Box Set: AC/DC – Backtracks [2009]

7 de fevereiro, 2012 | por Pablo Ribeiro
Resenha de Box Set
7
Box



Por Pablo Ribeiro

Nesses tempos de incerteza em relação ao mercado musical, principalmente no que tange a formatos de mídia física, parece mesmo que a saída são as edições especiais e/ou limitadas, e quando se fala em formatos de luxo, os famigerados box-sets estão no topo da lista. Geralmente destinados a conteúdo raro ou coletâneas com uma grande abrangência de material, esses lançamentos, via de regra, têm em sua apresentação visual uma parte tão atraente – e as vezes até mais valiosa – quanto a música neles contida. Encartes repletos de fotos raras, livretos de capa dura e muitas vezes a própria “caixa” em si, tranformam esses boxes em verdadeiros tesouros, não só para os fãs da banda a qual se destinam, mas aos consumidores exigentes desse tipo de mídia.

Sendo o AC/DC uma das maiores bandas de rock da história e um dos mais prolificos grupos em questão de qualidade, nada mais justo do que merecer um lançamento do gênero. O box em questão, Backtracks, é o quarto lançamento do grupo no formato, e de longe o mais bacana e atrativo. Focando em material raro e inédito, Backtracks foi disponibilizado em duas versões: uma luxuosa, repleta de atrativos visuais, e outra standard, mais simples e acessível, contando com dois CDs e um DVD, além de um livreto com algumas fotos. Dissecarei aqui, a versão deluxe do lançamento. São três CDs e dois DVDs, englobando toda a carreira da banda entre os anos de 1975 a 2009.

Malcolm Young (agachado), Cliff Williams, Phil Rudd, Brian Johnson e Angus Young

Do primeiro CD de áudio, chamado “Studio Rarities”, constam 18 faixas, entre lados b de singles, músicas exclusivas para lançamentos importados e trilhas sonoras para filmes. Ainda que algumas faixas não tenham a mesma força das canções lançadas nos álbums de estúdio à sua época, todas são de qualidade indiscutível, principalmente aquelas referentes ao anos com o insubstituível Bon Scott (ainda que Brian Johnson tenha sido uma excelente escolha para ocupar o posto de vocalista do grupo após a morte de Scott, em 1980), que ocupam grande parte desse primeiro CD.

Nas duas bolachas seguintes, denominados “Live Rarities”, há 29 músicas ao vivo, abrangendo as mesmas três décadas do disco de estúdio do pacote. Estão aqui clássicos atemporais do grupo, em versões ao vivo gravadas em várias épocas e locais diferentes, a maioria delas, aliás, espetaculares – não poderia ser diferente, levando-se em consideração o poderio do AC/DC em cima de um palco. Desta feita, apenas quatro faixas contam com os vocais de Bon Scott. Brian Johnson toma conta do microfone nas outras 25 canções.

O pacote completo

Esses três discos, sozinhos, já seriam obrigatórios em qualquer coleção de rock de respeito, tamanha sua qualidade. Mas há mais: dois DVDs acompanham o pacote. O primeiro deles, “Family Jewels Vol. 3”, é, na verdade uma compilação de videoclipes que ficaram de fora do DVD Duplo Family Jewels, lançado em 2005. São 16 clipes (sendo sete deles a título de bônus) e mais dois making ofs, sendo o primeiro deles de 1993 e o último, de 2009. Vale pelo registro dos vídeos e para completar o pacote Family Jewels. O segundo DVD, “Live at the Circus Krone 2003” (esse sim uma paulada audiovisual de respeito), traz o show dos australianos no local homônimo, na Alemanha, em 2003. São 19 clássicos preferidos dos fãs tocados com a energia e o tesão característicos do grupo. Poderia facilmente ser lançado como um produto independente nas lojas pela sua qualidade e relevância. Tudo isso já faria de Backtracks atrativo o suficiente para apreciadores de um rock and roll de altíssima qualidade, mas como citado, o box em questão é um produto deluxe, uma edição nobre, para um merecedor. E é exatamente aí que Backtracks impressiona mais… Tudo aqui é superlativo! Acompanhando o material citado acima, temos:

– Livro de capa dura com 164 páginas, medindo cerca de 30cm x 30cm, contendo fotos raras e inéditas, abrangendo toda a carreira do grupo;
– LP 12″ de alta qualidade, prensado em 180 gramas, contendo 12 das 18 canções do CD de raridades em estúdio;

– Poster com 90cm x 60cm;
– Três litogravuras com imagens da banda em estúdio, em tamanho A5;

– Réplica da ficha de gravação do grupo em estúdio;

– Réplica da nota de 100 dólares com a imagem de Angus;

– Réplica de flyer de show;

– Bottom com imagem de Angus;

– Palheta;

– Adesivo em forma do boné de Angus;

– Tatuagem temporária de Bon Scott.

Como se toda a imensa qualidade do material contido aqui não fosse o suficiente, o mesmo vem embalado em formato de amplificador de guitarra, medindo vistosos 31cm de largura x 35cm de altura x 11cm de profundidade. Ah, sim, pra completar a sensacional megalomania chamada Backtracks, esse mesmo amplificador que guarda toda essa maravilha FUNCIONA DE VERDADE (confira aqui e aqui)! Sim, com uma potência mínima – alimentado por uma bateria de 9 volts, incluída no pacote -, mas não deixa de ser uma ideia extremamente bacana e bem sacada.

Sim, o amplificador funciona!



Backtracks é, talvez, um dos produtos mais legais já lançados por uma banda de rock – e outros estilos – até hoje, e vale cada centavo dos aproximadamente 300 dólares cobrados em sites gringos. Há ainda uma versão “magrinha” do box, a tal “Standard Edition” (custando cerca de 25 dólares), que citei anteriormente, que serve, talvez, para um ouvinte eventual de rock, mas a versão deluxe dessa belezinha aqui é incomparável, e faz qualquer fã de rock mais ávido babar!

Para conferir o extenso track list, clique aqui.



7 Comentarios

  1. diogobizotto disse:

    Nesses tempos de incerteza em relação ao mercado musical, principalmente no que tange a formatos de mídia física, parece mesmo que a saída são as edições especiais e/ou limitadas, e quando se fala em formatos de luxo, os famigerados box-sets estão no topo da lista.

    É exatamente isso. Continuo a comprar discos, mas sem sombra de dúvida são edições como essas, carregadas de atrativos para os verdadeiros aficionados, que recebem total prioridade na hora de empregar meu suado cascalho. Esse "Backtracks" do AC/DC então é insano. Tenho o box "The Promise: The Darkness on the Edge of Town Story", de Bruce Springsteen, que já é um absurdo, no formato de um caderno, reproduzindo todas as anotações feitas pro Bruce durante o processo de composição e gravação do álbum "Darkness on the Edge of Town", além de contar com três CDs e três DVDs. Porém, "Backtracks" é fetiche maior ainda, não conheço outro artigo musical de semelhante esmero e ineditismo.

    A quem possa interessar, ele está à venda nesse site a 200 dólares, mas é necessário se cadastrar: http://pt.popmarket.com/ac-dc-backtracks-deluxe-collector-s-edition/details/5754980

  2. diogobizotto disse:

    Corrigindo, o preço habitual é 200 dólares, mas o valor promocional por tempo limitado é 150.

  3. Pablo Ribeiro disse:

    Sou um fã incondicional do formato "Box-Set", e coleciono o que meu bolso permite… Tenho vários deles, de diversas bandas, mas como bem observou o amigo Diogo, esse "Backtracks" ganha disparado em relação à qualquer outro. Uma obra prima, sem dúvida!
    Comprei o meu nesse mesmo PopMarket. Era o "Daily Deal" dessa belezinha, e estava custando 99 Doletas… Total de 200 Reais com frete incluso! Vale a pena ficar de olho, uma vez que várias dessas boiadas retornam ao site, de vez em quando!

  4. Essa caixa realmente é um espetáculo. Aduiri a minha pelo site indicado do patrão, e não paro de babar em cima (apear de ainda não ter descoberto como sai som da caixa de som)

    Enfim, obrigado ao pablo por essa bela matéria, que retratafielmente o que é o caixote, e ao diogo por ter indicado o site que me propiciou mais um item maravilhoso para ser babado na minha coleção

  5. Anônimo disse:

    Fujindo um pouco do assunto, vocês aqui da Consultoria do Rock, não acham o álbum Flick of the Switch, um disco injustiçado do AC/DC??? Muita gente, torce o nariz, para esse álbum, e também para o Fly on nthe wall. Eu acho um álbum muito bom, mesmo porquê, o AC/DC, nunca mudou seu estilo. Se duvidar, é atée melhor do que o Ballbreaker, lançado em 1995, quee foi o único disco do AC/DC, produzido, pelo Rick Rubin. Fico aqui na expectativa, na sessão, injustiçados, aparecer o Flick Of The Switch.

  6. Acabei de ouvir o Backtracks na integra, os 3 CDs, os 3 DVDs e mais o vinil. Musicalmente, os CDs 1 e 2, o vinil e o DVD 2 valem muuuuuuuuuuuuuuuuito a pena. O show no Cirkus é fantástico. Como é legal ver o Angus se soltando mesmo em um espaço pequeno. Já o DVD de clipes e o CD 3 são complementos de uma baita caixa, que vale cada centavo investido.

  7. Katsuriro disse:

    Eu comprei a versão standart e nao me arrependo. Alias um ouvinte eventual de rock nao gastaria dinheiro em uma box de musicas raras de uma banda. Este so compraria os principais albuns da banda e pronto. Senti um pouco de elitismo nessa parte de vc chamar as pessoas que compram a versão mais barata de "ouvinte eventual de rock". Nem todo mundo tem cacife pra bancar a versão de luxo, ainda mais tendo outros gastos alem de box de musicas. =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *