havia acabado…
O momento Lick It Up está representado com duas canções retiradas da apresentação ocorrida em Lisboa (Portugal). A primeira apresentação sem maquiagem! Embora seja curto, o vídeo é realmente um achado.
Até aqui o vídeo estava perfeito. A minha frustração vem em seguida. Os caras vão de 1983 para 1987, esquecendo completamente os discos Animalize e Asylum. Por que? Este seria o momento perfeito para incluírem o show do Animalize (inédito em DVD). E por que nenhuma imagem do Asylum? Nenhum clip? Nenhuma apresentação em TV? Não entendi…
O ano de 1987 é representada por uma versão compacta do show realizado no Spectrum na Crazy Nights Tour em 1987. O vídeo existe filmagem completa (tenho o bootleg em casa). Contudo, resolveram apresentar somente 5 músicas do concerto: “Love Gun”, “Bang Bang You”, “Reason to Live”, “No No No” e “Crazy, Crazy Nights”. Dá para entender a razão disto. Muitos fãs não gostam do álbum Crazy Nights por conta de sua sonoridade mais leve e inclusão de teclados.
Depois vem uma apresentação da turnê Hot In The Shade na integra. O ponto alto do terceiro disco. Depois de terem tido grandes dificuldades na tour de Crazy Nights (passaram a tocar em lugares um pouco menores e muitas vezes não conseguiam lotar as apresentações), o Kiss voltava a gerar interesse. A formação era a mesma de Crazy Nights: Paul Stanley, Gene Simmons, Bruce Kulick e Eric Carr. Nesta turnê, optaram por fazer um setlist maior e voltar com várias canções da década de 1970 que não tocavam há um bom tempo. Sem contar que, nessa época, voltaram às rádios com canções como “Forever” (aqui no Brasil chegou a fazer parte da trilha sonora da novela Rainha da Sucata) e “Hide Your Heart”. Esta última, chegou a ganhar uma versão do Yahoo com o nome de Para-Raios. A apresentação é fantástica! Paul Stanley estava em seu auge.
Na sequencia temos a noticia da morte de Eric Carr. A curta reportagem foi exibida no programa Day In Rock da MTV. Aqui no Brasil, o programa era exibido como MTV No Ar.
O ultimo capítulo do DVD é o videoclipe de God Gave Rock n Roll To You II. A ultima aparição do musico com a banda. O disco foi gravado com Eric Singer. Eric Carr estava muito fraco fisicamente e não tinha mais condições de gravar o disco. No entanto, o músico insistiu para gravar o clipe promocional. Stanley e Simmons concordaram. Nele, Eric Carr estava de peruca. O músico havia perdido todo seu cabelo na quimioterapia. Depois das legendas, há uma imagem do baterista no hospital 7 meses antes de sua morte. Eric havia passado por uma cirurgia no coração 3 dias antes. O rapaz estava com boa aparência e aparecia na câmera falando sem demonstrar nenhum tipo de abalo, inclusive, arriscando algumas piadas.
Neste segundo pacote existe apenas um Easter Egg. Exatamente neste último disco. Basta clicar em cima de Kissology no menu e você terá acesso á uma entrevista com Gene Simmons e Mark St John em 1984.

Assim como no primeiro volume, foram lançados no mercado 3 edições: Wal-Mart, Bestbuy e uma terceira edição para as demais lojas. Os 3 shows escolhidos já são conhecidos dos colecionadores e embora exista o registro na integra, mais uma vez, foram editados.
A edição mundial e a edição da Best Buy traziam apresentações da Crazy Nights Tour. Budokan e New York, respectivamente. A apresentação do Japão é melhor. Tenho ambos os shows na integra. No de Nova Iorque, Paul Stanley estava apresentando cansaço. Encontrava dificuldade em atingir algumas notas. No show do Japão, o cara mandou muito bem. No entanto, o bônus mais legal é a edição da Wal-Mart. Trata-se do clássico Largo 1979. Turnê do Dynasty. Além de ser a última turnê com Peter Criss, o repertório trazia algumas canções dos álbuns-solo de 1978 que nunca mais foram apresentadas ao vivo como “Move On”, “Tossin´ And Turnin´” e “Radioactive”. Ainda acho que esse show deveria ter entrado no pacote como parte principal e não como bônus…
DVD 1:
  • Land Of Hype And Glory
  • Kiss Meets The Phantom Of The Park
  • The Tomorrow Show com Tom Snyder
DVD 2:
  • Shandi (Videoclipe)
  • Entrevista de Peter Criss na CNN
  • Countdown
  • Rockpop :
Ø  “She’s So European”
Ø  “Talk To Me”
Ø  “Detroit Rock City”
Ø  “Cold Gin”
Ø  “Strutter”
Ø  “Shandi”
Ø  “Calling Dr. Love”
Ø  “Firehouse”
Ø  “Talk To Me”
Ø  “Is That You”
Ø  “2000 Man”
Ø  “I Was Made For Lovin’ You”
Ø  “New York Groove”
Ø  “Love Gun”
Ø  “God Of Thunder”
Ø  “Shout It Out Loud”
Ø  “King Of The Night Time World”
Ø  “Black Diamond”
  • Fridays
Ø  “The Oath”
Ø  “A World Without Heroes”
Ø  “I”
  • Top Pop
Ø  “I Love It Loud”
DVD 3:
Ø  “Creatures Of The Night”
Ø  “Cold Gin”
Ø  “Calling Dr. Love”
Ø  “Firehouse”
Ø  “I Love It Loud”
Ø  “War Machine”
Ø  “Black Diamond”
Ø  “Rock And Roll All Nite”
Ø  “Creatures Of The Night”
Ø  “Detroit Rock City”
Ø  “Love Gun”
Ø  “Bang Bang You”
Ø  “Reason To Live”
Ø  “No, No, No”
Ø  “Crazy, Crazy Nights”
Ø  “I Stole Your Love”
Ø  “Deuce”
Ø  “Heaven’s On Fire”
Ø  “Crazy Crazy Nights”
Ø  “Black Diamond”
Ø  “Shout It Out Loud”
Ø  “Strutter”
Ø  “Calling Dr. Love”
Ø  “I Was Made For Lovin’ You”
Ø  “Fits Like A Glove”
Ø  “Hide Your Heart”
Ø  “Lick It Up”
Ø  “God Of Thunder”
Ø  “Forever”
Ø  “Cold Gin”
Ø  “Tears Are Falling”
Ø  “I Love It Loud”
Ø  “Love Gun”
Ø  “Detroit Rock City”
Ø  “I Want You”
Ø  “Rock And Roll All Nite”
  • Day In Rock – 25 de Novembro de 1991
  • “God Gave Rock ‘N’ Roll To You II” (videoclipe)
  • Eric Carr no hospital (Bônus)
  • Easter Egg: Entrevista de Gene Simmons e Mark St. John
DVD Bônus
Tradicional:
  • Budokan 1988
Ø  “Love Gun”
Ø  “Cold Gin”
Ø  “Crazy Crazy Nights”
Ø  “Heaven’s On Fire”
Ø  “War Machine”
Ø  “I Love It Loud”
Ø  “Lick It Up”
Ø  “I Was Made For Lovin’ You”
Ø  “Detroit Rock City”
Ø  “Rock and Roll All Nite”
Wal-Mart:
Ø  “Radioactive”
Ø  “Move On”
Ø  “Calling Dr. Love”
Ø  “Firehouse”
Ø  “New York Groove”
Ø  “I Was Made For Lovin’ You”
Ø  “Love Gun”
Ø  “Tossin’ And Turnin'”
Ø  “God Of Thunder”
Ø  “Shout It Out Loud”
Ø  “Black Diamond”
Ø  “Detroit Rock City”
Ø  “Rock And Roll All Nite”
Best Buy:
Ø  “Deuce”
Ø  “Love Gun”
Ø  “Fits Like A Glove”
Ø  “Heavens on Fire”
Ø  “Cold Gin”
Ø  “Black Diamond”
Ø  “Firehouse”
Ø  “Crazy, Crazy Nights”
Ø  “Calling Dr. Love”
Ø  “War Machine”
Ø  “Tears Are Falling”



2 Comentarios

  1. Anônimo de volta disse:

    A fase dos anos 80 do Kiss tem muito sujeito que torce o nariz. Eu acho excelente todos os discos daquela época. Especialmente o Animalize e o Asylum. Bem como o Lick it Up.

  2. Anônimo de volta disse:

    Os anos 80 foram mágicos. O Hard Rock batizado por muitos de “farofa” representava alegria, festas, noitadas inesquecíveis, carros conversíveis e putaria. Bons tempos que não voltam mais. As bandas sabiam tocar, os músicas sabiam fazer solos de guitarra, solos de bateria. Existia sim exibicionismo mas e daí? Só que aí veio o depressivo Kurt Cobain renegando tudo isso pois na concepção daquele perdedor, o “dinheiro é sujo e os pobres passam necessidade”. Afff, ainda bem que ele já morreu enquanto que bandas como WASP, Motley Crue, o Kiss dessa fase, Poison e Dokken gravaram clássicos absolutos e músicas muito bem executadas por músicos competentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *