Chegou o final do ano de 2022 e um dos itens mais comuns em sites especializados em música reside nas famosas listas de melhores do ano. Toda lista será diferente da outra por inúmeros motivos, mas em minha opinião a maior serventia desse tipo de matéria está justamente no fato de “descobrirmos” alguns lançamentos despercebidos. Eu particularmente não participo dos melhores do ano na Consultoria desde 2011, mas esse ano em particular existem algumas razões para que eu faça a minha lista. Seguimos para os 10 melhores lançamentos de 2022.


1. Tony Martin – Thorns

Tony Martin não lançava um disco solo desde 2005, com Scream. Só isso já seria motivo suficiente para minha atenção ao lançamento. Mas além dessa longa espera, as músicas corresponderam totalmente às expectativas do álbum que já era trabalhado desde 2016, como o próprio Tony contou em entrevista exclusiva à Consultoria. Faixas como “As The World Burns”, “Black Widow Angel”, “No Shame at All”, “Nowhere to Fly” e “Passion Killer” apresentam peso, excelentes riffs, vocais inspirados de Martin e uma ótima produção. Destaque também para as acústicas “Book of Shadows” e “Thorns”, sendo a primeira com a participação de Bruno Sá, tecladista brasileiro de destaque no cenário nacional e internacional e que inclusive adiantou a nós da Consultoria seu envolvimento com Tony, em entrevista de 2016, e a última com vocais de Pamela Moore (Queensryche).


2. Kreator – Hate Über Alles

Os lançamentos de estúdio do Kreator dos últimos 20 anos vem sendo de muito bom gosto, tanto em relação à produção, quanto no que se refere a estilo de composição, em alguns momentos com o instrumental soando melódico, mas na medida certa. Em Hate Über Alles, a banda mantém esse padrão de excelência com petardos como a faixa-título, “Killer of Jesus”, “Strongest of the Strong”, “Conquer and Destroy” e “Demonic Future”. De fato, das bandas de Thrash metal, o Kreator, junto ao Testament, são as bandas com os melhores lançamentos dos últimos anos.


3. Krisiun – Mortem Solis

Com uma consistência de fazer inveja a qualquer banda gringa, o Krisiun exala qualidade, comprometimento, técnica e raça. Com o lançamento de Mortem Solis, a banda se solidifica cada vez mais, tornando-se uma das grandes referências do Death Metal. Grande destaque para faixas como “Sworn Enemies”, “Serpent Messiah”, “Tomb of the Nameless”, “War Blood Hammer” e “As Angels Burn” que provam enfaticamente o motivo do Krisiun estar sempre em turnê na Europa e Estados Unidos. O prestígio do trio brasileiro é motivo de orgulho dentre os fãs do estilo, mostrando exatamente como uma banda de metal extremo deve se portar.


4. Behemoth – Opvs Contra Natvram

A banda liderada por Nergal é um dos grandes expoentes do metal extremo nos últimos anos, graças a lançamentos como Evangelion (2009), The Satanist (2014) e I Love at Your Darkest (2018). Com seu último lançamento, elevam o patamar de sua discografia e pavimentam ainda mais o seu legado. Destaque para as faixas “The Deadless Sun”, “Post-God Nirvana”, “Off to War!” e “Thy Becoming Eternal”.


5. Megadeth – The Sick, The Dying…and the Dead!

O Megadeth já vinha de um bom lançamento, com Dystopia (2016), na estreia do guitarrista brasileiro Kiko Loureiro. Mas com The Sick, The Dying…and the Dead! a banda eleva o seu patamar e entrega o melhor trabalho desde The System Has Failed (2004). Músicas como a faixa-título, “Night Stalkers” (com participação de Ice-T), “Junkie”, “Killing Time”, “Soldier On!” e “We’ll be Back” são os grandes destaques.


6. Rotting Christ – The Apocryphal Spells Vol.1 e Vol.2

Eu sei que esses dois lançamentos são EP’s, mas a qualidade sonora é tão absurda, que podemos dizer que as músicas são melhores do que tudo que o Rotting Christ produziu nos últimos 15 anos. Todas as músicas dos dois volumes são altamente indicadas.


7. Caravellus – Inter Mundos

Todo o capricho com o lançamento físico, belíssimo encarte, história envolvente, encarte extra explicando todo o desenvolvimento lírico do material e claro, músicas de excelente qualidade, que vão do prog ao power metal com maestria, fazem com que este lançamento da banda Caravellus esteja entre os melhores do ano. Grande destaque para as músicas “Visagem”, “Knight of the Sun”, “Triumvirate”, “The Ambush”, “Memento Mori”, “Inter Mundos” e “So Near, So Far”.


8. Ozzy Osbourne – Patient Number 9

Ozzy entrega com Patient Number 9 o seu melhor trabalho solo desde Ozzmosis (1995). Isso não faz com que o disco seja um clássico absoluto, mas nos entrega momentos bem divertidos e superiores a materiais contidos em Black Rain (2007), Scream (2010) e Ordinary Man (2020). Grande destaque para as participações de Jeff Beck, Tony Iommi, Zakk Wylde e Eric Clapton, produzindo ótimas músicas como “Patient Number 9”, “Parasite”, “No Escape From Now” e “One of Those Days”.


9. Twilight Aura – For a Better World

O álbum já foi resenhado em detalhes aqui nas páginas da Consultoria, mas vale destacar a capacidade criativa de Andre Bastos e a performance de Daísa Munhoz, destacando-se faixas como “Inner Prison”, “Prayer”, “Freedom”, “Sunlight” e “Twilight”.


10. Chez Kane – Powerzone

A cantora britânica Chez Kane apresenta um AOR/Hard Rock de muita qualidade, com refrãos pegajosos, excelentes linhas vocais e um clima bem divertido, herança do estilo que a cantora coloca em suas canções. Em certos momentos parece que estamos no ano de 1984 com o som de Chez, o que não é uma coisa ruim, muito pelo contrário. Seu álbum de estreia (Chez Kane, de 2021) já obteve ótimas críticas e não é diferente com Powerzone. Destaque para “I Just Want You”, “(The Things You Do) When We’re Young in Love”, “Love Gone Wild” e “Powerzone”.


Menções honrosas:
Sakis Tolis – Among the Fires of Hell
Shaman – Rescue
Jeff Scott Soto – Complicated
Joe Lynn Turner – Belly of the Beast
James Labrie – Beaultiful Shade of Grey

7 comentários

  1. Anderson Godinho

    Baita lista! Behemoth curti bastante e o Krisiun não deu tempo de ouvir direito.

    Responder
    • Thiago Reis

      Opa Anderson, obrigado!! O Krisiun tá muito bom, na linha do que a banda vem produzindo a algum tempo. Abraços

      Responder
  2. André Kaminski

    Eu também prefiro ver as listas para buscar lançamentos que me passaram batido e algumas bandas novas que possam me interessar. Nesta tua eu não ouvi o Krisiun. Já o Kreator eu ouvi mas não entrou na minha lista final, apesar de ser um bom disco.

    Não quis ouvir o Ozzy pela decepção com o último disco, mas muita gente tem recomendado. Creio que eu possa mudar de ideia.

    Responder
    • Thiago Reis

      Oi André, tudo bem? O ozzy novo é bem melhor que o anterior, muito em função das participações especiais. Vale a pena ouvir.

      Responder
    • Thiago Reis

      Oi Fernando, foram lançados recentemente, não tem nem 1 mês. Vale a pena. Abração.

      Responder
  3. Marcello

    Ozzy e Megadeth eu conheço, e o Kreator eu preciso ir atrás – faz tempo que não ouço a banda. Os outros lançamentos infelizmente não conheço…

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.