Cinco Discos Para Conhecer: John Norum

25 de novembro, 2011 | por Van do Halen
Cinco Discos Para Conhecer
2

Por João Renato (Publicado originalmente no blog Van do Halen)
Mesmo entre aqueles que não possuíam grande admiração pela cena oitentista, o guitarrista norueguês (pois é, ele não nasceu na Suécia) John Norum sempre foi respeitado. Sua técnica singular, a performance no melhor estilo dos grandes guitarristas da história e a capacidade de composição o transformaram em um dos grandes nomes do Rock. Por isso, hora de conferir os cinco trabalhos indicados para conhecê-lo. Interessante notar como até hoje ele segue criando de maneira relevante, ao contrário de vários colegas de geração. 

Europe – Wings Of Tomorrow [1984]

Quem conheceu o Europe através de The Final Countdown não possui uma ideia exata do que era a banda em seus primórdios. Seus dois primeiros álbuns traziam um som bem mais voltado ao peso, com passagens totalmente Heavy Metal. Por isso, considero injusto limitar a história do grupo a sua fase mais comercial. Wings Of Tomorrow é o segundo capítulo desta saga e, pessoalmente falando, meu preferido. Ainda como um quarteto – e tendo Tony Reno na bateria – a banda investe com sucesso na mescla de peso e melodia, realizando um play muito mais bem resolvido em comparação com sua estreia.

A abertura é de tirar o fôlego. “Stormwind” evidencia o lado melódico sem perder a agressividade, enquanto “Scream Of Anger” é uma verdadeira cacetada, a música mais pesada dos suecos. Como curiosidade, a participação do saudoso Marcel Jacob (Talisman) na composição, que é dos tempos em que ele tocava com Joey na banda Force. A faixa-título é outro momento que inspira o ouvinte a empunhar a air-guitar e sair tocando seu fantástico riff. E o refrão é daqueles prontos para a audiência entoar junto, o que acontece até os shows de hoje em dia. Para fechar a mil por hora, a alucinante “Dance The Night Away”, com seu riff totalmente na escola Blackmore e ritmo pulsante.

Joey Tempest (vocais, teclados, guitarras); John Norum (guitarras); John Leven (baixo) e Tony Reno (bateria)

1. Stormwind
2. Scream Of Anger
3. Open Your Heart
4. Treated Bad Again
5. Aphasia
6. Wings Of Tomorrow
7. Wasted Time
8. Lyin’ Eyes
9. Dreamer
10. Dance The Night Away 

John Norum – Total Control [1987]
(por Igor Miranda)

The Final Countdown foi o disco mais famoso do Europe. Encheu o bolso dos caras de grana e fez muito sucesso no mundo inteiro. Mas John Norum estava insatisfeito pelo rumo “pasteurizado” que o grupo assumiu com o play em questão, ainda mais pela adição do tecladista Mic Michaeli, culminando na saída durante a turnê de divulgação do álbum. Assim, o guitarrista embarcaria numa carreira solo que relativamente trouxe bons frutos. O debut Total Control foi lançado em outubro de 1987 e mostrou o poder de fogo de Norum, que já havia provado ser um músico talentoso. Com base nas guitarras sem deixar os teclados de lado, “Total Control” conta com belas composições e ótimas melodias que passeiam entre o Hard Rock e o AOR. Vale ressaltar a presença do vocalista Göran Edman, consagrado pelo seu trabalho com Yngwie Malmsteen, nas faixas “Love Is Meant To Last Forever”, “Eternal Flame” e “Back On The Streets”. De resto, John Norum fez os vocais – muito bem. Os destaques ficam para as linhas ferozes de guitarra em “Let Me Love You” e em “Eternal Flame”, a melódica “Too Many Hearts” e os covers de “Back On The Streets” (Vinnie Vincent Invasion) e “Wild One” (Thin Lizzy).

John Norum (vocais, guitarras); Göran Edman (vocais em 2, 5 e 6); Marcel Jacob (baixo); Peter Hermansson (bateria) e Per Blom (teclados)

1. Let Me Love You
2. Love Is Meant To Last Forever
3. Too Many Hearts
4. Someone Else Here
5. Eternal Flame
6. Back On The Streets
7. Blind
8. Law Of Life
9. We’ll Do What It Takes Together
10. In Chase Of The Wind
11. Wild One 

Don Dokken – Up From the Ashes [1990]

Don Dokken montou uma verdadeira seleção para gravar seu primeiro álbum solo, Up From the Ashes. Além de John Norum, chamou o guitarrista Billy White (Watchtower) para acompanhar nas seis cordas. Na cozinha, caprichou no peso ao convidar ninguém menos que Peter Baltes (Accept) e Mikkey Dee (King Diamond, Motörhead). Com uma “escora” dessas, não dava para esperar menos que um trabalho maravilhoso. E foi o que Don ofereceu, uma verdadeira pérola do Hard Rock, superando até mesmo vários trabalhos de sua banda principal.

Contando com fortes composições, como “Crash N’ Burn”, “Forever” “Stay” e “Mirror, Mirror”, além da balada “When Love Finds a Fool”, o disco entrou na quinta posição da parada da Billboard. Os resultados fizeram com que a banda partisse para uma turnê pelos Estados Unidos, onde tocavam não apenas as faixas do álbum, como clássicos do Dokken. Aliás, anos mais tarde, John Norum faria parte brevemente do grupo, gravando o bom – embora um pouco distante da sonoridade tradicional – Long Way From Home. Sinal que a parceria rendeu, mesmo que por um breve momento.


Don Dokken (vocais); John Norum (guitarras); Billy White (guitarras); Peter Baltes (baixo) e Mikkey Dee (bateria)

1. Crash ‘N Burn
2. One Thousand Miles Away
3. When Some Nights
4. Forever
5. Living a Lie
6. When Love Finds a Fool
7. Give it Up
8. Mirror Mirror
9. Stay
10. Down in Flames
11. The Hunger

Europe – Last Look at Eden [2009]

Dou crédito total ao que o Europe está fazendo desde o seu retorno, apesar de desagradar vários fãs mais radicais. Afinal de contas, o grupo está oferecendo aquilo que quer, tocando a música que deseja tocar e resgatando influências de seus primórdios com competência ímpar. Seria muito fácil para eles passar o resto da carreira regravando os discos dos 80’s, mas eles querem mais que isso para suas carreiras. Ainda bem, pois sentir que eles estão fazendo aquilo ali com honestidade e – o principal – com personalidade. Sendo assim, Last Look At Eden descontentou aqueles que esperavam mesmices. Mas tem tudo para agradar aqueles que apreciam um bom Hard Rock sem se apegar a clichês e imagens que ficaram só na memória de quem curtiu um tempo que não volta mais para caras que se recusaram a se deixar amordaçar por suas figuras passadas. Destaques para a faixa-título, a lindíssima balada “New Love in Town”, a pesada “The Beast” e o encerramento com a melancólica “In My Time” com direito a show particular de John Norum. E ouvindo a letra e lembrando acontecimentos recentes da vida do guitarrista, não há como não ligar uma coisa à outra.

Joey Tempest (vocais); John Norum (guitarras); John Leven (baixo); Mic Michaeli (teclados) e Ian Haugland (bateria).

1. Prelude
2. Last Look At Eden
3. Gonna Get Ready
4. Catch That Plane
5. New Love In Town
6. The Beast
7. Mojito Girl
8. No Stone Unturned
9. Only Young Twice
10. U Devil U
11. Run With the Angels
12. In My Time 

John Norum – Play Yard Blues [2010] 


Com a volta do Europe atendendo seu lado Hard, Norum entendeu por bem mergulhar de cabeça no outro lado de sua personalidade musical em seu novo álbum solo. E isso já fica claro desde o título, Play Yard Blues. Aqui a guitarra nervosa e riffeira fala alto, em uma das melhores performances de John nos últimos tempos, mandando ver em solos de primeiríssima qualidade. E sua performance vocal faz jus à empreitada, adequada ao que pede o gênero. O primeiro destaque já vai para a capa, com o músico e seu filho Jake Thomas, fruto do casamento com Michele Meldrum, que infelizmente faleceu em 2008, quando o garoto tinha apenas 3 anos. O play abre com John soltando os bichos em “Let it Shine”, Hard/Blues que parece ter saído direto dos 1970’s. O clima segue em “Red Light, Green High”, música perfeita para se ouvir em uma estrada aberta em direção desconhecida. Outros destaques vão para as mais agitadas “Got My Eyes on You” e “Born Again” (porrada pura, com a sonoridade mais atual entre todas) e a faixa-título, que encerra em um daqueles momentos que caras como Jimmy Page adorariam estar por perto e dar umas palhetadas junto. Ainda há espaço para três covers de grupos que são total inspiração na empreitada: Thin Lizzy (“It’s Only Money”), Mountain (“Travellin’ in the Dark”) e Frank Marino & Mahogany Rush (“Ditch Queen”).

John Norum (guitarras, vocais) Tomas Torberg (baixo); Thomas Bronman (bateria); Peer Stappe (percussão) e Mic Michaeli (teclados)

1. Let it Shine
2. Red Light Green High
3. It’s Only Money
4. Got My Eyes on You
5. When Darkness Falls
6. Over and Done
7. Ditch Queen
8. Travellin’ in the Dark
9. Born Again
10. Play Yard Blues



2 Comentarios

  1. diogobizotto disse:

    Ótima lista pra esse cara que merece muito respeito por seu bom gosto e habilidade técnica de sobra. Para mim, "Wings of Tomorrow" também é o melhor álbum do Europe, não por ser mais calcado no heavy metal, mas por suas composições esbanjarem bom gosto, personalidade e boa execução, especialmente por parte de John. O único pecado é a produção, que deixou o som um tanto "magro". Da fase atual do Europe, acredito que qualquer um dos três álbuns poderia figurar na lista, mesmo "Start From the Dark" sendo meu favorito. Todos são prova de quão honestos os integrantes do grupo são com sua música, sem se preocupar em agradar a ninguém em especial, a não ser a si mesmos.

  2. E o Face The Truth??? Eu acho que a melhor performance do John Norum foi nesse disco, alem de contar com o Glenn Hughes, Peter Baltes…

    Dos mais recentes do Europe, eu adoro o Secret Society, considero-o um disco sensacional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *