Nickelback lança novo álbum, Get Rollin’

Os canadenses do Nickelback lançam seu novo álbum de estúdio. “Get Rollin’” é o décimo álbum da banda e o primeiro desde 2017. Criado de um modo livre e com a banda se divertindo, o novo trabalho cria a trilha sonora de uma jornada que passa pelos contrastes do som do grupo – hora acústica, hora pesada – que fizeram deles um dos nomes mais relevantes do rock nas últimas décadas. “Passamos os últimos anos gravando em um ritmo que nos deu liberdade para criar sem pressa e mal podemos esperar para que todos ouçam as novas músicas. Sentimos falta do contato com o público e estamos ansiosos para dar vida às novas canções no palco, então vamos fazer rolar!”, conta o grupo. Ouça Get Rollin’ e garanta o CD. Assista ao lyric video de “High Time”. Assista ao clipe de “San Quentin”. Assista ao clipe “Those Days”.

Get Rollin’ vai desde a enérgica jornada de uma fuga na faixa de abertura “San Quentin”, uma das faixas mais pesadas da discografia do Nickelback até “Those Days”, que evoca hits da banda, como “Rockstar” e “Photograph”, em uma nostalgia coletiva sem perder o foco no futuro. Tudo isso passando por sonoridades influenciadas do rock de arena dos anos 80 e até momentos chapados inspirados no country e no blues para ouvir na estrada, como em “High Time”. Considerada pela Billboard em 2009 a banda de rock mais bem sucedida da década, o Nickelback é o 11º artista com mais sucesso comercial de todos os tempos, contando com mais de 50 milhões de discos vendidos e mais de 4,7 bilhões de streams até hoje. Com clássicos como “How You Remind Me” e “Far Away”, a banda lançou 23 singles que chegaram ao topo das paradas, com 19 deles alcançando o Billboard Hot 100.

Seu sucesso resultou em mais de 26 prêmios, incluindo Billboard Music Awards, American Music Awards, MTV Video Music Awards, MuchMusic Video Awards, People’s Choice Awards, JUNO Awards e muito mais. Além disso, a banda teve 12 turnês consecutivas com ingressos esgotados, com quase 10 milhões de entradas vendidas em todo o mundo. Get Rollin’ está disponível para streaming e em CD via BMG.


Enslaved anuncia novo álbum Heimdal e lança nova faixa ‘Congelia’

“Esses poucos corações dourados e imortais são os de filhos secretos.
E os segredos do Sol são os das filhas pedindo para…”

Os visionários de Bergen, o Enslaved, têm o orgulho de anunciar seu 16º álbum de estúdio, Heimdal, previsto para ser lançado no dia 3 de março de 2023, pela Nuclear Blast Records. As notícias trazem também o lançamento de uma nova faixa empolgante, intitulada ‘Congelia’, juntamente com um videoclipe emotivo e ambiental. Ivar Bjørnson & Grutle Kjellson do Enslaved comentaram: “É muito estranho, mas muito incrível que agora estejamos falando sobre o lançamento de nosso 16º álbum; sim, nosso 16º álbum de estúdio. Nada mal para alguns malandros do oeste rural da Noruega, não é? Se você contar nossa viagem juntamente com a banda que durou muito pouco – a banda Phobia, já tocamos juntos por exatos 32 anos!

Em todos esses anos, a mitologia nórdica tem sido nosso cordão umbilical para os reinos do misticismo e da filosofia, e nossa porta de entrada para os reinos da psicologia profunda e dos mundos esotéricos para o além. Um dos personagens mais fascinantes da nossa mitologia é HEIMDAL, e ele está espreitando em nossas mentes como um enigma há três décadas. Sua primeira aparição foi em uma música chamada ‘Heimdallr’ em nossa fita demo Yggdrasill em 1992, e ele teve papéis menores e mais significativos em nosso universo lírico ao longo dos anos. Desta vez, decidimos dedicar todo um corpo de trabalho a este personagem mais enigmático e ao mais rico dos arquétipos – apresentamos HEIMDAL. Chegamos mais fundo e exploramos mais à frente do que nunca – o som do passado, presente e futuro da banda reunidas em canções nascidas de pura inspiração – é a força comum de um grupo de amigos e músicos.”

PRÉ-VENDA PARA ‘HEIMDAL’ AQUI

OUÇA ‘CONGELIA’ AQUI

ASSISTA AO VIDEOCLIPE ‘CONGELIA’ AQUI

Heimdal é tanto um ponto de partida quanto uma comunhão com raízes forjadas há mais de três décadas nos turbulentos espasmos do nascimento da cena black metal da Noruega. O registro tem o nome de Heimdal, indiscutivelmente a entidade mais misteriosa da mitologia nórdica. O álbum apresenta a faixa psicodélica ‘Caravans To The Outer Worlds’ do EP que leva o mesmo nome lançado no ano passado. As versões bônus do álbum contêm uma faixa extra, ‘Gangandi’, ao lado de uma cópia em Blu-Ray do impressionante evento de streaming Otherworldly Big Band Experience de 2021 – o projeto mais ousado da banda até hoje, apresentando a banda progressiva norueguesa Shaman Elephant. O show, que inclui um palco com luzes quase caleidoscópicas, apresenta um setlist estelar cobrindo a carreira do Enslaved, tanto com músicas do passado quanto do presente.

Tracklist Heimdal
01. Behind The Mirror
02. Congelia
03. Forest Dweller
04. Kingdom
05. The Eternal Sea
06. Caravans To The Outer Worlds
07. Gangandi (Bonus Track)*
08. Heimdal

Formatos Heimdal por enquanto apenas importados:
CD
Edição Limitada Digipack CD (inc. Bonus Track) + Blu-Ray*
2LP Capa Dupla – preto
2LP Capa Dupla – branco + preto marmorizado (Nuclear Blast Excl.)
2LP Capa Dupla – branco + verde marmorizado (Nuclear Blast + Lojas Selecionadas)
2LP Capa Dupla – azul + branco marmorizado (UK Retail + EMP)
2LP Capa Dupla – branco (USA Revolver Excl.)
2LP Capa Dupla (inc. Bonus Track) + Blu-Ray – transparente c/ preto marmorizado (Nuclear Blast Excl.)*
2LP Capa Dupla (inc. Bonus Track) + Blu-Ray – transparente c/ dourado marmorizado (Nuclear Blast Excl.)*

Heimdal foi produzido pelos próprios Ivar Bjørnson, Iver Sandøy e Grutle Kjellson do Enslaved. A mixagem foi feita por Jens Bogren no Fascination Street Studios, e o tratamento final foi a masterização feita por Tony Lindgren. O conceito e a letra de Heimdal foram, como sempre, desenvolvidos por Ivar Bjørnson e Grutle Kjellson em conjunto. O álbum foi gravado principalmente no Solslottet Studios em Bergen, propriedade de Iver Sandøy. Solslottet é um anexo do conhecido Duper Studios, onde a bateria foi gravada e projetada pelo próprio Iver, com a ajuda de Vegard Lemme. As guitarras principais, baixo, pianos, órgãos e vocais também foram gravados no Solslottet. Arve ‘Ice Dale’ Isdal gravou seus solos de guitarra em seu próprio estúdio chamado Earshot & Conclave Studios. Os toques finais e algumas ideias experimentais foram adicionadas no Overlook Hotel usando o equipamento de estúdio móvel da Solslottet. Todas as músicas do álbum Heimdal foram escritas e gravadas no próprio estúdio Crow’s Nest de Ivar Bjørnson.

SOBRE ENSLAVED:
A icônica banda norueguesa ENSLAVED continua sendo um dos componentes mais originais e inseparáveis daquilo que se chama coluna vertebral indestrutível de nossa cena. Com uma reputação de serem uma das bandas mais incríveis ao vivo, a banda nunca deixa de oferecer o máximo de seu talento de alto calibre, sempre entregando aquilo que eles propõe com a sua música e agora assinatura: o som do progressivo/obscuro. ENSLAVED foi formado em 1991 por Ivar Bjørnson e Grutle Kjellson quando lançaram a primeira demo Yggdrasill num verão de 1992 e consequentemente o mni álbum Hordanes Land em 1993 e o primeiro álbum Vikingligr Veldi que chegou ao mercado na primavera de 1994.

ENSLAVED 2022 é uma banda em sua forma estelar – uma banda existencialista com consciência própria, orgulhosa das tradições de Bergen e que empunham a tocha da grande história musical que a cidade oferece. Seu material mais recente mostra o Enslaved em sua forma mais livre e pensada – uma combinação letal revelando um potencial que está facilmente reacendendo o furor de seus primeiros trabalhos enquanto dança graciosamente através de suas melodias mais ambiciosas, assombrosas e musicais até agora. Uma contradição? A própria vida é uma contradição. E, no entanto, todos nós vivemos para provar que estamos errados.

ENSLAVED é: Ivar Bjørnson | guitarras; Grutle Kjellson | vocais; Arve ‘Ice Dale’ Isdal | guitarras; Håkon Vinje | teclados, vocais limpos; Iver Sandøy | bateria

Mais informações:
Facebook
Instagram
Site oficial
Twitter


THE CROSS: Entrevista em vídeo ao canal ‘MetalHeads FSA’, assista!

Ao participarem do ‘Dopesmoke Festival 2022’, os baianos do THE CROSS foram destaques no canal ‘MetalHeads FSA’, onde o vocalista Eduardo Slayer falou com exclusividade. Em uma descontraída entrevista, o músico e fundador da banda de Doom Metal falou um pouco mais sobre a participação no supracitado evento, atual trabalho Act II: Walls Of The Forgotten, sua repercussão mundial e as participações especiais – Aaron Stainthorpe (My Dying Bride), Albert Bell (Forsaken, Sacro Sanctus), Achraf Loudiy (Aeternam) e Leo Stivala (Forsaken) – atual momento, projetos futuros e MUITO mais. Assista agora.

Em outras notícias, a atual turnê nacional do THE CROSS acaba de ganhar mais uma data oficial, o show confirmado desta vez acontecerá em Recife/PE, no ‘Dark Side Doom Over’.  Por fim, a primeira edição do programa ‘Banger Force’ – do canal Power Thrashing Death – foi ao ar no último dia 04/11 e trouxe o novo álbum do THE CROSS, Act II: Walls Of The Forgotten, como destaque. Além de fazer uma ótima resenha em vídeo deste trabalho, o apresentador Reinaldo Steel conversou com o vocalista e fundador Eduardo Slayer, que falou um pouco mais sobre o processo de composição, criação e gravação do novo disco, temáticas abordadas, participações especiais, lançamento e MUITO mais, assista. Inscreva-se no canal Power Thrashing Death AQUI.

Paralelamente, o THE CROSS anunciou um single, intitulado “Resquiact in Pace ll”, que está previsto para ser lançado no dia 15/12 (data em que se celebraria o aniversário do ex-baterista Louis) deste ano, via Pitchblack Records, em todas as principais plataformas de streaming e download. Siga, salve e ouça o THE CROSS em sua plataforma de streaming mais utilizada CLICANDO AQUI.

Sites relacionados:
Facebook
Instagram
Youtube
Bandcamp
Site oficial
Sangue Frio Produções


A banda francesa de metal Lomor lança videoclipe subliminar de “The Great Defender”

Como uma sequência lógica de seu videoclipe de estreia cheio de adrenalina e energia « Psykoz » lançado em outubro, Lomor finalmente revela seu álbum de estreia Perseverance of Sickness. O álbum estará disponível em 9 de dezembro de 2022 em todas as plataformas digitais, em CD e vinil. Para acompanhar este lançamento, um segundo videoclipe “The Great Defender”, subliminar e enérgico, já está disponível. “The Great Defender“.

O álbum, produzido e gravado na França no Studio ArtMusic (Heart Attack, Akiavel, Impureza…) por Sebastien Camhi, confirma a sonoridade resolutamente Thrash da banda e seu gosto por riffs cativantes e percussivos. Uma festa de lançamento está prevista para esta data no Kabardock Kafé. Lomor é uma banda Old School Thrash da Reunion Island. Muito inspirado pela sonoridade dos primórdios do Thrash Metal, Lomor tem algumas datas a seu favor em palcos míticos da ilha.


Reckoning Fest traz 9 bandas para o Rio de Janeiro

O rock está firme e forte no retorno do Reckoning Fest, que acontece nos dias 9 e 10 de dezembro, no Imperator, na Zona Norte do Rio. Com nove bandas em seu lineup, esta é a maior edição do festival que ficou dois anos parado devido à pandemia. Idealizado pela Reckoning Hour, banda de metalcore do Rio, o evento traz diversos subgêneros do heavy metal para o palco no Méier, a fim de agradar todos os públicos: metal sinfônico, thrash e death metal, power metal, hardcore, grunge, entre outros!

No dia 9 de dezembro, o Reckoning Fest recebe as bandas Hatefulmurder, Lyria, Innocence Lost e Unnature, o detalhe é que todas elas contam com mulheres entre as integrantes. Já no dia seguinte, 10 de dezembro, os intervalos serão comandados pela DJ Cammy, enquanto o evento traz as bandas Circus, Impavid Colossus, AXTY, Odeon e a Reckoning Hour, que encerra o festival. O apresentador nos dois dias será Renan Sparrow. Destaque da sexta-feira (9/12) o Lyria é o maior nome do metal sinfônico nacional e apresenta no palco do Imperator as canções dos discos Immersion (2018) e Catharsis (2014). Criada em 2012 por Aline Happ (voz), a banda traz refrãos marcantes, arranjos bem trabalhados e temas de superação, o que levou a banda a acumular nas redes fãs de todos os cantos do globo, principalmente na Europa, Estados Unidos e Brasil. Além de Aline, o Lyria é formado por Rod Wolf (guitarra), Thiago Zig (baixo) e Thiago Mateu (bateria). Assista “Let Me Be Me”, do Lyria.

Subindo ao palco no sábado (10/12), a Reckoning Hour traz 10 anos de experiência para o palco, sendo ela hoje uma das bandas de destaque da cena carioca de música pesada. Durante a sua trajetória, o grupo teve o reconhecimento de bandas internacionais e nacionais ao tocar junto ao Dream Theater, In Flames, As I Lay Dying, Sepultura, Angra, Rhapsody, Sabaton, Children of Bodom, Suicide Silence, The Black Dahlia Murder, Septic Flesh e Fleshgod Apocalypse. No repertório da apresentação, canções dos álbuns Beyond Conviction (2020) e Between Death and Courage (2016), além do novo single, inédito, que marca a nova fase da banda carioca. A Reckoning Hour é formada por Philip Leander (guitarra e backing vocal), JP (vocal), Cavi Montenegro (baixo), Johnny Kings (bateria) e Lucas Brum (guitarra). Assista “Away from the Sun”, do Reckoning Hour.

O Reckoning Fest é uma realização da Striker Produções em parceria com a Lighthouse Productions. O festival conta com apoio do Tomarock Produções, do Imperator – Centro Cultural João Nogueira e da SECEC – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro.

Serviço

Reckoning Fest 2022

Data: 9 e 10 de dezembro de 2022 (sexta-feira e sábado)

Horário: 17h (abertura dos portões)

Ingressos: R$ 50 (meia-entrada) l R$ 80 (passaporte dois dias*) l R$ 100 (inteira)

Compre online

Classificação: 16 anos

Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira

R. Dias da Cruz, 170 – Méier – Rio de Janeiro/RJ

*valor mediante a doação de 1kg de alimento não perecível


CRITICAL FEAR: tradicional grupo de Thrash / Crossover do interior paulista lança novo single

Depois de lançar o aclamado single “Fascist”, que teve milhares de visualizações no Youtube, o grupo de Iracemápolis/SP, Critical Fear, lança seu mais novo petardo. Trata-se de “Warrior”, que vem embalado por um lyric vídeo. “Warrior” mantém as características do quarteto, ou seja, o puro Thrash / Crossover fincado nos anos 80, mas servido aos moldes atuais. Gravado no Nock Studio Alive, com mixagem e masterização de Marcos Nock e Fernando Freak, o single é distribuído pela Thrash or Death Records. A arte do lyric vídeo ficou por conta de Marcelo Silva. Segundo Pearcy Moraes, vocalista e guitarrista, “a letra aborda a vida de Antonio Gramsci, importante figura do movimento operário italiano e internacional”. Confira o lyric video.

“Warrior” é o terceiro single do Critical Fear como prévia de lançamento de seu vindouro álbum, A Real Danger, que tem previsão de lançamento para novembro de 2022. Os singles anteriores podem ser conferidos nos links aqui e aqui. Na estrada desde 2008, o Critical Fear já lançou um álbum, “Conflicts”, sua estreia em 2011, além de demos e singles. Com várias apresentações pelo país, consolidou seu nome no cenário Thrash / Crossover nacional com fidelidade ao estilo, sendo um dos grandes representantes do gênero no Brasil. Hoje, além de Percy Moraes, a banda é formada por Fernando Freak (guitarra e backing vocals), Celso Fernandes (baixo e backing vocals) e Sandro Maués (bateria e backing vocals). Siga e acompanhe o Critical Fear nas redes sociais


EXPERIENCES, DA ELETROACORDES, DÁ A LEVEZA AO ROCK EM PROJETO SEMIACÚSTICO

A leveza do jazz, a sonoridade acústica pop e o embalo rock de guitarras contrastando com instrumentos de percussão dão o tom para o quinto trabalho da Eletroacordes, intitulado Experiences. O projeto inédito, rompe com o tradicional trabalho mais potente da banda, conceituando uma identidade sonora para as composições novas ou de ‘gaveta’ do vocal e baixista Rodrigo Vizzotto. O lançamento do EP físico e na plataforma Soudcloud aconteceu no dia 26 de outubro. O título da obra, com sete canções autorais exclusivas, não se trata a nenhuma alusão ao projeto do lendário guitarrista Jimi Hendrix, a The Jimi Hendrix Experience, e sim, a novas experimentações sonoras semiacústicas e com diversos músicos convidados, que versaram sua identidade nas composições ‘acordianas’. Gravado entre setembros de 2020 e 2022, o período no estúdio da Casa Sonora se prolongou diante da interferência da pandemia e o consequente distanciamento social.

A banda já lançou três EP´s – Respire Fundo, Insanos, Sono Tão Profundo – e uma coletânea própria, intitulada Doces Doze Doses. Entre os músicos convidados, que gravaram individualmente e/ou de forma remota, estão os guitarristas Yuri Passos, Luis Tissot e Alex Lappan, o violonista Wagner Rodrigues, o percussionista Cássio Neves e a participação especial do vocalista Demetrius. Para o produtor musical da Casa Sonora, Wagner Rodrigues, que já participou de dois discos da Eletros e mais a trilha sonora do Doc “Schizo”, assinada por Vizzotto, “este trabalho inaugura uma nova fase da banda, que já vinha se delineando com o lançamento dos singles ‘Dias Perdidos’ e ‘Lorde Burguês’, cuja abordagem enfatiza os arranjos acústicos, tanto percussivos –– em especial a percussão latina – como de cordas em violão, ukulele e baixo upright, passando pela harmônica (gaita de boca) numa fusão incandescente de Pop Rock, Blues, Jazz e Folk”.

Em 2022, a Eletroacordes fez 15 apresentações, antecipando algumas canções do novo trabalho, como as faixas “Estar Aqui” e “Dias Perdidos”, esta última, com clipe no canal do YouTube da banda. Ouça o EP Experience na plataformas Soudcloud. A produção executiva foi dividida por Rodrigo Vizzotto e Wagner Rodrigues, arte da capa por Claudete Sieber e Cleber Nazário e o EP foi prensado pela Disc Press.


Rubah lança single e clipe da faixa “Ana Laura”, homenagem à filha

Com mais de duas décadas de carreira, Rubah, nunca havia escrito uma música endereçada a uma pessoa específica. “Minhas músicas falam mais sobre a sociedade de forma geral, política, desigualdade social, questões que vêm do movimento punk”, justifica. Apesar desse padrão, a veia rock n’ roll de crítica social agora também convive com um brilho mais pueril do segundo single do seu próximo disco, “Ana Laura”, música escrita por Rubah em homenagem à filha de sete anos. Acompanhada de videoclipe, a faixa, que mantém os bons riffs de guitarra no talo, foi lançada neste mês e vai integrar o primeiro disco autoral de Rubah, Origem. Assista ao videoclipe do single “Ana Laura”.

De maneira despretensiosa, a homenagem de Rubah à filha foi composta apenas para a pequena, de modo privado e afetivo, mas ganhou o mundo e entrou para o disco por seguir a mesma linha que norteia as novas canções do álbum: uma reflexão sobre os medos e as perdas atreladas à pandemia que assolou o mundo nos últimos dois anos. “O disco tem vários conceitos, mas um dos principais é a reflexão sobre a vida e a morte. Para mim e outras pessoas que têm filhos, veio à tona a cruel possibilidade de você de repente não poder acompanhar o crescimento do seu filho por causa desse vírus. Essas coisas me sensibilizaram bastante e me motivaram a fazer a música para minha filha. Ela é pequena, mas já gosta muito de rock, tem bateria e guitarra, toca um pouquinho e curte bastante”, diz Rubah.

Embora a letra remeta à uma sensibilidade quase lúdica, como os versos que dizem: “podemos um velho blues dançar, me abraça com sua graça, vamos o mundo girar”, o single tem uma pegada punk, influenciada por audições de Sonic Youth e pelas guitarras oitentistas repletas de distorções e efeitos. O clipe da faixa, sob a direção de Emanuel Kaauara, recupera a estética simples e poderosa dos anos 90, concentrado nas clássicas imagens da banda em ação, executando a música como se estivesse em estúdio, sem grandes invenções visuais. O brilho do videoclipe ficou por conta das imagens caseiras da pequena Ana Laura, inseridas entre as filmagens da banda formada por Gisele Caetano (bateria), Talita Cordeiro (baixo) e Rone DMZ (guitarra).

“A ideia inicial era fazer um clipe com imagens reais da minha filha, sem muita produção, algo mais íntimo mesmo. Não queria produzir um clipe todo montado e artificial com ela. Por isso, escolhi uma série de filmagens caseiras, simples, e muito afetivas dela. A única edição elaborada que temos são referências aos quadrinhos nas imagens dela, porque é um universo que minha filha adora, foi uma homenagem para ela”, explica Rubah.

Primeiro disco cheio de Rubah, Origem é composto por nove músicas, incluindo os singles “Dinossauro” e “Ana Laura”, e tem previsão de lançamento para maio de 2023. O disco teve tratamento de primeira linha, gravado no estúdio Full Time, em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, onde nomes como Milton Nascimento e Djavan também registraram suas vozes. A masterização foi realizada em Barcelona, na Espanha, por Fernando Delgado, que assina produções de Djonga, Baianasystem, Francisco, el Hombre e Zeca Baleiro. A produção é toda de Rubah, com arranjos, principalmente as criações de cordas, sob condução de Rone DMZ, explorando não apenas a tradicional veia punk de seu som, mas também influências do jazz, da música africana e até da música popular brasileira. A banda de apoio do álbum conta com Rone DMZ (guitarra), Cazão Drum (bateria) e Hiago Fernandes (baixo).

Sobre Rubah

Edgard Leite de Oliveira, o Rubah, vem se consolidando na cena do rock nacional, tendo passagens por diferentes projetos e bandas. Foi vocalista e fundador da banda MISERICORE (1999), com a qual gravou os discos Cidadão Perfeito (2001) e Misericore (2004); vocalista e fundador da banda Meka (2007); e baixista da banda Dops (2012). Com identidade musical que resgata a tradição dos bluesman e uma sonoridade única de rock do interior, longe dos vícios das capitais, Rubah vem conquistando cada dia mais público. Em carreira solo, lançou o EP Encruzilhada (2020), gravado no Estúdio Delírio Graba, em Buenos Aires, assinado pelo renomado produtor argentino Ivan Caplan. O segundo EP, Libertad (2021), foi lançado simultaneamente no Brasil, Cuba, Argentina, México e Itália, sob a produção de Jorge Guerrero (Elza Soares, Sepultura, Pitty, Cachorro Grande, Matanza, Dead Fish). Os 12 clipes lançados atraíram mais de 500 mil pessoas, confira neste link.


Fud’s Gang Lança Cegueira Demente

Encontros e desencontros… Assim são escritos os principais capítulos da nossa vida: de encontros e desencontros! No mais novo single da Fud’s Gang, o compositor Celso Leony partiu dos desencontros para elaborar uma série de pensamentos e emoções da mais triste constatação que houve nesse período caótico que vivemos… Aquele amigo próximo ou aquele parente querido que, de repente, apresentou-se Bolsonarista, negacionista, neofascista entre tantos outros adjetivos horríveis que poderiam ser enumerados! – O que fazer? O rompimento!

Tomar distância; buscar o afastamento tornou-se urgente e irremediável! Gravado no Estúdio Dopller (SP), o arranjo de “Cegueira Demente” traz um espírito soturno, com dedilhados em camadas bem oitentistas, que em conjunto com a melodia levam o ouvinte a um ambiente de reflexão e melancolia. Identifique essa pessoa próxima e diga sem medo: “Adeus, até nunca mais!”

A Fud’s Gang começou despretensiosamente em 2017 quando seu vocalista Celso Leony estava revisitando e fazendo novas composições e percebeu que elas tinham alguma conexão. Com isto, o processo natural era a gravação e a Gang começou a ser formada. Os “Fudsgangters” foram entrando: Vini Blues Boy (Guitarra), Thiagueira Bassman (baixo) e Barbatera Pauloko (bateria). A banda então, terminou a gravação no Estúdio Jardim Elétrico (Jundiaí) com a mixagem a Masterização feita no Estúdio Doppler do Thiagueira. O EP Proud to be Fud’s foi lançando e a partir daí a banda saiu em turnê em qualquer lugar onde haja cerveja. Em 2021 a banda lançou “Lindo Saboroso Doce”, que é a 1a música do novo EP que está pintando por aí. E em 2022 lançou Vivo Outra Vez.

Contatos e redes sociais
Facebook
Instagram

Youtube


Change: Breaking Bad e pop punk inspiram novo single da banda Catwave

Mentiras geram frustrações e mágoas, permitindo que as discussões mais árduas aconteçam. E isso, consequentemente, muda os destino dos envolvidos. Esse é o tema da do novo single da banda Catwave: Change. A faixa é inspirada na trama da série Breaking Bad, refletindo a relação dos personagens Walter e Skyler. Ouça “Change” via Streaming. O single chega nas plataformas digitais acompanhado de um videoclipe e antecipa o segundo álbum da Catwave, intitulado The Death Grip e previsto para meados de 2023. O disco, bem como a canção em si, transita pelo rock alternativo, pelo pop punk e pela musicalidade indie.

Natural de Belém, Pará, a banda traz versos em inglês e referencia a sonoridade de nomes como Green Day, Machine Gun Kelly e Bullet For My Valentine ao decorrer de Change. Para chegar nesse resultado, a Catwave gravou a faixa integralmente através de home studios e contou com a mixagem e a masterização de Kelby Dover (Kid Politics). Para John Antonny, vocalista da Catwave e letrista de Change, relata que a melodia estava pronta, mas só pôde conceber a letra depois de ter sido impactado pela série Breaking Bad. “Estava assistindo um episódio em casa, passando o tempo, quando simplesmente tive um estalo. A forma como Walter e Skyler lidavam com a complexidade do próprio relacionamento”.

Além de Johnny, a Catwave conta com os guitarristas Anderson Nascimento e Gabriel Brito, com o baixista Daniel Rodrigo e com o tecladista Tiago Lima e o baterista Janilson Rodrigues. A banda está em atividade desde 2020 e em 2021 divulgou o álbum Decadence.

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.