Cinco Discos Para Conhecer: Vinnie Vincent

18 de novembro, 2011 | por Van do Halen
Cinco Discos Para Conhecer
1

Por Igor Miranda (Publicado originalmente no blog Van do Halen)

Gênio difícil, personalidade autodestrutiva e muitos outros fatores contaram para que Vinnie Vincent não se tornasse uma estrela do Rock consolidada nos dias de hoje. Mas nada em questão musical, pois sua competência é indiscutível: além de um guitarrista habilidoso, é um compositor talentoso e um multi-instrumentista versátil. Seguem cinco discos para conhecer a obra do famigerado The Ankh Warrior.

Treasure – Treasure [1977]

A carreira musical de Vinnie Vincent, que ainda atendia pela alcunha de Vincent Cusano, começava de forma profissional e sólida com o Treasure. Antes disso, o guitarrista era um músico de estúdio responsável por gravar álbuns de vários estilos na década de 1970, até que conheceu o tecladista e vocalista Felix Cavaliere e o baterista Jack Scarangella durante as gravações de um disco solo de Fred Lipsius (Blood Sweat and Tears). Os três se juntaram para formar o Treasure, completando a formação o baixista Rick Laird.
O direcionamento musical do grupo é bem diferente daquele que Vincent seguiria no futuro. As composições são bem chegadas no AOR e no soft rock. Apesar de ser um bom disco, os integrantes resolveram seguir em frente com seus outros projetos. Válido como trilha sonora de um jantar com a namorada.
01. I Wanna Love You
03. Love Me Tonight
04. Jubilation
05. When The Sun Shines
06. My Lady Once Told Me
07. Turn Yourself Around
08. Think It’s Love
09. Treasure

Dan Hartman – Instant Replay [1978]

Este álbum tem ainda menos a ver com a consagrada discografia de Vincent do que o auto-intitulado do Treasure. Mas demonstra a versatilidade do guitarrista, que participou de um trabalho de um dos grandes nomes da Disco Music sem se estranhar com o gênero, além de sua posterior turnê de divulgação.
Instant Replay é o terceiro disco solo de Dan Hartman, multi-instrumentista que havia se consagrado anteriormente por ter integrado o Edgar Winter Group. A ligação com o Pop e a Disco Music é forte, porém é notável que trata-se de um registro de qualidade musical acima da média, visto que Hartman foi um músico e compositor muito talentoso. Até mesmo aqueles que não são adeptos ao estilo podem gostar do som – inclusive do videoclipe abaixo, pra lá de brega e divertido.
02. Countdown/This Is It
03. Double-O-Love
05. Love Is A Natural
06. Time & Space
07. Instant Replay (12-inch mix)
Dan Hartman – vocal, guitarra, baixo, teclados, bateria adicional
Vinnie Vincent – guitarra, violão, pandeireta, backing vocals
G.E. Smith – guitarra
Edgar Winter – saxofone em 1 e 2
Hilly Michaels – bateria, percussão
Blanche Napoleon – backing vocals

Kiss – Lick It Up [1983]

O momento era propício para que a estrela de Vinnie Vincent, agora com seu nome artístico, brilhasse. O guitarrista chamou a atenção de Paul Stanley eGene Simmons quando estes trabalhavam em “Creatures Of The Night” – as músicas mais conhecidas do disco foram co-escritas com Vincent, aliás. Foi escolhido para ser o substituto oficial de Ace Frehley e pôde finalmente colaborar de verdade com o conjunto no álbum seguinte.
Lick It Up marcou a primeira aparição pública do grupo sem as maquiagens. A banda se apresenta revigorada não apenas por estar de cara limpa, mas também pela presença da dupla Eric Carr e Vinnie Vincent, este responsável pela co-autoria de 8 das 10 canções do álbum. Os flertes com o Hard Rock oitentista (não o farofa por enquanto) e o Heavy Metal eram notáveis no som. A repercussão foi positiva e o Kiss voltava a ser um dos grandes nomes do Rock. Mas a presença de Vincent no conjunto não durou muito, pois o mesmo seria despejado ao fim da turnê de divulgação do disco.
02. Not For The Innocent
03. Lick It Up
04. Young And Wasted
05. Gimme More
07. A Million To One
08. Fits Like A Glove
09. Dance All Over Your Face
10. And On The 8th Day
Paul Stanley – vocal, guitarra base
Gene Simmons – vocal, baixo
Vinnie Vincent – guitarra solo, backing vocals
Eric Carr – bateria, percussão, backing vocals
Músico adicional:
Rick Derringer – guitarra solo em 1

Vinnie Vincent Invasion – Vinnie Vincent Invasion [1986]

O único álbum a ter três textos diferentes nesse blog! Após sua saída do Kiss, em 1984, Vinnie Vincent não perdeu tempo: no mesmo ano, começou a compor e registrar demos para aquele que seria seu projeto solo. Os escolhidos para a empreitada foram o baixista Dana Strum, o baterista Bobby Rock e o ex-Journey Robert Fleischmann, vocalista com quem já havia trabalhado noWarrior. O Vinnie Vincent Invasion estava formado e tinha um contrato com a Chrysalis Records para o lançamento de seu primeiro álbum.
Auto-intitulado, o debut do Invasion é a definição musical do termo “exagero” dentro do Hard Rock. Mas entre o visual carregado, os vocais esganiçados e agudos e os solos de guitarra na velocidade da luz, havia uma banda poderosa, pesada e talentosa, com ênfase em Vinnie, que também era o compositor principal. Não à toa, vendeu bem e o VVI se tornou a banda de abertura deAlice Cooper em 1987. Mas a banda só durou para mais um álbum, “All Systems Go”, porque os integrantes já não aguentavam o egocêntrico guitarrista.
02. Shoot U Full of Love
03. No Substitute
04. Animal
05. Twisted
06. Do You Wanna Make Love
07. Back On The Streets
08. I Wanna Be Your Victim
09. Baby-O
10. Invasion
Robert Fleischman – vocal
Vinnie Vincent – guitarra, backing vocals
Dana Strum – baixo, backing vocals
Bobby Rock – bateria

Vinnie Vincent – Euphoria (Limited Edition) [1996]

O Invasion deixou de existir no fim da década de 1980, mas Vinnie Vincentcontinuou compondo novo material, inclusive trabalhando com o futuramente incansável Jeff Scott Soto. O vocalista Robert Fleischmann foi novamente recrutado e a intenção era lançar um disco solo do guitarrista, intitulado”Guitars From Hell”, mas foi engavetado porque a gravadora, Enigma Records, fechou as portas e declarou falência antes do lançamento, em 1990.
Algumas das composições presentes nesse álbum se reuniram no EP”Euphoria”, lançado em 1996 com tiragem limitada através do selo independente Metaluna. O direcionamento musical se desviou um pouco do Hard Rock oitentista e as composições soam bem Heavy Metal, ainda com os vocais característicos de Fleischmann e as guitarras absurdamente velozes de Vincent. O EP seria uma demonstração do full-length “Guitarmageddon”, que seria lançado no ano seguinte mas nunca viu a luz do dia.
02. Get The Led Out
04. Full Shredd
Robert Fleischman – vocal
Vinnie Vincent – guitarra, baixo, backing vocals
V. Meister – bateria



1 Comentario

  1. Anônimo de volta disse:

    Ele é um excelente guitarrista! Essa página possui matérias sensacionais. A Whiplash não chega nem aos pés de vocês. Gostei do Vinnie Vincent Invasion, mais um disco que eu não conhecia e que gostei. Uma sugestão, falem sobre o Lion, a banda do Doug Aldrich. Lançaram apenas dois discos muito bons.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *