Discos que Parece que Só Eu Gosto: Sepultura – Morbid Visions [1986]

22 de outubro, 2011 | por Mairon
Discos que Parece que Só Eu Gosto
62

Por Mairon Machado

Acho que já falei repetidas vezes como eu e o meu irmão, nosso colaborador Micael Machado, desenvolvemos nossa paixão musical praticamente juntos, ouvindo as mesmas coisas, e discordando praticamente em tudo o que um ouvia do outro. Eram raros os materiais que o Micael me mostrava que eu dizia: “Bah, isso é muito bom“, e vice-versa. Foi assim com Iron Maiden, Legião Urbana e The Cure (por parte do Micael, e eu não gostei), e Led Zeppelin, Black Sabbath ou Mutantes (por minha parte, que ele não gostou). Até mesmo o Deep Purple, uma banda que nós dois gostávamos, o Micael preferia Ian Gillan, e eu só ouvia David Coverdale
No auge da minha paixão pelo thrash metal, pouco depois de completar oito anos, eu descobri uma mera banda chamada Slayer, através de um K7 que o Micael arranjou sei lá com quem que continha de um lado um álbum do Metallica, o famoso black album Metallica e havia sido lançado dias antes, e do outro lado South of Heaven, o mais pesado disco do Slayer. Enquanto o Micael batia cabeça com “Enter Sandman”, “Sad But True”, “Holier Than Thou” e outras, eu delirava com “Mandatory Suicide”, “South of Heaven” e “Dissident Agressor” (só para citar algumas). Nossa briga era por quem ouvia a fita, e o resultado foi algo que hoje os jovens não conhecem, ou acham que só existe em museu: a transferência de cada canção desejada para uma outra fita K7, nos famosos duplo-decks.
Porém, meu gosto pelo Slayer era por causa do Possessed, descoberto um ano antes em outro cassete que o Micael conseguiu que tinha sei lá o que no lado B (Agent Orange???) e no lado A o Seven Curches. Caraca! Aquilo era muito forte. As linhas de guitarra, o vocal gutural, as melodias infernais do grupo que eu não tinha nem ideia como era o nome de cada integrante, me arrepiava, me dava medo. E eu gostava. Passei a ser um fiel seguidor do Possessed e até hoje é uma das minhas bandas favoritas.

Sepultura no início de carreira
Exatamente naquele longíquo 1991, o Micael me apareceu um dia com uma banda chamada Sepultura (nem conto qual o outro disco que ele comprou no mesmo dia para o Mica não passar vergonha, hehehe). Tendo o álbum Beneath the Remains nas mãos, sentou-se a ouvir aquilo e me dizia: “Isso é thrash metal de verdade, não esses teus Possessed e Slayer que tu ouves“. O som realmente não era dos piores, mas a blasfêmia do Micael em tentar comparar Sepultura com Possessed me causou revolta, e eu não conseguia gostar do grupo. Taradão pelo som dos mineiros, aos poucos o Micael foi comprando a coleção. Veio o Arise, depois o Schizophrenia, e por fim, Chaos A. D., Bestial Devastation e Morbid Visions.
Apesar da minha relutância em gostar do Sepultura, eu curtia no fundo o som, e sempre escondido, pegava os discos para ouvir. Pois quando chegaram o Bestial Devastation e o Morbid Visions, por um acaso os discos que o Micael ouviu e menos gostou, a casa caiu, e eu descobri que realmente, o Sepultura que o Micael gostava não era o que eu gostava.

Bestial Devastation, a estreia vinílica dos mineiros
Bestial Devastation é um EP lançado pelo Sepultura em 1985. A formação do grupo na época era Max Cavalera (guitarra, vocais), Igor Cavalera (bateria), Paulo Jr. (baixo) e Jairo T. Guedes (guitarras). De um lado da bolacha, o Sepultura apresenta as canções “The Curse” (uma pequena vinheta), “Bestial Devastation”, “Antichrist”, “Necromancer” e “Warriors of Death”, todas pauladas certeiras, furiosas, raivosas, mostrando uma indignação que me lembrava muito o Seven Churches, e eu curti aquilo. Na versão original, o EP saiu com o lado B complementado pelo grupo Overdose, mas não era essa a versão que o Micael tinha. Mesmo assim, aquele Sepultura eu curti, principalmente por que Jairo T. era (na minha opinião) muito mais guitarrista do que o falado Andreas Kisser.
O EP serviu como divulgação do nome Sepultura, e no ano seguinte, através da Cogumelo Records, a mesma formação lançou um LP completo, Morbid Visions. A produção tosca, as distorções extremamente sujas, aquele satanismo rugindo em cada mili-segundo do sulco, a agressividade e pancadaria comendo solta, me encantavam como uma naja por uma flauta, e eu me tornei um fã do Sepultura de Jairo T., a melhor formação do grupo. O que mais me impressiona é que toda a explosão furiosa do grupo estava impregnada em jovens adolescentes. No quarteto, Max e Paulo tinham 17 anos, Igor 16 e Jairo T. era o único que completaria 18 anos em 1986, mas na gravação do LP, ainda estava com 17 anos.
Paulo Jr., Igor Cavalera, Max Cavalera e Jairo T.
Morbid Visions abre com a faixa-título, onde as guitarras surgem com muita distorção, e Max grita “Hell”, para a pauleira pegar. Igor detona na bateria, um monstro, mesmo sendo ainda adolescente, e os zumbidos das guitarras de Max e Jairo são como zangões em volta da colmeia. A velocidade das notas de guitarra, misturadas com a violência de Igor, é o que sempre apreciei no thrash metal, sendo que dificilmente ouvimos o baixo de Paulo Jr. Após a segunda repetição do refrão, o ritmo muda, não tão veloz, com Igor utilizando os dois bumbos enquanto Max e Jairo fazem uma sequência de acordes, voltando para o refrão e ao escandaloso solo de Jairo que conclui a canção.
Já “Mayhem” nos permite ouvir um pouco do baixo de Paulo Jr.. A introdução com notas marcadas e o grito de Max, apresenta o riff quebrado de baixo e guitarras, com mais um show de Igor. Max vomita a letra com uma violência descomunal, e é impossível não lembrar do Slayer na ponte da canção, com baixo e guitarra fazendo as pesadas notas que Igor consegue inventar um ritmo quebrado para a mesma. Max muda o estilo de cantar, mas a pancadaria continua, e depois de gritar “Mayhem”, mais um solo extremamente barulhento e visceral de Jairo conclui outra grande pedrada do Sepultura.

Uma das melhores canções do thrash metal vem a seguir, a linda “Troops of Doom“, com uma introdução poderosa das guitarras, baixo e a bateria de Igor. O peso dos instrumentos junto a marcação da bateria e os gritos guturais de Max assombram. Parece que estamos ouvindo o tinhoso entrando no quarto. Max e Jairo puxam o riff que dá ritmo para Max cantar, e ouvimos isso mudar para algo muito veloz, com Igor detonando as caixas e os tons em viradas furiosas. Max retorna a letra, e então, mais outro riff recheado de distorções leva ao baixo de Paulo Jr., que sozinho, comanda o riff final, onde Jairo faz a guitarra rugir com arpejos, alavancadas e bends insanos, fechando com mais pancadas na cabeça.
Por fim, outro petardo, “War”, encerra o lado A, tendo uma introdução quebrada, onde Max grita o nome da mesma, e a velocidade das guitarras lembra muito Seven Churches do Possessed (acho que é por isso que eu gosto tanto deste disco). Curto bastante a sessão mais lenta de “War”, onde Igor faz rolos mais simples nos tons, e com o crescendo dos riffs formando um interessante tema. As violentas viradas de Igor, junto aos velozes riffs de Max e Jairo, mostram como o Sepultura era agressivo, não tinha medo de investir na pancadaria, totalmente diferente do grupo que virou pós o idolatrado Chaos A. D., que a mim, não passa na goela. É essa agressividade que eu sempre desejei ouvir do grupo, e isso ocorre com perfeição não só no lado A de Morbid Visions, já que o lado B ainda tem mais pancadaria.

A melhor formação do Sepultura para este que vos escreve
Não sei da onde o quarteto mineiro tirou tanta raiva para gravar “Crucifixion“, algo tão sinistro quanto o inferno (se é que isso pode existir). Logo na introdução, as notas de guitarra com baixo e chimbal marcando, estouram em uma violenta sequência de acordes onde Max novamente vomita a letra, gravando na cabeça praticamente à ferro-quente a palavra que dá nome a canção. É pancada por todo lado, e não tem como se defender da violência que o grupo impõe. O baixo de Paulo Jr., encoberto pelas guitarras, tenta sobreviver com o peso extra da distorção, e novamente, a ponte lenta é muito bem-vinda, para dar sequência a canção com um novo riff, onde Jairo sola com uma velocidade incrível. Alguns dizem que é mais barulho do que solo, mas fazer “esses barulhos” como Jairo T. fazia, jamais Andreas Kisser conseguiu fazer. Alavancadas, arpejos, raspadas de palheta, sinos e a voz satânica de Max, falando em latim, é macabro demais, de correr crianças, e é isso que está presente no meio da canção, que repete-se até o final.

“Show Me the Wrath” começa diferente, com o riff pesado do baixo e da guitarra e o ritmo cadenciado de Igor, mas depois, Igor solta os braços e os pés, para Jairo e Max acompanharem outra violenta faixa, com efeitos nos vocais, e que é a única onde o baixo de Paulo Jr. pode ser ouvido com mais clareza, repetindo as notas do violento e veloz riff das guitarras. Igor é o centro das atenções, fazendo quebradas que imitam a velocidade dos riffs da guitarra, na melhor linha Dave Lombardo, e chutando os dois bumbos, não limitando-se apenas a pisar nos mesmos.
Já “Funeral Rites” abre com um riff tipicamente death/thrash metal, construído pelas guitarras e com o baixo sendo o fiel escudeiro da sonzera distorcida gerada pelas seis cordas de Max e Jairo, que em algum momento lembra Black Sabbath, e também é muito similar ao início de “Crucifixion”. Depois da longa introdução, os zangões surgem novamente, em uma velocidade absurda, e a partir de então, segure-se, pois Max irá esmurrar sua cara com violentas palavras cuspidas ao microfone, agressivas, podres e sujas, como jamais iria cantar novamente. As palavras do nome da canção, gritadas no refrão, ferem pela violência, e a mudança no ritmo após esse intervalo, demonstra que mesmo jovens, os garotos sabiam o que faziam.
O LP encerra-se com “Empire of the Damned”, também com uma introdução similar a “Funeral Rites”, com a diferença apenas nas batidas de Igor, e depois com a pauleira pegando. Creio que é por que depois de tanta pancada, já chegamos aqui cansados, e não tem como curtir essa canção 100%. Mesmo assim, é de se destacar a velocidade dos riffs de Paulo Jr., Max e Jairo, e também para o estuprador solo de Jairo T.
Adolescentes e agressivos

No geral, pouco menos de 35 minutos de muita sujeira, muita raiva, muita sonzeira, muito thrash-death metal porradão, que eu ouvi e ouvi o quanto pude, até que o Micael se mudou e ficou para mim apenas mais um cassete. Depois, por problemas pessoais, Jairo T. saiu do grupo, sendo substituído por Andreas Kisser. Jairo parou no The Mist, enquanto que o Sepultura começou uma nova fase, que os levaria a serem reconhecidos mundialmente.

Mas ai que está. O Sepultura é venerado por álbuns como Chaos A. D. (1993) e Roots (1996), pelos temas políticos em suas letras, pela mistura de sons, pelo Andreas Kisser, sei lá por que. Honestamente, isso não é Sepultura. O grupo poderia ter acabado em Arise que teria feito um bom papel na minha opinião, e se tivesse lançado apenas Morbid Visions, seria sem dúvidas a maior banda de thrash metal / death metal do Brasil.
Só que eu não conheço ninguém além de mim que pensa isso. A maioria dos fãs despreza a fase Jairo T., torcendo o nariz e nem se quer ouvindo. É compreensível. O som do Sepultura pós-Jairo T. é bem mais ameno, mais acessível e mais polido, não tem a crueza inicial, a “podreira”, a raiva, e isso, bom, isso só os que são diferentes conseguem gostar (para não me chamar de louco).

Jairo T. Guedes
Será que tem mais alguém “diferente” nesse mundão que curte o Morbid Visions mais do que o resto da discografia do Sepultura? Veremos …

Track list:

1. Morbid Visions
2. Mayhem
3. Troops of Doom
4. War
5. Crucifixion
6. Show Me the Wrath
7. Funeral Rites
8. Empire of the Damned



62 Comentarios

  1. micaelmachado disse:

    Bom, dizer o quê depois de ser sucessivamente acusado de barbaridades e mais barbaridades ao longo do texto(a imensa maioria verdadeiras, diga-se de passagem, embora eu não lembre de ter diminuído o Slayer em momento algum da minha vida – se bem que eu não gostava muito do lentão "South of Heaven" mesmo, preferindo na época o "Show no Mercy" e o "Reign In Blood")?

    Eu gosto de "Morbid Visions", mas acho o mais fraco da era Max Cavalera. Até o "Bestial Devastation" acho muito superior a ele. Mas não me deem crédito. Afinal, para mim "Chaos A.D." está no pódio de "melhores discos de todos os tempos" faz anos, então, o que esperar de alguém como eu?

    O engraçado era ver o Mairon piazinho curtindo esses sons na época. Depois, descobriu o prog e o jazz, e a nossa vida nunca mais foi a mesma…

    Um claro exemplo de como as "más influências" podem mudar a vida de uma pessoa (hehehe)…

  2. Anônimo disse:

    Mairon,eu concordo com você,Morbid Visions,é o melhor álbum dos caras!!!E o que vale destacar,é que esse disco,foi lançado,um ano antes,de Scream Bloody Gore(álbum de estréia do Death)!!Talvez,Morbid Visions,seja ainda mais extremo,e porquê não,podrão.É bem como você falou,muitos torcem o nariz dessa fase do Sepultura.Sinceramente,eu acho,com todo o respeito,o Andreas Kisser,um músico,bundão,e muito politicamente certinho!!O cara toca em uma baanda de Thrash Metal,e vai tocar junto com a "irmã"da Sandy,aquele manézão do Júnior.Jairo,tocava com muito mais fúria e muito mais garra do que Andreas.Acho,que para Andreas,aquela frase que diz"Toda unanimidade é burra",lhe cai como uma luva.Ele é reverenciado,em demasia,pelos músicos de Metal!E pra falar a verdade,é até limitado.Se ele fosse um bom músico,e bom compositor,ele teria conseguido,gravar discos,memoráveis,depois da saída do Max Cavalera,que aliás,só lança lixo,com o Soulfly.Andreas,poderia,ter feito o Sepultura,voltar as raízes,depois do fraco,Roots,e mostrado,para todos,que a banda poderia sobreviver,sem Max.Mas não,colocaram,um vocalistam,que não tinha nada a ver com a banda.Eles deveriam ter acabado,com o Sepultura,para preservar,o passado glorioso deles.Derrick Green,possui um vocal,mais apropriado,para bandas de harcore,que é um estilo,do qual é fã.Vida longa ao MORBID VISIONS,e ao Jairo Tormentor

  3. Anônimo disse:

    A música War,podemos dizer,que é um plágio de Slayer!!E de duas músicas.A parte cantada,todinha,é um plágio do refrão,de Kill Again,do álbum Hell Awaits.E aquela parte,que temos,a mudança de andamento,se parece com o trecho,do solo de Black Magic,do Show no mercy.Ia me esquecendo…Aquela sessão mais lenta de War,no trecho:"Massacring the wons
    Mutilating the fools
    The black death empire
    Exterminating without mercy",podemos dizer,que as viradas,que Igor faz,foi totalmente inspirada,em Circle of Tyrants,do Celtic Frost.Valeu!

  4. Anônimo disse:

    Bons tempos,esses,em que o Sepultura,não estava nem aí,para letras politizadas,protegendo bandido,como a letra patética de "Manifest",do Chaos A.d.,onde Max critica,a melhor coisa que a polícia,de São Paulo,fez,em 1992 no massacre do Carandiru.111 presos mortos???Só isso??Poderiam ter matado logo uns 600,pra acabar com esses vermes,que destróem a sociedade brasileira.Desculpe,Mairon,ter mudado de assunto,mas fico puto da cara,quando vejo,gente protegendo bandido!Como dizia o saudoso Alborghetti,bandido bom,é bandido morto!!

  5. Anônimo disse:

    E o que me dizer,do Bloody Vengeance,do Vulcano??Um dos grandes discos,de Death,mesmo com uma produção tossca

  6. Pois eh Anonimo, eu nao sou tao fã de tharsh, mas o Morbid Visions é uma paulada que nao tem nada comparaval no sepultura (talvez o Bestial). Suas comparações aSlayer são bem sensatas, e o trecho de Black Magic foi chupinhado descaradamente, mas nao quis colocar isso no texto.

    Quanto ao Volcano,infelizmente nao conheço esse album, mas vou atras

    Abraço

  7. Anônimo disse:

    Uma coisa,que o Sepultura,merece crédito,é o fato,da música "Antichrist",do EP,"Bestial Devastaton,possuir,um dos primeiros,"Blast-beats",que se tem notícia.Muitos,afirmam que foi o Sarcófago,quem começou,esse modo de tocar,mas Sepultura,veio antes.Quem aqui,acha,que Morbid Visions,é mais extremo,que o álbum de estréia do Death,Scream Bloody Gore,respondam

  8. Anônimo disse:

    O Sepultura,era tão fã,do Celtic Frost,que o título,do álbum,certamente,foi influenciado,por Morbid Tales,debut,do Celtic Frost

  9. Anônimo disse:

    O Andreas Kisser,foi o culpado,pelo Sepultura,ter mudado, oestilo da banda,que era um Thrash/Death podrão,por um Thrash,mais polido e trabalhado.E claro,as letras.Foi Andreas,quem sugeriu que a banda mudasse a temática satãnica,por uma mais politizada,o que a meu ver,destruiu a banda.Milvezes o Sepultura,satãnico,do que politizado.Schizophrenia,o álbum sucessor de Morbid Visions,e o primeiro com Andreas,na guitarra,possui aalgumas músicas,ótimas,como Scream behind the shadows,R.I.P.(REST IN PAIN),From the past comes the storm e To the wall,mas nada comparável,a Morbid Visions,ou ao lendário EP Bestial Devastation

  10. Anônimo disse:

    Além da influência do Andreas,nas então novas letras politizadas,estava o fato do Sepulura,ter conhecido,o Ratos de Porão,nessa época.Eles conheceram o Ratos,quando o Sepultura,abriu,em 1986,no Estádio Gigantinho,para o Venom,e o Exciter.João Gordo,sempre um mala,influenciou,e negativamente,o Sepultura,musicalmente,e liricamente.Ele apresentava,bandas de hardcore,que curtia,o que acabou,fazendo,com que o Sepultura,se influenciasse,por crossover,e hardcore,e não mais como antes,em que curtiam,mais Thrash e Death.E a parte das letras também.Ele persuadiu o Sepultura,a comporem letras de cunho social.

  11. Anônimo disse:

    Em uma entrevista,feita,a algum tempo atrás,Andreas,declarou,que antes de entrar na banda,ele não era fã do Sepultura.Achava o som deles,muito mal gravado,e mal tocado!É um convencido mesmo,como se a "bandinha",agora,então dele,estivesse lançando discos maravilhosos.Cala a boca Andreas,se aposenta,e some da música

  12. Anônimo disse:

    O logotipo da banda,era animal,nessa época.Depois,em 1989,quando lançaram,Beneath the remains,por imposiçãao da gravadora(sempre elas),tiveram que mudar o logo.Eles usaram esse logotipo,até a turnê do Schizophrenia,de fundo de palco

  13. Anônimo disse:

    A banda Nervo Chaos fez uma versão de Funeral Rites
    http://www.youtube.com/watch?v=RPpT303ftyM

  14. Anônimo disse:

    Corrigindo,o estádio,onde o Sepultura,tocou,abrindo para o Venom,e para o Exciter,se chama na verdade Mineirinho.Desculpem,pela minha falta de atenção

  15. Anônimo disse:

    O Paulo Júnior,sempre foi um nada na banda.Se bem,que Death Metal,ou Thrash Metal são estilos,cujo,contrabaixo,realmente,não ganha muito destaque.Ele é o único,integrante,da formaçao original do Sepultura.O Wagner Antchrist,vocal,líder e guitarrista,da banda Sarcófago,já fez parte do Sepultura.Mas por conflitos,com Max Cavalera,acabou sendo expulso da banda.Eu fico imaginado,se ele tivesse continuado,na banda.O Sárcófago,foi uma banda inovadora,na época.O baterista dos caras D.D crazy,foi um dos primeiros bateristas,a tocar o estilo blast beat,estilo esse que se consagraria o Napalm Death

  16. Anônimo disse:

    Tem uma história famosa,envolvendo,o Sarcófago,e o Ratos de Porão.Certa feita,os Ratos fizeram um show,em Belo Horizonte,e logo na frente do palco,tinham uns caras,que ficaram cuspindo no Ratos durante o show.Max Cavalera,pôs lenhaa na fogueira,dizendo pro gordo,que tinha sido,os caras do Sarcófago,que mandaram aqueles caras ali,só para zoar com eles.A partir desse episódio,a treta entre as três bandas,ficou pior.Um tempo depois,o D.R.I.,veio fazer um show,aqui em São Paulo,cuja banda de abertura,era o Sarcófago.Os caras do Ratos,fãs do D.R.I.,ficaram com inveja,e com raiva,afinal,o som que o Ratos fazia,tinha tudo a ver com o D.R.I,e o Sarcófago não.Então os caras do Ratos,arrumaaram,uns conhecidos,armados com correntes,para darem aquelaa surra no Sarcófago!!Foi uma estupidez,sem precedentes.Eles simplesmente,entraram no camarim,do Sarcófago,descendo,o cacete,em todo mundo.Nisso,os roadies,do D.R.I.,vieram acudir,os caras do Sarcófago,e um deles,levou,uma correntada,no braço,que acabou fraturado.Wagner Antchrist,é o autor,da música,Antchrist,do EP Bestial Devastation.O Sepultura,depois,que eles estabeleceram,uma amizade sólida,com os Ratos de Porão,quando,eram entrevistados,em revistas,especiaalizadas,em Heavy Metal,da europa,e lhes perguntavam,quais,outras,bandas,brasileiras,de Thrash Metal,que existim por aqui,simplesmente,diziam,que as únicas,que existiam,eram eles,e o Ratos.Que mal agradecidos!!Eles omitiam,o fato,de que muitas bandas,mineiras,o ajudaram,no início de carreira.É claro,que eram inimigos,do Sarcófago,mas existiam,outras bandas,que eles se relacionavam bem,e nem falavam delas.Uma demonstração,de arrogância,e egocentrismo.Mas como dizem,que o tempo,é o senhor da razão,pagaram a boca.O Sarcófago,continuou a ser uma banda fantástica,enquanto,que o Sepultura,lançou,discos péssimos,atrás de discos péssimos,depois de Arise

  17. Anônimo disse:

    Tem uma história famosa,envolvendo,o Sarcófago,e o Ratos de Porão.Certa feita,os Ratos fizeram um show,em Belo Horizonte,e logo na frente do palco,tinham uns caras,que ficaram cuspindo no Ratos durante o show.Max Cavalera,pôs lenhaa na fogueira,dizendo pro gordo,que tinha sido,os caras do Sarcófago,que mandaram aqueles caras ali,só para zoar com eles.A partir desse episódio,a treta entre as três bandas,ficou pior.Um tempo depois,o D.R.I.,veio fazer um show,aqui em São Paulo,cuja banda de abertura,era o Sarcófago.Os caras do Ratos,fãs do D.R.I.,ficaram com inveja,e com raiva,afinal,o som que o Ratos fazia,tinha tudo a ver com o D.R.I,e o Sarcófago não.Então os caras do Ratos,arrumaaram,uns conhecidos,armados com correntes,para darem aquelaa surra no Sarcófago!!Foi uma estupidez,sem precedentes.Eles simplesmente,entraram no camarim,do Sarcófago,descendo,o cacete,em todo mundo.Nisso,os roadies,do D.R.I.,vieram acudir,os caras do Sarcófago,e um deles,levou,uma correntada,no braço,que acabou fraturado.Wagner Antchrist,é o autor,da música,Antchrist,do EP Bestial Devastation.O Sepultura,depois,que eles estabeleceram,uma amizade sólida,com os Ratos de Porão,quando,eram entrevistados,em revistas,especiaalizadas,em Heavy Metal,da europa,e lhes perguntavam,quais,outras,bandas,brasileiras,de Thrash Metal,que existim por aqui,simplesmente,diziam,que as únicas,que existiam,eram eles,e o Ratos.Que mal agradecidos!!Eles omitiam,o fato,de que muitas bandas,mineiras,o ajudaram,no início de carreira.É claro,que eram inimigos,do Sarcófago,mas existiam,outras bandas,que eles se relacionavam bem,e nem falavam delas.Uma demonstração,de arrogância,e egocentrismo.Mas como dizem,que o tempo,é o senhor da razão,pagaram a boca.O Sarcófago,continuou a ser uma banda fantástica,enquanto,que o Sepultura,lançou,discos péssimos,atrás de discos péssimos,depois de Arise

  18. Anônimo disse:

    Obrigado Mairon,pela atenção!!!Este site,é muito bom,toda vez,que quero ler,sobre alguma banda,que gosto,venho neste site

  19. Anônimo disse:

    Mairon,aqui vai um link,para algumas músicas,do Vulcano,que eu citei outro dia
    http://www.youtube.com/watch?v=gnH95rbw6FE&feature=related
    http://www.youtube.com/watch?v=4ArCC4jT9h0&feature=related

  20. Anônimo disse:

    A capa,do Morbid Visions,na minha opinião,uma das melhores capas,de Heavy Metal

  21. Anônimo disse:

    Mairon,no momento,eu não tenho,nenhum e-mail,mas pode dizer,o que quer conversar,em particular.Escreva,aqui mesmo,não tem problema

  22. Deixamos assim anonimo. A ideia é trocar umas ideias sobre musica, o que já estamos fazendo pelos comentarios. A questao do email seria para caso aparecesse um texto que eu estivesse pesquisando sobre alguma banda que eu sei que vc gosta, trocar ideia para melhorar o mesmo, e coisas do genero

  23. Anônimo disse:

    Mairon,eu pensava,que você quisesse,falar,de política.Mas não,política de esquerda,de gente subversiva!!Eu sou,um conservador,de extrema direita,e gostaria,de derrubar,o governo da Dilma!!Chega de vermelhos no poder!!A única,salvação,para o Brasil,seria um golpe militar.Volta Ditadura,pelo amor de Deus!!

  24. Anônimo disse:

    Vou passar,um link,pra vocêss,de um show,do Sepultura,em 1985,com Jairo Tormentor,na guitarra.Uma época,que não volta mais,infelizmente
    http://www.youtube.com/watch?v=eKcUyo7Qws0

  25. Anônimo disse:

    Esse álbum,é esquecido,pela própria banda!!!Eu acho,que Igor,tocava melhor,nessa época,do que depois,noss álbuns seguintes.O som da bateria,em Morbid Visions,é brutal,e encorpado.A guitarra pode ter sido mal gravada,mas o que importa,é que esse play,é a melhor coisa,que o Sepultura,fez,em toda a sua carreira!!Andreas Kisser,deveria escutar esse álbum,pelo menos umas duas vezes,por dia,para aprender,a tocar,pesado,e com mais agressividade.Jairo nunca,recebeu,o crédito merecido,por sua passagem pelo Sepultura.Andreas,pode ser mais técnico,do que Jairo,mas ele nunca,conseguiu,tocar com fúria e agressividade.Muitos,só vem a parte técnica,e não a qualidade das músicas!!Grande disco!!

  26. Anônimo disse:

    Andreas,não passa de um hippie chato,defensor dos direitos humanos.Política,não se mistura,com música

  27. Anônimo disse:

    O Andreas Kisser,é tão bundão,que ele não tem critério nenhum,com quem vai fazer jams sessions.Um guitarrista totalmente descartável.O melhor que ele faria é se aposentar.Porquê o Sepultura,não acaba???Ô bandinha boba,que eles se tornaram

  28. Anônimo disse:

    O Morbid Visions,pode ter uma produção tosca,mas e daí?????Esse disco é o melhor deles.Nem o Beneath The Remains,é tão bom assim.O Remains,tem uma produção muito polida!!!O Sepultura,talvez(eu disse talvez,certo!!!??),fosse muito mais avançado,que o Slayer.Tudo bem,já criei uma polêmica,aqui dizendo,que eles eram mais extremos,musicalmente,que o Slayer.O Sepultura,só perde mesmo,para Death,Master,e Autopsy.

  29. Anônimo disse:

    E pensar que o Sepultura,já foi uma grande banda…O EP Bestial Devastation,se formos analisar,foi um avanço,para a época.Aqui no Brasil,não existia nada tão extremo quanto isso!!E vocês,sábios redatores da Consultoria do Rock,o que pensam,sobre isso??VALEU!!

  30. Anônimo disse:

    Jairo Guedez,é mil vezes melhor,que o pamonha,do Andreas,que é um músico,que toca basicamente,o mesmo,feijão-com-arroz,de sempreJairo,talvez,não tivesse técnica,mas sua fúria compensava,muito mais que solos de guitarra

  31. Anônimo disse:

    Nesse mesmo ano,de 86,aqui no Brasil,a banda Vulcano,fazia sua estréia,com o álbum "Bloody Vengeance",que é ainda mais brutal.Recomendo,a todos,que não conhecem,o Vulcano,irem atrás desse play,que é fudidaço

  32. Nobre anonimo, infelizmente eu nao sou conhecedor a fundo do death e thrash no brasil, mas consido o Bestial Devastation tão bom quanto Morbid Visions, tendo como unico problema ser curto

    Abraços e obrigado por sua constante presença por aqui

  33. Anônimo disse:

    Mairon,imagine você,que certa feita,em uma entrevista,Andreas disse que antes de entrar para o Sepultura,ele achava o som da banda horrível,e muito mal tocado,e mal gravado.Como se ele fosse grande coisa,como guitarrista.Antes um Sepultura,mal tocado,e mal gravado,do que um Sepultura,polido,e comercial

  34. Anônimo disse:

    Como eu gostaria de encontrar Andreasna rua,eu lhe jogaria na cara,que ele é um bananão,que não toca nada,e que o SLAYER,sempre será a maior banda,Thrash,do mundo!!Só espero,que ele não arrebente minha cara,há há há há

  35. Anônimo disse:

    Vocês não acham,que Morbid Visions,seria mais avançado,que Seven Churches,do Possessed,ou entãao,que Scream Bloody Gore,do Death?

  36. Anônimo disse:

    Mairon,se você tivesse que escolher,um álbum,qual você escolheria??Reign in Blood,do Slayer,Seven Churches,do Possessed,ou Morbid Visions,do Sepultura??Eu escolheria,Morbid Visions,e você??

  37. Bah anônimo, perguntinha extremamente difícil. Mas hoje, pela história que eu tenho com o mesmo, ficaria com Seven Churches. Em segundo Morbid Visions e em terceiro Reign in Blood, que aliás, eu não acho o melhor do Slayer, ficando atrás do South of Heaven e do Show no Mercy, apesar de ser um disco excelente.

  38. Anônimo disse:

    Falando sobre o Sepultura,o Schizophrenia,é o melhor disco deles,com o Andreas,pois ele ainda lembra algumas coisas do Morbid Visions,sem o extremismo de outrora,mas ainda assim,um ótimo disco.O Remains,é bom,mas muito polido,na minha opinião.O Seasons in the Abyss,talvez,não sejaa tão bom,quanto o South of Heaven,mas possui grandes músicas,como Born Of Fire,Hallowed Point,e Skeletons Of Society.

  39. Eu tb acho o Schizophrenia o melhor disco do Andreas. Nada na carreira do Slayer é comparável a obra-prima de South of Heaven. Sou louco por esse disco desde que tenho sete anos de idade

  40. Anônimo disse:

    Uma sugestão,para os Discos que parece que só eu gosto,seria o "Descanse em Paz",do Ratos De Porão.Foi o primeiro álbum do Ratos,com a influência do Crossover.Apesar da tosquérrima produção,possui algumas das mais sombrias,e poderosas músicas do Ratos.Um álbum injustiçado,até pela própria banda,que sempre o considerou um "álbum ruim,e mal tocado".A capa desse disco,é um dos destaques do álbum.Uma mulher,que foi morta,a pauladas,quando tentava roubar,uma galinha,em Belford Roxo,no Rio de Janeiro.Uma das mais horrendas capas de discos,pra dizer o mínimo.Digna de uma banda Splatter.Isso sem contar,que é o primeiro disco,com Jão,na guitarra.Ele,quando fundou o Ratos,com seu primo Betinho,era o guitarrista,e vocalista,mas como não gostava de cantar,e tocar,ao mesmo tempo,chamou,o Mingau(hoje no Ultraje a Rigor),para tocar guitarra.Com Mingau,gravam a coletânea SUB,e o primeiro disco oficial,dos Ratos,Crucificados Pelo Sistema(1984).Jão toca bateria,no Crucificados.Vou explicar:O Betinho,primo de Jão,era o baterista dos Ratos.Quando sua namorada ficou grávida,ele teve que sair da banda,para ir trabalhar.Jão n~~ao teve outra alternativa,senão ir para a bateria,afinal,não tinham mais ninguém,para substituí-lo.Por essa época,João Gordo,era amigo dos caras,e andava pra cima e pra baixo,com eles.A vaga pra vocalista,estava livre(afinal jão foi pra bateria),e ele já um grande fã da banda,não pensou duas vezes,quando Jabá(baixista),e Mingau(guitarrista),o convidaram,para entra na banda.Tái,fica a minha sugestão!!Valeu,pela atenção.

  41. Nobre anônimo, em abril o consultoria do rock terá duas matérias especiais sobre o grande Ratos de Porão. Com sua participação sempre ativa, esperamos que também curta as mesmas. Forte abraço

  42. Anônimo disse:

    a mudança,das letras,da banda,na fase Schizophrenia,foi culpa do bundão do Andreas,ele mesmo,certa feita,assumiu isso.Tá explicado,porquê depois o Sepultura,foi ficando cada vez mais,uma banda chata,e politizada.Andreas,se aposente,e vá pentear macaco!!

  43. Anônimo disse:

    Eu particularmente,acho ridículas,as atitudes "politicamente corretas",do Andreas Kisser.Muito chato,muito certinho.O cara,só pensa,em fazer músicas,com letras intelectuais,inspiradas,em filmes,do Kubrick.Além do mais,o cara vive lá na Emotv(MTV,que desgraça,é aquele lixo de canal),em programas,de futebol,junto com aquele bobalhão,infeliz,perdedor,do ex-Ira!,Nazi.Me desculpem a minha sinceridade,mas o Sepultura,que eu gosto,é com Jairo Guedez,na guitarra,pois a banda soava,mais autêntica,e agressiva.

  44. Anônimo disse:

    E digo ainda mais,o Paulo Jr.,sempre foi um eterno nada nessa banda.O mala do Andreas,faz alguns anos,jogou m…rda,no ventilador,e confessou,que foi ele quem gravou,o contrabaixo,do Schizophrenia,Beneath the remains,e Arise,pois a "MOÇA",ficava nervosa demais,e não conseguia tocar.Ao vivo,é como se o Sepultura,fosse uma banda sem baixista.Eu sempre digo,que o Paulo Jr.,toca tão mal,que faria o finado Sid Vicious,parecer o Billy Sheeham(considerado um dos melhores baixistas do mundo).Mas lembremos uma célebre frase de Mister George Harrison,no documentário Anthology,dos Beatles,quando ele se refere,a Stuart Sutcliff(antigo baixista dos beatles,que não tocava nada):Mas antes um contrabaixista,que não toca nada,do que não ter um contrabaixista.Sorte do Paulo,se ele tiver uma tremenda dor de barriga,e tiver,que se retirar,ás pressas do palco,ninguém irá,perceber sua ausência.Sepultura,o White Stripes,do Thrash Metal,uma banda,sem baixista!!!!há há há há há há há há há há há há (e desculpem,caros colegas,da Consultoria Do Rock,minhas piadinhas sem graça)

  45. Anônimo disse:

    O Paulo Jr.,só está na banda,pois se ele sair,não vai ter nada,para fazer,a não ser encher,a cara,e aguentar,a esposa dizendo,praa ele,ir fazer alguma coisa,na vida!!Há muleque

  46. Anônimo disse:

    O Andreas Kisser,definitivamente,não tem critério nenhum,ao fazerjam sessions,com artistaas medíocres,de quinta categoria.Daqui alguns dias,só falta o cara ir toccar com algum grupo de axé,colocar um shortinho,e rebolar.É um panacão mesmo

  47. Anônimo disse:

    Eu ás vezes,fico,pensando,o quanto deve ser frustrante,ser baixista,pois o baixo,é um instrumento,que com o perdão do trocadilho,acaba ficando,"Baixo",na mixagem.São poucos,os baixistas,que realmente,ganham destaque,na banda.Dentre os conhecidos,podemos,citar,o saudoso,John Entwistle,do The Who,que ao vivo,mesmo,com sua postura discreta,sempre chamava,a atenção,pelo som,absurdamente,distorcido,e poente,do seu instrumento,as vezes,parecendo,uma segunda guitarra.Lemmy Kilmister,com seu contrabaixo "monstro",que assim,como seu ídolo,John Entwistle,soa como uma segunda guitarra.Além,é claro,de ser o líder,da banda,e cantar,e tocar ao mesmo tempo.O Steve Harris,é um dos meus favoritos,o cara,se inspirou,e muito no saudoso,Phill Lynnot,além de ser o compositor da banda.Mas,existem baixistas,de grandas bandas,que acabam,ficando,meio apagados,em discos,e em shows,como é o caso,de Cliff Willians,do AC/DC,Damon Hill,do Judas Priest,além,do Paulo Jr.,do Sepulturaa.Esse daí´,toca sempre o mesmo feijão com arroz.O Paul MCcartney,sempre foi carismático,além de excelente músici.Porém,ele sempre dise,que seu contrabaixo "Hofner",que ele ppossui,desde a época dos Beatles,ssempre foi um trombolho.Ou seja,é um instrumento,com ualidade duvidosa,como o mesmo disse,porém,o talento do grande Paul,superou tudo isso.Paul comprou,o Hofner,em Hamburgo,luygar,onde os Beatles,excursionavam,bem no começo,de sua carreira.Era o mais barato,por isso,que Paul,levou esse mesmo.Desculpem a minha ousadia,mas seria interessante,a grande Consultoria Do Rock,fazer um especial só sobre baixistas,do Rock,mostrando,que o baixo,também,pode ser um instrumento,de destaque,em uma banda de rock

  48. Obrigado pela sugestão, nobre anônimo

    Abraço

  49. Anônimo disse:

    Ainda falando sobre baixistas,certa feita,um colega meu,estava comentando,uma resenha,que fizeram na revista Rock Brigade,sobre o Venom.Era mais ou menos assim:"O novo disco do Venom,é um dos melhores de sua carreira,porém Cronos(baixo),se recusa a aprender a tocar,seu respectivo instrumento".há há há

  50. Anônimo disse:

    A única,música,em que notamos a presença do Paulo,é em um trecho,de 'Troops of doom",onde temos um meteórico,solo de baixo,mas talvez,nem tenha sido ele quem tenha tocado,afinal Paulo,é muito limitado demais.Se bem,que Andreas,também,é limitado,para os padrõees,do Thrash.E isso,que seu professor,de guitarra,não é ninguém mais ninguém menoss,do que o mestre Chimbinha(calypso),o rei doss solos intrincados,e virtuosos(há há há há,eu tô bêbado,e tô zoando).Andreas já foi um grande guitarrista,mas ele tomou muito chá de trombeta,e fita VHS,portanto,seu cérebro foi lesado.Ainda sobre Paulo Jr,se ele sair da banda,vai ficar em casa,sem fazer absolutamene nada,e ainda aguentar,sua mulher,reclamando,que tem que lavar,suas cuecas,cheias de freadas,e de biscoitinho!!!BBUUUUURP Saúde,povo do rock,estãao servidos?!!Estou Bêbado demis

  51. Anônimo disse:

    Eu falei,de cérebro lesdo,seria interessante,se vocês,fizessem umaa matéria,sobre músicos,que devido,ao abuso de drogas,ou bebidas,hoje se encontram lesados,e improdutivos,ou então por pura preguiça!!Os melhores exemplos,na minha modesta opinião,seriam Lobão(1ºlugar),Aerosmith,Titãs,Rita lee,Arnaldo Batista,Pete Towshend,e muitos outros,só que meu cérebro,acabou ficando lesado,e eu esqueci o resto!!Valeu povo daa Consultoria do Rock

  52. Anônimo disse:

    Por preguiça,talvez,Metallica,ou o Slayer,ganhassem.O último disco,do Metallica,com o mala,do Lou Reed,é no mínimo,inaudível,e insuportável.Afinaal,não dá certo,uma banda,com músicos,que realmente,sabem tocar,com um cara,limitado.Tudo bem,Lou Reed,tem sua importância,na históriaa do rock,mas gravar,um disco,com o Metallica,não tem absolutaamente,nada a ver,e vice versa.Eu falei,do Pete Towshend,do The Who,brothers,naa moral,o The Who,sem Keith Moon,não tem graça.Ainda quando tinham John Entwistle…,mas o cara também peidou pra muzenga,foi se sentar no colo do capeta,e a banda,do narigudo,Pete,e do grande Roger Daltrey,ficou mais perdida,que cego,em tiroteio.Uma coisa,que eu me pergunto,porquê,o The Who,nunca,fez um show no Brasil???E vocês,o que aacham do The Who????Gostariam de ver essa grande banda inglesa,aqui,em nosso Brasil Varonil???Roger Daltrey,cantava,na letra escrita,por Mr.Towshend,que preferia morrer,antes,de ficar velho,mas o tempo passou,e os caras,estão aí,até hoje,aos trancos,e barrancos.Uma banda,que já deveria,ter acabado,faz tempo,mas os caras,são tinhosos,e persistem.Bom,talvez,eles estejam certos,pois a persistência,é algo,que quando vale a pena,é a maior,qualidade do ser humano!!See your later,rockers,Good night,Good dreams!!

  53. diogobizotto disse:

    Se o Paulo largar da banda, provavelmente vai passar o resto de seus dias se entupindo de Guinness, dado que é embaixador dessa fantástica cerveja irlandesa no Brasil. Honestamente, eu preferia ter Guinness à vontade na minha mão do que tocar no Sepultura de hoje em dia!

  54. Anonimo, o The Who tocou no Brasil em 2006. Perdi esse show por alguns dias de atraso no meu vôo para o Rio de Janeiro. Acho uma baita banda até o Quadrophenia, depois não me chama a atenção

  55. Anônimo disse:

    Mairon,me desculpe,meu caro!!Eu acabei,cuspindo,pro alto,e me caiu em cima!!Falei,dos astros do rock,que ficaram lesados,mas acho,que eu é que estou lesado ,para,ter passado,despercebido,a passagem,do The Who,pelo Brasil!!Obrigado por tudo!!E Viva la birra!!!Vamos erguer nossas taças,e brindar,a Consultoria Do Rock!!

  56. Anônimo disse:

    Você disse tudo Bizotto!!Eu também preferia,mil vezes,encher o latão,de cerveja Guiness,do que tocar,no Sepultura de hoje em dia,que esta cada vez,mais pior,e deprimente.Se bem,que para,aguentar,o Andreas Kisser,e suas atitudes politicamente corretas,e suas pirações,atuais,desde que começou,a criar,discos conceituais,só mesmo estando bêbado,para aguentá-lo.Existem certas bandas,que deveriam,saber a hora de parar,e encerrar a banda.Como Marcelo Nova,disse,uma vez,banda de rock,deveria durar,no máximo,oito,ou dez anos,depois disso,ou seja,depois de um tempo,aquela fúria,e testosterona,desaparecem,e o cara,fica sem idéias,para gravar bons discos.Um bom exemplo,de band,que soube parar,no momento certo,enquanto estava por cima,foram os eternos Ramones.se bem que eles tiveram,que parar,por causa,da doença do Joey Ramone.Mas pelo menos,sua memória,é grandiosa,foram mais altos,na carreira,dos Ramones,do que baixos.O Sepultura,deveria ter encerrado,as atividades,depois do Arise.

  57. Anônimo disse:

    O Paulo,deveria mesmo,largar a banda, e abrir,um bar.Mas acho,que não daria certo,pois ele iria,acabar,indo a falência,pois acabaria,bebendo todo o estoque

  58. Anônimo disse:

    Como você mesmo disse,no texto Mairon,a introdução de Funeral Rites,lembra alguma coisa do Sabbath.A parte do meio de Children of the grave,certo??O riff,é idêntico,parecendo,até um plágio.

  59. Anonimo, a introdução eu acho similar a de "Under the Sun", do Vol. 4, mas tb tem um algo de Children of the Grave. O Sabbath com certeza foi uma forte influência para o Sepultura, mas eu não gosto da versão que eles fizeram para Sympton of the Universe

  60. Anônimo disse:

    Com certeza,a versão deles,para esse clássico do Sabbathzão,ficou faltando aguma coisa.Muio inferior,a versão original,da música.

  61. O Morbid Visions foi o primeiro disco que eu ouvi do Sepultura é muito foda esse disco os únicos problemas dele é a produção e os instrumentos e só é clássico para mim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *