Por Ronaldo Rodrigues

Paisagens e lugares (ruas, cidades, países) sempre foram inspirações artísticas. Na música não é diferente; muitas bandas famosas mencionam países ou cidades. Em termos de canções, é possível encontrar absolutamente de tudo um pouco – faixas inspiradas por situações ocorridas em um determinado lugar, lembranças, histórias fictícias, causos de turnês, canções de protesto, tributos, etc. Para essa seleção, o critério foi escolher faixas que mencionam apenas o nome do lugar no título, sem outros termos. O ouvinte é convidado a lembrar de outras faixas (há muitas) com esse tema na seção de comentários.


Crosby, Stills, Nash & Young – “Carry On” – Ohio [1970]

Essa icônica faixa saiu apenas em compacto, no lado B da maravilhosa faixa de abertura do álbum Déjà-Vu, “Carry On”. Contém um claro protesto cantado a 4 vozes e afinação grave das guitarras, retratando os 4 mortos em um protesto pelo fim da guerra do Vietnã ocorrido em Ohio, no estado de Cleveland/EUA. Outra coincidência é que o incidente ocorreu no dia 04 de maio de 1970. Era um período bastante turbulento nos EUA e várias reações violentas aconteciam de ambos lados. A composição de Neil Young captou bastante da emoção do momento – em cerca de 3 semanas a música e a letra estavam prontas e em poucos takes sua poderosa versão final foi produzida. Posteriormente, a faixa foi relançada em compacto, sendo dessa vez o lado A. Reações controversas aconteceram por conta do explícito teor político; enquanto parte do público usou a canção como bandeira e bradava com elas nos shows, algumas rádios baniram a faixa de suas programações. Dave Crosby, anos depois, afirmou se ressentir por ter capitalizado em cima da morte de estudantes inocentes.


Led Zeppelin – “Kashmir” – Kashemira [1975]

Uma das faixas mais ousadas do Led Zeppelin e de todo o rock da década de 70, sem exageros, presente em Physical Graffitti. “Kashmir” contém um clima inigualável, sendo a orquestração perfeita de uma trilha sonora imaginária para as remotas paisagens da Kashemira, uma região nas fronteiras da Índia, Paquistão e China. Todos os 4 zeppelins estão impecáveis na faixa – John Paul Jones é o maestro, John Bonham é a estaca precisa que fundamenta esse edifício musical, Robert Plant adorna a música com uma linha vocal surpreendente e Jimmy Page é a liga metálica que envolve todos esses elementos. Quem nunca se imaginou passeando pela Kashemira ao ouvi-la, que questione o poder dessa música.


Bob Dylan – “Mozambique” – Moçambique [1976]

Uma bela e despretensiosa música do repertório de Bob Dylan. Faixa do essencial Desire, de 1976, tem vocais divididos com a maravilhosa vocalista Emmylou Harris e um esperto violino tocado por Scarlet Rivera. Seu andamento mediano, a letra que trata de um leve romance no país africano, e os arranjos caprichosos tornam a faixa extremamente agradável até para aqueles que tem certa resistência a Bob Dylan. É engraçado imaginar que Dylan tente cruzar algo do folk/country norte-americano com o cenário de um país africano. A tentativa de fazer algo mais swingado dentro desse estilo fica até interessante, mas dá a impressão de que a menção a Moçambique foi feita mais como cenário da imaginação do compositor.


Van Halen – “Panama” – Panamá [1984]

A potente faixa que se tornou clássica no repertório do Van Halen, não faz exata menção ao país caribenho, mas sim a um carro de corrida chamado Panama Express. Dave Lee Roth se sentiu motivado a escrever sobre isso porque uma jornalista o criticou por escrever apenas sobre mulheres, farras e carros velozes. Contudo, Roth percebeu que nunca tinha escrito sobre carros velozes até então! Enfim, o Van Halen naquela época era pura diversão e muita distorção. Em termos musicais, temos em “Panama” tudo que o Van Halen faz de melhor – riffs marcantes, cozinha peso pesado, vocais sacanas e refrões pegajosos. A faixa faz parte de um dos principais da discografia do Van Halen – 1984.


The Cult – “New York City” – Nova Iorque [1989]

O The Cult estava na crista da onda na ocasião, mantendo acessa a chama de um hard rock direto e sem frescuras naquele fim de anos 80. A faixa está no lado B do álbum Sonic Temple, um de seus principais trabalhos. A letra retrata o cotidiano frenético da grande metrópole americana e o bizarro maquinário de trabalho e sucesso da cidade; na letra também há menção ao assassinato de Jonh Lennon, ocorrido 9 anos antes na cidade. Musicalmente, todo esse caos é trazido pela urgência dos riffs e da levada de bateria, além dos vocais esganiçantes de Ian Astbury.

9 comentários

  1. Igor Maxwel

    Gostei das citações para “Mozambique” (canção divertida de Bob “Prêmio Nobel de Literatura 2016” Dylan), “Panama” (clássico do Van Halen) e “Kashmir” (melhor música do Led Zeppelin). As outras duas eu ainda não ouvi… Eu deixo uma menção honrosa para “Katmandu” (hino de Bob Seger, ícone do heartland rock americano), música muito foda, fazendo referência a capital do Nepal.

    Responder
    • Ronaldo Rodrigues

      Legal Igor, obrigado pelo comentário! eu não me lembro desse som do Bob Seger, aliás taí um cara que preciso dedicar mais tempo para ouvir. Só tenho um disco dele e conheço algumas músicas esparsas.
      Abs,

      Responder
      • Igor Maxwel

        Valeu, parceiro! Dá uma conferida que é boa! Rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

  2. Daniel

    Matéria muito legal, com ótimas indicações. Muito bom, Ronaldo.

    Ótima lembrança também de Katmandu, do Bob Seger. Essa música é excelente.

    Responder
    • Igor Maxwel

      Obrigado, Daniel… Vi o tema do artigo e me lembrei da música do Bob Seger. Ouço-a muito pelo rádio nos fins de semana… “Katmandu” é fodaça!

      Responder
  3. Mairon

    Curto New York da Madonna, do U2, do Kiss, e claro, Liza Minelli. Já dá um Cinco Músicas para conhecer só Nova Iorque hehehe. Belas indicações Ronaldo.

    Me inspirou a fazer um cinco músicas nacional. Autorizas?

    Responder
  4. Igor Maxwel

    Outra coisa: eu ia citar “Voyage a Venise” (tradução: Viagem a Veneza) do meu ídolo-mor Richard Clayderman, uma homenagem à capital italiana e uma das mais famosas músicas do repertório do pianista francês (procurem no YouTube!), mas achei que iria soar fora do contexto geral deste artigo. Enfim…

    Responder
  5. leandro

    Gostei muito…. Crosby tô ouvindo aqui, magnífico…
    Vai minha lista das que consigo lembrar:
    Teerã – Paralamas do Sucesso
    Israel – Incríveis, Siouxie e Gengis Khan
    New York – Nina Hagen 😀
    Massachussets – Bee Gees 😀
    Camboja – Kim Wilde ou Carnes ou nem sei 😀
    Streets of Philadelphia – Bruce
    Sampa – Caetano Veloso
    🙂

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.