Sebastian Bach – vocal
Dave Snake Sabo – guitarra
Scotti Hill – guitarra
Rachel Bolan – baixo
Rob Afusso – bateria


Tracks 

“Monkey Business”

“Slave To The Grind”
“The Threat”
“Quicksand Jesus”
“Psycho Love”
“Get The Fuck Out”
“Livin’ On A Chain Gang”
“Creepshow”
“In A Darkened Room”
“Riot Act”
“Mudkicker”
“Wasted Time”


Análise Geral:


O Skid Row lançou o segundo disco e o que se escuta nesse disco é impressionante. Para começar o disco beira o HEAVY METAL em diversos momentos e em alguns a pegada puxada para o PUNK ROCK dá uma energia única ao disco.


As músicas funcionam, pois foram bem compostas, e destaco a desempenho do Sebastian Bach que detona em todas as faixas. E as baladas? Bom, podem não gostar, mas as três desse disco são fantásticas.


Um disco que entra no meu TOP10 sem fazer qualquer esforço ou concessão. É um álbum que tem tudo o que procuro quando o assunto é boa música e que só não tem o reconhecimento dos “especialistas” por puro preconceito. Altamente recomendável.

11 comentários

  1. Rafael

    Esse álbum é uma bilbia de hinos , e agrada a maioria por mesclar gostos diferentes , como belas baladas Hard rock , como In a Darkened room , com musicas mescladas como Wasted Time , e puro peso como Monkey Business … Um classico de ponta a ponta

    Responder
  2. diogobizotto

    Se me pedirem qual é o melhor disco do Skid Row tenho uma ótima dúvida, afinal, tanto o primeiro auto-intitulado quanto esse "Slave to the Grind" estão entre os melhores discos de hard rock já feitos. Retratos de sua época apontando o que de melhor vinha sendo feito, sem deixar de lado a criatividade e o principal, que muitos esquecem: BOAS COMPOSIÇÕES. E isso o STTG tem de sobra: das 12 faixas, no mínimo seis são excelentes! Todas as baladas são ótimas e a dose de açúcar está na medida (ok, "In a Darkened Room" não é muito recomendada para diabéticos)… Nesse disco rola uma tensão semelhante a que existe em discos como o "Appetite for Destruction", do Guns n' Roses, onde está na cara que uma combinação tão explosiva de talentos tão distintos não poderia durar tanto tempo. Foram grandes por merecimento.

    Responder
  3. leonardocastro

    Arregaço!!! Um disco bem mais "metal" que o anterior, mais rapido, pesado e agressivo!

    A faixa-titulo, Monkey Business, The Threat… A pegada punk de Riot Act e Get The Fuck Out… e a melhor balada da banda, e uma das melhores entre todas as bandas de hard roc/heavy metal, Wasted Time. O vocal do Bach nessa musica nao existe!!!!

    Responder
  4. Rafael

    Cara ,a discografia da era Bach é toda boa , pra mim , esse álbu é o melhor , embora eu goste muito das 4 faixas do B Sides Ourselves , porra , ouvir musicas como Wasted Time ou Quicksand jesus … POrra , olhem essas letras , elevaram o hard rock a um nivel de composição inedito . Não sei como um gênio como RAchel Bolan pode ter pirado a ponto de lançar desastres como o Tickskin e Revolutions per Minute , logo após mudar o curso do Hard n heavy com classicos sobre classicos da era Bach

    Responder
  5. diogobizotto

    Hehehehe… eu curto muita coisa do Thickskin, em especial faixas como "Ghost", "Thick Is the Skin", "Born a Beggar"… gosto mesmo, encaro quase como outra banda, apesar de contar com três membros chave, sendo dois deles od grandes compositores da banda desde sempre. O "Revolutions Per Minute" ainda preciso dar a devida atenção, mas lembro de ter escutado e achado mais ou emnso no nível do antecessor.

    Responder
  6. danielsicchierolli

    O skid row sem o Bach perdeu muito da identidade, isso é fato. Não acho os discos ruins, mas o que diferenciava a banda no começo eram os vocais, não tem jeito.

    De uns tempos para cá comecei a ouvir de novo aqueles discos de bandas que gosto com outros vocalistas, sabe?? Warrant (Born Again), Tyketto (shine), Motley Crue (94),… etc…

    É curioso como a troca do vocal, muitas vezes muda a banda toda… Eu comecei a gostar mesmo de judas com a ERA RIPPER. hehehehe… vai entender….

    Responder
  7. leonardocastro

    Daniel, mas o Live Meltdown é um absurdo de bom!! Os discos de estudio que complicam, apesar de eu gostar bastante do Jugulator. Mas o Demolition nao dá…

    Eu nao gosto do Thickskin, mas acho o Revolutions legal. Mas, como falaram, é dificil nao associar o Skid Row ao vocal do Bach, que sempre foi muito diferenciado. Como eu disse antes, o que ele faz em Wasted Time é de outro mundo…

    Agora, imaginem o Rachel Bolan: tocar no Brasil em 92 para pelo menos 50 mil pessoas no Hollywood Rock, e em 2009, para menos de 500 no Manifesto… Tem que pirar mesmo!!!

    Responder
  8. Mairon Machado

    Esse disco é muito bom, mas eu prefiro o primeiro. alguem sabe explicar pq o B sides saiu com as mesmas músicas nos dois lados do vinil? Eles nao tinham criatividade / capacidade para fazer mais musicas e colocar no lado B?

    Responder
  9. diogobizotto

    Tchê, sabe que eu nunca reparei no vinil do "B-Side Ourselves"? Mas a intenção é ser um EP, não um álbum comnpleto de covers… a estranheza é o formato atípico com as mesmas faixas ocupando os dois lados… ao menos se risca um lado o outro ainda servirá para ouvir…

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.