A Little Respect: Yazoo

27 de maio, 2011 | por Mairon
A Little Respect
1
Por Mairon Machado
Existem grupos que nascem para não fazer sucesso. Porém, sua importância na história acaba sendo fundamental para o nascimento de um outro grupo, onde esse segundo grupo, acaba se tornando uma das maiores bandas de um determinado estilo musical. Um exemplo prático que temos no rock é o da Band of Joy, um grupo que praticamente não fez sucesso na década de 60, mas que de suas entranhas, gerou nada mais nada menos que o vocalista e o baterista de um gigante do rock mundial, o Led Zeppelin.
No mundo do pop não é para menos. Antes de diversas bandas conhecidas e famosas surgirem, seus músicos peregrinaram por diversos ambientes “experimentando” as sonoridades que os tornariam famosos posteriormente. E o mais clássico desses grupos-embriões é o homenageado da vez aqui no A Little Respect. Estamos falando do Yazoo.
O Yazoo (também conhecido nos Estados Unidos apenas como Yaz) é um duo musical de synthpop formado por Alison Moyet (vocais) e Vince Clarke (sintetizadores, programações). Ah, você já ouvi falar de Vince Clarke! Sim, é o líder/fundador do grupo que batizou nossa sessão, o Erasure.
Depeche Mode em 1981 (Clarke é o primeiro da direita para a esquerda)
Em 1981, Vince havia acabado de sair do Depeche Mode, logo após gravar o essencial Speak & Spell (1981), um dos melhores discos da carreira do grupo, apresentando as imortais “Just Can’t Get Enough” e “New Life“. As insatisfações com a direção musical que o Depeche Mode estava tomando, que o levaria posteriormente a criar álbuns mais densos, com destaque para os excelentes Violator (1990) e Songs of Faith and Devotion (1993), acabaram levando Clarke em busca de um caminho sólido dentro do mundo dos sintetizadores.
Enquanto o Depeche Mode estourava na Inglaterra, Alison trabalhava como afinadora de pianos e também cantando em diversos grupos de punk rock na cidade de Essex (leste da Inglaterra), além de ter feito alguns “bicos” em grupos como The Vandals, The Vicars, The Screamin’ Ab Dabs e The Little Roosters.
O contato entre Alison e Clarke ocorreu justamente por Alison ter se tornado uma fã do Depeche Mode. Alison procurou Clarke para mostrar seu fascínio pelo grupo, e acabou mostrando seus dotes vocais para o músico, que agradado com o que ouviu, propôs a ideia de montarem uma dupla nos moldes do que Clarke havia projetado para o seu antigo grupo. Surgia assim o Yazoo, nome dado em homenagem a um antigo selo especializado em blues, o Yazoo Records.
A dupla em estúdio
Como Clarke ainda tinha contrato vigente com a Mute Records, mesma gravadora do Depeche Mode, o Yazoo acabou sendo mais um membro da Mute inglesa, assinando também com a Sire Records para ter seus discos lançados nos Estados Unidos.
O início nos Estados Unidos não foi dos melhores, já que a dupla recebeu uma ameaça de multa de 3 milhões e meio de libras por causa do uso do nome Yazoo, já que no país existia um pequeno grupo de rock com o mesmo nome. Por causa disso acabaram tendo o nome modificado para Yaz (apenas no mercado americano).
Acertada a questão relativa ao nome, Clarke e Alison começaram a cômpor material para a gravação do primeiro álbum, e em pouco tempo, lançaram o primeiro single. “Only You” chegou as lojas no dia 15 de março de 1982, e rapidamente alcançou a segunda posição nas paradas britânicas. No lado B deste single, está outro clássico da carreira do Yazoo, “Situation”. 

