Por Fernando Bueno

Em uma edição recente a Roadie Crew listou álbuns importante no rock e no metal lançados no ano de 1980. Um deles é Living On The Edge do Axe. A lembrança desse disco me fez tirar da minha prateleira de discos o único que tenho deles, Offering, lançado dois anos depois, então seu terceiro álbum de inéditas.

O Axe é uma daquelas bandas surgidas ali no final dos anos 70 que tinham uma gama grande de influências que fazia o grupo transitar por diversos estilos musicais. É fácil olharmos hoje, depois de tudo estar bem definido, e classificarmos os grupos como hard rock, heavy metal, AOR, etc. Mas na época, eu imagino, que não fazia tanta diferença assim quando a banda queria pesar um pouco mais em uma canção, tocar um pouco mais rápido em outra ou encaixar uma melodia de fácil assimilação para finalizar tudo isso. E o Axe fez isso muito bem.

Quando a banda surgiu, no estado da Flórida nos Estados Unidos, e gravou seu primeiro disco, autointitulado em 1979, Bobby Barth, guitarra e vocal, já era um músico com seus 27 anos, mais velho que a média maioria dos jovens que estavam montando suas bandas na época. Junto dele Teddy Mueller na bateria, Michael Turpin no baixo, Edgar Riley Jr. Nos teclados e Michael Osborne na guitarra. Aliás, antes da entrada desse último a banda se chamava Babyface, e mudou para Axe pouco antes da gravação do debut. Para a gravação de Offering, Wayne Haner entra para o lugar Michael Turpin.

Os teclados de Edgar Riley abrem o disco em “Rock N’ Roll Party in the Streets” com uma sequência de acordes que faz você sacar qual é a da banda logo de cara. Sabem aqueles filmes dos anos 80 em que popularizaram uma música? Então, essa faixa poderia muito bem estar em um deles. Em “Video Inspiration” o peso das guitarras está mais na cara e a melodia vocal vai fazer você ficar cantarolando por um bom tempo.

O ritmo desacelera um pouco para as melódicas “Steal Another Fantasy” quase journeyana e a tentativa de hit “Jennifer” para então fechar o lado A (recado aos jovens; o álbum foi lançado primeiramente em vinil) com uma ótima versão de “I’ve Got the Fire” do Montrose. Se vocês não conhecem a versão original com Ronnie Montrose na guitarra e Sammy Hagar no vocal lançada no álbum Paper Money de 1974, certamente conhece uma das versões feitas pelo Iron Maiden com Paul Di Anno em 1980 (no lado B do single de “Women in Uniforme”) ou já com Bruce Dickinson em 1983 (versão ao vivo no lado do single de “Flight of Icarus).

O peso volta no lado B com a ótima “Burn the City Down”. Já na menos inspirada “Now or Never” temos o retorno de um hard mais radiofônico. Fechando o disco “Holdin’ On” e a cadenciada “Silent Soldier”.

Na turnê de Offering a banda tocou com vários dos grupos de ponta da época como Scorpions, Kiss, Ozzy Osbourne, Iron Maiden e ZZ Top. Depois dele o Axe ainda lançaria em 1983 Nemesis que acabou interrompendo um nível de qualidade que vinha constante desde o seu primeiro lançamento. Entretanto não foi esse o motivo que ocasionou a retirada da banda dos holofotes do sucesso, mas sim a trágica morte do guitarrista Michael Osborne em um acidente de carro em que também feriu Bobby Barth. Após o ocorrido o grupo se dissolveu. Nos anos 90 gravaram mais um disco com uma formação bastante alterada e depois dos anos 2000 mais dois, sendo o último deles chamado de Final Offering (2019) que mostra o quanto o álbum tema desse texto foi importante para eles.

É fácil dizermos hoje que essa banda poderia ter alçados vôos maiores pois o seu material tinha bastante qualidade, mas é fácil também entender o motivo de terem sido ofuscados já que 1982 foi o ano de lançamento de vários discos clássicos como Screaming For Vengeance, Blackout, Iron Fist e The Number of the Beast, só para citar alguns. A concorrência foi forte, principalmente para uma banda americana em um ambiente então quase todos europeu, mas hoje você pode ouvir, afinal nunca é tarde para conhecer bandas legais.

Track List:
01 – Rock ‘n’ Roll Party In The Streets
02 – Video Inspiration
03 – Steal Another Fantasy
04 – Jennifer
05 – I Got The Fire
06 – Burn The City Down
07 – Now Or Never
08 – Holdin’ On
09 – Silent Soldiers

1 comentário

  1. Líbia Brígido

    Único álbum que tenho dessa banda e o primeiro que escutei deles.
    Quando ouvi Rock N’ Roll Party in the Streets tive essa impressão de trilha sonora de algum filme. Bandaça.

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.