Cinco Discos Para Conhecer: Marcel Jacob

25 de maio, 2012 | por Van do Halen
Cinco Discos Para Conhecer
2
Por João Renato Alves (publicado originalmente no site Van do Halen)
Sempre que alguém citar os maiores baixistas de Hard Rock, a presença do sueco Marcel Jacob é inevitável. Tocando com vários grupos em sua carreira e estabelecendo uma forte parceria com Jeff Scott Soto, o músico sempre se destacou por sua singular habilidade. Poucas vezes um baixista apareceu de forma tão brilhante. Infelizmente, Marcel não está mais conosco, mas sua obra merece ser conhecida por todos. Aqui vai um bom guia para começar.
Yngwie Malmsteen – Marching Out [1985]
A estreia do guitarrista sueco, com o clássico Rising Force (1984), trazia apenas duas faixas com vocais. A coisa mudaria drasticamente em Marching Out. Óbvio que a grande estrela ainda era Malmsteen, demonstrando sua monstruosa capacidade técnica nas seis cordas. Entretanto, aqui a coisa ficava mais diversificada. Foi com Jeff Scott Soto como colaborador nas composições que Yngwie escreveu um de seus maiores clássicos, a até hoje executada “I’ll See the Light Tonight” – com direito a um fato pitoresco no videoclipe de divulgação, no qual Mark Boals aparece dublando a voz de Soto. Outros dois clássicos escritos em dupla são as ótimas “Don’t Let it End” e “On the Run Again”. Também se destacam entre as preferidas dos fãs “Disciples of Hell” e “I Am a Viking”. Os outros três integrantes do grupo (Marcel Jacob e os famigerados irmãos Johansson) mantinham o alto nível. Infelizmente, Marching Out marcaria o fim da parceria do grupo em estúdio. Desavenças empresariais – e o ego inflamado do chefão – fizeram com que Jeff pulasse fora, seguido de Marcel. Futuramente ambos participariam do álbum de covers Inspiration como convidados. Muitos (incluindo este que vos escreve) ainda sentem a falta dessa parceria, que suplantou todas que Yngwie estabeleceu posteriormente.
Formação: Yngwie Malmsteen (guitarras); Jeff Scott Soto (vocais); Marcel Jacob (baixo); Jens Johansson (teclados) e Anders Johansson (bateria).
1. Prelude
2. I’ll See the Light Tonight
3. Don’t Let It End
4. Disciples of Hell
5. I Am a Viking
6. Overture 1383
7. Anguish & Fear
8. On the Run Again
9. Soldier Without Faith
10. Caught in the Middle
11. Marching Out
John Norum – Total Control [1987]
(Por Igor Miranda)
The Final Countdown (1986) foi – e ainda é – o disco mais famoso do Europe. Mas o guitarrista John Norum estava insatisfeito com o rumo “pasteurizado” que o grupo assumiu nesse play, visto que a entrada de Mic Michaeli deu maior ênfase nos teclados. Norum saiu durante a turnê de divulgação do álbum para embarcar em uma boa carreira solo. Seu primeiro trabalho, Total Control, mostrou o poder de fogo do guitarrista, que já havia provado ser um músico talentoso mas, então, ao seu modo e com uma banda de apoio tão competente quanto a sua anterior. Há a presença de teclados no registro, mas o foco está nas guitarras. Além de tudo, com exceção de três faixas, que foram cantadas por Göran Edman, Norum tratou de assumir os vocais. Um verdadeiro passeio entre o Hard Rock e o AOR.
Formação: John Norum (vocais, guitarra); Göran Edman (vocais em 2, 5 e 6); Marcel Jacob (baixo); Peter Hermansson (bateria) e Per Blom (teclado).
3. Too Many Hearts
4. Someone Else Here
5. Eternal Flame
6. Back on the Streets
7. Blind
8. Law of Life
9. We’ll Do What It Takes Together
10. In Chase of the Wind
11. Wild One (Faixa bônus)

Talisman [1990]
(Por Igor Miranda)
Lançado no início de 1990, o debut auto-intitulado do Talisman foi um sucesso em sua terra natal: vendeu 30 mil cópias em dois meses na Suécia, além de emplacar o hit “I’ll Be Waiting” nas paradas. Não era pra menos: liderado pelo baixista Marcel Jacob (que também gravou guitarra base e partes da bateria), um ótimo time de músicos fez parte desse registro, incluindo o incansável Jeff Scott Soto e o tecladista Mats Olausson, então recém-integrado na banda de Yngwie Malmsteen. Do início ao fim, Talisman apresenta um Hard Rock melódico de altíssima qualidade. O senso musical desses caras é incrível: refrões grudentos, riffs e solos bem executados, cozinha impecável, teclados presentes, ótima produção e a voz marcante de Jeff Scott Soto são algumas das boas qualidades desse álbum. A banda passou por dificuldades após o lançamento com a falência da gravadora, mas só a morte de Jacob, em 2009, findou o conjunto.
Formação: Jeff Scott Soto (vocais); Marcel Jacob (baixo, guitarra, bateria, sintetizadores); Christopher Ståhl (guitarra); Mats Lindfors (guitarra); Peter Hermansson (bateria) e Mats Olausson (teclados).
2. Standin’ on Fire
3. I’ll Be Waiting
4. Dangerous
6. System of Power
7. Queen
8. Lightning Strikes
9. Day By Day
10. Women Whiskey & Song
11. Great Sandwich

Humanimal [2002]
Humanimal é um dos discos mais conhecidos do Talisman. Também foi como o guitarrista Pontus Norgren escolheu para nomear seu projeto. A banda, na verdade, é o Talisman, com todos os seus membros da época, exceto o baterista Jamie Borger. Contudo, diferentemente do que habitualmente acontecia, as composições não ficaram centradas apenas em Marcel e Jeff Scott Soto, sobrando espaço para o homem das seis cordas, atualmente no Hammerfall, mostrar o que sabe. O som é aquele Hard característico, que todos conhecem, da banda que originou essa união. Talvez um clima um pouco mais denso em algumas faixas, mas nada que descaracterize a sonoridade original. Todas as músicas merecem igual destaque. Um discaço, para ser ouvido sem interrupções. E, para quem quiser conferir o tamanho do talento que perdemos com a partida de Marcel, dê uma conferida mais atenta na linha de baixo de “License 2 Kill”. Coisa de craque mesmo.
Formação: Jeff Scott Soto (vocais); Pontus Norgren (guitarra); Marcel Jacob (baixo) e Tomas Broman (bateria).
1. R U 4 Real
3. License 2 Kill
4. Find My Way Home
5. Feel The Burn
6. Road 2 4giveness
7. I
8. Turn Away
10. Way 2 Deep
11. Love’s The Dominion (Faixa bônus)
12. What Do You Want to Prove? (Faixa bônus)

Last Autumn’s Dream – Saturn Skyline [2007]
Sem dúvida, uma das grandes bandas de Hard/Melodic Rock surgidas na última década foi o Last Autumn’s Dream. Liderada pelo talentoso multiinstrumentista e vocalista Mikael Erlandsson, o grupo contou em sua primeira formação simplesmente com três quintos do Europe. Mais precisamente o tecladista Mic Michaeli, o baixista John Levén e o baterista Ian Haugland participaram dos primeiros passos do projeto. Contudo, após juntarem-se novamente a Joey Tempest e John Norum, tiveram que sair, pois suas agendas não comportariam os dois trabalhos. Mas em um golpe de esperteza – e sorte também – Mikael substituiu ouro com ouro ao chamar ninguém menos que Marcel Jacob e Jamie Borger. O próprio cuidaria dos teclados em estúdio. Saturn Skyline é o quarto álbum de estúdio do projeto e reúne algumas das melhores músicas feitas por Mikael. A trinca que abre o trabalho já é daquelas que valem o disco. Na sequência “Rock N Roll Is Saving My Soul”, uma filha biológica reconhecida em cartório de “God Gave Rock and Roll To You”. Ouvir uma é lembrar da outra automaticamente. Se o seu negócio é um Melodic Rock/AOR com passagens pra lá de grudentas feitas por músicos do mais alto gabarito, deve conhecer essa banda. Ela tem grandes chances de figurar entre suas preferidas.
Formação: Mikael Erlandsson (vocais, teclados); Andy Malecek (guitarras); Marcel Jacob (baixo) e Jamie Borger (bateria).
2. After Tomorrow’s Gone
3. Pages
4. Rock N Roll Is Saving My Soul
5. I Know a Lot About Love
6. Critical
7. Supersonic
8. Frozen Heart
9. American Girl
10. Domino
11. Still on the Run



2 Comentarios

  1. diogobizotto disse:

    Não é a primeira vez que alguém recomenda o Last Autumn's Dream; pelo visto vou ter que correr atrás de seus discos, já que, pelo que ouvi da banda, ela tem qualidades o suficiente para me agradar.

    Quanto às outras escolhas, apesar de gostar do álbum autointitulado do Talisman, minha seleção recairia sobre o disco "Humanimal" (o terceiro disco do Talisman, não o projeto homônimo já citado), que traz uma performance mais interessante de Marcel, felizmente bem destacada na mixagem e mostrando para muitos que tinham rejeição ao estilo, que baixista palheteiro pode ser muito bom sim!

  2. Grande baixista, mas um compositor ainda melhor!

    E concordo com o Diogo, o disco Humanimal é uma aula de baixo!

    Rest in Peace, Marcel!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *