Black Sabbath em 1981: Ronnie James Dio, Tony Iommi, Vinny Appice e Geezer Butler



Por Pablo Ribeiro

No dia 25 de abril de 1980 chegou às lojas Heaven and Hell, o registro de um (então) novo Black Sabbath. Contando com o baixinho – de voz inversamente proporcional à sua estatura – Ronnie James Dio no lugar de Ozzy Osbourne, depois desse ter sido demitido devido ao uso de drogas demais e trabalho de menos. Fora essa mudança, a banda se manteve a mesma: Tony Iommi nas guitarras, Bill Ward na bateria e Geezer Butler no baixo. Embora Craig Gruber (Elf e Rainbow), que chegou a ensaiar com o grupo, tenha afirmado que sua contribuição nessa função havia sido “substancial” nessa época, Butler permaneceu como o baixista oficial da bolacha. A famosa capa, de autoria de Lynn Curlee, uma pintura que retrata três anjos fumando e jogando cartas, é uma das mais conhecidas e lembradas da banda. Quanto ao conteúdo lírico, o quarteto moveu sua inspiração de temas como loucura, ocultismo, guerra e depressão para temas mais fantasiosos (guerreiros e dragões, por exemplo), cortesia de Ronnie.
Heaven and Hell contém o maior números de clássicos da era Dio, entre eles “Neon Knights”, “Children of the Sea”, “Die Young” e a faixa-título. O disco bônus do pacote inclui versões ao vivo de “Children of the Sea” e “Heaven and Hell”, originalmente lados B dos singles para “Neon Knights” e “Die Young”, respectivamente, mais a versão editada de “Lady Evil”, que também saiu como single. Além dessas constam “Neon Knights”, “Children of The Sea”, “Heaven and Hell” e “Die Young”, todas gravadas ao vivo em Hartford (EUA) em 1980. Se por um lado Heaven and Hell não apresente nada realmente novo em sua versão deluxe, por outro reforça o poder do disco enquanto uma das obras mais relevantes do Black Sabbath.

Disco 1:

1. Neon Knights
2. Children of the Sea
3. Lady Evil
4. Heaven and Hell
5. Wishing Well
6. Die Young
7. Walk Away
8. Lonely Is the World

Disco 2:

1. Children of the Sea [Live, Single B-Side]
2. Heaven and Hell [Live, Single B-Side]
3. Lady Evil [Mono Edit, 7″ Single]
4. Neon Knights [Live]
5. Children of the Sea [Live]
6. Heaven and Hell [Live & 12″ Single Version]
7. Die Young [Live]

No final do ano seguinte saiu a segunda cria do Black Sabbath com Dio nos vocais. Lançado a 4 de novembro de 1981, Mob Rules trouxe uma baixa no line-up: saiu Bill Ward, entrou Vinny Appice. Essa, na verdade, pode ser considerada a formação clássica da era Dio. A mesma, aliás, que gravaria todos os discos de Ronnie com o Sabbath dali em diante, inclusive quando assumiram a alcunha de “Heaven and Hell”, mas essa já é outra história. Para a capa, dessa vez a banda optou por uma imagem já pronta – no caso, uma pintura chamada “Dream 1: Crucifiers”, de autoria de Greg Hildebrandt, artista norte-americano nativo de Detroit – apenas modificando mínimos detalhes, e inserido os nomes da banda e do disco.

Musicalmente, Mob Rules continua de onde Heaven and Hell parou: faixas mais velozes e diretas dividem espaço com outras mais épicas. Algumas outras, a exemplo de “Country Girl” remetem a algo do antigo Sabbath. A edição de luxo traz duas faixas a mais no primeiro disco: “Die Young” ao vivo, lado B do single para “The Mob Rules”, e uma versão demo para a própria “The Mob Rules”, originalmente lançada na trilha sonora da animação canadense “Heavy Metal”, de 1981. Já o segundo disco traz na íntegra o álbum ao vivo Live at Hammersmith Odeon (gravado entre dezembro de 1981 e janeiro de 1982), originalmente lançado em uma edição limitadíssima em maio de 2007. Fazem parte do tesouro 14 faixas. Dessas, oito são extraídas de Mob Rules e Heaven and Hell, enquanto as outras seis são clássicos da era Ozzy. Mob Rules mantém o altíssimo nível de seu predecessor, e é outro disco entre os mais fundamentais do Sabbath.

Disco 1:

1. Turn Up the Night
2. Voodoo
3. The Sign of the Southern Cross
4. E5150
5. The Mob Rules
6. Country Girl
7. Slipping Away
8. Falling Off the Edge of the World
9. Over and Over
10. Die Young [Live, Single B-Side]
11. The Mob Rules [“Heavy Metal” Original Soundtrack Demo Version]

Disco 2: Live at Hammersmith Odeon

1. E5150

2. Neon Knights
3. N.I.B.
4. Children of the Sea
5. Country Girl
6. Black Sabbath
7. War Pigs
8. Slipping Away
9. Iron Man
10. The Mob Rules
11. Heaven and Hell
12. Paranoid
13. Voodoo
14. Children of the Grave

Praticamente um ano depois de Mob Rules, Iommi, Dio, Butler e Appice lançaram Live Evil, gravado ao vivo durante quatro datas (23 e 24 de abril, 12 e 13 de maio) em três cidades norte-americanas (Seattle, Dallas e San Antonio), trazendo 14 faixas, entre clássicos da era Ozzy, preferidas de Heaven and Hell e (então) novidades de Mob Rules. A versão deluxe – dupla – não traz faixas bônus, mas restaura o tempo original das músicas, que haviam sido “decepadas” nas reedições mais recentes em CD simples. Infelizmente, desentendimentos racharam a banda (e algumas caras, aposto) na época de sua mixagem; Dio e Appice caíram fora, deixando Iommi – de novo – com uma bomba nas mãos. O que ele fez nesse momento é matéria para a terceira parte dessa série.

Disco 1:

1. E5150
2. Neon Knights
3. N.I.B.
4. Children of the Sea
5. Voodoo
6. Black Sabbath
7. War Pigs
8. Iron Man

Disco 2:

1. The Mob Rules
2. Heaven and Hell
3. The Sign of the Southern Cross
4. Paranoid
5. Children of the Grave
6. Fluff

Eis que, dez anos após a separação ocorrida na época do lançamento de Live Evil, o mesmo line-up se reuniu para a gravação de mais um disco (e subsequente turnê). Dehumanizer, lançado em 22 de junho de 1992, trouxe uma sonoridade moderna e mais densa, além de uma sensível mudança no conteúdo de suas letras, abordando alguns temas mais reais e sombrios, e, de certa forma, mais pessimistas. A capa do álbum reflete, de certa forma, a questão da modernidade/pessimismo: a Morte (aquela da foice), em versão andróide, ceifa a vida de um infeliz.

Além de todas as pauladas que mantiveram alto o nível do Sabbath no começo dos anos 90, a edição deluxe traz, em seu disco bônus, a primeira versão de “Time Machine” que originalmente havia saído na trilha sonora da comédia “Wayne’s World” (de título imbecil “Quanto Mais Idiota Melhor” no Brasil), lançado no começo de 1992, versões alternativas para “Master of Insanity” (editada) e “Letters From Earth” (estendida), além de cinco músicas gravadas ao vivo na Flórida em julho de 1992: “Children of the Sea”, “Die Young”, “TV Crimes”, “Master of Insanity” e “Neon Knights”. Depois da turnê de divulgação do álbum, Dio brigou outra vez com a banda (notadamente Iommi) e caiu fora novamente. O guitarrista não perdeu tempo e trouxe Tony Martin novamente para suas fileiras. Mas Dehumanizer cravou o nome do Black Sabbath entre os melhores discos de rock dos anos 90.

Disco 1:

1. Computer God
2. After All (The Dead)
3. TV Crimes
4. Letters From Earth
5. Master of Insanity
6. Time Machine
7. Sins of the Father
8. Too Late
9. I
10. Buried Alive

Disco 2:

1. Master of Insanity [Single Edit]
2. Letters From Earth [B-Side Version]
3. Time Machine [“Wayne’s World” Original Soundtrack Version]
4. Children of the Sea [Live]
5. Die Young [Live]
6. 6. TV Crimes [Live]
7. 7. Master of Insanity [Live]
8. 8. Neon Knights [Live]

5 comentários

  1. fernandobueno

    Como comentei na primeira parte não tenho muito interesse nessas edições, mas a edição do Mob Rules parece a mais desejável de todas até agora…

    Responder
  2. diogobizotto

    Eu acho bem mais interessantes os bônus dessas edições do que dos três primeiros álbuns. Quanto a "Heaven and Hell" e Dehumanizer", ao menos constam versões ao vivo que ainda não haviam sido lançadas oficialmente, e quanto a "Mob Rules", é uma boa pedida para quem não foi um dos poucos privilegiados a adquirir "Live at Hammersmith Odeon", que é um senhor álbum ao vivo, incluindo a fodônica "Country Girl."

    Responder
  3. Thiago

    Essa semana chegou para mim o Heaven and Hell Deluxe…é um item muito atrativo, pois as músicas do CD 2 estão em ótimas versões e o encarte está recheado de novas informações. Além disso fotos que eu nunca havia visto…vale muito a pena pegar esse item! Até porque a qualidade de álbuns como Heaven and Hell, Mob Rules e Dehumanizer não se discute…
    Grande resenha mais uma vez!

    Responder
  4. Mairon Machado

    Essa sequencia é bem mais apetitosa que a do OZzy. Classicos do Dio ao vivo são sempre bem vindas, ainda mais com uma mixagem decente.

    Um a parte: Dehumanizaer não é apenas um dos melhores discos de rock dos anos 90 como é um dos melhores discos da historia do Sabbath. Top 5 facil facil!

    Responder
  5. jantchc

    se eu estou bem lembrado dehumanizer foi o primeiro disco do BS q eu voui..

    meu tio me emprestou o CD q ficou parado comigo um tempão, ja q eu tinha achado a capa zoada (vê se pode?)

    qdo ouvi não gostei, acho q foi um pouco depois do lançamento..

    hoje eu acho um puta disco..

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.