Por Davi Pascale

Em 28 de Janeiro de 1985, David Lee Roth soltava seu primeiro trabalho solo, o EP Crazy From The Heat. Quando entrou em estúdio para gravar esse material, o cantor não tinha nenhum tipo de pretensão. A ideia surgiu, por acaso. “Surgiu na praia, numa tarde enfadonha. Estávamos curtindo algumas músicas do Beach Boys, começou ‘California Girls’ e um dos guarda-costas disse: ‘Você deveria gravar essa, Dave’. Eu disse: É ISTO!!! Reunimos nossas coisas imediatamente e comecei a dirigir pelo deserto. 15 horas até chegar ao aeroporto”, relembrou o cantor em entrevista à revista Record.

O disco é bem diferente do que fazia sua banda principal. O EP traz, de certo, todo o lado bem humorado e sarcástico do vocalista. Entretanto, a guitarra aqui serve como um pano de fundo. Ao contrário do Van Halen, onde a guitarra saltava aos olhos. Curioso notar que foi utilizado bastante teclado nos arranjos. Digo curioso porque já li gente dizendo que uma das principais razões para as brigas entre os dois músicos é que Eddie queria colocar mais teclados nas canções e David era contra.

O lado A abre com “Easy Street”, canção escrita pelo astro pop Dan Hartmann e que ficou conhecida na interpretação de Edgard Winter Group. Grupo, aliás, que contou com Dan em sua formação. A versão de David Lee Roth não é tããão distante da original. Acredito que a principal diferença esteja na mixagem mais moderna (para a época). O trabalho vocal ficou bem bacana e os teclados foram gravados pelo próprio Edgard Winter.

Capa do single “Just a Gigolo”.

 

Na sequência, temos “Just a Gigolo / I Ain´t Got Nobody”. Música que se tornou um dos maiores hits de sua carreira. O medley já havia sido registrado pelo cantor Louis Prima, em 1956. Mais uma vez, Roth atualizou o arranjo, sem descaracterizar a canção original. Diminuiu os backings 50´s. Deixou o baixo e a bateria mais em evidência, colocou mais teclado (gravado pelas mãos do lendário Edgar Winter, mais uma vez). Deixou a canção mais alegre. O resultado ficou sensacional. Acredito que não tenha ninguém que tenha vivido aos anos 80 e não tenha se divertido com o videoclipe que passava a todo instante na televisão. Sacada realmente genial.

“Com exceção de ‘Just a Gigolo’, as demais vinham dos tempos de bar com o Van Halen. O disco foi todo gravado em 4 dias. E os músicos se divertiram. Não é sempre que você tem a oportunidade de tocar coisas distintas como Beach Boys e Louis Prima na mesma sessão”, relembra o cantor. “Eu tinha essas músicas na manga por anos, mas não sabia quando teria tempo para isso”. As palavras fazem todo o sentido quando recordamos do sucesso que o Van Halen fez na época. Certamente, um dos maiores grupos de sua geração.

O material foi gravado no Power Station Studios, em Nova Iorque. Justamente por não ser, exatamente, o início de sua carreira solo, apenas um projeto, Roth não tinha uma banda fixa. Para gravar o disco, utilizou músicos de estúdio. Entre os nomes mais famosos estavam o baterista John Robinson (famoso por ter gravado o álbum Off The Wall de Michael Jackson, além de ter tocado com John Fogerty, Peter Frampton e Madonna), o baixista Willie Weeks (que tem em seu curriculum nomes como George Harrison, Rod Stewart e James Taylor) e o guitarrista Sid McGinnis, que ganhou a vida por muitos anos como integrante da CBS Orchestra, no programa  The Late Show With Dave Letterman. Indiscutivelmente, um time de primeira.

 

Músico na capa da Rolling Stone

 

O lado B começa, justamente, com o som que deu origem ao álbum. Ou seja, o clássico “California Girls”. Roth acelerou um pouco a música, mas nada que a tornasse irreconhecível.  Para ajudar a reconstruir um pouco da atmosfera do arranjo original, o músico contou com os vocais do grupo Christopher Cross e do próprio Carl Wilson (um dos integrantes do Beach Boys) nas harmonias vocais, uma das principais caraterísticas do famoso grupo de surf music. Outro grande destaque do EP.

O disco se encerra com “Coconut Grove”, gravada originalmente pelo grupo Lovin´ Spoonful. A única mudança no arranjo foi a inclusão do teclado. Até entendo que o instrumento tinha muita evidência nas gravações dessa época e, muitas vezes, dava um brilho a mais, mas nesse arranjo achei que não funcionou. Prefiro mil vezes a versão original. Essa é uma música que, honestamente, não teria incluído no LP.

O trabalho é extremamente divertido, carrega uma certa magia, diria até uma certa inocência. Certamente, David Lee Roth não esperava receber a atenção que teve. “Just a Gigolo” foi executada em massa, o LP teve uma boa vendagem. Não seria de se espantar, caso resolvesse sair do grupo para dar início à uma carreira-solo. Ainda mais quando o relacionamento entre ele e os irmãos Van Halen não era dos melhores. E foi exatamente isso que aconteceu, poucas semanas após o lançamento. No ano seguinte, chegaria ao mercado um novo LP. Dessa vez, com mais guitarras, mais faixas, trazendo uma sonoridade mais próxima ao que seus fãs estavam acostumados e com uma formação que era um verdadeiro dream team, mas deixaremos isso para outro post.

Faixas:

01) Easy Street

02) Just a Gigolo / I Ain´t Got Nobody

03) California Girls

04) Coconut Grove

 

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.