Direto do Forno: Europe – Last Look at Eden [2009]

30 de junho, 2011 | por Diogo Bizotto
Direto do Forno
7
Por Diogo Bizotto
Já comentei com muitas pessoas a respeito de como considero a reunião do Europe uma das mais honestas dos últimos anos. Ao invés de realizar extensas turnês capitalizando em cima dos hits de outrora, menos de um ano após o anúncio de seu retorno a banda soltou o ótimo Start From the Dark (2004), trazendo intacta a formação responsável por registrar The Final Countdown (1986), disco mais bem sucedido do grupo e responsável por colocá-los no mapa do rock mundial: Joey Tempest (vocal), John Norum (guitarra), John Leven (baixo), Ian Haughland (bateria) e Mic Michaeli (teclados). Melhor que isso, a banda soube renovar sua identidade, modernizando seu som, sem tentar emular sucessos do passado. Alguns se desagradaram com a nova sonoridade essencialmente rocker, que mostrava uma ênfase muito menor em destacadas linhas de teclado, focando na guitarra de John Norum, que, ao mesmo tempo que soava mais bluesy, também soava mais pesada.
O caminho traçado a partir de Start From the Dark parece não ter volta. Após mais um álbum confirmando a nova linha adotada, talvez de maneira um pouco mais melódica, com Secret Society (2006), o grupo lançou em 2009 o terceiro disco de estúdio desde sua reunião, Last Look at Eden. Quem se desagradou da aflorada faceta agressiva e da modernidade impressa no som continuará achando ruim, mas quem apreciou o amadurecimento do quinteto tem aqui um prato cheio. Mesmo os outrora empolados vocais de Joey Tempest hoje em dia se mostram mais agradáveis, sem deixar de construir linhas memoráveis, como costumava fazer em encarnações anteriores da banda.
Aqueles que querem rememorar o lado mais bombástico do Europe têm na faixa-título uma boa opção, incluindo grandiosos arranjos orquestrais sob um instrumental sólido, essencialmente hard rock. Já os que nunca deram muito crédito ao grupo devido à vinculação excessiva de sua sonoridade com os anos 80 podem se deleitar com as zeppelianas “Gonna Get Ready” e “Catch That Plane”, nas quais John Norum incorpora Jimmy Page através de ótimos riffs. Sendo um álbum do Europe, não poderia deixar de haver ao menos uma power ballad, e aqui temos duas, “New Love in Town” e “In My Time”, sendo a última escrita a respeito do então recente falecimento de Michelle Meldrum, esposa de John Norum. Ambas são dignas de elogios, sendo a segunda mais bluesy, incluindo um belo e estendido solo de John.
Mic Michaeli, John Leven, Joey Tempest, John Norum e Ian Haughland
“The Beast” segue a linha direta e agressiva de Start From the Dark, enquanto “Mojito Girl” traz um agradável groove funkeado. Outra que, assim como a faixa-título, denota a forte presença de arranjos orquestrais, é “No Stone Unturned”, a mais atípica do álbum. Não fossem os vocais de Tempest, “Only Young Twice” pareceria ter sido extraída de algum álbum solo de Glenn Hughes (Deep Purple, Trapeze, Black Sabbath). “U Devil U” é mais modernosa, mas passa longe de ser desagradável, e “Run With the Angels” chega a remeter (de leve) à estética grunge, de estrofes calmas e refrão raivoso, incluindo um solo barulhento de John Norum.
Apesar de não ser mais possuidor de um sucesso tão elevado como na segunda metade dos anos 80, época na qual vendia milhões de álbuns, o Europe conta hoje em dia com um prestígio muito mais elevado, conquistado graças à qualidade de seus músicos e da seriedade com a qual tem conduzido seu trabalho, renovando sua identidade e angariando a simpatia de muitos que os rejeitavam no passado. A edição nacional do disco, lançado em 2011 pela gravadora Hellion, traz, além de duas faixas bônus ao vivo, o trabalho gráfico completo, em formato digipack. Meu álbum favorito desde a volta do quinteto é Start From the Dark, mas Last Look at Eden certamente é essencial ao afirmar cada vez mais o Europe como uma força a ser reconhecida no cenário rock mundial, causando boas impressões essencialmente através de sua música.
Track list:
1. Prelude
2. Last Look at Eden
3. Gonna Get Ready
4. Catch That Plane
5. New Love in Town
6. The Beast
7. Mojito Girl
8. No Stone Unturned
9. Only Young Twice
10. U Devil U
11. Run With the Angels
12. In My Time
13. Yesterday’s News (Live) [Faixa Bônus]
14. Wake Up Call (Live) [Faixa Bônus]



7 Comentarios

  1. Gostei da resenha, Diogo. Não sou fã do Europe dos anos 80, mas gostei muito desse disco, o achei uma pequena obra-prima.

    Abraço.

  2. diogobizotto disse:

    Valeu, Ricardo. Isso é o mais legal nessa volta do Europe: conseguiram se adaptar à época sem soarem forçados, conquistando um público que costumava não os levar muito a sério nos anos 80. Sempre haverão aqueles que querem mais do mesmo o tempo todo, mas esse é o pior tipo de fã, egoísta, preguiçoso. Como eu disse, meu favorito entre os mais recentes é "Start From the Dark", mas "Last Look at Eden" fez bonito.

  3. edneia disse:

    Obrigada pela resenha construtiva à respeito do Europe.Sou do fã clube da banda aqui no Brasil e gostamos quando demonstram respeito pelo trabalho dos caras.Concordo com o Diogo,o fã deve estar aberto para novas possibilidades!Um abraço!

  4. Edneia,

    Nós que agradecemos a visita!!!

    E se alguém falar mal do Europe aqui, vai arrumar briga comigo, com o Diogo, Leo…. rsrsrsrs!!!

    Uma banda excelente que sempre lançou discos acima da média.

    Abrassssssssss

  5. Eu gostei do disco, mas o meu favorito depois do retorno ainda é o anterior, Secret Society, que tem uma das melhores músicas da carreira da banda, Forever Traveling.

    Mas como o Diogo falou, Last Look At Eden não faz feio, principalmente para quem curtiu essa nova sonoridade da banda.

  6. Baita disco. Ouvi depois de algum tempo do Unplugged (outro discaço) e realmente, Norum ta tocando muito bem. O Europe se encontrou, e parece melor do que nos anos 80.

  7. Roger Moore disse:

    muito bom o play!
    e essa edição da hellion tá bem bonita mesmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *