Shaman:

Thiago Bianchi – vocal
Leo Mancini – guitarras
Fernando Quesada – baixo
Ricardo Confessori – bateria

TRACKS:

IMMORTAL
“Renovatti”
“Inside Chains”
“Tribal By Blood”
“Immortal”
“One Life”
“In The Dark”
“Strenght”
“Freedom”
“Never Yeld!”
“The Yellow Brick Road”

ANIME ALIVE 2008

“Renovatti”
“Inside Chains”
“Strengh”
“For Tomorrow”
“Freedom”
“Anime Drums”
“Ninja solo”
“Nothing To Say”
“In The Dark”
“One Life”
“Carry On”
“Immortal”

Análise geral:

Não sou defensor do Metal nacional e acho que se alguém se aventura a lançar um disco de ROCK e cantado em inglês tem que estar sujeito às comparações com as bandas famosas e que consagraram o estilo. O disco IMMORTAL traz bons momentos para quem gosta de metal melódico, ou seja, aquele estilo que consagrou o Helloween no início da carreira e que gerou “trocentos” mil bandas que se influenciaram na banda.

O que me chamou a atenção é que o disco é bem produzido, principalmente se levarmos em conta que a grande maioria feita no Brasil não consegue um bom resultado. Além disso, outro destaque são os dois novos integrantes que conseguiram bons resultados nos vocais que ficaram bem encaixados e sem os exageros que o André Matos costuma fazer e o guitarrista que mandou muito bem no disco todo.

Óbvio que não é um disco que entrará para a história como um marco do estilo, mas também passa longe dos desastres que o estilo “melódico” já nos apresentou.

A versão de 2008 traz como bônus o ANIME ALIVE. Não sou fã de discos ao vivo, mas a curiosidade é ouvir as músicas antigas e comparar os vocalistas, que nesse caso, a substituição pareceu mais que adequada. Já as faixas com os solos, assim como em todos os outros já gravados, para mim são totalmente desnecessárias.

De modo geral, um bom disco e que vale o valor investido pelo pacote.

7 comentários

  1. eduardoluppe

    Concordo com o Daniel, muito bom esse album! Produção acima da média! Melhor do que muita banda gringa!!! Aliás, temos excelentes albuns na esfera nacional, tais como… Angels Cry (Angra), Holy Land (Angra), Dr. Sin (Brutal), Theatre of Fate (Viper), Arise (Sepultura) e etc…

    Responder
  2. Rafael

    Bom , eu curto muito o Shaman com André MAtos , mais nunca ouvi a banda após isso , pq eu já não sou fã de Melodico , e curtia apenas por ter o melhor vocalista nacional de todos os tempos … Vou dar uma ouvida nesse

    Responder
  3. danielsicchierolli

    Rafael,

    Escute, dê uma chance. O vocal no geral ficou com um resultado melhor que o André.

    Dos discos que o Eduardo citou, muitos eu gosto… outros já nem tanto!

    Responder
  4. leonardocastro

    Eu tenho esse disco, mas a primeira versao, sem o DVD. O primeiro disco do Shaman, Ritual, é melhor do que esse, mas ainda assim acho esse disco muito bom, nada revolucionario ou original, mas que garante 40 minutos de diversao e boa musica.

    Responder
  5. danielsicchierolli

    Leo, na verdade, a versão que tenho é a dupla, mas são 02 CDs.

    Tenho o DVD tambem, mas não gostei. Sei lá, também nao sou muito fã dos DVDs em geral e esse não me convenceu. Para falar a verdade, preciso ver de novo….

    Responder
  6. danielsicchierolli

    Rafael,

    Isso que é legal e é o objetivo do blog. Deixar as pessoas curiosas e escutarem os discos.

    Veja, fazia tempo que eu não escutava e resolvi escutar de novo depois dos recentes eventos. Como eu disse, não é um KEEPER of SEVEN KEYS ou um THE NUMBER OF THE BEAST, mas o disco tem coisas legais para quem gosta de metal melodico.

    Eu particularmente não gosto do Andre Matos quando ele dá aqueles "gemidos" e "frescuras" que na verdade são uma caracteristica e até uma marca dele e nesse disco o Thiago não faz. Se fizesse ficaria ridiculo. Prefiro o André cantando metal como nos bons tempos do Viper – Theatre of Fate.

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.