A estreia do Yazoo
O sucesso do single de “Only You” levou rapidamente a Mute Records produzir o primeiro LP da dupla, e em 23 de agosto de 1982, chegava as lojas Upstairs at Eric’s, que apresentava a forte linha pop desejada por Clarke no Depeche Mode. O disco abre com “Don’t Go“, onde os sintetizadores apresentam o conhecido riff da canção, trazendo os vocais de Alison acompanhados pelo riff e a batida eletrônica de Clarke. Nesta canção, o Yazoo conta com a participação de Daniel Miller nos sintetizadores, e o clipe da mesma foi um sucesso na MTV.
Single de “Don’t Go”
Daniel também participa da faixa seguinte, “Too Pieces”, recheada de bateria eletrônica e sintetizadores com outro riff bem conhecido. Essa canção é tipicamente embrionária do que Clarke faria anos depois com o Erasure, contando inclusive com um pequeno solo de sintetizador.
“Bad Connection” apresenta os sintetizadores de Clarke elaborando um riff próximo ao rock ‘n’ roll, em uma dançante canção que transforma-se entre um rock anos 50 e um pop eletrônico bem oitentista, com as linhas vocais de Alison saindo de algum álbum de Jerry Lee Lewis. As vocalizações no refrão também nos causam essa boa sensação de ouvirmos o rock da década de 50 com toda a “modernidade” dos oitenta, e a canção encerra-se com uma chamada telefônica.
Essa chamada telefônica é a abertura da experimental e viajante “I Before E Except After C”, onde uma voz pré-gravada (que eu fortemente acredito ser do apresentador John Pell, tamanho o sotaque britânico da mesma) vai sendo mesclada com diversas falas aleatórias que formam o corpo da canção. Os sintetizadores de Clarke aparecem executando um estranho tema, seguido por algumas notas que serão repetidas durante quatro estrofes, e a canção, psicodélica e maluca, acaba apenas com vozes femininas saindo do meio da multidão de vozes mescladas.
Yazoo
A bela introdução a capela de Alison em “Midnight” apresenta os eletrônicos de Clarke em uma leve canção que passaria despercebida se não fosse a introdução, e o lado A encerra-se com “In My Room”, onde algumas falas são seguidas pelos sintetizadores que fazem um tema similar ao de “I Before E Except After C”, com Alison cantando de forma pausada e sem causar muitos atrativos.
Single de “Only You”
O lado B abre com “Only You“, onde os eletrônicos apresentam a voz de Alison na canção mais próxima ao que o Erasure veio a fazer depois, destacando o tímido solo de Clarke. Essa canção foi composta por Clarke ainda quando pertencia ao Depeche Mode, e inclusive Clarke chegou a oferecê-la ao grupo antes de sair, mas eles recusaram, e quis o destino que se torna-se no primeiro grande sucesso do músico pós-Depeche Mode. Além do segundo lugar no Reino Unido, ela chegou na sexagésima sétima posição na Billboard americana. Um dos principais pontos de destaque para “Only You” está na sua melodia, a qual é composta por diversos sintetizadores monofônicos que foram tocados ao mesmo tempo para alcançar a profunda e densa linha eletrônica da canção.
Depois, é a vez de “Goodbye Seventies” nos situar que estamos nos anos 80, com o riff dos sintetizadores sendo grudento, e o acompanhamento dos eletrônicos fazem dessa uma das melhores do álbum, onde a letra cantada por Alison dá adeus aos rocks dos anos setenta e incentiva a vinda dos sintetizadores para fazer o novo som dos oitenta.
Single de “Situation”
Então, a clássica “Situation” surge com aquele que é o principal riff do Yazoo, e que até sua vó conhece. A levada tipicamente pop dos eletrônicos de Clarke é o destaque desta que é a única composição feita em colaboração por Clarke e Alison. O refrão é o ponto alto, além do longo solo de eletrônicos. “Situation” saiu como lado B de “Only You” no Reino Unido, e foi lançada como single apenas nos Estados Unidos, onde chegou na posição 73. Além disso, tornou-se a primeira canção do grupo a chegar ao topo da parada Hot Dance Club Play da Billboard, no verão de 1982, permanecendo nessa posição durante quatro semanas.
A linda “Winter Kills” vem na sequência, com a marcação de uma batida trazendo o bonito tema de Alison ao piano. Alison canta uma linda balada jazzística tendo apenas o acompanhamento de seu piano e da marcação, em uma emocionante interpretação, com “Bring Your Love Down (Didn’t It)” encerrando o LP trazendo o riff dos sintetizadores bem parecidos com o de “Don’t Go”, em uma canção pop construída sobre acordes de blues e com mais um grudento refrão.
Estilo visual que marcou a carreira do grupo
Upstairs at Eric’s alcançou sua melhor posição no Reino Unido, onde ficou em segundo lugar e conquistou platina. Depois, conquistou a nona posição na Nova Zelândia, décima primeira na Suécia e décima quarta na Alemanha. Além dos singles de “Only You” e “Situation”, mais dois singles foram lançados:”Don’t Go” / “Winter Kills” (05 de julho de 82), que chegou na terceira posição, e “The Other Side of Love” / “Ode to Boy”, lançado em novembro e chegando na décima terceira posição, sendo este gravado durante a curta turnê de divulgação do álbum.

Single de “The Other Side of Love”
Em 99, um remix de “Only You” entrou no Top 40 das paradas inglesas, chegando na décima sexta posição na Hot Dance Music/Club Play da Billboard americana, tendo inclusive um novo vídeo produzido especialmente para promover esse remix, utlizando-se do software Houdini 3D animation para executar todos os movimentos do clip. Vários artistas regravaram “Only You” com o passar dos anos, destacando: The Flying Pickets, em uma famosa versão lançada no Natal de 1983, a qual alcançou a primeira posição nas paradas inglesas e se tornou a canção um dos símbolos de canções natalinas a partir de então; Enrique Iglesias, no single lançado em 97 que também chegou a primeira posição nos Estados Unidos; Judy Collins, Richard Clayderman, Lemon Ice, Jason Donovan; e muitos outros. 
O último LP do Yazoo
Já “Situation” ficou marcada pelo seu sintetizador e pela risada de Alison, a qual inclusive foi sampleada em diversas canções, tendo maior destaque para o hit latino “Macarena”. Além disso, recebeu uma versão cover feita por Tom Jones em 94 e diversas remixagens com o passar dos anos. “Don’t Go” foi outra que acabou recebendo outras remixagens, além de um clipe apresentando uma recriação para O Fantasma da Ópera.
Single de “Nobody’s Diary”
Depois da mini-turnê de divulgação, a dupla voltou para os estúdios, lançando em 04 de julho de 1983 You and Me Both. O álbum fez tanto sucesso quanto seu antecessor, chegando ao primeiro lugar em vendas no Reino Unido. “Nobody’s Diary” abre o LP com outro riff muito conhecido, trazendo os vocais de Alison em uma leve canção dançante, explorando bastante os trabalhos vocais.
“Softly Over” segue a linha de canções leves, com Clarke explorando mais seus sintetizadores e eletrônicos, fazendo inclusive um longo solo. Os sintetizadores também são o destaque na agitada “Sweet Thing”, com Alison cantando sobre uma rápida levada da bateria eletrônica e tendo bastante participação de vocais e batidas pré-programadas, além de sintetizadores imitando metais.
“Mr. Blue” é uma balada pop típica das composições de Clarke, com eletrônicos e sintetizadores misturados para fazer uma canção simples e sem muita empolgação. Mas para agitar, “Good Times” surge com sintetizadores imitando baixo e uma dançante cadência dos sintetizadores de Clarke, além de diversas vocalizações cantando o nome da canção, encerrando o lado A com algumas risadas e em um clima mais “up”, mas sem empolgar.
Vince Clarke e Alison Moylet
“Walk Away from Love” abre o lado B, contando com a participação do grupo vocal The Sapphires e um riff dançante dos eletrônicos, em uma canção mais interessante em relação as do lado A, onde o trabalho vocal é o principal destaque, assim como o solo de Clarke. “Ode to Boy” desenvolve-se sobre um andamento lento e pouco criativo, misturando as vozes de Alison onde podemos ver suas notáveis linhas de blues que consagrariam sua carreira solo.
“Unmarked” retorna as linhas eletrônicas mais simplistas, em outra composição típica da cabeça de Clarke, alternando momentos mais pesados no refrão com vocais amenos durante a sequência da letra. “Anyone” é uma bela canção, onde as linhas “progressivas” dos eletrônicos e sintetizadores de Clarke constroem uma atmofesra sombria e encantadora para os vocais de Alison entoaram a letra da canção, lembrando bastante o lado mais sombrio que o Depeche Mode lançaria no final dos anos 80.
“Happy People” é a única canção da carreira do Yazoo a contar com os graves vocais de Clarke. Soa até engraçado ouvi-lo cantando, mas a faixa é bem interessante, um pop simples com levadas sessentistas, onde os eletrônicos dão a “modernidade” necessária para torná-la uma faixa datada, mas gostosa de se ouvir.
O LP encerra-se com “And On”, resgatando os temas de eletrônicos e sintetizadores de Upstairs at Eric’s, lembrando bastante o andamento de “In My Room”.
A dupla em 83
Sem dúvidas, o maior sucesso do LP ficou por conta de “Nobody’s Diary“. Seu single de 12 polegadas foi lançado com diferentes lados B no Reino Unido e nos Estados Unidos. Os ingleses ficaram com uma versão remix de “Situation”, enquanto os americanos ficaram com a faixa “State Farm” complementando o lado A e ainda uma versão diferente para “Situation” (não a mesma da versão inglesa e tão pouco a versão original). Ainda de You and Me Both, o single de “Walk Away from Love” foi lançado apenas no Japão, e não chegou a fazer sucesso.
O Yazoo ainda fez uma pequena série de shows antes de decidir seguir cada um seu caminho. Moyet assinou com a Columbia Records e ingressou em uma bem-sucedida carreira cantando pop com sua inconfundível voz bluezy, onde lançou álbuns que fizeram relativo sucesso, como Alf (1984), Raindancing (1987) e Voice (2004), e que no total já venderam mais de dois milhões e meio de cópias.

As lendas do pop Vince Clarke e Andy Bell (2007)
Já Vince gravou um single com Feargal Sharkey chamado “Never Never”, pertencente ao projeto The Assembly, e logo após, formou o Erasure, ao lado do namorado Andy Bell, que explodiu no final dos anos 80 com sucessos como “Stop”, “Star”, “A Little Respect”, “Oh L’amour”, “Brothers and Sisters” e mais uma longa série de singles e hits que vendeu mais de 20 milhões de cópias até os dias de hoje, e que falaríamos durante semanas aqui. Prometo que quando surgir uma oportunidade tentarei narrar sua história com detalhes nessa sessão.

Coletânea com diversas remixagens

Na década de 90, vários foram as remixagens e relançamentos para canções do Yazoo, principalmente “Situations” e “Only You”. “Situation” foi relançada como “Situation ’91”, que ficou na décima quarta posição. Em 99 saiu a coletânea Only Yazoo, trazendo várias canções dos dois álbuns da banda e ainda “State Farm”, que havia saído apenas no mercado americano. Além disso, saíram os singles: “Only You (1999 remix)”, trigésima oitava posição; “Situation ’99”, e “Dont Go ’99”, todas no mesmo ano de Only Yazoo.
Em dezembro de 2007, a revista Side-line anunciou que a gravadora Mute Records estava planejando relançar os dois álbuns do Yazoo em versões remasterizadas, que teriam como principal atração uma série de shows da dupla para promover o lançamento. Depois de 25 anos afastados, Vince Clarke e Alison Loylet voltavam a subir no mesmo palco. A turnê promocional recebeu atenção de diversos setores da mídia especializada, tendo inclusive uma apresentação especial no programa Friday Night with Jonathan Ross, no dia 16 de maio de 2008.
Caixa com quatro CDs

Então, a caixa In Your Room foi lançada, apresentando quatro CDs trazendo Upstairs at Eric’s e You and Me Both com remasterização estéreo e 5.1, além de B-sides e versões alternativas. Além disso, um DVD apresentando um filme exclusivo com entrevistas com Clarke e Moylet acompanhava o pacote. Nesse DVD também encontra-se vídeos para “Don’t Go”, “The Other Side Of Love”, “Nobody’s Diary”, “Situation (mixagem de 1990)” e “Only You (mixagem de 1999), além de apresentações do grupo na BBC.
O retorno em 2008
A dupla partiu para uma série de 18 apresentações, começando em 26 de maio em Copenhagem, passando por Irlanda, Reino Unido, Alemanha e cinco datas nos Estados Unidos (Oakland, Los Angeles, Chicago e Nova Iorque).
Uma edição limitada em vinil, apresentando algumas mixagens diferentes, foi lançada para promover a caixa. Seguiu-se ainda o ao vivo Reconnected Live, lançado em setembro de 2010.
Diversos filmes e especiais de televisão tem mostrado as canções do Yazoo nos últimos anos. O filme The Chocolate War (1988) por exemplo, cita “In My Room”, “Ode to Boy” e “Only You”. Já Napoleon Dynamite (2004) apresenta “Only You” como uma das principais canções, bem como o filme Can’t Hardly Wait (1998) e a série The Office. Já “Don’t Go” está presente no filme Tango and Cash (1989) e na série I’m Alan Partridge. Aos saudosistas, “Situation” foi usada em um comercial do videogame Nintendo, enquanto “Bring Your Love Down (Didn’t I)” apareceu no episódio Not Without My Daughter, do programa The Sarah Silverman.
  
Yazoo no auge da carreira
O fato do Yazoo ter dado origem ao Erasure e ter influenciado diversos outros grupos pop que surgiriam posteriormente, como La Roux, Shiny Toy Guns e Hercules and Love Affair, já é o suficiente para se dar um pouco de crédito para o grupo. Porém, analisando com cuidado, é a sua própria carreira, com os sucessos de “Situation”, “Don’t Go”, “Only You” e “Nobody’s Diary”, que fazem do Yazoo uma banda realmente importante para o mundo do pop e do synthpop, e digna de se merecer pelo menos um pouco de respeito.



1 Comentario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *