Direto do Forno: Slash – Apocalyptic Love [2012]

7 de junho, 2012 | por Pablo Ribeiro
Resenha de Álbum
1

Por Pablo Ribeiro
Há pouco mais de meio ano, resenhei para esse mesmíssimo blog o primeiro disco do guitarrista Saul Hudson, mais conhecido pela alcunha de Slash. Para quem havia fixado residência em outra dimensão nas últimas décadas, o músico fez parte do Guns n Roses, Velvet Revolver (com ex-integrantes do próprio Guns N’ Roses) e seu Slash’s Snakepit. 
Na ocasião, esmiucei cada uma das faixas, ressaltando qualidades e eventuais defeitos de cada uma. Uma das minhas considerações a gerar mais comentários, foi em relação ao vocalista Myles Kennedy (o álbum contava com uma infinidade de convidados famosos nos vocais, e Myles, além de cantar em duas faixas, foi o escolhido por Slash para ser o cantor fixo de sua banda), e levantei a probabilidade de Kennedy ser a melhor escolha para os vocais em um vindouro disco do guitarrista. 

Pois bem… Lançado esse Apocalyptic Love, distribuído no Brasil pela Hellion Records, fica óbvio o que se desenhava no lançamento anterior: Myles Kennedy, se já era chato em duas faixas, em um álbum inteiro é insuportável. Slash tem as manhas e uma boa carga de experiência em seu instrumento. Não dá pra tirar o mérito roqueiro do cara. Acontece que Kennedy não tem nada disso! No máximo, é afinado. 

Enquanto as composições são bem feitas, banda coesa e competente, os timbres muito bem escolhidos, e as faixas – em sua maioria – realmente empolgantes e enérgicas, Myles acaba metendo o pé na jaca e estragando grande parte do material! Em muitas delas chega a ser constrangedor. O cara parece chorar e se lamentar, mas não cantar. Realmente! 

A coisa não fica tão terrível quando Kennedy baixa a bolinha e tenta ser mais contido, mas não demora muito e lá vai ele cacarejar com seus gritinhos, estragando de novo as canções. 

Quanto à Slash, o cara tem as bases, isso é inegável. O timbre de sua Les Paul continua muito bacana e o guitarrista se mostra muito a vontade tocando seu material que, sinceramente, é muito legal! Um discão de rock empolgante e divertido. Pelas qualidades técnicas e performances dos músicos, Apocalyptic Love poderia tranquilamente estar entre os melhores álbuns de 2012. Não fosse Myles “marreco” Kennedy ferrar com tudo. 

Melhor seria se Slash tivesse acoplado um pedal de efeitos “Cry Baby” (o popular “Wah-Wah”) no microfone. Seria menos irritante, pouparia dinheiro e nossos ouvidos! 
Tracklist: 
1. Apocalyptic Love 
2. One Last Thrill 
3. Standing in the Sun 
4. You’re a Lie 
5. No More Heroes 
6. Halo 
7. We Will Roam 
8. Anastasia 
9. Not for Me 
10. Bad Rain 
11. Hard & Fast 
12. Far and Away 
13. Shots Fired 
14. Carolina (Bonus Track) 
15. Crazy Life (Bonus Track)



1 Comentario

  1. Carlos disse:

    Mas como que cargas d'agua um cara que cantou numa banda com ex-integrantes do Creed caiu num disco do Slash, no primeiro disco de 2010 achei a atuação dele fraquíssima!!!
    não é possível que um cara com a tarimba do Slash num arranja coisa melhor, o disco em si tem seus méritos na parte instrumental, Slash manda riffs e solos muito bons…
    mas aí quando o marreção entra berrando estraga tudo!!!
    é uma pena, se tivesse um vocalista decente figuraria fácil entre os melhores de 2012!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *