Direto do Forno: Exodus – Fabulous Disaster [1989]

8 de maio, 2012 | por Mairon
Direto do Forno
2

Por Daniel Sicchierolli

Sempre gostei de rock, do hard oitentista ao heavy e thrash metal. Entretanto, um fato que sempre me afastou de bandas mais extremas, inclusive de muitas bandas thrash, são os vocais guturais ou urrados. Dessa maneira, grupos como o Exodus caem como uma luva em meu gosto pessoal, pois são pesadas, agitadas e contava com um vocalista que realmente canta, muito no estilo do falecido Bon Scott (AC/DC), o que já é um mérito para qualquer um.
Admito, com muita vergonha, que nunca havia escutado Fabulous Disaster, lançado originalmente em 1989, mas graças à Shinigami Records, que relançou este álbum no ano passado em nosso país, obtive acesso a esse grande disco. O que mais me chamou a atenção no registro é o fato da gravação e da produção soarem atuais, fornecendo às faixas uma sonoridade realmente pesada. A formação o Exodus na época contava com Steve “Zetro” Souza nos vocais, Rick Hunolt e Gary Holt nas guitarras, Rob McKillop no baixo e Tom Hunting na bateria.
Parte do encarte de Fabulous Disaster. No alto: Rick Hunolt, Steve “Zetro” Souza e
Gary Holt. Abaixo: Tom Hunting e Rob McKillop

A terceira faixa, “The Toxic Waltz“, é uma aula de thrash metal, com levadas empolgantes, daquelas que considero ideais para se testar um novo aparelho de som ou atormentar os vizinhos. Um hino thrash! Já “Cajun Hell” vai na linha AC/DC, mas com esteróides, pois as linhas de guitarra totalmente thrash metal comandam sua levada. O álbum como um todo segue a linha clássica do que conhecemos como thrash metal, ou seja, muitas guitarras distorcidas e bem calibradas, uma cozinha destruidora e um absurdo de baterista carregando tudo como se estivesse sozinho. Não é um disco para os fracos, pois a sonzeira e peso dominam o álbum.

Vale destacar o encarte no formato pôster, contando com as letras e fotos dos integrantes. Se fosse resumir o que é o Exodus para mim, diria se tratar de uma mistura do AC/DC com o Anthrax. Não à toa, eles coverizaram a faixa “Overdose“, do AC/DC, para encerrar o disco. Como bônus, além da versão citada, temos quatro faixas ao vivo, que mostram onde uma banda de verdade é feita: em cima do palco e detonado.

Um álbum excelente do começo ao fim e, felizmente, agora corrigi o erro que havia em minha coleção, pois trata-se de um item obrigatório para qualquer fã de música pesada. Que Metallica que nada, eu vou é de Exodus. E a partir de hoje, vou correr atrás dos outros álbuns para completar a discografia da banda!

Track list:

1. The Last Act of Defiance 
2. Fabulous Disaster 
3. The Toxic Waltz 
4. Low Rider
5. Cajun Hell 
6. Like Father, Like Son 
7. Corruption 
8. Verbal Razors 
9. Open Season 
10. Overdose
11. Fabulous Disaster [Live] [Faixa bônus]
12. Toxic Waltz [Live] [Faixa bônus]
13. Cajun Hell [Live] [Faixa bônus]
14. Corruption [Live] [Faixa bônus]



2 Comentarios

  1. Um baita disco, sem dúvidas. Mesmo com esse pessoal que só acha o Exodus na fase do Baloff, tem que admitir que o Steve Souza tb era outro baita vocalista. Essencial por natureza

  2. Por mais que o Bonded By Blood seja mais balado, acho o Fabulous Disaster tao bom quanto ele. Toxic Waltz é um hino, e o melhor riff da historia da banda está nesse disco, na maravilhosa faixa-título.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *