Cinco Discos Para Conhecer: As Várias Faces do Loudness

2 de setembro, 2016 | por Van do Halen
Cinco Discos Para Conhecer
10

LOUDNESS

Por Igor Miranda (publicado originalmente no site Van do Halen)

O Loudness teve alguns pontos de transição importantes para a sua carreira, repleta de altos e baixos, mas sem perder a identidade no geral. Em mais um quadro “As várias faces”, uma das maiores bandas de metal do Japão recebe a homenagem.


loudness-the-birthday-eve_LRGLoudness – The Birthday Eve [1981]

Com o baixo orçamento costumeiramente oferecido a uma banda iniciante, o Loudness registrou seu primeiro álbum, The Birthday Eve, que inicialmente foi lançado apenas no Japão. As letras tinham momentos em inglês, mas eram majoritariamente compostas em japonês. Ao menos no âmbito local, o debut foi um sucesso e deu projeção para a banda dali em diante. Musicalmente falando, The Birthday Eve se aproxima bastante do NWOBHM. As canções são pesadas, com os riffs típicos da época, solos aparentemente inspirados nos shredders em ascensão na época – Eddie Van Halen, Randy Rhoads e afins -, batidas rápidas e vocais agudos no geral. É um bom trabalho, um início promissor para um grupo que se destacaria muito posteriormente. Mas nem se compara ao que foi produzido no futuro.

Minoru Niihara (vocal), Akira Takasaki (guitarra), Masayoshi Yamashita (baixo), Munetaka Higuchi (bateria)

1. Loudness
2. Sexy Woman
3. Open Your Eyes
4. Street Woman
5. To Be Demon
6. I’m On Fire
7. High Try
8. Rock Shock (More And More)
9. Burning Love
10. Bad News


R-1702818-1259613760.jpegLoudness – Thunder In The East [1985]

O início da mudança do Loudness. O trabalho anterior, Disillusion, teve duas versões diferentes, com vocais em inglês e em japonês. Thunder In The East foi o primeiro a ter um lançamento único, com as letras cantadas apenas em inglês. A tentativa de chegar ao ocidente começou a dar certo a partir daí, visto que, mesmo de forma tímida, a banda conseguiu repercussão na terra do Tio Sam. A banda continuava pesada, mas cada vez mais afiada e entrosada, não perdendo nada para grupos ocidentais. A básica cozinha comandada por Masayoshi Yamashita e Munetaka Higuchi era complementada pelo evoluído guitarrista Akira Takasaki, solto e disparando excelentes linhas de guitarra, e pela grande voz de Minoru Niihara. O flerte com o NWOBHM era ainda mais aparente, já que nem mesmo a língua nativa era utilizada mais – apesar do sotaque embolado de Niihara.

Minoru Niihara (vocal), Akira Takasaki (guitarra), Masayoshi Yamashita (baixo), Munetaka Higuchi (bateria)

1. Crazy Nights
2. Like Hell
3. Heavy Chains
4. Get Away
5. We Could Be Together
6. Run For Your Life
7. Clockwork Toy
8. No Way Out
9. The Lines Are Down
10. Never Change Your Mind


51PW68SJA2LLoudness – Soldier Of Fortune [1989]

Em uma tentativa de “americanizar” o som – aposta sugerida pelo empresário -, o vocalista Minoru Niihara foi demitido para dar lugar a um nativo: Michael Vescera, do Obsession, passou a ser o frontman do Loudness. A proposta se aproximou um pouco do Hard Rock, mas sem perder o peso. Soldier Of Fortune foi o primeiro trabalho com essa nova perspectiva. Pela proximidade com o Hard Rock, fundido com o Heavy Metal bem trabalhado que já era praticado anteriormente, o registro apresentou canções repletas de ganchos melódicos, mas sem perder a característica do Loudness. On The Prowl, o sucessor, teve intenção completamente marqueteira – das onze faixas, oito eram releituras de músicas antigas da banda com letras adaptadas em inglês.

Michael Vescera (vocal), Akira Takasaki (guitarra), Masayoshi Yamashita (baixo), Munetaka Higuchi (bateria)

Músicos adicionais:
Claude Schnell (teclados)

1. Soldier of Fortune
2. You Shook Me
3. Danger of Love
4. Twenty Five Days from Home
5. Red Light Shooter
6. Running for Cover
7. Lost Without Your Love
8. Faces in the Fire
9. Long After Midnight
10. Demon Disease


Loudness_-_LoudnessLoudness – Loudness [1992]

Após as tentativas de americanizar o som do grupo, Akira Takasaki e Munetaka Higuchi, os únicos remanescentes da formação clássica, recrutaram o vocalista Masaki Yamada (ex-Ezo) e o baixista Taiji Sawada (ex-X Japan) e, simplesmente, chutaram o pau da barraca. O décimo registro da discografia do Loudness, autointitulado, contém puro Heavy Metal do início ao fim. Até as baladas são pesadas. Sem preocupações com influências orientais ou ocidentais: apenas música agressiva, impactante e repleta de peso. Todos os talentos individuais se apresentam, principalmente o de Akira Takasaki, um dos maiores guitarristas de toda a história do J-Rock.

Masaki Yamada (vocal), Akira Takasaki (guitarra, violão), Taiji Sawada (baixo), Munetaka Higuchi (bateria)

1. Pray For The Dead
2. Slaughter House
3. Waking The Dead
4. Black Widow
5. Racing The Wind
6. Love Kills
7. Hell Bites (From The Edge Of Insanity)
8. Everyone Lies
9. Twisted
10. Firestorm


Loudness (Jpn) - Heavy Metal HippiesLoudness – Heavy Metal Hippies [1994]

O recém-entrado Taiji Sawada e o veterano Munetaka Higuchi saíram logo após a turnê de divulgação do álbum autointitulado. Dessa forma, Akira Takasaki começou a trabalhar em Heavy Metal Hippies, que é praticamente um disco solo. Além das guitarras, ele assumiu o baixo e a produção, bem como trabalhou em todas as músicas junto de Masaki Yamada e Stephen Gallas – processo de composição diferente dos anteriores, pois geralmente o vocalista assumia a autoria das letras e o guitarrista, das melodias. A proposta de Heavy Metal Hippies é ainda mais pesada do que a do registro anterior, pois passa a flertar com o Grunge e o Doom. As batidas arrastadas em sua maioria e as melodias densas caracterizam boa parte das faixas aqui presentes. Akira encarna uma versão japonesa de Tony Iommi jamais mostrada anteriormente. A engenharia sonora, assumida pelo consagrado Chris Tsangarides, é péssima. Alguns trabalhos se sucederam com Yamada até que a formação clássica voltasse. Desde então, há uma gangorra entre discos ótimos e regulares, que misturam o som do passado com influências contemporâneas – às vezes excêntricas, às vezes não.

Masaki Yamada (vocal), Akira Takasaki (guitarra, baixo), Hirotsugu Homma (bateria)

1. Howling Rain
2. Freedom
3. 222
4. Eyes of a Child
5. Electric Kisses
6. House of Freaks
7. Paralyzed
8. Desperation Desecration
9. Light in the Distance
10. Broken Jesus

943_photo



10 Comentarios

  1. Eudes Baima disse:

    Sou pelo título Heavy Metal Hippies, cheio de humor, fiquei com vontade ouvir o disco.

  2. Davi Pascale disse:

    Daí, só conheço dois discos: “Thunder In The East”, que eu acho fraquérrimo, e “Soldier of Fortune”, que eu acho bom. Os outros três, não conheço.

  3. PAULO RICARDO disse:

    Comprei em 83 ou 84 o Disillusion,importado n loja Megaforce aqui em POA , e adorei pricipalmente o Akira Takasaki versão japonesa do Van Halen ! Thunder in the East comprei n Pop Som galeria chaves n lançamento em 85 e gostei menos, som americanizado p meu gosto ! Bons tempos q bandas desconhecidas e fora do mercado USA davam o q falar …

  4. Alisson Caetano disse:

    Do famoso: Nunca ouvi na minha vida, mas sei que não gosto.

  5. já ouvi trocentas vezes o Loudness e a banda nunca me marcou. Não lembro de nenhuma melodia…

  6. Marco Gaspari disse:

    Sou fã de roqueiros japoneses. Sempre fui. Mas penso que o Loudness é a prova viva de que Godzilla fracassou.

    • Eudes Baima disse:

      Não entendi essa de botar a culpa no bom Godzilla…não me diga que tu é fã do Mothra?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *