Auras – New Generation [2010]

28 de novembro, 2010 | por Fernando Bueno
Resenha de Álbum
6
AURAS:
Gui Oliver – vocal
Ferpa Lacerda – guitarra
Matheus Brandon – guitarra
Hemerson Vieira – baixo
Edu Sallum – bateria

Tracks:
“Beauty Of Dreams”
“Forgive And Forget”
“Never Give Up”
“In My Arms”
“Reach Out”
“New Generation”
“Forever In Your Eyes”
“Hungry Hearts”
“That’s The Way Love Goes”
“Keep On Loving You”
“Out Of Love”
“Love To Survive”

Análise geral:

Esse disco tinha tudo para dar errado, de acordo com os meus conceitos, pois uma banda brasileira tocando AOR/Hard Rock e com bastante teclado para mim era certeza de coisa ruim.

Eis que o clipe da “Beauty of Dreams” saiu, mudei de ideia e comprei o disco que me surpreendeu pela boa gravação, mixagem e produção que deram uma cara bem interessante ao disco, onde apesar dos teclados em excesso em muitos momentos, não deixam o peso das guitarras de lado.

Não sou fã de AOR exatamente pelos exageros em teclados e falta de peso, aqui o balanço entre esses elementos é exatamente o diferencial.

Boa pedida para quem gosta de Survivor, Journey e afins.



6 Comentarios

  1. Rafael disse:

    Nossa , esse album é muito bom , mais concordo que o projeto foi audacioso mesmo … Ja vi esse album do Auras ser citado por muitos como um dos melhores de 2010 … Não acho tudo isso , mais dos Brazucas , com certeza é sim

  2. Rafael,

    Como gosto muito de hard rock, sempre fiquei com um pé atras com relação as bandas de hard do brasil. Quando mistura AOR o troço piora porque não gosto da TECLADEIRA… mas nesse disco, tudo tá no seu lugar. Não entrou no meu top10 exatamente pelos teclados e pelos poucos excessos do vocal. Uma variada nas vocalizações cairia bem… Mas Tõ sendo exigente demais… o disco é muito bom!

  3. diogobizotto disse:

    Escutei o disco duas vezes apenas, então ainda não estou lá com todo esse embasamento, mas já adianto: trata-se de um disco muito bom e corajoso! Tem que ser muito macho pra fazer AOR em um país como o nosso, onde esse gênero é totalmente underground há muito tempo. Mais mérito ainda por terem caprichado no estúdio, tanto na execução quanto na produção e mixagem. Nível Frontiers Records, e isso é um belo elogio! AInda não estou em condições de apontar destaques, mas as composições no geral estão bastante parelhas. Se é para estabelecer comparações, o faria com a fase em que Steve Augeri esteve no Journey, em especial o álbum "Arrival", meu favorito da banda desde "Frontiers", de 83.

  4. Rafael disse:

    E temos que lembrar que o apoio a essas bandas é muito pouco , eu até curto coisas nacionais mais hards como Killer Klowns e Cavalo VApor , mais no AOR , fica complicado , mais tem albuns muito bons como esse do Auras , e classicos absolutos como o Force of Nature da banda N.O.W. do meu amigo Alec

  5. diogobizotto disse:

    Opa, Rafael… conta mais sobre essa banda do seu amigo aí! Estou sempre de ouvidos bem abertos pro pessoal brasileiro que tem peito pra fazer um som tão pouco aceito por essas bandas (quem diz que existe uma cena Hard no país ou em algumas cidades é um mentiroso, isso eu garanto).

  6. Rafael,

    Fiquei curioso também. Que tal vc fazer um post sobre esse disco?? Coloque os comentários e tal…

    Ou podemos fazer um WAR ROOM com essa banda!!! Quem topa???

    Conhece o WAR ROOM RAFAEL??

    Diogo, sugiro liberar o acesso para o Rafael postar.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *