Por Mairon Machado
Desde que me conheço como gente, passados meus oito, nove anos, existe uma tradição na minha família. Sempre no Natal, eu e meu irmão, nosso colaborador Micael Machado, fazemos uma homenagem à nossa paixão pela música, entoando uma das melhores canções de Natal já compostas na história da música: “É Natal!!?”, um pesado punk rock composto pelo grupo paulista Cólera no ano de 1987. Aquela letra, descendo a lenha nas festividades natalinas, era o desafogo meu e do Micael para todas as orgias gastronômicas que nossa mãe fazia (e ainda faz) durante o período de fim de ano, e simbolizava também nossa paixão pelo rock acima de tudo.
Pois no fim da noite de ontem, 27 de setembro de 2011, o mundo perdeu o gênio compositor de “É Natal!!?“. Seu nome: Edson Lopes Pozzi; sua função no Cólera: guitarra e vocais; e seu apelido que o consagrou no país e no mundo: REDSON.
Cólera em 2009

Infelizmente, o líder e fundador do Cólera, um dos principais grupos do punk rock nacional, faleceu vítima de uma parada cardiorespiratória, conforme informou o colega de banda, o baixista Val Pinheiro, na comunidade oficial do grupo no orkut e também no facebook oficial do Cólera.
Surgido em 1979, o Cólera iniciou como um quarteto, tendo em sua formação além de Redson, seu irmão Carlos “Pierre” Pozzi (bateria), Kinno (vocais) e Hélinho (guitarra), servindo como uma espécie de afluente do grupo Condutores de Cadáver, liderado por Hélinho. Em 1981, Hélinho e Kinno saíram do Cólera, que adotou a formação trio com a entrada de Valdemir “Val” Pinheiro, que virou o novo baixista, levando Redson para as guitarras e criando a formação clássica da banda. A partir de então, o Cólera passou a divulgar suas mensagens antimilitarismo, pacifista e com postura ecológica, uma raridade para a época.
Compilação Grito Suburbano, a estreia vinílica do do Cólera
A estreia do grupo foi na compilação Grito Suburbano (1982), ao lado de outros importantes nomes do punk nacional: Inocentes e Olho Seco. Ainda  em 1982, participam das compilações Punk Is … e Hardcore or What?, lançadas pelo selo XCentric Noise Records somente em k7, a nível internacional, cobiçadas por colecionadores de punk rock no mundo inteiro.

Depois, em 1983, Redson criou o selo Estúdios Vermelhos, lançando  diversas compilações e demos tanto nacional como internacionalmente, fazendo crescer o seu nome e o nome do seu grupo mundo afora. Em 1985, o Estúdios Vermelhos é rebatizado para Ataque Frontal, culminando com a estreia oficial do Cólera em vinil, Tente Mudar o Amanhã. Depois de mais duas produções (um slipt-LP trazendo uma apresentação da banda no Lira Paulistana ao lado dos Ratos de Porão, e a compilação Ataque Sonoro), em 1986 o Cólera lançou o revolucionário Pela Paz em Todo Mundo (1986), o qual foi um marco de vendas, tornando-se recordista e um exemplo para as produções independentes, com um total de quase 100 mil cópias vendidas. Pela Paz em Todo Mundo, e suas letras carregadas de protesto, conquistaram uma enorme legião de fãs, que passaram a seguir o Cólera como formigas atrás de doce.
Os saltos com a guitarra que marcaram a carreira de Redson
Cada vez mais o nome de Redson e companhia tornava-se reconhecido não só no Brasil, mas também no mundo, com o grupo participando de mais uma compilação internacional, Empty Skulls, vol. 2(1986), além do EP Dê o Fora, do mesmo ano. Os shows do grupo apresentavam performances explosivas e contagiantes, com Redson exibindo saltos com a guitarra a la Pete Townshed (The Who), tornando marcada registrada de sua carreira. 

A caixa Cólera 20 Anos Ao Vivo

Em 1987 o grupo chegou ao auge da carreira, lançando o EP É Natal!!?, cuja faixa-título tornou-se o maior clássico da carreira da banda, e sendo a mesma a canção citada no início da matéria. Na sequência,  European Tour ’87 (1989) e também um vídeo chamado 20 Minutos de Cólera registraram a passagem do grupo pela europa. Depois, veio o belíssimo Verde, Não Devaste, de 1989, que abriu para o mundo assuntos sobre a ecologia. Em 1991, Mundo Mecânico, Mundo Eletrônico chamava a atenção para os problemas que o mundo passava com a tecnologia, e durante os anos 90, o grupo realizou quatro turnês pelo país, destacando a turnê de 20 anos, que foi registrado em um CD ao vivo contando com 29 canções, um livro ilustrado e um pôster, chamado 20 Anos Ao Vivo. Além disso, o álbum Caos Mental Geral (1998) consolidava o som do grupo como o mais importante do punk rock nacional.

Pierre, Redson e Val

Em 2004, a banda realizou outra turnê pela europa, fazendo 26 shows em sete países, em apenas um mês, seguido dos álbuns Deixe a Terra em Paz! e The Best of Grito Suburbano, esse lançado contando com um LP verde e um compacto. Seguiram-se mais duas turnês nacionais e o álbum Primeiros Sintomas (2006), resgatando as 20 primeiras canções compostas pelo Cólera no início de carreira, em outubro de 1979 e abril de 1980, sendo 13 delas inéditas. Esse foi o lançamento que marcou os 25 anos do grupo, com mais shows pelo país e pela europa, onde em 2008 o grupo passou por França, Bélgica, Alemanha, República Tcheca, Áustria e Finlândia. Em 2009, uma imensa turnê, batizada de 30 anos Sem Parar, e comemorando os 30 anos do grupo passou pelo país, sendo o último grande fato na carreira do Cólera, deixando os fãs no aguardo de novo material.

Mas, na manhã de ontem, por volta das 02:30 hs da madrugada, Redson passou mal, sendo socorrido por um amigo chamado Marcio, o qual chamou o SAMU e que conduziu o guitarrista para o hospital João XXIII, no bairro da Moóca, localizado próximo a casa de Redson. Lá Redson foi atendido e medicado, mas, as 22:00hs, um telefonema do hospital foi recebido pelos familiares de Redson, dando a triste notícia de seu falecimento. O velório de Redson será hoje, à partir da 22hs, no Cemitério da Vila Alpina, em São Paulo, e o seu sepultamento amanhã à 10hs da manhã. Muita força aos familiares, amigos e colegas de Redson.
Redson, em 1985
Hoje completam-se 20 anos da morte de Miles Davis. Ontem, fez vinte cinco anos que um acidente de ônibus levou Cliff Burton. No último dia 18 de setembro, completaram-se 41 anos da morte Jimi Hendrix, e  há três dias,  em 25 de setembro, completaram-se 31 anos da morte do baterista John Bonham. O mundo da música agora irá lamentar mais uma grande perda no mês de setembro: a morte do Revolucionário Homem Vermelho, o grande Redson Pozzi. Como um fã escreveu no perfil do músico, graças a Redson os roqueiros passaram a dar valor a natureza, lutar contra o racismo e violência, praguejar os rodeios e touradas, debater a desiguldade social e lutar pelos direitos dos seres humanos, tudo o que Redson pregava através de sua música.

O mundo da música, e principalmente o punk rock está de luto. Para mim, as noites de Natal não serão mais a mesma. Ao lado do Micael, os cânticos de “É Natal!!?” não apenas irão expressar nosso sentimento com a data, mas também, lembrar de um dos mais humildes, profissionais e talentosos músicos do rock mundial.

Descanse em paz, pela paz em todo mundo. Forte e Grande é Você Redson!!!

22 comentários

  1. micaelmachado

    Uma grande perda para o rock nacional, e uma triste notícia para todos que curtem punk rock!

    O cólera foi um dos pioneiros do estilo no país, um dos primeiros (se não o primeiro) a excursionar na Europa, e sua importância sempre foi maior que seu reconhecimento, pois a banda praticamente nunca conseguiu sair do underground.

    Além disso, Redson sempre foi um batalhador pela causa punk e pela música, sendo o Ataque Frontal um dos primeiros selos independentes do país, sendo, só para citar uma banda, a gravadora que lançou o Grinders, nome dos mais importantes da cena punk no país.

    Sei que é um fato da vida que todos partiremos um dia, mas é sempre triste quando quem parte é alguém importante para tanta gente.

    RIP, Man!

    Responder
  2. Anônimo

    Nunca tive simpatia alguma,pelo cólera,e sempre achei politicamente correta demais,as letras da banda.

    Responder
  3. Janary Damacena

    É mais dificil ser excelente, como o Cólera, exercendo o sendo integro e correto do que pegar o caminho mais facil e mediocre de ser aliendo e politicamente incorreto. Redson foi um verdadeiro punk consciente da humanidade e um guerreiro da paz!

    Responder
  4. Anônimo

    Um punk chato a menos,para encher o saco com essas idiotices,do tipo,"eu odeio gente rica",ou então fazer discursos,para proteger bandido e assassino.Já foi tarde!!!

    Responder
  5. Anônimo

    A ideologia punk,ao menos paara mim,não tem sentido nenhum,pois ela protege todos os vermes da sociedade(bandidos,criminosos,vagabundos).E hoje em dia,do jeito que o Brasil está,sem leis para punir criminosos,e favorecendo cada vez mais a classe pobre do povão,não tem sentido nenhum,e digo mais!!Acho que somente uma ditadura militar,salvariaa esse país,dessa libertinagem toda,pois o brasileiro,em sua maioria,não sabe ser livre,e confunde,liberdade,com libertinagem,e criminalidade.

    Responder
  6. Anônimo

    Punk gostaa de proteger bandido,mas para mim,bandido bom,é bandido morto,como dizia Luís carlos alborghetti

    Responder
  7. Anônimo

    Esse Rédson,era um subversivo,se eu fosse um político,eu mandaria prender,pois,ele protegia,aquela desgraça do MST,e gente que protege,essa raça suja,tem que ir pra cadeia!!SIEG HEIL

    Responder
  8. Anônimo

    Eu não suporto,gente,que defende,bandido!!!O Brasiljáa é um país,que as leis,favorecem,sempre ao baandido,e a bahianada,e ainda vem um manézão,desse aí,como o Rédson,defender,essa gentalhaa!!Bandido bom,é baandido morto!!Direitos humanos,só serve,pra proteger,preto,e bandido!!Desculpem,meuss comntários,raivosos,mas o fato,é que eu já estou,cheio,de ver,bandido,se dando,bem,e o coitado,de um pai,e uma mãe de família,só se ferrarem nas mãos dessa gentalha!!Alguém,precisaria,acabar,com esa paalhaçaada,que existe,no Brasil!!As pessoas,sempre,criticam,o regime militar,mas naquela,época,existia,respeito,e consideração,entre as pessoas.Hoje em dia,nego,faz barulho,na sua porta,e as pessoas de idade,não são maiss respeitadas!!Povo do Rio grande do Sul,eu moro,em um bairro,aqui,de São Paulo,onde,aquela,gentalha,do nordeste,literalmente,destruiu tudo!!O Rio Grande do Sul,é o estado,mais lindo do Brasil.Eu espero,que vocês continuem,a preservar,essa belísssima,cidade,e protegêla,contra,essas invasões,do povo lá de cima!!Porquê,aqui,em São Paulo,está tudo,muito triste!!Eu não conheço,mais a minhaa cidade.Um abraço,para todos vocês!!

    Responder
  9. Anônimo

    Se nós,queremos,proteção,para as nossas famílias,só mesmo,um governo,de direita,porquê hoje em dia,o bandido,tem mais direito,e respeito!!Quem é de famíla,e trabalhador,só leva no olho do c…..!!!A polícia,aqui de São PAulo,parece representante,dos direitos humanos!!Eles são muito bonzinhos,deveriam fuzilar,todos esse traficantes,que destróem famílias

    Responder
  10. Anônimo

    Alguém deveria derrubaar,o governo da Dilma,e aplicar,um golpe militar,nesse país!!!!Chega de leis,pra proteger,preto,e assassino!Eu nãao entendo,como um político,cria leis,para proteger,esses desgraçados,desse bandidos!!!Bnadido,deveria,ser tudo morto!

    Responder
  11. Anônimo

    O movimento punk,é uma piada!!Punk,é coisa de vaagabundo,que não tem o qque fazer.O brasileiro,deveria,para,de se fazer de vítima,dizendo,que a sociedade,é injusta,a desigualdade social,essas idiotices,típicas,de pobre.Se você quer alguma coisa,na vida,tem qque trabalhar muito,muito,mesmo!!Pra ´piorar,esssa desgraça,do governo,do PT,sustenta,esses vagabundoss!!O cara,se acomoda,e não vai a luta!!É por isso,que eu odeio pobre!!!Só não venca,na vida,quem não quer.E o movimento punk,tem uma coisa,que eu acho ridículo,que é o fato,deles serem anticapitalistas,e anti burgueses!!E daí,que uma pessoa,é rica??Se ela é rica,é pporquê foi a luta,para conseguir,o que conseguiu

    Responder
  12. Anônimo

    Se um golpe militar,não for aplicado,nesse país,os bandidoss,vão acabar,tomando conta de tudo.Chega,de aanarquia,e baderna.Gaúchos,declarem sua independência,do Brasil!!Seu estado,é lindo,demais,para,ser invadido,por aquela,praga,do nordeste.É claro,que não,em abundância,como aqui,em São Paulo.Mas,é preciso,proteger,antes,que seja tarde demais

    Responder
  13. Anônimo

    Rédson,você jáa foi tarde!!Um babaca a menos,para proteger baandido,e favelado

    Responder
  14. Anônimo

    Punk é atraso de vida.Aqui em São Paulo,estamos vivendo uma situação crítica,e triste,por causa dos nordestinos.Analfabetismo,ignorância,valores distorcidos,drogas,crimes.

    Responder
  15. Anônimo

    Então,esse mala,morava,aqui perto de casa,na móoca!!Ninguém merece.Lutar contra o racismo,e a violência??Os negros,é que são racistas,e violentos,e ninguém fala nada.Incentivar,o repúdio aos rodeios,e a desigualdade social,quanta cafonice,isso é papo de comunista,eu odeio os comunas!!!Essa coisa,de straigh edge,é coisa,de otário.Os animais,existem,para sustentar,o homem.Quem é que não gosta,de comer,um bifão,um churrasco??O movimento punk,foi uma modinha criada,para preencher,um espaço,no mercado fonográfico.Punk é atraso de vida.Como alguém,pode ser capitalista,se niguém,pode viver sem dinheiro???Vida longa,ao capitalismo.Quem me dera,ser milionário,ter todas,as mulheres do mundo,carros do ano,mansões luxuosas.Quem gosta,de pobreza,é masoquista,gosta de sofrer

    Responder
  16. Anônimo

    As bandas punks,estão destruindo,os neurônios,da molecada.Graças a Deus,mais um babaca,morreu!!ALELUUUUUUIIIIIIIIA!!!

    Responder
  17. Anônimo

    No movimento punk, aqui no Brasil só tem cara arrogante e convencido.Exemplos:João Gordo e Clemente,dos Inocentes

    Responder
  18. Anônimo

    Punk pra mim, é sinal de atraso de vida.Ninguém vive sem dinheiro.Viva o capitalismo

    Responder
  19. ALINE MALANGA

    Um homem à frente de seu tempo, enquanto muitos naquela época aceitavam todas as opressões goela a baixo, eis que havia um cara de coragem e ideologia muito sólida, fazendo músicas de protesto, a favor da paz, da justiça, do meio ambiente, de um lugar mais justo para todos

    Responder
    • maironmachado

      Obrigado pelo seu comentário Aline. Saudações e belas palavras.

      Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.