Por Daniel Sicchierolli 
Mais uma estreia no blog: Consultoria do Metal ou se preferirem, Maravilhas do Metal, a coluna onde mostraremos as músicas que marcaram o rock pesado, seja no Heavy Metal, Hard Rock e todas as suas vertentes. 
O nome da coluna e a primeira música escolhida é uma evidente homenagem ao nosso grande amigo e colaborador Mairon Machado e seus textos Maravilhas do mundo prog e nossas eternas brigas de que estilo é o mais legal, do que é ou não é rock, de quem canta mais em determinada banda e tudo que cerca o nosso blog, enfim, nossas divertidas “tretas”. 
Vamos a nossa primeira Consultoria do Metal / Maravilhas do Metal. 
No ano 2000, Rob Halford não estava no Judas Priest e, apesar de um fantástico disco com o Fight, não tinha feito grandes coisas com sua carreira solo. Eis que sai no mercado o álbum Resurrection da banda Halford. Esse lançamento trazia o vocalista de volta ao estilo que o consagrou, o Heavy Metal pesado, direto e gritado, como a faixa título do disco. 
Para coroar esse retorno, Rob convidou o vocalista Bruce Dickinson, que havia retornado ao Iron Maiden, para dividir os vocais em uma música. Só isso já era o suficiente para a música se tornar um clássico do estilo, afinal dois dos maiores vocalistas da histórica do Heavy Metal se juntavam para cantar em uma faixa inédita, mas a história não pára por ai. 
Rob Halford
Dickinson e Halford não só dividiram os vocais, eles se juntaram ao produtor e guitarrista Roy Z e escreveram a música juntos. Na verdade, o instrumental da música foi escrita inicialmente por Roy e os dois vocalistas dividiram as letras. Recomendo que assistam este vídeo onde Roy Z conta como e porquê escreveu a música, mas o melhor é ver os dois vocalista lado a lado em estúdio. Simplesmente incrível, especialmente em se imaginar estar presente nesse momento único, nada de cada um gravar sua parte separadamente, os dois dividiram o estúdio para gravá-la. 
A música começa com um riff cortante de um lado que em alguns segundos é seguida pela segunda guitarra e pouco depois, baixo e bateria entram quebrando tudo com uma energia empolgante. 
O clima perfeito e preparado para o vocalista do Maiden entrar soltando os demônios com todo gás, não há como errar é Heavy Metal na sua essência. 
Na segunda estrofe, Halford mantém o pique e, para os fãs fica evidente quem está cantando o que, mas certamente um ouvinte desatento ou alguém que não goste de rock, não perceberá a diferença. 
Eles seguem dividindo os vocais dessa forma, uma estrofe cada, até o refrão onde ambos cantam juntos para delírio de qualquer fã de música pesada e, até aquele momento, era uma dupla improvável para dividir os vocais em uma música, pelo menos para mim, já que as constantes matérias de impressa especializada davam que as bandas não se davam bem. 
Metaaaaaaaaaaaaal
Halford seguiu em turnê abrindo para o Iron Maiden e, em algumas datas, eles chegaram a dividir o palco para cantar essa música e de quebra, em algumas oportunidades, Geoff Tate (Queensryche) também participou como pode ser visto aqui.

Outras versões muito legais são a versão de Jim Breuer que em seu programa recebeu o próprio Rob Halford e Sebastian Bach para tocar “The One You Love To Hate“, que vale muito pela cara do ex-vocalista do Skid Row que parece uma criança no jardim de infância ao dividir os vocais com um de seus ídolos. Há também outra versão de Jim e Sebastian sem o Halford, que mostra que é uma música boa, independente que quem a cante: 
Curtam em alto e bom som! Nas próximas edições mais das músicas que fazem nossa vida mais divertida.

1 comentário

  1. Igor Maxwel

    A melhor coisa que Rob Halford fez fora do Judas Priest foi este álbum Resurrection, e esta faixa com a participação do vocalista recém-voltado ao Iron Maiden na época é, pra mim, o ponto máximo de toda a bolacha!

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.