Amilcar Christófaro: assista entrevista que o baterista concedeu ao canal de YouTube “Bate-Papo 360º”

O baterista Amilcar Christófaro concedeu uma entrevista ao programa “Bate-Papo 360º” apresentado por Gerson Lima Filho, no dia 15 de fevereiro. Amilcar comentou sobre o momento da cena em que os músicos estão apostando por trazer à tona informações e discussões mais profundas. “A gente está vivendo um momento baterístico muito especial, a cena baterística está pulsando muito forte.”, comentou em vista do programa “Bate-Papo 360º” ser voltado para bateristas. Ele contou também sobre os 28 anos que o Torture Squad completa este ano. “A gente conta desde 93, né? 93 que a gente entrou em estúdio para gravar a primeira demo.

A banda é de 89, mas até 92 não tinham gravado nada, e dai de 92 pra 93 entrou uns moleque loco, querendo trabalhar, fazer música, tocar, e aí em outubro de 93 gravamos a primeira demo e desde então só paramos por causa da pandemia”. E quem vê uma banda consagrada como o Torture Squad não imagina o trabalho, a e a dedicação necessárias para construir uma carreira. “Em 2002 a gente foi fazer a primeira turnê brasileira, e turnê era busão de rodoviária.”, disse o baterista. E não é só de perrengue que o músico vive, Amilcar falou sobre como esses 5 anos de turnês ajudaram a criar a conexão com o público e a divulgar as músicas do Torture Squad. Confira a entrevista no YouTube. Para se manter informado das novidades do Torture Squad, fique ligado nas redes sociais da banda.

Torture Squad: May “Undead” Puertas – vocal; Rene Simionato – guitarra; Castor – baixo; Amilcar Christófaro – bateria

Mais informações:
Site Oficial
Facebook
YouTube


Os pernambucanos da Bizouro Verde comemoram 20 anos de banda com álbum ao vivo

A Bizouro Verde é uma banda pernambucana de Punk/Hardcore criada no ano de 1999 e que foi um dos destaques da cena que movimentou diversos espaços na primeira década dos anos 2000. Em 2003 a banda lançou seu único álbum Torna-Te Quem Tu és, após 2 demos (uma k7 e outra em cdr). Em 2020, o nosso selo relançou o álbum Torna-Te Quem Tu és nos streamings (confira aqui). Um álbum que influenciou e gerou uma série de novas bandas da capital de Pernambuco.

Agora, estamos lançado o áudio do show de aniversário dos 20 anos da banda Bizouro Verde. A apresentação aconteceu dia 11 de Janeiro de 2020 no Capibar, espaço que fica na beira do Rio Capibaribe, na zona norte de Recife. A noite contou com participação de alguns nomes que fizeram parte da história da banda e da cena punk/hardcore de Recife dos anos 2000, como o Cadu Borba, vocalista da banda Porão GB e Amarelo, vocalista da extinta banda IUPI e Cláudio Bastos da banda Carranza, que participaram cantando canções da Bizouro Verde juntos com a banda. Quem apresentou a banda foi o agitador cultural Bruno Negaum.

O setlist do show foi basicamente composto pelo álbum lançado 17 anos antes, somados ao single “Tão Iguais”, que saiu após o álbum. Com uma nova formação, a Bizouro Verde mostrou que as canções seguem atuais e a banda segue afiada. O áudio do show foi gravado, tratado, editado e um ano após essa noite histórica, foi disponibilizado para ser escutado em todos os serviços de streaming e pra download no bandcamp do selo Hominis Canidae REC.

OUÇA O ÁLBUM AO VIVO NOS SEUS STREAMINGS FAVORITOS

FICHA TÉCNICA:

Gravado ao vivo no Capibar, em Recife (PE), no dia 11 de janeiro de 2020.
Captação de áudio: Bruno Lins e Daniel Santana.
Vocais adicionais de Leo Branco: faixas 1, 3, 10, 12, captados por Renan Ferraz, em Berlin (ALE), no dia 11 de outubro de 2020.
Backing Vocals adicionais de Felipe Snipes em todas as faixas, captados por: Felipe Snipes, no Namaste Studio (Miami Beach, FL), em outubro de 2020.
Mixagem: Bruno Lins e Marcelo Brito.
Masterização: Bruno Lins.
Produção: Marcelo Brito.
Arte da Capa: Felipe Snipes.

Bizouro Verde é: Leo Branco (Vocal), Pablo Ravel (Guitarra), Carlinhos (Guitarra), Matheus (Baixo), Maninho (Bateria), Felipe Snipes (Backing Vocals).


QUILOMBO: Banda concede entrevista ao site Rock Vibrations, confira!

Um dos sites mais ativos do underground brasileiro, o Rock Vibrations, publicou recentemente uma entrevista com a banda paulista QUILOMBO. Nesta conversa, o baterista e vocalista Panda Reis fala um pouco mais sobre o atual momento do grupo ao enfrentar a pandemia, métodos de abordagens sobre temas sociais em suas letras e sonoridades, EP Itankale”, projetos para o restante de 2021 e muito mais. Leia esta entrevista COMPLETA acessando este link. Em paralelo, o QUILOMBO figurou na primeira edição da coletânea em vídeo “Metal Antifa”, onde figurou ao lado de nomes como Hellway Train, Baga, Sanathoria, Enslaver, Damage Corporation e muito mais, assista agora.

Sites relacionados:
Facebook
Twitter
Sangue Frio Produções


Skagorilla: Projeto Secreto Macacos divulga videoclipe em plano sequência

A acidez e o experimentalismo do Projeto Secreto Macacos ganham ainda mais impacto no videoclipe de Skagorilla. O lançamento dá continuidade à divulgação do álbum Experimental Jazzcore Jungle, divulgado em julho de 2020 . O clipe foi captado em plano sequência com o intuito de frisar a brasilidade em meio a nuances de ska, rock e jazz. Na ocasião, o grupo desenvolve uma performance experimental com um dos membros fantasiado de gorila. Assista o videoclipe de Skagorilla via Youtube.

Para o guitarrista Fabio Viana, o processo foi trabalhoso e divertido. “Tivemos várias tentativas até enfim acertar todo o roteiro num único take. O nosso baterista, Rodrigo Jorge, foi quem teve a missão de usar a fantasia. Ele tinha de encenar o animal e mudar de figurino antes de voltar para tocar com a gente”. O videoclipe de Skagorilla é um lançamento do selo Xaninho Discos. Além de Rodrigo e Fábio, o Projeto Secreto Macacos é constituído pelos músicos Thales Campêlo (baixo) e Jaacob Franco (pad de efeitos, teclados, escaleta e efeitos vocais). A banda é natural de Belém (PA) e está em atividade há mais de 11 anos.


AVENTHUR: confira cover do Angra

A AVENTHUR disponibilizou no seu canal oficial do YouTube o cover da faixa “Waiting Silence” da banda Angra. Em paralelo, a banda confirmou que o seu novo single, “Behind The Legend”, já se encontra disponibilizado para audição nas plataformas digitais e que o grupo já se prepara para iniciar as gravações do seu novo EP.


Tuim e Sandyalê: ‘Dia Santo’ é ode à democracia contra cães que ladram

Metaforizada, a Quarta-Feira de Cinzas coloca-se para o duo Tuim (Felipe Habib e Paula Raia) e à cantora Sandyalê muito além do fim do carnaval, que sequer existiu – como festa – em 2021. É sobre o Brasil atual e suas nuances tortas e já está nas plataformas digitais. Ouça Dia Santo aqui. A música nasceu via zoom, no songcamp da Aceleração Labsonica Edição Toca do Bandido, conduzido por estímulos de Constança Scofield (diretora artística) e Flávia Tygel. A produção da música é de Felipe Rodarte. “Escutamos ‘Partido Alto’ (Chico Buarque), escutamos depoimento inédito de Milton Nascimento sobre processo criativo. Fomos levados a uma situação inusitada pra dentro de nossas imaginações como estímulo criativo: os três, após curtirem um bloco na Vila Cosmos, se encontram dentro do apartamento de um para seguirem bebendo. Dali em diante, o resto seria fruto de nossas imaginações, sensações e experiências”, contam os músicos sobre a concepção de ‘Dia Santo’.

Dia santo poderia ser sobre o carnaval, mas não é. Poderia também ser sobre a quaresma, mas não é. Sobre os enfurecidos latidos de cães. Mas não. Dia santo poderia ser sobre fantasia e também black-ties. Dia santo poderia ser apolínea, tanto quanto dionisíaca. Casta, pura, puta, livre. Poderia ser redenção, aprisionamento. Folia, isolamento. Poderia ser sexta mas também poderia ser cinzas. Poderia ser água, fogo. E terra. E ar. E tudo isso junto. Dia santo poderia ser. Mas não é. A poesia dessa canção fala dos tempos doidos e doídos, atravessada pela estética sonora e visual do carnaval de rua (e a impossibilidade de vivê-lo). Metaforiza os cães, palhaços e tintas, ressignificando-os a um campo político e social. Também “dessantifica” a figura humana, tentando trazer o próprio ser humano para a humanidade (passível de falhas e de conquistas).

Para além da construção sonora instrumental, a canção ganha uma narrativa de contra-cantos, coros, preces, batuques, risadas e falas, reforçando ainda mais a ideia dos ruídos das ruas, as diferentes falas e vozes, a confusão do inconsciente, as preces individuais (para além de uma questão religiosa).

Curiosidades da gravação

Dentro da plataforma de zoom, Paula, do Tuim, conta que no início do dialogo com Sandyalê, escutavam os cachorros da sergipana, que latiam muito alto. “Foi o gatilho para Felipe escrever a frase que deu início a poesia construída pelas três cabeças: ‘esses cães que ladram, como ladram’”. Sandyalê, que pontua muito bem Dia Santo – “uma canção política de carnaval” -, revela que foi um encontro online de três horas de atividades para compor. “Fizemos duas músicas, uma iniciada pelo Tuim e outra iniciada por mim. Foi muito gostosa a experiência, troca, aprendizados, exercício com as palavras”.

Tuim em 2021
Paralelo a Dia Santo, Paula Raia e Felipe Habib estão em estúdio compondo e gravando a trilha sonora original de dois espetáculos, em parceria com a Focus cia. de dança, dirigido por Alex Neoral. Ainda no primeiro semestre, o Tuim tem previsto uma série de cinco singles, enquanto na outra metade do ano, em conjunto com a toca do Bandido e Selo toca discos, devem iniciar a gravação do primeiro disco completo.

Sandyalê em 2021
A cantora já montou um extenso cronograma para seguir após Dia Santo. No primeiro semestre, Sandyalê vai lançar cinco videoclipes e gravar – para DVD – um show ao vivo completo cujo repertório terá os dois discos e todos os singles lançados. “A ideia no segundo semestre é de lançar dois singles, já gravados na Toca do Bandido, e também gravar meu terceiro disco, pra lançar em 2022”, ela comenta

Tuim nas redes
Instagram
Facebook

Sandyalê nas redes
Instagram
Facebook


Dall lança o EP Projeto Renascer: Remixes

Em plano feriado de carnaval, a banda Dall lançou o trabalho Projeto Renascer: Remixes. Trata-se de um EP com releituras da canção Renascer, lançada pela banda em 2018. As remixagens ficaram por conta dos produtores/artistas Z-Low, Breno Branches e Chicote, todos convidados pela banda para realizarem suas próprias versões da música, com total liberdade artística. A Dall, por sua vez, é um projeto autoral que tem como marca a criação de canções reflexivas com ideias e ideais positivos, unindo elementos musicais que poderiam parecer divergentes em uma primeira audição. A mistura de gêneros, vozes e arranjos busca transmitir a ideia de união do que é diferente, resultando em um repertório que é ora dançante e ora reflexivo, ora animado e ora experimental.

O reggae, o rock e o experimentalismo estão frequentemente presentes no repertório da banda, porém, na parceria da Dall com os produtores, novos gêneros foram também contemplados, como o trip hop, o dub e o lofi. O EP está disponível em todas as plataformas digitais, tal como Spotify, Deezer e YouTube. Ouça.


Scorpions ganha versão classical crossover na voz de Aline Happ

Uma das baladas mais conhecidas do Scorpions, “Send Me an Angel”, ganha versão classical crossover por Aline Happ, cantora e compositora brasileira, conhecida por seu trabalho à frente do Lyria (metal sinfônico alternativo). Com adição de elementos eruditos e folk, como harpa, violinos, cello e flauta, a música conta também com teclado, sintetizadores, baixo e bateria. A doce voz de Aline Happ coroa a canção, que ganha um ar etéreo enquanto reforça a mensagem de esperança. “Gosto muito dessa música. Tem um significado forte, além de ser muito bonita e icônica. A música pode ser interpretada como um pedido de socorro, de ajuda. O eu lírico deseja sair da tristeza, da angústia, então trouxe imagens de renovação, imagens que nos remetem realmente a um sentimento de purificação e ascensão.”, analisa Aline Happ, vocalista e compositora.

A faixa “Send Me an Angel” foi lançada originalmente no álbum Crazy World (1990), que também traz o clássico “Wind of Change”. Composta por Rudolf Schenker, a canção conta com letra de Klaus Meine e produção de Keith Olsen e banda. A música chegou à 44ª posição na Billboard Hot 100, e em 8º lugar no Mainstream Rock Chart. Conhecida mundialmente por seu trabalho como líder, vocalista e compositora do Lyria, Aline Happ é hoje uma das vozes mais famosas do metal brasileiro. Em seu projeto solo, a artista promove releituras Gothic/Folk/Celtic de canções do rock e do metal mundial que estão disponíveis em seu canal no YouTube. Graças ao apoio dos fãs, a cantora arrecadou mais de 200% da meta do financiamento coletivo para o seu disco solo de estreia, que será lançado ainda neste ano.

Os vídeos postados no canal de Aline Happ contam com o apoio de fãs no Patreon e no Padrim. Conhecidos mundialmente, o Lyria é uma banda carioca fundada em 2012 por Aline Happ. De lá pra cá, o grupo lançou dois discos com apoio de crowdfunding, Catharsis (2014) e Immersion (2018) e tocou em diversas cidades brasileiras como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, São Paulo, entre outras.

Assista “Send Me an Angel

Acompanhe Aline Happ

Facebook

Instagram

YouTube

Spotify


BROKEN & BONED: vídeo de ‘Fútil’ saiu em lista de Melhores de 2020 da Roadie Crew

O lyric video de ‘Fútil’, trabalho atual da Broken & Boned, saiu em lista de Melhores de 2020, formada por redatores da Revista Roadie Crew. Em síntese, cada escritor do veículo relaciona as suas escolhas, a exemplo do repórter Leonardo M. Brauna, especialista em música extrema. Entre as vinte escolhas de Leonardo, ‘Fútil’ conquistou lugar como Melhor Videoclipe por trazer cenas bem elaboradas. Ainda mais que a edição com várias colagens contribui para uma riqueza de detalhes fundamental a quem procura conhecer a banda. “A Broken & Boned mereceu entrar para a minha lista de Melhores de 2020 porque tudo que faz envolve qualidade. Assim como ‘A Fable’ foi um dos melhores vídeos de sua carreira, ‘Fútil’ representa um avanço nessa categoria“, explica o redator.

A lista de Leonardo e de todos os outros colaboradores e editores da revista, estão presentes na edição #258, de dezembro/2020. Destaque para a capa de AC/DC. A revista circula pelas bancas do Brasil, mas também se encontra disponível pelo link. ‘Fútil’ justifica a técnica de Carlos Nava (guitarrista e vocalista), Marcelo “Marshall” Alencar (guitarrista), Lúcio de Paula (baixista) e André Cecim (baterista). Primordialmente, a canção ainda contava com o ex-vocalista Rômulo Portela, que deixou o grupo recentemente para cuidar de projetos pessoais. Hoje segue com Diógenes Oliveira, que retornou ao grupo. A própria banda produziu o single no Legacy Studio, em Belém/PA, onde também trabalha no próximo full length. Se ainda não viu, curtiu e compartilhou o lyric vídeo de ‘Fútil’, clique aqui.

Para saber mais sobre a Broken & Boned, clique no link.


WE ARE THE COSMOS – Lançamento “SHARK”

Após o sucesso de “Aliens” nas plataformas, a banda We Are the Cosmos, vinda da Serra Gaúcha, liberou nessa sexta feira (19) o single “SHARK”, um som pra ninguém mais dizer que o “rock morreu”. Além de muito peso, o grupo mostra agressividade na letra da canção, que apresenta uma bela reflexão composta pela vocalista Bruna Zarth.

Pra quem não conhece ainda essa nova revelação do Rock Brasileiro que mistura pop punk, metal, stoner rock e influenciado por grupos como Paramore, Linkin Park, Rage Against The Machine e Royal Blood, a We Are The Cosmos é uma banda de Gramado/RS formada em 2018, que traz peso nos instrumentais, combinando com vocais melódicos. Composta por Bruna Zarth (vocal / teclado), Deivis (guitarra / vocal), Bortot (baixo), André (Guitarra Base) e Kehl (bateria). Shark foi produzida por Fell Rios (Delittus/Infuria) e o lançamento é do selo Holiday em parceria com a OneRPM.

Link da música nas plataformas digitais

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.