Por Mairon Machado

Phil Sutcliffe é um jornalista britânico que está no mundo da música desde a década de 70, mais precisamente 1974. Renomado escritor, tendo no currículo a bela obra AC/DC: High Voltage Rock ‘n’ Roll – The Ultimate Illustrated History, em meados da década passada foi convidado pela editora para fazer um texto biográfico sobre uma das grandes bandas de rock do Reino Unido, o Queen.

A versão gringa

Depois de uma pesquisa ampla, eis que em 2009 é lançado lá fora Queen: The Ultimate Illustrated History of the Crown Kings of Rock. Dois anos depois, o Brasil teve a versão traduzida do livro, batizada aqui como Queen – História Ilustrada da Maior Banda de Rock de Todos os Tempos. A tradução brasileira não agradou a Phil – para ele, a maior banda de todos os tempos é The Beatles – mas independente disso, a essência do livro está lá. Além de muitas imagens raras, traz informações e curiosidades para admiradores do grupo e também pesquisadores de música.

O livro começa com uma breve introdução, Prelúdio – a formação do Queen, sobre o período pré-Queen de todos os membros da banda, com fotos raras de Brian May (guitarra, vocais) na banda 1984, Roger Taylor (bateria) na The Reaction, Freddie Mercury (vocais) com a Sour Milk Sea e John Deacon (baixo) na The Opposition, todas bandas que formaram os garotos como músicos.

Trecho sobre Hot Space

A partir de então, passeamos pelos 10 capítulos de História Ilustrada, os quais são: O lado branco e o lado negro; Um pouco de alto, um pouco de baixo; Música e amor em toda parte; Fazendo o mundo do rock girar; Jogando o jogo; Sob pressão; Ser livre; Quero tudo isso; Adeus, todo mundo – tenho de ir embora; Continue, continue.

Através deles, somos conduzidos pela história do Queen, narrando detalhes de gravações dos álbuns, turnês, pequenos trechos de entrevistas feitas por Phil com integrantes da banda, chegando até a fase com Paul Rodgers nos vocais, a famigerada banda Queen + Paul Rodgers. Tudo isso acompanhado de um rico acervo de imagens que irão surpreender até os mais “catadores de joias” do grupo.

A “Red Special”

Esse é o grande atrativo do livro, a quantidade de imagens. São mais de 500 imagens de várias partes do mundo, desde fotos da banda no palco e fora dele, dezenas nunca publicadas, e capas dos LPs e Compactos, até itens de memorabilia e colecionáveis, como camisetas, cartazes de shows, cartões de acesso aos camarins, ingressos, palhetas, programas de shows, revistas japonesas, trechos das histórias em quadrinhos das cobiçadas revistas “Rock ‘n’ Roll Comics” e “Hard Rock”, e muitas coisas que atiçam os olhos de colecionadores e historiadores. Muitas dessas imagens e informações exclusivas, bem como objetos pessoais, foram cedidas por Peter Hince, roadie do grupo que lançou, em 2012, o ótimo livro Queen Nos Bastidores: Minha Vida Com a Maior Banda de Rock do Século XX.

Das principais imagens, algumas das mais raras são as dos compactos de Larry Lurex, nome sob o qual Robin Cable, engenheiro dos estúdios Trident, gravava as músicas registradas por Beach Boys e Dusty Springfield, e cujo disco de estreia contou com a ajuda de Mercury, Taylor e May, “Picking Up Sounds”, compacto do grupo Man Friday & Jive Junior, com participação de Deacon, a trilha do filme The Immortals, também com participação de Deacon, e imagens de alguns lançamentos da carreira solo de Freddie Mercury, principalmente as gravações ao lado de Montserat Caballet, a versão em vermelho do compacto “Nazis 1994” e a versão em laranja de “Pressure On”, ambos de Roger Taylor.

Um dos capítulos iniciais

Dos compactos do Queen, as imagens que aparecem as capas são: “Keep Yourself Alive”, “Now I’m Here”, “Killer Queen”, “Seven Seas of Rhye”, “You’re My Best Friend”, “Somebody To Love”, “Spread Your Wings”, “Bicycle Race”, “Mustapha”, “Play the Game”, “Crazy Little Thing Called Love”, “Save Me”, “Flash”, “Under Pressure”, “Body Language”, “Back Chat”, “Calling All Girls”, “Radio Ga Ga”, “It’s a Hard Life”, “I Want to Break Free”, “Hammer to Fall”, “Friends Will Be Friends”, “One Vision”, “A Kind of Magic”, “Scandal”, “I Want it All”, “Innuendo”, a versão holográfica de “The Miracle”, assim como as versões picture de “Bohemian Rhapsody”, “Play the Game”, “Jealousy”, “Invisible Man”, “Keep Yourself Alive/A Winter’s Tale”, “Too Much Love Will Kill You”, o álbum Live Killers, e a versão octagonal de “Save Me”.

Trecho da fase Miracle

A história é narrada pelo próprio Phil, sendo que há trechos especiais, como um texto central contando sobre a construção da famosa “Red Special” (guitarra de Brian May), escrito por Dave Hunter, o breve “Colocando os pingos nos i’s”, tratando a respeito da briga de Mercury com Sid Vicious, e a “Verdadeira história por trás de “Crazy Little Thing Called Love”, essa escrita por Peter Hince. Outros nomes consagrados a escreverem pequenas passagens para História Ilustrada são Daniel Nester, Jon Bream, Jim Derogatis e Mick Rock. Músicos também colaboraram, pagando pau para a banda. Alguns dos principais são Adele, Slash – que só não colocou May como Deus por detalhe -, Tommy Lee elogiando Roger Taylor, Chris Squire elogiando John Deacon, Rob Halford colocando Mercury nas nuvens, Geddy Lee e outros

Já ao lado de Paul Rodgers

Outro destaque do volume é a discografia completa e comentada: cada álbum do Queen ganhou análises detalhadas assinadas por jornalistas especializados em rock, ou por amigos próximos da banda.

O livro possui um formato excepcional, capa dura, além de ser bem massivo. É uma aquisição incrível, que nas promoções que vez ou outra aparecem nos sites especializados, vale e muito a pena o investimento, ainda mais para os fãs da banda que querem conhecer detalhes da história e também ver capas de compactos que se quer sabia que existiam.

6 comentários

  1. José Carlos Araujo de Paula Souza

    Esse livro é absolutamente sensacional!!! Vale a pena demais! Também indico o livro ilustrado de 40 anos do Queen, também fantástico!

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.