CD-IzzyStradlin-River-003

Por Micael Machado

Mesmo em seus tempos de Guns and Roses, era fácil perceber que a “praia” musical do guitarrista Izzy Stradlin era diferente da de seus companheiros de banda. Se Axl e Slash sempre apreciaram canções no estilo do Aerosmith, o músico nascido na cidade de Lafayette, no estado americano de Indiana, parecia curtir mais uma sonoridade a la Rolling Stones, e até com um pezinho no southern rock, como se percebe em algumas músicas de sua autoria quando integrante do grupo, como “You Ain’t the First”, “Bad Obsession”, “14 Years”  “Double Talkin’ Jive” ou a própria balada “Patience”. Ao deixar a banda em 1991, Izzy (que também assumiu o vocal principal de suas canções) se viu livre para criar as melodias que queria, primeiro com o apoio do Ju Ju Hounds (com quem gravou apenas um aclamado disco em 1992), e depois abrindo espaço a seu lado para outros parceiros.

River é seu quarto álbum solo, o terceiro a contar com Duff McKagan, outro ex-gunner, no baixo, e o quarto com a colaboração do guitarrista solo Rick Richards, ex-membro do Georgia Satellites, e que também integrou o Ju Ju Hounds. Com o line up completo pelo baterista Taz Bentley e o lendário tecladista Ian McLagan (ex-Faces e Small Faces, além de acompanhante em turnês dos Rolling Stones), é um disco simplesmente de rock and roll, perfeito para ouvir com uma cerveja gelada na mão e a expectativa da mais pura diversão musical.

Detalhe do encarte do CD

São assim faixas como as agitadas “Jump In Now” (com destaque para a dupla de guitarristas) e “Get Away” (onde o teclado chama as atenções), além das estradeiras “Head On Out” (com um toque de Rolling Stones no arranjo), “What I Told You” e “Underground” (um pouco mais pesada que as demais), músicas que, apesar do arranjo simples e da execução sem muitas firulas, agradam ao ouvinte logo de cara, lembrando um tempo onde o rock não tinha por intenção revolucionar o mundo, mas apenas divertir e alegrar a quem o ouvisse.

faixa título e “Far Below Me Now” tem um toque de southern rock no arranjo, algo que, como dito, já havia aparecido antes na carreira do músico, assim como o reggae, que aqui aparece na forma de “Run-In” (mais “malemolente”) e “Shall Walk” (espécie de versão “enfumaçada” da citada “Underground”), que soam surpreendentemente agradáveis tendo em vista os músicos envolvidos. O track list ainda possui a acústica “Feelin’ Alright“, uma semi-balada com um toque country e refrão empolgante, que encerra o álbum com um clima “para cima” muito agradável.

Contracapa do CD

Izzy continuou em carreira solo após River, recusando convite para juntar-se ao então iniciante Velvet Revolver (grupo que conta com Slash, Duff e Matt Sorum, todos ex-membros do Guns), e até fazendo algumas aparições em shows de sua ex-banda famosa alguns anos depois. Outros sete discos foram lançados desde então (muitos apenas pelo iTunes, outros apenas no Japão), apesar do guitarrista se manter meio que afastado dos holofotes na maior parte do tempo. Mas sua ausência da mídia não tem muita importância, afinal, de um músico com tanto talento, não se espera escândalos ou assuntos mais adequados a colunas sociais e de fofocas, mas sim grandes e empolgantes músicas. E, isso, Izzy é mestre em fazer!

“It all comes right back, you’ll see / And when it does then it will be”

Track List:

1. Jump In Now

2. Head On Out

3. River

4. Far Below Me Now

5. What I Told You

6. Get Away

7. Underground

8. Shall Walk

9. Run-In

10. Feelin’ Alright

1 comentário

  1. CLEIBSOM CARLOS ALVES CABRAL

    Se formos analisar “apenas” pelo tópico das composições, IZZY foi o integrante mais importante da 1ª fase do GUNS. Foi o AFD que criou o mito da banda e ali, apesar dos créditos de composição estarem em nome de todos os integrantes, foi o guitarrista base que trouxe a maioria das ideias…

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.