Por Igor Miranda (Originalmente publicado no site Vandohalen)

O Japão sempre fez parte da cultura Pop brasileira. Seja por suas produções televisivas, seus costumes ou tecnologias, a conexão sempre se fez presente. Não à toa, o maior número de imigrantes do país asiático se encontra justamente por aqui. Mas nem todo mundo acompanha a cena Hard/Heavy de lá, que possui algumas bandas muito interessantes. Elas são tema do nosso quadro hoje. Desde já é importante deixar claro que a lista não tem algo a ver com J-Rock (talvez a influência do X, mas só). O negócio é Hard Rock e Heavy Metal!

Anthem – Tightrope [1986]
Uma das primeiras representantes do Heavy Metal japonês, o Anthem foi formado em 1981, mas só conseguiu lançar seu primeiro registro quatro anos depois, em 1985. O grupo deu a sorte grande por ter contado com a entrada do vocalista Eizo Sakamoto logo em seu primeiro full-length profissional. Tightrope, terceiro da discografia, também é o mais notável e bem sucedido entre os demais. Seguindo a linha do Heavy e do Speed Metal, o som apresentado em Tightrope é coeso e pesado, não devendo em nada aos conjuntos norte-americanos. Ressaltei no parágrafo anterior a sorte grande pela entrada de Eizo pois o homem canta muito. Apesar do instrumental notavelmente poderoso, Sakamoto é como um dos frontmen mais notáveis da música pesada japonesa.
Eizo Sakamoto (vocal), Hiroya Fukuda (guitarra), Naoto Shibata (baixo), Takamasa Ohuchi (bateria)
2. Night After Night
3. Death to Death
5. Driving Wire
6. Finger’s on the Trigger
8. Black Eyed Tough
Kuni – Lookin’ For Action [1988]
(Por João Renato Alves)
Kuni era uma espécie de herói para os rockers japoneses da década de 80. O guitarrista era considerado resposta local a Yngwie Malmsteen, que então vivia o auge de sua carreira, sempre nos holofotes bululusísticos globais. Vendo o talento do músico asiático, Wendy Dio – sim, a própria – resolveu dar uma força e lhe empresariar. Com um nome forte administrando, vários músicos de renome trabalharam com Kuni em suas gravações de estúdio. Entre outros, podemos citar Eric Singer, Billy Sheehan e Kevin DuBrow. Lookin’ for Action é o segundo trabalho da banda que levava o nome do guitarrista. E já que a ideia era se equivaler ao gordo egocêntrico sueco, nada melhor que chamar o vocalista que ajudou o próprio a se consagrar. E assim, lá foi Jeff Scott Soto para mais uma de suas 6576257327856106 gravações. Outro destaque do grupo vai para a participação do então desconhecido Mike Terrana na bateria. Aliás, foi através desse trabalho que ele conheceu Jeff Scott Soto, que o indicou para a banda de Yngwie, fazendo com que seu nome decolasse de vez na cena. Juntos, eles mandam ver um Hard pesado e com muita melodia e virtuosismo. E aí notamos que o rapaz tem talento mesmo.
Kuni (guitarra), Jeff Scott Soto (vocal), Douglas Taylor Baker (baixo), Mike Terrana (bateria)
1. Strangers in the Night
3. Acoustic Piece
4. Memories of You
5. Lookin for Action
7. Say Goodbye
8. All Night Long
9. Reckless
10. Eyes of a Stranger
11. Little Rebel
12. Someday
X – Blue Blood [1989]
Originalmente chamado de X, o X Japan é um dos maiores expoentes do J-Rock e do visual kei. O debut Vanishing Vision apresentava muita qualidade, mas não despontou o grupo – apesar da boa repercussão se considerarmos que foi um lançamento independente. Mas logo se afiliaram a uma grande gravadora e tiveram tanto estrutura quanto inspiração para lançar seu segundo álbum, um dos mais importantes do gênero. Blue Blood apresenta uma salada mista de gêneros, evidenciando uma espécie de Power/Speed Metal, repleto de velocidade e agressividade, mas com alguns toques elegantes de música erudita – cortesia de Yoshiki, que além de baterista, é pianista e principal compositor do grupo. Críticos chegaram a associá-los como o “Helloween do oriente”, mas musicalmente ainda considero que os japoneses foram muito além. Poderoso, não poderia se tornar menos do que um clássico.
Toshi (vocal), hide (guitarra), Pata (guitarra), Taiji (baixo), Yoshiki (bateria, piano)
2. Blue Blood
3. Week End
4. Easy Fight Rambling
5. X
7. Kurenai
8. Xclamation
9. Orgasm
10. Celebration
12. Unfinished
Loudness – Loudness [1992]
Este registro não é o definitivo nem o mais característico do Loudness mas, nessa lista, ele se encaixa perfeitamente. Após as tentativas de americanizar o som do grupo, Akira Takasaki e Munetaka Higuchi, os únicos remanescentes da formação clássica, recrutaram o vocalista Masaki Yamada (ex-Ezo) e o baixista Taiji Sawada (ex-X Japan) e, simplesmente, chutaram o pau da barraca. O décimo registro da discografia do Loudness, auto-intitulado, contém puro Heavy Metal do início ao fim. Até as baladas são pesadas. Sem preocupações com influências orientais ou ocidentais: apenas música agressiva, impactante e repleta de peso. Todos os talentos individuais se apresentam, principalmente o de Akira Takasaki, um dos maiores guitarristas de toda a história do J-Rock.
Masaki Yamada (vocal), Akira Takasaki (guitarra, violão), Taiji Sawada (baixo), Munetaka Higuchi (bateria)
1. Pray For The Dead
3. Waking The Dead
4. Black Widow
5. Racing The Wind
7. Hell Bites (From The Edge Of Insanity)
8. Everyone Lies
10. Firestorm
Blindman – Subconscious In Xperience [2002]
(Por João Renato Alves) 
Saudades dos tempos de “Rock pauleira”? De uma época dominada por guitarras nervosas e melodias densas? Pois aqui vai um antídoto japonês para sua angústia, chamado Blindman. O grupo revive os melhores momentos de bandas como Rainbow, Deep Purple, Whitesnake e Black Sabbath sem perder a identidade própria. O guitarrista Tatsuya Nakamura é uma espécie de filho artístico de John Sykes e Zakk Wylde, disparando riffs e solos totalmente old school em sua Les Paul. A grande polêmica fica por conta do registro vocal de Manabu Takaya. Imagine uma mistura de Lemmy com David Coverdale. Meio inconcebível, não? Mas casa perfeitamente com a proposta, que é buscar o lado mais Heavy do gênero. Apesar de não ser muito conhecido no Ocidente, o Blindman possui grande reputação na terra do sol nascente, o que já garante uma boa agenda, pois é sabido que o povo de lá possui verdadeira adoração pelo Rock pesado. De qualquer modo, todos que têm a oportunidade de conhecer a banda, devem fazê-lo.

Manabu Takaya (vocal), Tatsuya Nakamura (guitarra), Tatsuya Toda (baixo), Katsutoshi Murakami (bateria), Hiroki Matsui (teclados)
2. Desperate Heart
3. Let Me Down
4. Looking for Your Heart
5. Caged Bird
6. Right Now
7. Take Me Your Answer
8. Heavier than the Earth
9. Tears in Flames
10. Turn Around on the Heat

2 comentários

  1. Marcelo Nhelo

    Matéria ok, mas poderiam ter citado grandes nomes dos anos 70, como Flowers Travellin’ Band, Speed Glue and Shinki e Blues Creation.

    Responder
    • maironmachado

      Obrigado Marcelo, mas acredito que essas bandas se encaixam mais no hard setentista do que no hard farofa que foi trazido pelos colegadas da Van do Halen. Abraços

      Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.