Por Leonardo Castro

Em 2002, o L.A. Guns lançou um dos seus melhores discos em muito tempo, Waking The Dead, contando com o guitarrista e fundador Tracii Guns e os membros de longa data Phil Lewis, vocalista, e Steve Riley, baterista, além do baixista Adam Hamilton. Contudo, o álbum que poderia ter dado um novo gás à carreira do grupo acabou ficando marcado como o disco que dividiu a banda e acabou gerando duas versões da mesma. Antes da banda sair em turnê para promover o disco, Tracii Guns decidiu focar no grupo que estava formando com Nikki Sixx, o Brides Of Destruction, enquanto Lewis e Riley decidiram seguir em frente sem o fundador, recrutando o talentoso Stacey Blades para o posto de guitarrista. Entrentanto, pouco tempo depois o Brides Of Destruction se desfez, e Tracii montou sua própria versão do L.A. Guns, com formações que chegaram a incluir o primeiro vocalista da banda, Paul Black, e o ex-vocalista do Love/Hate e do próprio L.A. Guns, Jizzy Pearl. Com isso, durante um bom tempo duas versões do L.A. Guns existiram paralelamente, mas enquanto a banda capitaneada por Tracii Guns apenas se apresentava ao vivo, a versão de Phil Lewis e Steve Riley lançou o disco de covers Rip The Covers Off e o bom álbum de inéditas Tales Of The Strip, em 2005. Depois de inúmeras mudanças de formação, Tracii Guns decidiu aposentar sua versão da banda no fim de 2011, enquanto Lewis e Riley seguem firmes e fortes.E é esta versão da banda, que hoje conta com Phil Lewis, Steve Riley, Stacey Blades e o novo baixista Scott Griffin que está lançando um novo álbum, intitulado Hollywood Forever. Produzido pelo experiente Andy Johns (Humble Pie, Free, Cinderella, Van Halen), o disco apresenta o som clássico do grupo, baseado em ótimos riffs de guitarras, melodias marcantes e refrões memoráveis.

O álbum tem início com a excelente faixa-título, que remete diretamente aos dois primeiros discos do grupo, e que deixa claro que Stacey Blades é um substituto a altura de Tracii Guns, com riffs ganchudos e solos muito bem encaixados. A música seguinte, “You Better Not Love Me”, é a faixa de trabalho do disco e ganhou um belo videoclip. Mais cadenciada, a música tem uma levada viciante e um refrão excelente, lembrando o clima do disco Hollywood Vampires, de 1991. Vale ainda ressaltar que as linhas vocais e a performance de Phil Lewis são muito boas, e dos cantores da sua geração, ele é certamente um dos que envelheceu melhor.

Steve Riley, Phil Lewis, Scott Griffin e Stacey Blades.

Outro destaque do disco é a pesada e moderna “Eel Pie”, enquanto a animada e divertida “Vine S.t Shimmy” nos lembra a cena hard rock californiana dos anos 80, onde o L.A. Guns nasceu. Já “Dirty Black Night” é dona de um dos melhores riffs do disco, com uma pegada forte, e tem um solo espetacular de Stacey Blades, e é certamente uma das melhores músicas que ouvi esse ano. O lado mais bluesy da banda aparece em “Queenie”, outra faixa com um grande refrão, enquanto “Venus Bomb” mistura a malícia do rock n’ roll com a pegada do hard rock, como o WASP fez em “Blind In Texas”, com um resultado contagiante. Há ainda um interessante cover de “Araña Negra”, da banda de rock psicodélico Bicicletas, com a letra em espanhol.

No geral, Hollywood Forever apresenta a sonoridade clássica do L.A. Guns, e ainda que não seja um clássico como Cocked &Loaded [1989] ou o já citado Waking The Dead [2002], conta com excelentes composições. Fãs da banda e do hard rock oitentista certamente não se decepcionarão!

L.A. Guns – Hollywood Forever

01. Hollywood Forever
02. You Better Not Love Me
03. Eel Pie
04. Sweet Mystery
05. Burn
06. Vine St. Shimmy
07. Dirty Black Night
08. Underneath The Sun
09. Queenie
10. Crazy Tango
11. Venus Bomb
12. I Won’t Play
13. Requiem (Hollywood Forever)
14. Arana Negra (Black Spider)

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.