Estreamos aqui na Consultoria do Rock o podcast Grandes Nomes do Rock, onde iremos apresentar a você, leitor do Consultoria, programas especiais sobre os principais nomes da história do rock através dos anos, trazendo canções não só do artista, mas também raridades ligadas ao grupo, como covers, versões originais para canções que o artista gravou ou ainda apresentações raras ligadas ao artista realizadas no Brasil.

Nossa estreia é com o grupo americano Grand Funk Railroad. A origem do grupo começa em 1966, na cidade de Flint, Estados Unidos, quando Mark Farner (guitarras e voz), Don Brewer (bateria e voz), Don Lester (baixo) e Craig Frost (teclados, voz) faziam parte de um conjunto chamado Jazzmasters. Não demorou muito para o DJ Terry Knight encontrar os garotos e assumir o comando da carreira dos mesmos, mudando o nome do Jazzmasters para Terry Knight & The Pack, com quem lançou dois raríssimos discos que não venderam nada.

Knight partiu para uma carreira solo, enquanto Mark e Don ficaram de mãos atadas. Porém, Knight indicou o baixista Mel Schacher, e assim, surgia um dos maiores power-trios da história do rock, o Grand Funk Railroad.

Grand Funk Railroad (Don Brewer, Mark Farner, Craig Frost e Mel Schacher)
O grupo lançou o seu primeiro LP, On Time, em 1969, mesmo ano em que foi o maior destaque do Atlanta Pop Festival. Dali em diante, foram somente sucesso, vendendo muitos discos com Grand Funk [1969], Closer To Home [1970], Live Album [1970] – primeiro disco duplo de platina do grupo – e Survival [1971]. O Lançamento do famoso disco da moeda, E Pluribus Funk [1971] acabou com o casamento entre o Grand Funk Railroad e Terry Knight, o qual foi despedido tendo nas costas acusações de roubo de dinheiro.

O trio virou um quarteto com a adição do tecladista Craig Frost, e assim lançou o fraco álbum Phoenix [1972], até que alcançou a glória com We’re an American Band [1973]. Claramente percebia-se que o Grand Funk Railroad buscava novas sonoridades, saindo do pesadíssimo início ao lado de Terry Knight para canções mais leves, com letras mais inspiradas e com arranjos construídos a partir dos teclados de Frost.

Seguiram-se Shinin’ On [1974] – com a capa tendo uma imagem em 3D que podia ser vista com os óculos em formato de estrela pertencente à capa -, All The Girls In The World Beware!!! [1974], Caught In The Act [1975], Born To Die [1976] e Good Singin’, Good Playin’ [1976], esse último tendo Frank Zappa como produtor e convidado especial, e que foi o último LP do grupo. Mark foi para a carreira solo com músicas dedicadas à religião, enquanto Don, Mel e Frost fundaram o Flint, lançando apenas um LP, o homônimo de 1977.

Mel, Don e Mark, ontem e hoje

Em 1980, Don e Mark se juntaram a Dennis Bellinger (baixo) e reativaram o Grand Funk Railroad, lançando dois álbuns: Lives [1981] e What’s Funk? [1983], além de partirem em uma turnê mundial. Tanto a turnê como os LPs não renderam o esperado, e o grupo novamente acabou.

Somente em 1996, Don, Mark e Mel voltariam a se reunir, fazendo 13 shows para aproximadamente 250 mil pessoas, culminando com o lançamento do CD Bosnia [1997], gravado em Sarajevo. Mark permaneceu no grupo até 2000, quando retornou para sua carreira solo, sendo então substituído por Bruce Kulick (ex-Kiss) e Max Carl, além do grupo adicionar novamente Frost aos teclados.

Então, caro leitor do Consultoria do Rock, seja vem-vindo ao mundo da Grand Funk Railroad.

19 comentários

  1. fernandobueno

    Baixando…
    Tenho seis CDs do Grand Funk. Essa banda é uma daquelas que foi só ouvir a primeira vez (no caso o E Pluribus Funk) e viciar…
    Indico para quem não conhece o E Pluribus Funk, Closer to Home e We're An American Band…

    Responder
  2. leonardocastro

    EU só tenho o Closer To Home e o We're An American Band, mas pretendo ir pegando os outros aos poucos… Good old rock n roll, nao tem erro.

    Responder
  3. Rafael

    Meldels , essa banda é fantastica , ela toca o "suco de milho" do rock setentista , e foi totalmente desprezada pela mídia , por serem meio bicho grilescos e tals .

    Até em momentos meio bizarros como o solo de bateria de " caixas de papelão" em Footstompim Music , eles são brilhantes .
    Adorei o post , com certeza , se eu não ouvisse Grand Funk , começaria hoje por que as linhas acima me aguçaram a vontade de conhecer.
    Pra encerrar , como eles proprios diziam ," onde houver lugar pra um rock n roll pesadão , haverá lugar pro Grand Funk Railroad"

    Responder
  4. diogobizotto

    WOO! Até tinha esquecido que a banda favorita do Homer Simpson é o Grand Funk Railroad, e isso é muito sintomático: o GFR não é banda dos intelectuais, dos formadores de opinião. É uma banda do povo, dos trabalhadores, e não há problema nenhum em gostar de um grupo assim, pelo contrário, pois acima de tudo rock é diversão! E disso o Grand Funk entende muito bem, e de múica com qualidade que também leva à reflexão.

    Já que comentaram sobre os álbuns mais recomendados, eu não posso deixar de meter meu bedelho: apesar de "E Pluribus Funk", "Grand Funk" e "We're an American Band" serem geralmente indicados como os melhores discos do GFR, tenho uma queda toda especial por "Closer to Home", grande parte devido à excelente fauxa título, uma de minhas canções favoritas de todos os tempos.

    Destaco a versão original de "Inside Looking Out", fantástica! E só imagino a honra de Roland Grapow (Helloween) ao ter podido assumir os vocais de "I'm Your Captain/Closer to Home", dado que esse já mencinou várias vezes o fato de que Mark Farner é seu maior ídolo.

    Responder
  5. Mairon Machado

    Diogo, Animals é uma banda fantástica. Eu recomendo a todos que não conhecem ouvir pelo menos dois álbuns: Animal Tracks e The Twain Shall Meet. Dois petardos. Valeu os comentários gurizada!

    Responder
  6. micaelmachado

    Confesso que não sou um apaixonado por Grand Funk, mas o programa ficou muito bom. Dá vontade de ir atrás do resto da discografia dos caras!

    Que venham mais podcasts!

    Responder
  7. Groucho KCarão

    A primeira música que ouvi do Grand Funk foi "Shinin' On", e o primeiro disco que ouvi foi o Survival, e é basicamente isso o que eu conheço deles por enquanto. Nenhum desses foi citado nos comentários, então eu devo tah ouvindo o fino da porcaria! xD
    A versão deles pra "Gimme Shelter" ficou muito bacana. Eu só prefiro a dos Stones pq acho ela mais desesperada..
    No episódio dos Simpsons em que aparece o The Who, o Homer faz uma lista de canções pro Who tocar, sendo que são todas músicas do Grand Funk! xD

    Responder
  8. Mairon Machado

    Groucho, vc está ouvindo discos medianos. o fino da porcaria são os dois sem o Mel (que até são bons, mas nada perto do que o GFR fez). Pega o red album, o on time e da uma ouvida com calma nos ao vivos, além claro do good singin' good playin'

    Um abraço

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.