Frank Zappa – Guitar [1988]

31 de Janeiro, 2011 | por Mairon
Diversos
10
 
Por Mairon Machado 

Há alguns anos, conversando com um grande amigo meu especialista em Frank Zappa, fui indagado: “Cara, qual disco do Zappa tu recomendarias para alguém que nunca ouviu?“. Na hora eu respondi: “Grand Wazoo“, e ele balançou a cabeça negativamente, dizendo que não servia e tecendo dezenas de razões para as quais uma pessoa que nunca ouvira Zappa sairia correndo ao ouvir aquele que é o melhor disco já lançado por ele na minha opinião.

Ficamos sem resposta, e depois de muitas semanas, voltei na casa dele e falei: “In New York“. Novamente não deu certo. A coisa inveredou por anos, mas recentemente, quase nove anos depois, eu falei com ele de novo e perguntei: “Lembra daquele disco do Zappa que eu recomendaria? Pois esse é o Guitar!!!“. Como uma alegria de final de futebol, largamos um “aeeeeew, é Esse” e fomos ouvir a bolacha dupla lançada em 1988.

Frank Zappa em ação no ano de 1981
O leitor pode até achar estranho, um LP do Zappa, lançado em 88, ser o mais indicado para ser iniciado na carreira do maior gênio da música no século passado, só que com certeza o é. Dentro de uma carreira tão vasta quanto a de Zappa, que para os perdidos era um excelente guitarrista, ótimo compositor, maestro, vocalista, inventor, mestre, pai, mãe, filho, sobrinho e tudo o mais que você possa imaginar, Guitar apresenta apenas solos de Zappa gravados entre 1979 e 1984, desmistificando o que muitos arrotam por ai na maior ignorância, que Zappa sempre se apoiou em grandes guitarristas para fazer seus solos.

Longe disso, Zappa foi um dos principais guitarristas de todos os tempos, e nas 19 faixas do vinil (32 no CD duplo), ouvimos e aprendemos que subir no palco não é para qualquer um, já que Zappa e banda exalam virtuosismo, técnica e feeling.

Banda de Zappa com Steve Vai (mostrando o peito)

Com músicos como Steve Vai, Vinnie Colaiuta,  Bobby Martin, Ike Willis, Scott Thunes, entre outros, o que torna esse LP mais apetitoso é o fato de podermos ouvir vários gêneros que Zappa construiu durante toda sua carreira, e que ficavam relegados apenas a álbuns específicos (como o rock de Hot Rats ou a psicodelia de Sleep Dirt). Assim, ouvimos blues (“Sexual Harassment in the Workplace”, “For Duane”), rock’n’roll (“Sunrise Redeemer”, “Jim & Tammy’s Upper Room”, “Winos Do Not March”), muita psicodelia (“Republicans”, “Once Again, ,Without the Net”, “Move It or Park It”, “But Who Was Fulcanelli”), reggae (“That’s Not Really Reggae”), boogie (“Systems of Edges”) e saborosas baladas zappianas (“Do Not Pass Go”, “When No One Was No One”, “Outside Now”, “Were We Ever Really Safe in San Antonio?”)

Destaques maiores para o embriagante reggae de “Things that Look Like Meat”, a linda viagem de “GOA”, o delírio musical de “That Ol’ G Minor Thing Again” e o excepcional encerramento com o melhor solo da história do rock, “Watermelon in Easter Hay”, em uma versão comovente e de chorar.

A resposta foi achada, e depois de ouvir esse LP, basta pegar seu estilo preferido e ir atrás dos demais discos de Zappa que se encaixam no mesmo.

Zappa e banda, em um show de 1984
Track list (do vinil):

1. Sexual Harassment in the Workplace
2. Republicans
3. Do Not Pass Go
4. That’s Not Really Reggae
5. When No One Was No One
6. Once Again, without the Net
7. Outside Now
8. Jim & Tammy’s Upper Room
9. Were We Ever Really Safe in San Antonio?
10. That Ol’ G Minor Thing Again
11. Move It or Park It
12. Sunrise Redeemer
13. But Who Was Fulcanelli?
14. For Duane
15. GOA
16. Winos Do Not March
17. Systems of Edge
18. Things That Look Like Meat
19. Watermelon in Easter Hay



10 Comentarios

  1. Eu recomendaria o Hot Rats como porta de entrada para o universo do Zappa.

  2. micaelmachado disse:

    Eu vou confessar o que alguns já sabem: Eu NÃO gosto de Zappa. Acho muita loucura para o meu cérebro limitado… o cara é gênio e tudo o mais que o Mairon falou, mas são poucas as coisas dele que eu consigo ouvir…

    Um disco inteiro então é uma tortura… a não ser este "Guitar"! É realmente o mais indicado para quem nunca ouviu a obra do narigudo. Aqui não tem pirações, piadas engraçadinhas, experimentos com equipamentos eletrônicos, frases de filmes, barulhos aleatórios, nada disso… apenas boa música, tocada e executada por músicos muito acima da média do mundo do rock, seja ele qual for!

    Bela lembrança, Mairon!

  3. diogobizotto disse:

    Como o Mairon deve ter notado em nossa conversa sábado, sou um ignorante em se tratando de Zappa, e o fato de, além de sua discografia ser super extensa, também ser extremamente diversificada, acaba afastando um pouco o cara, pois, ao menos eu, temo que, ao começar, tenha que correr atrás de tudo, hehe… mas realmente, pela descrição apresentada, "Guitar" parece ser uma boa entrada para esse mundo.

  4. Rafael "CP" disse:

    Eu não sou vasto conhecedor dele , mais o respeito demais , acho ele de suma importancia , até mesmo pro aparecimento futuro de muitas bandas que amo

  5. Leandro disse:

    Eu gosto de todas as fases do Zappa. Genial é um termo muito banalizado para qualificar Frank Zappa!
    Esse Guitar é ótimo e representa uma fase do Zappa criando música para a guitarra. Ele dizia inclusive que solar era como fazer esculturas no ar.
    Não pensem que pelo título possa ser um disco que agradará fãs de hard heavy de primeira. Tem que abrir um pouco a cabeça e entrar no universo dos solos de guitarra do mestre.
    No entanto, para quem não conhece nada de Zappa, eu recomendaria o Hot Rats por ser mais coeso. Se não gostar desse, não vai gostar de mais nada.

  6. Micael e galera, o Hot Rats também não tem pirações, piadas engraçadinhas, experimentos com equipamentos eletrônicos, frases de filmes, barulhos aleatórios, nada disso. É um disco excelente de jazz rock.

  7. micaelmachado disse:

    Este é o problema: o Hot Rats é de jazz rock. Quem, como eu, não gosta do estilo, não vai gostar dele…

    O Guitar é mais abrangente, e, embora eu não goste dele inteiro, é mais fácil gostar dele do que de outros discos que tem um estilo único.

  8. o Hot Rats é um discaço. Peaches in Regalia e Little Umbrellas são otimas, mas por exmplo Gumbo Variations não é para muita gente

    Os melhores para mim são Grand Wazzo, Zoot Allures, Just A Band From LA, Chunga's Revenge, You Are What You Is, Them Or Us, os Joes, Sheik Yerbouti, Hot Rats, Freak Out, Lumpy Gravy, …

  9. Leandro disse:

    Eu acho o Hot Rats mais acessível que o Guitar.

  10. Anônimo disse:

    ESSE ZAPPA,JÁ PEIDOU PRA MUZENGA(MORREU)FAZ TEMPO,MAS AINDA TEM NEGO QUE ENDEUSA O CARA,QUE LIXO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *